terça-feira, 19 de março de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 12 - Revista da Betel



AULA EM 24 DE MARÇO DE 2013 – LIÇÃO 12
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “Jesus Cristo é o Maior e Único de Todos”
  
Texto Áureo: Mt 12.28
  
INTRODUÇÃO
           - Professor(a), nessa aula você ensinará quem é Jesus e qual os erros que alguns crentes cometem quando negam esse conhecimento.
 - “em defesa de seu trabalho”, defender algo com argumentos se chama apologia. Os que defendem a fé, são chamados de apologistas da fé, Jesus assim fez o papel de um apologista.
            - “valor das pessoas”, Jesus ensinou que Deus não é tão rigoroso como os religiosos tinham ensinado, mostrou que Deus quebra o protocolo da Lei quando se trata de ajudar o ser humano.

            1. MAIOR QUE O TEMPLO DE ISRAEL
- “tradição oral”, eram os costumes populares, em forma de paradigmas.
- “fardo muito pesado”, a Lei com suas imposições já é um peso para aquele que está debaixo dela, ainda mais com a carga de mandamentos da tradição oral. Muitos hoje encaram a vida cristã como um fardo pesado demais, pois são legalistas. Muitos crentes criam visões legalistas enchendo de regras as coisas simples do evangelho.

1.1. Como surgiu a tradição oral
- “carecia de interpretação”, a interpretação serve para mostrar qual era a intenção do autor ao escrever o texto, é necessário ter interpretação para que não venhamos a entender o texto da maneira como queremos.
- “que é o amor”, quer dizer que o propósito da lei é mostrar o amor de Deus para conosco e exortar a que amemos a Deus e a nosso próximo.
- Jesus trouxe o verdadeiro entendimento da Lei, a verdadeira interpretação dela, lembre aos alunos dos textos em que Jesus fala:
“Outrossim, ouvistes que foi dito aos antigos: Não perjurarás, mas cumprirás os teus juramentos ao Senhor. Eu, porém, vos digo que de maneira nenhuma jureis; nem pelo céu, porque é o trono de Deus;” Mateus 5:33-34

1.2. O lado opressivo dos religiosos
- “novo ensino”, Jesus mostra o que já continha a Lei, mas a arrogância dos entendidos não deixava-os compreender. Talvez seja o mesmo ensino, mas Jesus trouxe uma forma diferente de se ensinar. De alguém que tem autoridade e conhecimento.
- “observância rigorosa”, a principal característica de religiosidade é seu rigor na observância das normas e preceitos, o que é bom para que não venha a ser banalizado o ritual, porém isso muitas vezes sai do controle, pois os arrogantes e presunçosos criam formas muito rigorosas de se executar de maneira que todos que não podem ou não conseguem cumprir nos detalhes ficam excluídos e mal vistos.
- “verdadeira aplicação”, Jesus identificou que a intenção dos corações dos fariseus ao acusarem os seus discípulos de violarem o sábado era falsa, não estavam preocupados com a observância da Lei e sim em encontrar algo para condenar Jesus.
- “a mesma lei é quebrada”, significa que sempre existirá exceções, pois a lei existe por causa do homem e não o homem por causa da lei.

1.3. A compreensão de Deus

- “não tem um fim em si mesma”, seu objetivo não é para que ela venha a existir, mas para que o homem venha a viver com dignidade e qualidade, por isso qualquer lei pode ser quebrada em prol do homem.
- “jamais para oprimi-lo”, os fariseus tentavam fazer isso com Jesus e seus discípulos, e da mesma forma ainda hoje existem crentes religiosos ao extremo, que oprimem as ovelhas do Senhor com cobranças excessivas com o objetivo de se engrandecerem e de mostrarem que são melhores do que os outros e até mesmo cobram demasiadamente para ocultarem suas próprias fraquezas.  
- Um tipo comum de crente fariseu é aquele que usa a Palavra de Deus nas oportunidades para mexer na ferida dos irmãos, usando palavras direcionadas para alguém específico.
- Peça para alguém ler esse texto:
“Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes.” Mateus 12:7
___ _____________________________________
2. MAIOR DO QUE O PROFETA JONAS

          2.1. O porque do pedido de um sinal
            - “um sinal diferente”, queriam algo fenomenal, na verdade não acreditavam que Jesus era o Filho de Deus, mas sabiam ou desconfiavam que Jesus era um grande profeta, por isso eles pediram um sinal diferente, achavam que por mais que Jesus fosse grande como profeta Ele não realizaria tal milagre. Eles combatiam Jesus como se Ele fosse apenas uma pessoa enviada por Deus, e carregados de inveja tentavam descredencia-lo.
- “era o do profeta Jonas”, ensine o que Jesus quis dizer com isso, lendo com a classe o versículo resposta:
“Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.” Mateus 12:40
- O milagre do profeta Jonas foi o de ter resurgido de dentro do ventre do peixe após três dias e o de Jesus foi de ter resurgido dos mortos após três dias no ventre da terra.
 - Dessa forma entende-se que todos que esperam sinais da parte de Jesus para crer, devem se contentar com o de Jesus “vencendo a morte, após três dias sepultado.”

