ESTUDOS TEOLÓGICOS, INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA, ESBOÇO PARA AULAS DA ESCOLA DOMINICAL, ETC

____________________________________________________________________________________

sexta-feira, 22 de março de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da lição 12 - Revista da Central Gospel



AULA EM___DE______DE 2013 - LIÇÃO 12
(Revista: Central Gospel)

Tema:  AUTORIDADE DAS ARMAS ESPIRITUAIS
  
Texto Áureo:  1 Co 16.13
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição você ensinará a finalidade de cada peça da armadura de Deus, aproveite e ilustre bem essa lição.
- “batalhas espirituais”, são batalhas que ocorrem nas regiões celestiais, entre os espíritos, entre os anjos e demônios.
- “manusear adequadamente”, significa saber usar, as armas espirituais não podem ser usadas de qualquer maneira.
- “legionário”, era o soldado que fazia parte de alguma legião romana, composta de aproximadamente dois mil soldados. Paulo cita as peças que compunham a armadura desses guerreiros, cada uma com uma função específica.
__________________________________________
1. CINTURÃO DA VERDADE
- “que prendia todas demais peças”, atualmente um soldado do Exército Brasileiro possui um cinto com suspensório, onde coloca o carregador com a munição, a faca e demais objetos de combate FIG 1. Dessa forma a verdade é a peça que nos dá autoridade para usar as demais armas.
- Quando alguém cai em pecado a primeira coisa que faz é usar uma mentira para encobrir, dessa forma o pecado toma o lugar do cinturão da verdade. Enquanto houver pecado não há verdade. Quando o soldado perde a verdade não tem mais autoridade para usar as outras armas.  
- “viver de modo autentico”, autentico, é aquilo que não falso, aqui significa viver conforme um verdadeiro cristão, nos padrões ensinados por Jesus. Do contrário será uma imitação barata como essas do Paraguai que tem o nome parecido, mas logo quebram e atrapalham mais do que ajudam, é o barato saindo caro. Por isso Deus investiu caro em nós, para ter um servo de qualidade.

1.1. COURAÇA DA JUSTIÇA FIG 2
- “proteção dos órgãos vitais”, um ferimento nos braços ou pernas, na maioria dos casos não mata o soldado, em algumas situações apenas diminui seu poder de combate, porém um ferimento em órgãos vitais leva o guerreiro a óbito.
- Conclui-se que a justiça de Deus protege o soldado de Cristo de morrer espiritualmente. Muitas vezes ele pode estar ferido, mas devido a proteção dessa couraça ele se mantém vivo na presença do Senhor.
- Equivale hoje ao colete a prova de balas, usado pelos soldados. FIG 3  
- “fez-se pecado por nós”, ensine que “justiça” é dar a punição devida ao infrator, quando o criminoso é punido, então houve justiça. Pois bem, nós éramos os criminosos, pois pecamos contra Deus, e pecado contra o criador é punido com derramamento de sangue, a única pena para quem peca contra Deus é a morte, pois o salário do pecado é a morte. Jesus cumpriu a justiça ao morrer em nosso lugar. Houve justiça porque alguém pagou com a própria vida.
- Quando se aceita a justiça de Cristo por nós na cruz, então o soldado de Cristo se reveste da couraça da justiça. Quando ele volta a pecar e não recorre mais a Jesus, então ele perde essa importante peça do equipamento.

3. SANDÁLIAS DO EVANGELHO DA PAZ
- “para percorrer longas distâncias”, um guerreiro de Cristo deve ter o ideal de levar esse evangelho aos confins da terra. Existem milhares de crentes que não fazem e nem apóiam a obra de missões, se preocupam mais em seu bem estar, mas não lembram que nesse momento em algum lugar da Amazônia ou da África existem igrejas pobres necessitada de ajuda financeira e espiritual. Muitos fazem belas orações na igreja, mas não se lembram de orar por irmãos que estão sendo mortos, presos e deportados nos países árabes.  Esses que agem assim não tem seus pés calçados com a preparação do evangelho da paz.
- “A paz de Cristo recoloca o pecador”, Paulo chamou de evangelho da paz talvez para mostrar a diferença entre as campanhas romanas, pois os romanos andavam longas distâncias para fazerem guerras, mas os soldados de Jesus vão longe para levarem a paz de Cristo.

