INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL

domingo, 20 de maio de 2012

INTERPRETAÇÃO BÍBLICA - O Grande Sábado - Jo 19.31



Considere a seguir, o sublinhado no texto bíblico nas diversas versões: 

1. ARC 

“Os judeus, pois, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação (pois era grande o dia de sábado), rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados.”

João 19:31

2. ARA
“Então os judeus, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação, pois era grande o dia daquele sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas e fossem tirados” 

3. NVI
“Esse era o Dia da Preparação, e o dia seguinte seria um sábado especialmente sagrado. Por não quererem que os corpos permanecessem na cruz durante o sábado, os judeus pediram a Pilatos que ordenasse que lhes quebrassem as pernas e os corpos fossem retirados.” 

4. KJ (King James)
“The Jews therefore, because it was the preparation, that the bodies should not remain upon the cross on the sabbath day, (for that sabbath day was an high day,) besought Pilate that their legs might be broken, and {that} they might be taken away.” 
Traduçao do parênteses: “pois aquele dia de sábado era um grande dia”

   A parte sublinhada em cada uma dessas versões se refere ao sábado daquele fim de semana em que Jesus foi crucificado. Note que em cada uma delas há um adjetivo que classifica aquele sábado como “grande” ou “especialmente sagrado”, a única versão onde não dá essa ideia para aquele fim de semana é a ARC (Almeida Revista e Corrigida) onde lemos  (pois era grande o dia de sábado) dando a entender que se referia a qualquer sábado, podendo passar desapercebido o significado real daquele sábado.

   As referências mencionadas demonstram como aquele sábado era especial, vejamos a razão disso:

    O motivo é simples, a festa da páscoa naquele ano ia ocorrer naquele sábado por isso ele era uma sábado especial.

   A festa da páscoa que era uma festa fixa, isto é, não varia de data, somente nos dias da semana, pois a cada ano ela podia cair em um dia da semana diferente, e naquele ano ela ia ocorrer em um sábado. Isso explica a pressa dos judeus para que os condenados morressem logo.

  Hoje a festa da páscoa para o ocidente é móvel, pois é comemorada no domingo após a sexta-feira da paixão, por isso ela varia de data. 

  Convém observar que na NVI aparece o termo "especialmente sagrado", bem modificado do original para auxiliar o entendimento. Não é acréscimo pois não adiciona nada ao contexto, nem heresia pois não muda a interpretação.

Marcos André - Professor

16 comentários:

  1. Este detalhe é ignorado por muitos comentadores do NT. O Grande Sábado, (Shabbat HaGadol) é o Shabbat que antecede o Pessach. Caso o Pessach caia no sábado, o sábado grande é comemorado na semana anterior e não no próprio sábado do Pessach. Portanto, o Pessach que João se refere, obrigatoriamente, caiu no domingo, 15 de Nissan do ano 3789, cujo sábado que lhe antecedeu, dia 14 de Nissan de 3789, foi grande (Shabbat HaGadol).

    Assim, a sexta-feira, necessariamente, teria que ser dia 13 de Nissan 3789, antevéspera de Pessach, que nesse ano foi dia 15 de abril de 29 EC no calendário Juliano.
    Ano 29 d.C. = Shanah 3789.

    http://www.myjewishlearning.com/holidays/Jewish_Holidays/Passover/In_the_Community/Shabbat_HaGadol.shtml

    http://www.hillel.org/jewish/archives/special/hagadol/2008_hagadol.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário para nos acrescentar, confesso que achei um pouquinho complicado mas da pra entender.
      Estou olhando a pagina que você me deixou.
      Paz.

      Excluir
    2. não entendi muito bem a colocação do amigo Ruy, mas a primeira parte sim. eu tambem pensava que o grande dia era dois sabados juntos, mas deparei que a festa de paes asmos iniciava com a páscoa ou seja: na passagem do dia 14 para 15 (quinta para sexta)onde se iniciava paes asmos, mas na sexta feira era o primeiro dia de pães asmos, e embora não podia trabalhar como tb ocorria no setimo dia desta festa (asmos)acontece que podia preparar a comida nestes dias, o que não podia fazer no sabado semanal, e mais, se era o dia da preparação, e essa sexta fosse um sabado (cerimonial) então a preparação não seria sexta e sim quinta.
      outro detalhe é que: que explicação poderiamos dar, ao dizer que naquele sabado era um sabado cerimonial? nada! então pergunto mais: que dia era 14 quarta, quinta, sexta, ou sabado? e como provar? ozias10@hotmail.com

      Excluir
    3. Irmão esse assunto me deixou meio tonto kkkkk. Paz.

