INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

terça-feira, 16 de julho de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 3 - Revista da Editora Betel


AULA EM 21 DE JULHO DE 2013 – LIÇÃO 3
(Revista: EDITORA BETEL)

Tema: “A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO FAMILIAR RESPONSÁVEL”
  
Texto Áureo: Lucas 14.28
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nessa lição você alertará os jovens a se planejarem para o futuro lar e alertará aos pais a conduzirem seus filhos nessa direção.
- “sem depender de terceiros”, sem depender de pessoas para ajudar a criar os filhos por falta de tempo ou recurso dos pais.
- “caridade pública”, se refere à ajuda do governo com os programas sociais como “bolsa família”.
- “negligenciar etapas”, pensar somente em uma parte, se esquecendo de que existem outras, que se forem deixarão o processo incompleto.

            1. PROJETANDO A FAMÍLIA
            - “maneira de pensar mundana”, o mundo tem uma forma de agir baseada nos interesses individuais, no bem estar imediato e materialista.

1.1. Quanto ao desejo
- “filhos cresçam para educá-los”, dentro de planejamento familiar é bom lembrar que criar os filhos deve ser uma preocupação desde antes deles nascerem. Os pais devem se preparar para essa atividade, além da Bíblia também devem procurar literaturas e até cursos para educar os filhos.
- “Pais invistam nas...”, segue uma série de itens em que os pais devem investir, na verdade devem ensinar os seus filhos a valorizarem estas coisas. Atualmente a sociedade ensina valores completamente diferentes desses mencionados aqui.
- “estabilidade econômica”, anualmente existem milhares de novas famílias constituídas sem a devida preparação financeira, são jovens que largam a escola, decidem trabalhar e se casam, ou moças que engravidam na fase do namoro e procuram logo se casarem. Dessas uniões prematuras surgirão filhos que terão pouquíssimas chances de conseguir acesso à boa educação e saúde.
- “contaminados por relacionamentos”, comente que existem muitos jovens filhos de crentes que se envolvem em diversos namoros, de forma que quando conhecem a pessoa certa, com quem desejam casar-se e constituir família, ficam sempre as lembranças do passado, onde o inimigo explora ao máximo com ciladas usando fofocas para tentar lançar ciúmes e brigas a fim de separar o casal. 
- “incontinência sexual”, é a falta de controle sexual, onde o jovem começa o namoro até bem, mas depois vão cessando a oração e a frequência na igreja, o namoro vai ficando mais intimo até a consumação do ato sexual propriamente dito.

1.2. Quanto ao tipo
- “conceber em suas mentes”, meditarem, planejarem ou simplesmente pensarem a respeito para terem uma noção de como eles querem ter suas famílias. Todo projeto surge primeiro na mente e depois é esboçado para então ser materializado com a prática.
- “daquilo que se anela”, daquilo que se deseja , que se busca.
- “fazer uma avaliação do que são”, é julgar a si mesmo em todos os aspectos, para saberem se podem arcar com aquilo que almejam. Devem analisar suas condições espirituais, educacionais e financeiras.
- “deve procurar um par”, Deus respeita as nossas escolhas, no entanto Ele nos avisa se houver perigo de dar errado no futuro, mas a escolha ainda é da pessoa, na fase do namoro o jovem deve analisar se a pessoa a ser escolhida tem as mesmas pretensões e valores, não se deve escolher pela aparência ou por um valor isolado que a pessoa apresenta hoje.

1.3. Quanto ao propósito
- “desígnios de Deus”, desígnios significa projeto, é o que Deus já projetou para as famílias. Não é predestinação fatalista, Deus respeita o livre arbítrio ainda que Ele já saiba de tudo que vai acontecer.
- “subordinados ao de Deus”, os projetos de Deus são macroprojetos e os nossos são microprojetos, quando traçamos os nossos planos, devemos lembrar que Deus também traçou os dEle para nós, os nossos planos podem existir desde que não anulem os planos de Deus.
- “Deus será com você”, o Senhor ajuda aqueles que tomam decisão, aqueles que se esforçam e colocam a mão no arado.
________________________________________
2. EDIFICANDO AS BASES PARA A FAMÍLIA
- “bases sólidas”, a base é o começo de uma construção, para que possamos conduzir nossa família na presença do Senhor e que as bênçãos do Senhor alcancem nossas gerações futuras, então devemos começar a edificar hoje.
- “qualquer que seja o caso”, nas diversas situações colocadas se entende que o ensinamento de Deus está estendido a todos, pois todos, seja sábio ou louco, simples ou doutor, precisam dos ensinamentos de Deus para edificar um lar.  

2.1. Organizar a vida para a formação da família
- “falhas de comportamento”, aquele pretende se casar deve analisar se a sua conduta poderá ser imitada por seus familiares em sua futura casa. Se a resposta for negativa então esse(a) irmão(ã) deve corrigir essas falhas de caráter.
- “reproduzidas pelos filhos”, os filhos são imitadores dos pais, se em um lar houver o costume de falar palavrões, os filhos falarão também, são raras as exceções acerca disso.
- “descobrir porque acabou”, as situações adversas que ocorrem na nossa vida, ainda que dolorosas devem nos deixar pelo menos uma lição aprendida, para melhorar da próxima vez. Só os tolos não aprendem com suas próprias adversidades.

