quarta-feira, 8 de agosto de 2012

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio Lição 7 - Revista Betel


AULA EM 12 DE AGOSTO DE 2012 – LIÇÃO 7
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “A Realidade Ministerial de Jesus”
  
Texto Áureo: Jo 6.66
  
INTRODUÇÃO
            - Professor(a), nesta lição você falará de situações bem corriqueiras em
nosso meio cristão, os problemas ministeriais, se a tua classe for de obreiros
então poderá haver várias experiências a serem compartilhadas. Se a
classe for de jovens passe experiências no sentido de prepará-los para
a obra de Deus.

- Você pode comentar sobre a verdade prática, o seguinte: encarar as
dificuldades sem ressentimento significa não ficar remoendo algo
que já passou, pois novos problemas virão e carece de estarmos
preparados para eles.

- “não esconde”, comente que as Escrituras expõe todos os problemas,
exatamente para sabermos que o ministério será assim mesmo, pois
se o Senhor Jesus passou por isso, nós ainda mais.

- “se preparar”, aqui a igreja deve dar o apoio, ensinando seus obreiros
a estarem prontos para as adversidades do ministério. Devem ser
orientados que em sua caminhada haverão críticas, caras de reprovação,
boicotes, fofocas, e motins para derrubar a liderança.    

1. OS DISCÍPULOS SE ESCANDALIZARAM
- “escandalizaram”, se chocaram, se decepcionaram com Ele.

- “o poder político”, o que o povo judeu esperava era um Messias
que protegesse e cuidasse do povo, no momento em que Jesus dá
o pão para a multidão, o povo estava propenso a reconhecer sua
autoridade divina. Comente que quando um obreiro dá o que o
povo quer ele não terá muitos problemas em seu ministério, conseguirá
inclusive uma certa exaltação, porém poderá perder sua salvação, como
Saul perdeu o trono.
- Porém se o obreiro der ao povo o que Deus manda, passará com certeza
por muitas dificuldades e não será muito parabenizado por isso.

1.1. Jesus recusou ser rei
- “enorme tentação”, cite o exemplo de Jesus na passagem em questão,
para vencer a tentação, Ele se retirou para orar sozinho no monte, saiu
do lugar da tentação, ninguém vence a tentação se permanecer onde ela está.

- Você pode acrescentar que haviam dois planos:
a) dos judeus: fazê-lo rei de Israel.
b) de Deus: fazê-lo Rei do universo.  
Pode ainda comentar que no plano dos judeus, Jesus seria rei somente de
Israel, enquanto no plano de Deus Ele se tornou Rei do mundo inteiro e de
todas as gerações. Se o servo do Senhor seguir o que os homens planejam
seu ministério será curto, se porém seguir o plano de Deus ele será eterno
e abrangente.

1.2. Jesus confrontou os que buscavam pelo alimento
- “após Jesus ter orado intensamente”, notamos que após um período
longo de oração, o Senhor andou sobre o mar agitado. Como exemplo
para os obreiros da atualidade, podemos dizer que aqueles que buscarem
em oração constante, farão proezas e verão a mão de Deus atuando e
se o mar representar os problemas, ele passará por cima deles.

- Notamos aqui uma multidão procurando a benção dos pães, e isso acaba
ocorrendo nos ministério abençoados, muitas pessoas buscando as bênçãos,
a chave da vitória, e diversas promessas.  

1.3. Jesus falou do verdadeiro pão do céu
- “que trabalho”, eles queriam saber que ação realizar, mas Jesus respondeu
que não era com uma ação, mas com uma condição: “Que creiais naquele que
ele enviou.” João 6:29. Veja que a condição de fé é a fonte de todo trabalho
na obra de Deus.

- Comente que quando Jesus apresenta a mensagem de salvação, o povo
se escandaliza e não aceitam, não rejeitam  somente a mensagem, rejeitam
também a Jesus. Explique que o obreiro deve se preparar para a mesma
situação, se Ele apresentar o pão vivo que desceu do céu, poderá passar
pela mesma situação que o Mestre passou.
- O povo prefere as mensagens que falam de vitória, promessas e auto-ajuda.
 ________________________________________
2. OS DISCÍPULOS ABANDONARAM JESUS
            - “como já sabemos”, ao final da leitura desse comentário, pergunte: qual
foi a reação da maioria dos seguidores? E qual foi a reação dos apóstolos?