      Excluir
  2. Concordo com o comentário do Anônimo, pois na quinta dia 14 era a preparação para o primeiro dia de paes asmos e chamado o grande sábado. Explicando tambem que Jesus ressuscitara no terceiro dia, no domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um anônimo concordando com outro rsrsr, o assunto é interessante, mas não deixa de ser engraçado. Por que você não coloca teu nome?

      Excluir
  3. Só agora eu vi esta postagem, meu pastor é um ferrenho defensor da ideia que Jesus morreu na quarta feira, no culto de ensinamento após a "pascoa" deste ano, ele nos ensinou sobre esta questão, defendendo a idéia de Jesus morreu na quarta e refutando a idéia de que Jesus morreu na sexta. Fiquei com vontade de perguntar para ele, se esta questão interfere na nossa salvação, mas por respeito preferi ficar calado, mas agora quero repassar a pergunta à vocês. Se eu continuar acreditando que jesus morreu na sexta feira eu posso perder minha salvação? Irmão Evaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obviamente não meu irmão, pois a salvação vem pela crença na ideia de que Cristo deu a vida na cruz por nós, os detalhes disso podem ser estudados, mas não são mais importantes do que o fato central, de Ele levou sobre si nossas dores...

      Excluir
    2. Certissimo, mas você sabe que os defendem a ideia da quarta feira, chegam a pensar que se acreditarmos que cristo morreu na sexta feira, corremos o risco de ir para o purgatório. Uma coisa eu sei, Cristo morreu por meus pecados, o dia não importa.

      Excluir
  4. Na verdade, aquele era considerado um sábado grande porque coincidia com o sábado do sétimo dia, dos mandamentos guardados pelos judeus. Aliás, todas as festas judaicas, chamadas santas convocações ou sábados, quando coincidiam com o sétimo dia do mandamento, eram chamados de grandes sábados.

    ResponderExcluir
  5. JESUS MORREU DIA 14 0U 15?
    Embora não haja contradições quanto ao dia da semana por maior parte dos cristãos, pois creem ser sexta feira o dia da sua morte, sabemos que a Bíblia sugere dupla interpretação quanto a ser 14 ou 15 o dia da morte de Jesus com base no calendário judaico.
    O proposito deste material é apresentar ambas interpretações, talvez você tenha já uma opinião formada, nosso interesse não é mudar a sua opinião, mas levar a reflexão sobre o assunto. Possivelmente não seja um ponto de salvação, é da vontade de Deus que unamos para estudar. Leia e reflita.
    Quando teve inicio a páscoa?
    A observância da Páscoa começou com o nascimento da nação hebraica. Na última noite de sua servidão no Egito, quando não havia sinal de libertação, Deus lhes ordenou que se preparassem para um imediato livramento. DTN 76/77.
    Segundo o calendário gregoriano em que dia era a pascoa?
    O tempo da Páscoa era o fim de março ou começo de abril DTN 76
    A morte de Jesus dia 14 ou 15?
    Os que creem que Jesus morreu dia 14 consideram que:
    1) A morte do cordeiro da pascoa, foi dia 14
    2) Os cordeiros da páscoa morriam dia 14
    3) Que foi ao pôr-do-sol, pois era ao pôr-do-sol a morte dos cordeiros.
    4) Que grande sábado era dois sábados no mesmo dia, ou seja; cerimonial e semanal
    5) Alguns dizem que Jesus não comeu da pascoa, apenas instituiu a ceia.

    Comentário:


    material completo solicite ozias10@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Olhe o que eu entendo e que no Sabado era o dia da pascoa uma das festas Anuais que o povo de Israel deveria guadar que poderia cair em qualquer dia da semana mas tinha as mesmas solenidades do Sabado semanal, e por isto era tambem chamado de Sabado.Agora naquele ano esta festa caiu num Sabado semanal fazendo deste sabado um Grande sabado pois se comemoravam dois sabados em um A sexta feira era chamada de dia da preparacao porque Eles se preparavam para guardar o sabado semanal pois nao podiam fazer nem uma obra no Sabado conforme o mandamento de exodo 20:8-11. agora a questao do dia que Cristo morreu eu acredito que foi na sexta feira mesmo sendo este o dia da preparacao agora temos que considerar que o cordeiro morria na vespera da pascoa tambem e se a pascoa era no Sabado ele morreu na sexta mesmo. voces nao acham assim? Sei que isto nao e ponto de salvacao mas gosto de aprender. Que Deus abencoe a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa análise irmã Solange, gostei da argumentação. Todos os comentário colocados aqui acrescentam o conteúdo do blog, até mesmo as críticas, continue conosco. Eu também concordo que Ele tenha morrido na sexta-feira mesmo. Obrigado mesmo pelo acréscimo.
      Paz.

