sexta-feira, 21 de junho de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 12 - Revista da CPAD


AULA EM 23 DE JUNHO DE 2013 – LIÇÃO 12
(Revista: CPAD)

Tema: “A FAMÍLIA E A IGREJA”
  
Texto Áureo: Sl 122.1
  
INTRODUÇÃO
- Amado(a) professor(a) nesta lição exorte as famílias a estarem juntas na presença do Senhor.
- “a Igreja é a única”, você pode comentar que as únicas instituições criadas por Deus foram o casamento e a Igreja, e a Igreja luta pela família, pois tem nela o modelo para tomar como referência para sua relação com Cristo.
- “sucumbindo moral”, ocorre quando os membros da família se entregam ao desrespeito, à rebeldia ou ao adultério.
- “espiritualmente”, ocorre quando a família não ora mais junto, não lêem a Bíblia e somente vão a igreja devido ao costume.
- “ponto de apoio”, se um pai de família ou a mãe querem que sua família esteja no caminho da ética moral e da espiritual, então deve se apoiar na Igreja. Esses elementos que a Igreja prega (moral e espiritualidade) são a base da educação que ajudam os jovens contra as drogas e marginalidade, que ajuda o marido a dizer não ao adultério e ao álcool.
__________________________________________
1. FAMÍLIA O ELEMENTO BÁSICO DA IGREJA
                                        
1. Sem a família a igreja não funciona.
- “não terá condições de acolher”, a obra de ganhar almas é árdua e para que uma igreja consiga realizá-la, seus obreiros não devem estar cheios de problemas familiares para resolverem, senão jamais poderão atuar com eficácia na conversão das vidas.
- “nem terá autoridade”, como seus ministros poderão aconselhar se eles mesmos estão com seus lares desestruturados.
- “episcopado”, se refere ao cargo de bispo, o mesmo que presbítero. 
- “governe bem”, aqui se refere a cuidar, a ter preocupação, a administrar. Dessa forma é passado a necessidade de um servo de Deus estruturar a sua casa para poder fazer a obra de Deus. 
- “geram uma igreja sem direção”, a igreja local deve se preocupar com esse importante ministério, que é o trabalho com casais.

2. A família como extensão da igreja.
- “extensão da igreja”, alguns irmãos hoje na igreja foram convertidos dentro da casa de uma família que o recebeu para uma oração ou ensino da Bíblia.
- “igreja em casa”, o propósito do Senhor é que nossas casas sejam igrejas e o seu Espírito tenha liberdade na nossa casa.
- “representará o reino”, na verdade todos nós somos representantes do reino de Deus, sendo que uns o representam bem e outros o representam mal. Algumas pessoas se convertem ao ver o clima de paz e harmonia que há em um lar cristão.

2. A IGREJA ACOLHENDO AS FAMÍLIAS

           1. A natureza humana da igreja.
            - “etimologia”, é o estudo da composição e formação das palavras.
- “reunião de pessoas”, nas cidades gregas daquele período era comum a reunião de uma assembleia fora da cidade para discutir assuntos da cidade. Era então tocado um instrumento de convocação, e a comunidade se reunia fora da cidade. A essa reunião davam o nome de ekklêsia, alguns traduzem o nome ekklêsia como: “reunião dos chamados para fora”.
- “volição”, é a vontade, o desejo.

2. A dimensão relacional da Igreja.
- “relacionamentos”, é a forma como as pessoas se tratam e se comunicam entre si, formando a sociedade.
- “trinas pessoas”, se referindo ao Pai, Filho e Espírito Santo. O Senhor nos fez conforme a Sua imagem e semelhança, e como Ele é um ser que se relaciona, nós também somos assim, por isso dizemos que somos seres sociais.
- “idiossincrasias”, esse termo está no vocabulário, é o mesmo que dizer: “as famílias e suas diferenças ou particularidades”

