INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio - Lição 4 - Revista Betel



AULA EM 27 DE JANEIRO DE 2013 – LIÇÃO 4
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “João Batista, um homem Resignado”
  
Texto Áureo: Mt 11.11
  
INTRODUÇÃO
            - Professor(a), nessa lição você vai falar do maior profeta que existiu.
- “heterodoxo”, veja o glossário, você pode acrescentar que João se alimentava de gafanhoto e mel silvestre (mel que ele encontrava no campo).
            “E João andava vestido de pêlos de camelo, e com um cinto de couro em redor de seus lombos, e comia gafanhotos e mel silvestre.”Marcos 1:6
            - “autorresignação”, note que a palavra está errada na lição, se resignação é renúncia, então autorresignação significa renunciar por si mesmo.
            - “estrela de primeira grandeza”, a intensidade do calor de uma estrela é medida em grandeza, o sol, por exemplo, é uma estrela de quinta grandeza. A primeira grandeza é a mais forte.

            1. AS RAÍZES DE JOÃO
- “ministério de Deus”, se refere ao período do Antigo Testamento, em que Deus falava diretamente ao homem face-a-face ou pelos anjos, atendia os sacerdotes diante da Arca do Conserto e falava com os profetas pela porção de Seu Espírito.
- “pioneiro da própria pregação”, a pregação que está em vigor desde aquela época é a de arrependimento, e João foi o primeiro a ministrá-la. Se alguém prega outra coisa por aí, está no caminho errado.

1.1. Nascido em um lar piedoso
- “humilhante em sua cultura”, isso porque nas culturas ocidentais atuais, a esterilidade não é mal vista como naquela época em Israel, para o judeu a mulher estéril era amaldiçoada, pois o Senhor tinha várias promessas para a família Salmos 127.3.   
- “respostas de suas orações”, Zacarias de tanto orar e não ver o milagre, ficou cético, ao receber a notícia do Anjo não creu de imediato. Muitos crentes agem assim, pedem tanto, mas devido a demora, passa a pedir por costume, não crendo de verdade.

1.2. Nascido com propósito
- “educação piedosa”, piedoso é aquilo que demonstra respeito e honra às coisas de Deus.
- João Batista precisou ser educado no conhecimento de Deus, diferente de Jesus que vindo da eternidade, já conhecia a história humana, suas ciências, e desejos. Conhecia também o Pai, pois Ele veio do Pai.
- “impressões indeléveis”, indelével é aquilo que não se pode apagar ou destruir, aqui está se afirmando que a família cria impressões, dá ensinamentos, e causa marcas que jamais serão apagadas da vida dessa pessoa, confirma-se nessa Palavra:
“Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.” Provérbios 22.6
- “dedicação ao ensino de seus filhos”, essa dedicação prevê tempo e dinheiro, na lição não tem, mas você pode dar essa referência muito conhecida:
“E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração;
E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.” Deuteronômio 6:6-8

1.3. A mão do Senhor estava com ele
- “que são omitidos”, os fatos que são narrados em Marcos e Mateus vem de relatos que eram conhecidos pela maioria dos seguidores de Cristo após a ressurreição, foram então reunidos e colocados em ordem cronológica por Marcos, depois por Mateus. Lucas pegou os mesmos relatos e fez um trabalho de campo, pesquisando as fontes e obtendo mais informações.
- “é para todos”, esse privilégio só foi possível depois do derramar do Espírito Santo sobre a Igreja.
  
________________________________________
2. JOÃO UM VOZ PROFÉTICA
- “João, o Batista”, está separado por vírgula porque o nome Batista  não é um sobrenome de João e sim um título, devido ao seu ofício de batizar.
- “essênios”, era uma seita judaica que vivia isolada em vilarejos, se desviaram do judaísmo tradicional e se dedicavam ao conhecimento da Palavra de Deus, os manuscritos encontrados no Mar Morto pertenciam a eles.

           2.1. No espírito de Elias
            - “manifestação literal de Elias”, os Judeus esperavam que o próprio Elias viesse antes do Messias, mas como apareceu João, o povo passou a acreditar que ele era Elias, mas com outro nome.
            - “nos antigos moldes”, o espírito aqui tem o significado de “vontade” “ânimo”, quer dizer que João viria no mesmo ânimo de Elias. Elias é quem dá início ao ministério profético do conserto com Deus e denúncia do pecado, e João segue o mesmo caminho.

2.2. Preparando o caminho
- “ia diante do seu rei”, esse supervisor chegava na cidade em que o rei iria passar, e anunciava a vinda do rei, depois se acercava de que nenhum inimigo houvesse naquela região, e ordenava aos moradores da cidade que endireitassem as ruas, ele só anunciava a vinda do rei, cada morador preparava a sua rua. Nossa função hoje é semelhante a de João Batista, nós anunciamos a vinda do Rei e a necessidade de conserto dos homens.