      Excluir
  7. Se Yeshua/Jesus morreu mesmo numa sexta-feira, conforme ficou estabelecido e amplamente aceito, como se cumpriram então as palavras do Mestre referentes ao único "sinal" que ele deu aos ímpios (os fariseus)? Estou falando do "sinal de Jonas" de Mateus 12:38-40. Se realmente afirmamos que o Senhor morreu numa sexta (quando há outra forma de entendimento e perfeitamente harmoniosa para entendermos que ele não morreu neste dia), podemos concluir que este ÚNICO sinal que Ele deixou aos ímpios para comprovar sua origem como Filho de Deus simplesmente falhou! E não adianta tentarmos "esticar" o pouco tempo que Ele esteve no túmulo (se contarmos que ele morreu na sexta) para tentar satisfazer os 3 dias e 3 noites que ele deveria ficar morto, conforme o "sinal de Jonas".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, uma das coisas que aprendi em todo esses anos estudando teologia é que não se deve levar os registros bíblicos e nem qualquer outro ao pé da letra, por que ele afirmou três dias não significa exatamente três dias, pode perfeitamente ser dois dias e meio, e que isso pode modificar a minha fé de que Ele foi ressuscitado dos mortos, será algumas horas a menos diminuem o poder dessa ressurreição. Essa questão não acrescenta e nem tira nada do teor das palavras proféticas do mestre e nem da Bíblia que eu leio. Paz querido.

      Excluir
    2. Caro irmão Marcos André, respeito seu ponto de vista. Mas convenhamos que os "três dias" aos quais o Senhor Jesus tanto frisou que seria o tempo que ele ficaria no túmulo e depois ressuscitaria, são enfatizados demais para nós simplesmente transformarmos isso num outro período que não o que ele de fato disse que seria, ou seja, 3 DIAS plenos. Ainda mais quando nos deparamos com o relato em que fala do "sinal de Jonas" (Mt 12:40), deixando a coisa ainda mais específica, ao dizer que seriam "três dias e três noites". Você pode até pensar que isso "não acrescenta nem tira o teor das palavra proféticas do Mestre" (como disse, eu te respeito), mas podemos com isso - sem perceber - estarmos colocando palavras na boca de Jesus que ele não disse, e o que é pior, anulando o que ele de fato disse. Veja o que Jesus disse em resposta à intenção de Herodes de matá-lo... Note que era um sábado, o último antes dele ser morto:

      [Ele respondeu: "Vão dizer àquela raposa: "Expulsarei demônios e curarei o povo hoje [sábado] e amanhã [domingo], e no terceiro dia [terça-feira] estarei pronto".] Lucas 13:32

      Percebeu? Em outras palavras, Ele disse: 'farei minha obra hoje, sábado; amanhã (domingo, o primeiro dia); e no terceiro dia (terça-feira) concluirei minha obra e estarei pronto para morrer. Na terça de dia ele chegou a Jerusalém para celebrar a páscoa e foi traído e entregue naquela mesma noite de Pascoa (14 de nisan), que já era quarta feira, morrendo e sendo sepultado ao final daquele dia (lembrando que o dia judeu vai de por do sol a por do sol). O dia seguinte, 15 de nisan (quinta-feira), era o primeiro dia dos ázimos, portanto, um SHABAT. Quando as mulheres chegaram ao seu túmulo, quando finalizava SHABAT semanal (sétimo dia) e iniciava o primeiro dia (domingo) o túmulo já estava vazio. Portanto, ele ressuscitou no final do sábado semanal, por volta do mesmo horário em que morreu.

      Mesmo que isso não 'acrescente nada' eu prefiro ficar com o que mais condiz com o que de fato ocorreu e que está em conformidade com o que Jesus disse, do que simplesmente aceitar o que foi "convencionado" como sendo o dia correto de sua morte e com isso anular o que ele de fato disse a respeito do tempo em que ficaria morto, ou seja, "3 dias e 3 noites". Fica na Paz de Cristo você também.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.