quarta-feira, 25 de julho de 2012

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio - Lição 5 - Editora Betel


AULA EM 29 DE JULHO DE 2012 – LIÇÃO 5
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “A comunicação do Evangelho”
  
Texto Áureo: Jo 4.15
  
INTRODUÇÃO
            - Professor, nesta aula você apresentará a forma mais eficaz
de propagar a mensagem do Evangelho. É como se fosse um passo-a-passo
de como se evangelizar.
- “marginalizados”, aqueles que estão à margem da sociedade,
os que não são considerados cidadãos, como os criminosos e
os malfeitores por exemplo.
- “estigmatizados”, estigma é a cicatriz de alguma enfermidade,
dessa forma o termo estigmatizado, se refere aos que carregam
uma marca por algo errado que fizeram ou fazem, como se fosse
um rótulo de algo ruim, por isso são mal vistos pela sociedade.
Exemplo, mães solteiras, ex-homossexual, ex-presidiário e etc.
- A mulher samaritana pode ser enquadrada nessa condição.
- Alguns detalhes do texto levam a crer que essa mulher fosse mal
vista pelos da sua cidade.

1. COMUNICAÇÃO PESSOAL
-“legado”, aquilo que é deixado para o futuro seja em material ou
em conhecimento, no caso aqui está se referindo a estratégia de
evangelizar, que Jesus ensinou.
- “evangelização insuperável”, quer dizer que nunca existiu outro
método mais eficaz do que esse. Nem o método atual de utilização da
mídia tem mais eficácia do que o contato pessoal que é ensinado
por Cristo nesta passagem.  

1.1. Jesus iniciou o diálogo
- "na hora da refeição", as mulheres geralmente saiam ao entardecer
quando o sol já estava mais frio. Geralmente saiam em grupos, devido aos
ladrões, mas aquela estava só, mostrando que não tinha muitas amizades
com outras mulheres.

- “diferenças históricas”, havia a rivalidade entre eles, devido a
rejeição que os judeus faziam aos samaritanos.
- Isso vem do tempo em que o rei da Assíria invadiu a Samaria e
deportou os israelitas que moravam lá, e colocou outros em seu lugar
2 Rs 17.24-26 esses outros moradores tiveram que a prender a adorar
o Senhor e aprenderam, porém os judeus não consideravam eles como
 descendência de Abraão, por isso não se davam. Daí se explica a
dúvida dela de qual seria o lugar certo para se adorar.

- “contato criativo”, Jesus não entrou direto no assunto, não começou
acusando, primeiro o Mestre procurou quebrar a barreira do
preconceito.
- Ensine isso à turma a evangelizar com estratégia, criando as
oportunidades, sem forçar a barra.

1.2. Jesus despertou o interesse
- “algo comum”, Jesus viu algo comum aos dois, que era a necessidade
de se tirar água e aproveitou a ocasião. Podemos usar algo em comum
com os não crentes para introduzir a mensagem, quem sabe futebol ou
política, o ideal é que seja algo da necessidade de ambos. Quando nós
pedimos ao não crente por algo que necessitamos, nós mostramos para ele
que ele também é importante e que o Senhor também o ama.

1.3. Jesus expôs a realidade espiritual
- “água viva”, era o termo utilizado pelos judeus para água corrente que
brotava de alguma fonte.
- “sede interior”, comente que milhares de pessoas são como essa mulher
samaritana, com uma sede interior de ter um pouco de paz, já depois
tantas decepções na vida, por isso o Evangelho tem maior aceitação entre
os pobres e amargurados desse mundo.
 ________________________________________
2. APROFUNDAR A COMUNICAÇÃO
            - “sob pretexto de”, essa afirmação é uma alusão crítica a alguns
pastores que falam de maneira arrogante, acusando de pecado com
pretexto de estar falando em nome de Deus.   

            2.1. Denunciar o pecado
            - “ímpio”, significa, o que pratica a impiedade, os que negam a Deus,
nesse contexto nem todos são ímpios.
- Note que Jesus denuncia o pecado a partir das palavras da própria
mulher. Jesus é o meio termo, Ele não entra no assunto de bruscamente e
nem deixa pra lá, Ele expõe o pecado na hora certa.

