sexta-feira, 19 de julho de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 3 - Revista da CPAD


AULA EM 21 DE JULHO DE 2013 - LIÇÃO 3
(Revista: CPAD)

Tema: “O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO”
  
Texto Áureo: Fp 1.27
  
INTRODUÇÃO
- Amado(a) professor(a), nessa lição você deverá ensinar aos alunos a se comportarem diante desse mundo.  
- “é testado”, as pessoas do mundo tentam nos tirar do sério, falando coisas vãs, nos provocando, estamos sendo observados por eles, pois estão esperando ver o nosso erro para nos acusar e se justificar dos seus.
- “pelos de dentro”, professor a lição vai falar de perseguições dentro das igrejas, tenha cuidado para que ninguém se sinto mencionado ou ofendido pela aula. Procura falar em tese para não se referir a nenhuma situação particular do seu próprio ministério.
__________________________________________
1. COMPORTAMENTO DOS CIDADÃOS DO CÉU
                                        
1. O crente deve portar-se dignamente.
- “conforme o evangelho”, na forma do evangelho, pois muitos se preocupam em ter a forma que a sociedade espera, de um crente bonzinho e até bobinho.
- “balança com dois pratos”, é o tipo de balança que dá a medida correta por comparação com outra medida fiel ou padrão FIG 1.
- “fiel da pesagem determina”, se refere ao padrão para a comparação nesse tipo de balança, no nosso caso esse padrão é o de Cristo, em comparação na balança de Deus não podemos ser achados em falta.
- “equilíbrio”, crente que é fraco nos valores morais ou aquele que só vive na igreja e não se relaciona com as pessoas do mundo estão em desequilíbrio na balança de Deus.
- Neste tópico está resposta da questão nº 1

2. Para que os outros vejam.
- “falsos obreiros”, obreiro é aquele que trabalha na obra de Deus, Paulo se refere à pessoas que chegarão com a aparência de que trabalham e são dedicadas, mas que trarão ensinamentos errôneos para desviarem os irmãos do foco do evangelho.
- “mesmo espírito”, a palavra espírito aqui se refere a ânimo e não à substância da alma. Paulo aqui se refere à vontade de trabalhar no evangelho de Cristo.

3. A autonomia da vida espiritual.
- “vida espiritual autônoma”, alguns crentes não alcançam a maturidade, precisam sempre de alguém que os acompanhe, os servos de Deus precisam aprender a andar sozinhos com Jesus.
- “por uma filosofia mundana”, esse tipo de configuração está presente ainda hoje.
- “centro da sua adoração”, atualmente a idolatria está distribuída em diversos objetos de adoração. Vai de celular até carros e casas, existem inclusive pessoas que idolatram filhos e o conjugue.
- “firmes e equilibrados”, firme nas convicções cristãs, e equilibrados na pratica do evangelho, não sendo exagerados nas atitudes.

2. O COMPORTAMENTO ANTE A OPOSIÇÃO

          1. O ataque dos falsos obreiros.
            - “negavam a divindade”, alguns judeus que aceitaram a fé, não acreditavam que Jesus era o Cristo enviado de Deus, pois o Cristo teria a essência de Deus e acreditar que Jesus era o Cristo seria o mesmo que aceitar que Ele é Deus. Eles queriam fazer parte da comunidade dos santos, mas não acreditavam na divindade de Jesus.
            - É interessante a classe reler o versículo 28 da leitura bíblica em classe, para saber o procedimento com respeito aos que são resistentes quanto à doutrina.          

2. O objetivo dos falsos obreiros.
- “intimidar os cristãos”, é deixá-los tímidos, sem a intrepidez e ousadia das palavras para anunciar o evangelho de Jesus Cristo. Eles queriam se intimidar os mais ousados para eles aparecerem como os verdadeiros conhecedores da Palavra de Deus.
- “não se espantassem”, é uma orientação para que eles não cessassem de anunciar a Jesus.
- “falemos com verdade”, alguns irmão temem em falar a verdade, por estarem rodeados daqueles que distorcem a palavra. Recomende para a classe: se alguém se deparar com um desses, peça-lhe que apresente qual a fonte de onde ele tirou a sua interpretação. Cuidado com esses que afirmam que Deus lhes deu uma nova revelação da alguma passagem da Bíblia.