2.3. Pregando o Reino de Deus e batizando
- “requisito necessário”, o supervisor do rei não descansava enquanto todos não soubessem que o rei passaria. Atualmente existe um requisito necessário para a volta do Rei dos reis, todos na Terra devem saber que o Rei está chegando, por isso Ele mesmo disse:
“E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.” Mateus 24.14
- “apelo moral”, chamava a atenção para a moralidade, para João não bastava saber sobre Deus, deveria estar em condições para honrá-lo com uma vida santa.
- “admiravelmente multidões concorriam”, comente com os alunos que João não realizava milagres nem manifestava dons espirituais, mas ficou famoso no deserto.
- Você pode perguntar para a classe como é possível alguém não manifestar dons espirituais e ser famoso?
- A melhor resposta é: Elias tinha uma mensagem de esperança, então além da ajuda do Espírito Santo, as pessoas seguirão aquele que tiver uma palavra de esperança, seguirão aquele que anunciar a volta do Rei.
____________________________________
3. JOÃO UM HOMEM RESIGNADO
- “denúncia de atitudes”, a exemplo de João, precisamos desmascarar o pecado, não acobertar, não ocultar, não aceitá-lo dentro de nossas igrejas, infelizmente alguns pastores, para manter um irmão que dizima alto, aceita que ele permaneça em certas práticas ilícitas. Outros acobertam erros não levando a disciplina, com medo de perder a alma do pecador de vez.
- “instrução pormenorizada”, os detalhes da vontade do Senhor devem ser passados para todo o povo de Deus, e isso é de responsabilidade dos obreiros e pastores, e esses detalhes estão todos reunidos na Bíblia, porém alguns irmãos, por falta de preparo, não conseguem ensinar o rebanho, pois não podem dar o que não tem, então as ovelhas saem por ai buscando alimento, e muitas vezes comendo o que não presta para a sua saúde espiritual.

3.1. Resignado em seu estilo de vida
- João sabia qual era a sua missão e para isso precisaria renunciar (resignar) às tradições de sua época.
- “vivia como nazireu”, nazireu era a pessoa que se consagrava a Deus por um período de tempo. Essa pessoa deveria ter um estilo de vida diferenciado, não bebia bebida forte, nem podia cortar o cabelo.
- “que era controlada por Roma”, o sumo sacerdote era indicado por Roma, o império romano tinha o controle total, ninguém podia ser empossado sem o conhecimento de Roma. Até Herodes era apoiado e por Roma, e o procurador romano (Pilatos) era o responsável por controlar a província.
- “totalmente resignado”, João não tinha pretensão de ser reconhecido, de ser famoso ou de ganhar dinheiro, atualmente essas tem sido as metas de muitos obreiros hoje em dia, o evangelho vai sendo sucateado enquanto os trabalhadores se preocupam consigo mesmo.

3.2. A fé de João Batista
- “fé para viver nos desertos”, os sacrifícios que fazemos para que a obra do Senhor dê frutos é devido a fé, para que alguém renuncie aos prazeres do mundo, é necessário ter fé.
- “longe de toda comodidade”, mais um contraste entre João e os pregadores atuais, João começa pregando no deserto, enquanto os pregadores atuais almejam os púlpitos das grandes igrejas.
- “mediante revelação sobrenatural”, João conheceu o Messias pelos olhos da fé.

3.3. O sofrimento de João Batista
- “em direção à vontade d’Ele”, por vezes o Senhor usa um de seus vasos com palavras profundas, que fazem o ouvinte chorar e confessar o pecado.
- “seu comportamento escandaloso”, Herodes havia se casado com a mulher de seu irmão e isso diante da Lei era adultério, por isso João o censurou terrivelmente. Se um líder praticava adultério diante de todo o povo, então as pessoas logo o imitariam, por isso ele devia ser repreendido. Muitos pastores e líderes estão no erro e não são denunciados, pois os que sabem não falam por medo de perder os cargos e privilégios.
- “uma morte trágica”, a história de João Batista está na contra mão  do evangelho da prosperidade e do triunfalista. Enquanto os pregadores da prosperidade prometem grandes vitórias financeiras, João nos mostra como é árdua a vida daquele que faz o que é certo.
___________________________
CONCLUSÃO
- “grau de maturidade”, maturidade é o amadurecimento da pessoa, aquele que não possui maturidade, arruma contenda com os irmãos e por qualquer motivo querem largar o Mestre.
- Aquele que é maduro, sofre pela obra, renuncia ao orgulho próprio para que a obra não sofra, não deixa Jesus por nada.
- “dando um jeitinho”, isso é não trabalhar efetivamente com dedicação, fazendo somente o básico para dizer que foi feito.
- “vida multiplicada”, você pode substituir ou acrescentar: só podemos dar fruto quando nosso velho homem, nosso orgulho, e nossa individualidade morre.

Boa aula!
 _____________________________________________

Marcos André - professor

2 comentários:

  1. Bom comentário. prisão e morte por decaptação. Para isso somos chamados. O anúncio do pecado, o apêlo ao arrependimento, o alerta da ira futura...resume a pregação do profeta. Que diferença dos dias de hoje em nossa sociedade cristã ocidental. "coragem" deveria estar na Carga horária de cursos e pós graduações na área de teologia; Quantas "terças" da vitória João declarou, determinou, utilizou da confissão positiva para não ser preso e perder a cabeça?
    Nessa semana o Brasil se estarrece através de uma revista noticiando milhões em patrimônios de Pastores famosos. É de perder a cabeça!

    ResponderExcluir
  2. Deus abençoe pelo seu trabalho,tem sido uma benção em minha vida!

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.