- Veja que os apóstolos permaneceram, comente que essa é a grande
diferença no ministério cristão, não é o que sabe e sim o que permanece
apesar da palavra ter sido dura.

- O modelo de trabalho de Jesus é insuperável, para Cristo mais vale
doze seguidores que acreditam do que uma multidão que não
quer acreditar. A mensagem do evangelho é para fazer trabalhadores
e não somente seguidores. No Evangelho todo seguidor é um trabalhador.  

            2.1. O duro discurso de Jesus
            - A adulação não faz parte”, adulação significa tomar decisão favorável
a alguém para não ficar mal, ou para conseguir algum favor.
- Alguns obreiros adulam para não contrariarem membros que tem
o dízimo elevado ou aqueles que tem posição social ou eclesiástica.

- Muitos obreiros honestos erram deixando passar alguns erros, fazendo
“vista grossa” por medo de perder membros.  

2.2. Os discípulos foram colocados à prova
- “indecisos”, da mesma forma somos sempre colocados a prova, pois
é preciso ter certeza do propósito, de qual é a nossa missão e quem
foi que nos comissionou.

- “palavras da vida eterna”, Pedro não se referia aquelas palavras que
Jesus tinha acabado de falar, mas de tudo quanto já tinha visto e ouvido
Junto ao Mestre.

- Comente que as dificuldades da obra de Deus são muitas vezes
para selecionar quem realmente está convertido.  

2.3. Judas o traidor
- Judas Iscariotes fazia parte de um grupo que lutava pela libertação de
Israel do domínio romano, os Zelotes. Esse grupo defendia o uso da
força. Por isso chegou-se a conclusão que Judas entregou Jesus para
que Ele se revelasse e libertasse o povo e a nação.  

- “uma obstinação”, é um desejo cego de fazer algo que está fora do
alcance. Judas ao invés de se alimentar das palavras de Jesus, se alimentou
de comentários materialistas, e ideais terrenos.
- Esse exemplo de Judas nos ensina a como proceder no ministério.
________________________________________
3. A REALIDADE DO MINISTÉRIO DE JESUS

3.1. Sua realidade não deve ser omitida
- Comente que muitos servos de Jesus erram em apresentar a igreja
como o lugar perfeito, porém muitas crentes quando descobrem na
igreja também tem pessoas com o espírito de Judas, ficam frustradas.


3.2. Os problemas devem ser entendidos
- Comente que quando ocorre algo grave no ministério, aquilo não aconteceu
de repente, vinha de uma situação que estava crescendo dentro do obreiro.

- Às vezes o obreiro identifica o problema, mas não procura tentar
resolver, buscando orientação de um homem de Deus. Se o obreiro
não tomar nenhuma atitude, pode acabar não suportando .

- Diante das situações problemáticas colocadas aqui, vemos que é
necessário um trabalho de preparo para obreiros, com estudos e
aconselhamento, infelizmente poucas igrejas cuidam disso.

3.3. A experiência evangelística deve ser agradável
-  Quando nossos valores passam a ser os de Cristo, então sentiremos
o mesmo prazer que ele sentia. As lutas muitas vezes não diminuirão,
nossa visão é que mudará.

- Então uma matéria importantíssima para os obreiros é cristologia,
geralmente eles querem fazer homilética para sair pregando por aí.
 ___________________________
CONCLUSÃO
- No final lembre aos irmãos dos problemas que Jesus enfrentou,
um apóstolo que o traiu, outro que o negou, outro que se omitiu e
outros que o abandonaram. Cite 2 Co 11.22-28.

 Boa aula!
 _____________________________________________

Marcos André - professor

3 comentários:

  1. paz do senhor qui coisa mais inda o comentario dessa liçao amei continua assim parabens QUI DEUS usa cada dia mais e mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz querido(a) obrigado, também peço a Deus para me usar, mas tem sido muitas as lutas, ore por mim também.

      Excluir
  2. A paz do senhor!parabéns pelo comentário,realmente muito bom,este blogtem me ajudado muito antes das aulas.Que Deus continue te abençoando.

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.