3. Padecendo por Cristo.
- “Teologia da Prosperidade”, é um conjunto de ideias acerca da prosperidade financeira para os servos de Deus, onde se afirma que os crentes devem usufruir das bênçãos financeiras que o Senhor proporciona.
- “ideia do sofrimento”, os que defendem a teologia da prosperidade acreditam que o crente não pode admitir nenhuma forma de sofrimento. Para alguns desses teólogos, Jó foi um homem fraco na fé.
- “a sofrer por Cristo”, naquela época, servir a Jesus era sinônimo de sofrimento, pois o crente era discriminado pela sociedade, mal visto pela própria família e perseguido pelo governo. Sofrer por Cristo, significava resistir às adversidades e ficar firme, abraçando a Sua causa.
- Aqui contém a resposta para a questão nº 2.
_________________________________________
3. PROMOVENDO A UNIDADE DA IGREJA

1. O desejo de Paulo pela unidade.
- “contenciosos”, relativo a contenda, uma pessoa contenciosa é aquela que está sempre em contendas com alguém.
- “sentimentos afetuosos”, sentimentos carregados de afeto. Afeto, palavra que exprime afeição a outro. O apóstolo usa palavras carregadas de elogios, que ressaltam as qualidades dos filipenses. Esse tipo de coisa quebra muitas barreiras na igreja.
- “espírito sectário”, a palavra espírito aqui se refere à vontade do homem, sua predisposição a fazer algo. E sectário é o que “divide”, também relativo à seita, então o espírito sectário se refere às pessoas que dividem a igreja com ideias diferentes das de Jesus e que estavam dispostas a introduzir novos conceitos naquela igreja. 
- “entranháveis afetos”, entranhável vem de entranhas, se refere ao interior, ao íntimo da pessoa. Entranháveis afetos são os afetos que vem do interior, do coração.

2. O foco no outro como em si mesmo.
- “buscar um estilo de vida”, Jesus não nos ensinou somente a forma de debater as coisas espirituais, mas também a forma de agir diante do estilo mundano e é exatamente essa forma de agir que vai convencer de vez o não crente de que esse é o melhor caminho.
- “prepotência”, é o sentimento de superioridade que não existe, é a pessoa achar que pode fazer algo que na verdade não pode. Veja se não foi isso que aconteceu com Satanás. Isaías 14.13
- “autossuficiência”, é não depender de ninguém, se refere aos crentes que não gostam de pedir ajuda aos irmãos para que ninguém veja que ele também precisa de algo.

3. Não ao individualismo.
- “também para o que é dos outros”, significa cuidar também do que é dos outros. Não orar somente pelos seus filhos, mas também pelos dos outros, não pedir somente por você, mas também pelos outros.
- “prerrogativas da divindade”, prerrogativa é a concessão, é o que dá o direito de fazer algo. As prerrogativas da divindade seria o direito do apóstolo de pedir coisas ao Senhor. Muitos crentes buscam em oração somente por si e sua casa, as esquecendo do próximo.
________________________________________
CONCLUSÃO
- “aquilo que rouba a humildade”, são sentimentos de superioridade diante de coisas materiais, de cargos, etc.
- “evitar o partidarismo”, partidarismo é a formação e manutenção de um grupo em detrimento da coletividade, é a formação dos grupinhos, das panelinhas. Se a classe for de jovens use termos como “pessoas que fazem parte do fechamento”.
- “identidade do amor”, leia a referência e comente que a nossa identidade é a que nos apresenta como servos de Jesus, e essa identidade é apresentada todo vez que fazemos uma obra de ajuda ao nosso próximo. 

Marcos André – Superintendente e professor

Boa Aula!

FIGURAS


Fig 1 - Balança de comparação, num lado vai o peso de referencia e no outro se coloca o objeto que desejamos alferirr
-->

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.