4. ESCUDO DA FÉ
- “das flechas incendiárias”, eram lançadas para o alto a fim de caírem sobre o exército inimigo, tinham o poder de desbaratar o avanço adversário, devido ao princípio de incêndio no meio da tropa. Assim Satanás hoje tem lançado suas setas, causando pequenos incêndios no meio do povo e parando a obra de muitos irmãos.
- O inimigo usa algumas flechas incendiárias do tipo:
“Estão fazendo macumba contra tua vida.” “Fulana quer acabar com teu casamento.” E outros: “O pastor falou mal de você.” “A dirigente não te dá oportunidade porque não gosta de você.” Por isso Tiago afirma que a língua é semelhante uma fagulha que pode incendiar uma floresta inteira Tiago 3.5,6.  
- “reafirma o poder do Senhor”, o escudo da fé é exatamente a certeza do poder de Deus em nossa vida, dessa forma não paramos por causa de comentários de pessoas que não trabalham e emprestam suas línguas para Satanás usá-las a fim de incendiar a congregação.
________________________________________
2. CAPACETE DA SALVAÇÃO
- Atualmente os exércitos do mundo todo dispõem de capacetes balísticos para seus soldados FIG 4.
- “outras perdidas na mente”, a mente humana é muito complexa e pode ser muito frágil e o adversário sabe disso, às vezes grandes guerreiros são vencidos por terem suas mentes facilmente influenciadas, como foi o caso de Sansão.
- Satanás tem usado muitos recursos como doenças psicológicas para parar alguns crentes.
- “o capacete da salvação protege o cristão”, para esses golpes do inimigo contra a mente dos servos de Deus, é necessário ter a certeza da salvação e a sua importância, ou seja, o crente precisa saber o que é a salvação, como ela se processa e como se faz para alcançá-la. Sem esse conhecimento o crente fica num combate sem capacete, correndo o risco de ser fatalmente golpeado na cabeça.
- É imprudência o que alguns ministérios fazem colocando jovens novos convertidos para evangelizarem, pois muitos deles não possuem ainda esse conhecimento de salvação e essa certeza. Não são poucos os casos de pessoas despreparadas que evangelizam e se perdem na tentação do pecado.
- Existem igrejas que estão matando a Escola Dominical onde se ensina esse tipo de conhecimento, deixando suas ovelhas desprovidas do capacete da salvação.

6. ESPADA DO ESPÍRITO
- “única arma de ataque”, significa que um cristão que possui a armadura, mas falta essa arma, fica se esquivando e fugindo, pois não possui arma para atacar o adversário.
- “A Palavra de Deus”, essa é a espada do Espírito Santo. Vamos ser direto e um pouco ignorante: Crente que não lê Bíblia, que não vai à EBD e que não assiste aos cultos de estudos da Palavra de Deus, está desprovido dessa arma de ataque. Tem que ficar se esquivando, pois nunca tem nada pra falar.
- Comente que o maior exemplo é de Jesus que diante das três investidas de Satanás, repreendeu-o com a Palavra, iniciando assim: “Está escrito...” Mateus cap 4.
- Comente com os alunos essas ações do Espírito na Vida do crente que guarda a Palavra de Deus:
- “torna a Palavra Eficaz”, faz com que ela produza resultados satisfatórios.
- “sonda os pensamentos”, alguém que tem a mente cheia de pensamentos estranhos, sente logo Deus repreendê-lo ao ouvir uma Palavra ministrada pelo Espírito Santo na boca de um servo conhecedor da Bíblia.
            _________________________________________
CONCLUSÃO
- “precisamos revestir-nos”, revestir significa vestir de novo ou vestir pó cima, quer dizer que já estamos vestidos com vestes celestiais, mas para entrar nas batalhas espirituais, precisamos revestir-nos com a armadura espiritual.
- Jesus salva a todos, e também chama a todos para se alistarem nesse exército poderoso para resgatarem outros do cativeiro.
- O exército romano era quase invencível, pois possuíam armas modernas para sua época. Dessa forma nós também temos armas espirituais muito superiores do que as do inferno.
- “devemos usá-las”, enfatize que conhecimento sem prática não serve pra nada, a não ser para tornar os homens arrogantes igual o diabo. Diga com autoridade, que o conhecimento aprendido nessa aula deve ser colocado em prática na vida de cada aluno, conforme a Palavra em Mateus 7.24,25

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.” Mateus 7.24,25

Boa aula!

Marcos André - professor


FIGURAS

Fig 1 - Cinto com suspensório moderno


Fig 2 - Couraça romana


Fig 3 - Colete a prova de balas


Fig 4 - Capacete moderno com viseira

4 comentários:

  1. Professor Marcos Andre, seus esboços tem sido uma benção e me ajudado muito na preparação das minhas aulas. Que Deus possa te usar mais e mais. Deus te abençoe!!!!Parabéns pelo seu ministério.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmã, obrigado pelo carinho dispensado.
      Paz do Senhor seja contigo.

      Excluir
  2. Querido Pr.Marcos, grande tem sido o seu esforço em colocar esses esboços, com esclarecimentos muito bons, porque os autores das revistas das EBDs.tem usado um vocabulário às vezes muito teológico, parece até bula de remédio, você lê e não consegue entender. Temos que estudar a revista com um dicionário ao lado. Gosto dos comentários do Pr.Silas, um homem muito culto mais que tem habilidades para esclarecer a Palavra de Deus, não sei porque não tem mais comentado as lições, o que é uma pena. Porisso eu agradeço a Deus, pela sua vida, porque tem esclarecido bastante as lições. Que o Senhor Jesus continue abençoando sua vida, família, igreja e ministério. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmã Marilza teu reconhecimento e carinho é uma ajuda adicional, Deus coloca pessoas assim como você para interceder por minha vida. Obrigado.
      Paz de Cristo na tua casa!

      Excluir

Devido a comentários ofensivos, os comentários serão verificados pelo administrador do CLUBE DA TEOLOGIA e serão liberados posteriormente. Não serão permitidos comentários ofensivos a pessoa e as críticas não assinadas ou não fundamentadas.