2.2. A malícia dos adversários
- “colocar Jesus em descrédito”, uma outra possibilidade é de que os judeus quisessem se apoiar na promessa de Moisés, de que o Senhor levantaria outro profeta semelhante a ele, dessa forma Jesus teria que fazer algum milagre parecido com os de Moisés. Eles consideraram que Jesus não poderia, por exemplo, tornar a água em sangue ou abrir o mar..

2.3. O valor do arrependimento
- “fama de cruéis”, essa fama vinha das torturas que eram promovidas na cidade de Nínive, e foi por isso que o profeta Jonas decidiu não ir para lá, pois ele desejava que os ninivitas não se arrependessem e não fossem perdoados.
- “não operou nenhum sinal”, existe uma tradição de que em Nínive havia uma profecia de que surgiria um profeta vindo do mar para livrá-los. Isso explicaria o motivo pelo que os ninivitas aceitaram a pregação de Jonas sem que ele fizesse nenhum sinal entre eles. Essa tradição não pôde ser comprovada. 
- “acentuando o estado de condenação”, acentuar significa “tornar mais grave”, e Jesus foi quem alertou que a situação dos judeus estará mais grave diante dos moradores de Nínive no dia do Juízo Final, pois eles creram em Jonas e os judeus não creram em Jesus que fez muito mais sinais do que Jonas. Veja:
“Os ninivitas ressurgirão no juízo com esta geração, e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas.” Mateus 12.41
____________________________________
3. MAIOR QUE O REI SALOMÃO
- “se é que algum dia chegaram a pertencer”, lembre que ninguém cai de repente, se alguém agora está demonstrando falta de interesse, na maioria das vezes é porque, a algum tempo em seu coração já não existia mais interesse nenhum.

3.1. O porque da rainha do sul procurar a Salomão
- “Sabá”, região onde hoje é a Etiópia, a arqueologia encontrou na cidade de  Axum-Dungur, as ruínas do palácio da rainha de Sabá. Segundo as tradições etíopes, a rainha de Sabá teria tido um filho com o rei Salomão.
- “também se converteu a fé”, por isso o exemplo dela é apropriado, pois não somente buscou, mas também se converteu. Dessa forma deve ser o comportamento para alguém não ser condenado, é buscar a sabedoria de Cristo e se converter a Ele.
- Comente que atualmente existem pessoas que são simpatizantes do evangelho e não se convertem de verdade, até gostam de ir à igreja, mas não tomam uma atitude de arrependimento. Buscaram a Jesus mas não se converteram.     
- “a natureza humana é traiçoeira”, após a queda de Adão a natureza humana foi corrompida, dessa forma não podemos confiar nos desejos do nosso coração.
- “do que realmente somos”, a natureza satânica também é corrompida pela altivez e soberba, dessa forma o inimigo consegue induzir naqueles que não vigiam e não o repreendem, a mesma soberba e arrogância de achar que é alguma coisa, quando na verdade é pó e cinza.

3.2. O perigo da blasfêmia contra o Espírito Santo
- “basicamente o poder de sua palavra bastava para expulsar”, se a palavra de Jesus bastava pare expulsar, a sua presença era o suficiente para manifestar a presença demoníaca.
- “jamais será perdoado”, o pecado contra o Espírito Santo que não é perdoado, é aquele que a pessoa comete sabendo que a operação vem do Espírito de Deus, pois os fariseus sabiam que Jesus fazia a obra pelo poder de Deus, mas eles o combatiam por acharem que também tinham direitos no Reino de Deus.

3.3. O perigo da casa vazia
- “uma casa pode ficar enferma”, isso está relatado em Lv 14.34-57, e a medicina tem mostrado que dentro de uma casa podem ficar alojadas pragas de doenças.
- “e traz reforço consigo”, na verdade o espírito demoníaco primeiro retorna sozinho e chegando encontra a casa limpa, então aí sim ele traz o reforço, pois ele se apossará novamente e precisa ter certeza que a pessoa não se aproximará daquele que o faz sofrer.
- “pior do que antes”, isso acontece na prática na vida daqueles que abandonam a Jesus, onde alguns passam a fazer coisas horríveis, pior do que faziam antes, outros se tornam resistentes a tudo que vem de Deus.      
___________________________
CONCLUSÃO

- “escândalo para uns”, no contexto de 1 Co 1.23 o escândalo seria devido as acusações que Cristo sofreu dos judeus.
- “loucura para outros”, no mesmo contexto, a loucura seria pelo fato de os gregos acharem as ideias espirituais uma alucinação da mente humana. Os gregos não concebiam a noção de perdão e de ressurreição dos mortos. Por isso eles achavam os cristãos uns loucos, alucinados.
- Ainda hoje Jesus é visto assim por muitas pessoas, para uns escândalo e para outros loucura.
- “verdugo espiritual”, verdugo é o carrasco, o verdugo espiritual é o demônio que sai e retorna com outros sete.
- Para fechar convoque os alunos a honrarem o nome de Jesus testemunhando dos fundamentos da fé e dando o bom exemplo de servos de Cristo.

Boa aula!

Marcos André - professor

2 comentários:

  1. O Sábado Dízimo e as festas faziam parte das serimônias de Israel, por quê pregamos o que faz parte das seriminias.

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.