2.2. Criar e/ou reunir condições para a formação familiar
- “pagarem as dívidas”, quando chega a parte das dívidas o casal descobre que o casamento é muito mais complicado do que parece. Recomende que o jovem casal ou noivos comecem a estudar “economia familiar”. Existem sites e livros especializados nessa área.
- “modalidade de poupança”, é como um fundo de reserva familiar, nos países de primeiro mundo as famílias tem esse costume. No Brasil essa prático ocorre muito pouco na classe “c”, manter uma poupança não faz parte da nossa cultura, mas com esforço o casal consegue.
- Ter um dinheiro guardado é interessante para se aproveitar as oportunidades, exemplo: se algum conhecido compra um carro, mas suas dívidas não lhe permitem pagar as prestações, então ele resolve passar o financiamento e cobra um valor bem abaixo pelo que ele já pagou. Ou ainda, alguém compra móveis novos, mas a empresa o transfere de cidade e para onde ele vai já tem imóvel mobilhado, então ele vende tudo por valor bem abaixo do que comprou. Essas oportunidades e muitas outras acontecem o tempo todo e muitas vezes a pessoa está sem dinheiro e deixa passar.

2.3. Avaliar se o que foi e está sendo feito é bom o suficiente
- “avaliações constantes”, é cada um olhar para o seu planejamento familiar e analisar se pode melhorar, na criação dos filhos, no trato com o conjugue, no gerenciamento financeiro. Existem pessoas que passam a vida inteira tomando atitudes erradas, sem condições e nem interesse em mudar.
- Outra forma de análise do casal é pelo diálogo, às vezes o conjugue percebe algo errado, mas pela falta de diálogo o casal não toma nenhuma providência.
____________________________________
3. CAPACITANDO OS FILHOS PARA UMA VIDA COM PROPÓSITO
- Os devem passar desde cedo para seus filhos que existe um proposto divino para a família que está acima de todos os propósitos e projetos que abraçamos.

3.1. Através da educação espiritual e moral
- “pecaminosidade humana”, para que os filhos consigam se prevenir das armadilhas espirituais e saibam que a sociedade está mergulhada em corrupção.
- “amor e na misericórdia de Deus”, um casal consegue facilmente passar para os filhos, através do exemplo e da orientação, o caráter do nosso Deus. Se o jovem casal forem verdadeiros servos do Senhor, então os filhos certamente absorverão esses conhecimentos e quando tiverem seus problemas na vida se lembrarão do Deus de seus pais.
- “caráter de Cristo”, os filhos devem ser instruídos acerca de Jesus e do seu sacrifício na cruz, quem Ele é, onde Ele está agora, o que está fazendo e o que Ele fará no futuro. Existem famílias cristãs onde os filhos não conhecem o plano da salvação.

3.2. Através da educação humana
- “vão legando”, vão deixando, se refere ao conhecimento que as geração adquirem e passam às outras através dos livros e documentos.
- “permitindo...produção de bens necessários”, quer dizer que o aumento do conhecimento proporciona o surgimento de novas invenções que facilitam a vida humana.
- “educação formal”, é aquela que se ensina nas escolas, regulada por currículos e avaliada por meio de provas.
- “não é neutra”, o ensino formal é tendencioso para o ateísmo e racionalismo, nas escolas se ensina as teorias do Big Bang e da evolução das espécies.
- “valores e princípios morais”, nas escolas não se consideram valores como a virgindade e em muitas delas se distribui camisinhas para que os jovens tenham sexo seguro.
- “acompanhar de perto”, os pais devem estar sempre olhando o caderno dos filhos e conversando com eles para quando surgir essas ocasiões eles possam saber orientá-los.
- “influenciados por eles”, para que os filhos possam ser influenciadores dos colegas da escola eles precisam de dois elemento fundamentais: conteúdo bíblico, pois ninguém pode falar daquilo que sabe muito pouco ou nada e convívio com os servos de Deus, pois o jovem se sentirá mais a vontade naquele grupo onde ele estiver acostumado a conviver.

3.3. Através da reunião de recursos materiais
- “dar a eles o suficiente”, talvez não precise ser dinheiro, mas pode ser imóvel por exemplo, pois nunca sabemos o dia de amanhã se será fácil adquirir uma casa.
___________________________
CONCLUSÃO
- “etapas fundamentais”, não pularem nenhum processo, pois cada etapa nos carrega de experiência.
- “ajudar a edificar”, pelo Espírito Santo é que somos edificados, mas o Espírito tem a sua espada e é necessário que saibamos manuseá-las.
- Fez o esboço?
- Recomendo que você veja onde estão as respostas do questionário e enfatize-as durante a lição.

Boa aula!


Marcos André – professor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.