INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio - Lição 4 - Revista da Editora Betel



AULA EM 28 DE OUTUBRO DE 2012 – LIÇÃO 4
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “O Progresso Espiritual do Apóstolo Paulo”
  
Texto Áureo: Gl 1.23
  
INTRODUÇÃO
            - Professor(a), com esta lição você poderá ensinar o que é
aprender com Cristo, pois não basta somente aceitar a Jesus,
para fazer a sua obra é preciso uma reconfiguração.
- Não notamos nas cartas um crescimento espiritual de Paulo,
só se percebe se compararmos o novo Paulo com aquele
Saulo que perseguia a Igreja de Jesus.

1. O ESFORÇO EVANGELÍSTICO DE PAULO
- “temperamento”, é a parte da personalidade de um individuo
que influencia a forma de ele agir nas diversas situações da
vida.
- Paulo tinha um temperamento marcante. Lembrando que o
temperamento não muda na pessoa, o caráter é que muda.

1.1. Pregando nas sinagogas
- “autor de Atos”, era Lucas, o médico amado. O livro de Atos
deveria ser uma continuação do evangelho Lucas, mas devido
a sua importância nós o temos com continuação da obra
do Espírito Santo.
- “o que ficou fazendo naqueles três anos?”, creio que a melhor
resposta, seria que ele precisava se adaptar à nova fé, pois o
modo de pensar de um judeu é bem diferente de um Cristão,
e mesmo sendo Paulo, ele precisaria de um período para
meditar e se adaptar.
- “trajes de fariseu”, sabemos que Paulo era um estrategista,
ele usava de uma certa prudência, por isso ele fazia a obra de
forma muito mais eficaz do que os outros apóstolos.

1.2. O espanto dos que ouviam
- No começo do ministério de alguém que tenha se convertido
e que tenha vindo do mundo é sempre assim, as pessoas se
assustam em como aquele pessoa mudou, mas isso deve ser só
no começo.

1.3. Seu esforço apologético
- “a messianidade de Jesus”, seria provar que Jesus é o
Messias prometido.
- “em argumentação e persuasão”, fazer apologia é defender
aquilo em que se acredita. E apologia não se faz com palavras
soltas, nem gritarias. Apologia da fé se faz com argumentos.
 ________________________________________
2. FUGINDO DE DAMASCO                            
                         
            2.1. Conselho de morte.
            - A perseguição que aqueles religiosos faziam era motivada por inveja e
            interesses políticos, diferente de Saulo que perseguia os crentes achando
que estava fazendo a obra de Deus.
- “seu reino estava sendo saqueado”, os crentes devem aprender que
o inimigo vai atacar ferozmente aqueles que estão saqueando o inferno.
- Muitas vezes fazemos aquele evangelismo abençoado e ganhamos almas
para Cristo. No dia seguinte nossa vida vira um inferno. Isso é porque
saqueamos o inferno e o adversário vem no contra-ataque.

2.2. A fuga de Paulo
- “risco que eles assumiram”, se refere ao plano de fuga que eles montaram,
descendo Paulo pelo muro em um cesto.
- “ninguém bate num cão morto”, só se bate no cão brabo que traz ameaça,
assim o inimigo age, ele não está preocupado com aqueles crentes que
não fazem nada pra Deus, não trabalham pro Reino.

2.3. De Damasco para o mundo
- ...
________________________________________
3. CHEGADA DE PAULO A JERUSALÉM

3.1. A dificuldade de entrosamento
 - “pela oração de Estevão”, em sua oração Estevão pediu: “Pai, não
lhes imputes mais esse pecado!” esse foi o benefício que Paulo recebeu.
- Assim como fizeram com Paulo, muitos crentes permanecem nesse erro
julgando os irmãos por algo que fizeram no passado.
- “se cristalizam”, criando uma capa para proteção do grupo, não permitindo
que ninguém se aproxime. Acaba virando a chamada “panelinha.”

3.2. Barnabé o apresenta aos apóstolos
 - Barnabé aparece como um pacificador, verdadeiro filho de Deus.

3.3. Seu retorno a Tarso
- “sui generis”, quer dizer que Paulo era original.
- “judeus de fala grega”, eram os judeus que residiam nas cidades
gregas e por isso falavam o grego e eram chamados de helenistas.
- “mesmo destino de Estevam”, as autoridades judaicas não perseguiam
a todos os crentes, somente os que aram mais ousados que pregavam mais
abertamente, como Estevão e Paulo.
 ___________________________
CONCLUSÃO
- Acrescente nesta conclusão que para que aja progresso espiritual
surgem algumas perseguições e lutas.
- Prepare suas perguntas para incrementar a aula.
- Faça um breve resumo.  

 Boa aula!
 _____________________________________________

Marcos André - professor

-->

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.