3. O relacionamento familiar na igreja.
- É preciso considerar que a igreja é uma grande família, e que todos os irmãos são nossos irmãos, da nossa família.
- “se fechar em si mesma”, buscando seus próprios interesses, não considerando os outros. A família não deve buscar o isolamento.
- “se relacionar com outras famílias”, um dos grandes fatores motivadores no evangelho é o relacionamento entre os irmãos. Quem quer ver seus filhos e conjugue animado na obra de Deus deve buscar se relacionar com outras famílias. Ex: pode se convidar uma outra família pra almoçar depois da Escola Dominical, permitir e incentivar que seus filhos desenvolvam amizades com os filhos dos outros irmãos, sair junto com outras famílias pra ir na pizzaria, etc.

4. A família do obreiro.
- “não dispensa o obreiro de sua responsabilidade”, muitos obreiros se dedicam tanto ao ministério que deixam sua casa e esposa de lado. É preciso investir na atividade em família, o obreiro deve ter momentos de total atenção para a esposa e filhos. Infelizmente algumas igrejas tentam manter atividades em todos os dias da semana. Ex: culto de estudo na segunda, oração na terça, culto de libertação na quarta, monte na quinta, saída do grupo na sexta, consagração sábado e o domingo é do Senhor.    
- “padrão de perfeição”, na cabeça de alguns irmãos o pastor é perfeito, e sua família não tem problema de espécie nenhuma.
- “precisam dos mesmos cuidados”, é pensando nesse problema que muitos ministérios tem concedido a chamada férias pastorais aos seus ministros. Não são férias de Deus e sim férias das atividades pastorais e não precisam ser trinta dias, mas um período.
________________________________________
3. A FAMÍLIA NA IGREJA LOCAL

1. A comunhão da família.
- “de forma alegórica”, usando ele apenas como uma representação de algo que se aplica hoje.
- “simbologia espiritual”, essa simbologia é usada para nos trazer mensagens espirituais, mas os textos inicialmente eram interpretados de forma literal, ainda que passassem uma mensagem espiritual. Por isso nós precisamos também entender o que eles transmitiram inicialmente de forma literal.
- Assim como o texto está falando dos irmãos pela descendência de Jacó, então podemos aplicar para nossa casa, para que a união surja primeiro em nosso lar, pois dessa forma teremos também na igreja.

2. Envolvendo-se com o corpo de Cristo.
- “familiares unidos”, o motivo desses agradecimentos todos é que as igrejas eram acolhidas por famílias que abriam suas portas para que se fizessem os cultos em suas casas. Quando se fala em igreja no período apostólico devemos entender que eram irmãos reunidos em casas e muitas vezes de forma escondida.
- “não se porta como mera assistente”, não basta estar dentro da igreja a igreja deve estar dentro do coração da família.
- “influenciarão a família por toda a vida”, do seio dessa família sairá os grandes líderes, homens e mulheres que farão a diferença em nossa sociedade. Serão bons filhos, bons pais, boas esposas e bons maridos.

3. Toda a família na casa de Deus.
- Quando fazemos algo na obra de Deus, fazemos melhor se nossa família nos ajudar. Professor exorte aos alunos a que os membros familiares devem se ajudar mutuamente. Pra que todos caminhem juntos.
- Se um filho estiver no grupo jovem, então os outros devem colaborar e apoiar, se a mãe está no grupo das irmãs então deve ter apoio de todos. Se o pai estiver no grupo de varões então que todos o ajudem.
________________________________________
CONCLUSÃO
- “comunidade acolhedora”, a igreja e a família é assim, uma deve ajudar a outra, a família completa a igreja e a igreja completa a família.
- “representar o Reino de Deus”, nossa família carrega em nossa vizinhança o nome de Cristo. Quando uma família cristão chega em casa depois do culto, alguém da rua logo vai falar: “chegou os crentes!” Isso é representar o nome de Cristo.
- Prepare o resumo.

Marcos André – Superintendente e professor

Boa Aula!
-->

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.