- “A mulher entendeu”, há um momento na evangelização em que
a pessoa entende que somos pessoas enviadas por Deus, é a hora em
que pedem oração, e desejam tirar alguma dúvida das coisas espirituais.

- “foco”, é o objetivo da evangelização, não podemos nos distrair da
 nossa meta, ainda que surjam assuntos diversos.

2.2. Adorar verdadeiramente
- A mulher questiona Jesus sobre algo velho da Lei, pois essa era uma
antiga disputa entre judeus e samaritanos, uma vez que o Templo estava
em Jerusalém e o monte Gerizim estava em Samaria.
- Jesus apresenta o novo conceito de adoração, a adoração interior e
verdadeira.

- “lugar de adoração”, o comentarista afirma algo muito sério,
atualmente alguns irmãos se perdem na questão do lugar de adoração
e creio que também na “forma” da adoração, queremos dar forma e
lugar, mas na verdade, devido ao Espírito Santos habitando em nós,
podemos adorar em qualquer lugar e de várias formas, não é só
gritando, nem somente em silêncio.

2.3. Jesus trás nova revelação
- “face a face”, é a hora do apelo. Note que o Mestre não prometeu
nada material para a mulher, não prometeu resolver o problema
sentimental dela, mas apenas se apresentou para ela. Assim é que
devemos apresentá-lo, sem promessas falsas, sem adendos, e sim
como o Cristo enviado de Deus que tira o pecado do mundo
________________________________________
3. RESULTADOS DE UMA BOA COMUNICAÇÃO
- “posteriormente... ser alterado”, essa afirmação quer dizer que
às vezes a pessoa aceita agora, mas depois não vai mais a igreja, ou
o contrário, a pessoa recusa e depois se afirma.

3.1. Ela se torna um agente multiplicador
- O Senhor deseja que façamos discípulos e não assistentes passivos,
o Evangelho deve ser pregado para conquistar novos pregadores, pessoas
que o conduzirão a diante. Encontramos atualmente líderes que se contentam
em ensinar o povo a ser somente ouvintes, somente para colaborar com
ofertas.

3.2. Os samaritanos insistem para que Jesus permaneça
- “eliminador de barreiras”, Cristo não só elimina as barreiras, como
também nos ensina a eliminá-las, veja que a mulher que não era bem
vista por aqueles habitantes consegue trazer a cidade para ver Jesus.
- Pergunte: o que tinha na fala dela para que convencesse as pessoas a
irem ver a Jesus? A resposta: entusiasmo, que fez com que ela falasse
com convicção.

3.3. Os samaritanos crêem que Jesus é o salvador
- “comunicação”, comente que o Evangelho foi estabelecido para
ser comunicado e não guardado, não se deve ficar recluso em mosteiros,
ou como alguns irmão ficam acampando no monte, temos que deixar
que a nossa luz brilhe diante dos homens para que eles cheguei a Deus.

- Vejamos essas barreiras sociais:
a. preconceito, é o conceito que fazemos antes de conhecer realmente
quem é a pessoa, geralmente se faz por cor da pele ou posição social.
b. etnocentrismo, se refere a etnia, “raça” ou cultura que une indivíduos,
o etnocentrismo é quando pensamos que a nossa etnia é a melhor ou
mais importante e rejeitamos as demais.
c. gênero, é a classificação masculino ou feminino, na cultura judaica
jamais um homem falaria a sós com uma mulher, mas o Mestre ensina
que havendo pureza nos corações, podemos falar a todos do amor de
Deus.
 ___________________________
CONCLUSÃO
- Você pode terminar orando com os alunos para que o Senhor os faça
divulgadores, multiplicadores do Evangelho, para que possamos jogar
por terra todas as barreiras de preconceito.

 Boa aula!
 _____________________________________________

Marcos André - professor

Um comentário:

  1. parabens mesmo por isso sou professor e me ajuda muito

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.