quinta-feira, 17 de outubro de 2013

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 2 - Revista da Central Gospel.


AULA EM___DE______DE 2013 - LIÇÃO 2
(Revista: Central Gospel)

Tema: MATEUS O APÓSTOLO IMPROVÁVEL
  
Texto Áureo:  Lucas 5.27
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição ensine os detalhes da vida de Mateus e mostre aos alunos que Deus faz heróis com qualquer tipo de pessoa, só Ele faz isso.
- “O segue-me de Jesus”, conforme relata os evangelhos, Mateus ao ouvir o chamado de Jesus, abandonou tudo e o seguiu, e ele trabalhava em um serviço muito rentável, comente com seus alunos, que às vezes precisamos abandonar algumas coisas muito rentáveis financeiramente, para seguir a Jesus.
- “funcionário do império romano”,  Roma para poder cobrar impostos usava coletores da própria região, por isso haviam muitos cobradores de impostos judeus, mas o judeus consideravam esses coletores, como traidores, aliados de Roma, e os chamavam de “publicanos”, talvez tenha sido isso que chamou a atenção de Mateus, vendo Jesus um homem tão respeitado pela multidão chamando ele, que era tão desprezado por todos.
__________________________________________
1. MATEUS O HOMEM

1.1. Evidências bíblicas

1.1.1. No Evangelho de Mateus
- O próprio Mateus é quem escreve esse evangelho e relata a sua própria história.

1.1.2. No Evangelho de Marcos
- “comem na casa de Levi, juntamente com publicanos”, Mateus chamou seus amigos ao banquete com Cristo, mas como ele era rejeitado pela sociedade, então seus amigos eram outros rejeitados. Às vezes os religiosos estão críticos demais e a única forma de Jesus alcançar os rejeitados é com um convite simples diretamente a um rejeitado.

1.1.3. No Evangelho de Lucas
- “citá-lo como Mateus”, nota-se que após o primeiro encontro com Jesus o nome de Mateus é mudado, talvez por Jesus ou pelo próprio Mateus, assim como aconteceu com Paulo, pois ao que tudo indica o próprio apóstolo mudou seu nome de Saulo para Paulo.

1.1.4. No livro de Atos
- “reunidos com outros seguidores”, Jesus tinha doze apóstolos, mas também muitos seguidores, que naquela ocasião chegou a mais de quinhentos, mas na festa de pentecostes eram somente 120.

1.2. A família de Mateus
...
1.3. O ofício de Mateus
- “corrompiam o sistema”, na sua maioria os cobradores de impostos tiravam um dinheiro por fora cobrando a mais do povo que não sabia fazer o cálculo para o imposto.
- “casa de Herodes”, o império romano administrava as províncias nomeando seus sacerdotes e reis. Para governar um província tinha que ser parceiro de Roma. Assim era Herodes e Anás (sumo sacerdote). Ambos tinham permissão de Roma para serem líderes. Roma fazia isso para manter a paz na região.
Em Lucas 3.2 fala de dois sumos sacerdotes, Anás e Caifás, a explicação é que Caifás deveria ser o sumo sacerdote, mas ele não se dava com Roma e por isso o procurador nomeou o sogro de Caifás chamado Anás.

1.4. A hospitalidade de Mateus
- “que ele dedicara ao Senhor”, alguém pode acabar pensando que Mateus fez o banquete para poder levar a sua nova fé aos seus amigos, mas o texto não dá a entender isso. Parece que Mateus fez pela alegria que estava sentindo.
_______________________________________
2. MATEUS, O SERVO
- “tanto a grandeza quanto a simplicidade”, a grandeza porque Mateus não hesitou diante do chamado e simplicidade das palavras de Jesus. Foi a conversão mais rápida da Bíblia.

2.1. O trabalho missionário
- Mateus e muitos outros discípulos, como Barnabé, João Marcos, Apolo e muitos outros,  fizeram obra missionária como Paulo, apenas Paulo é mais conhecido por ter doutrinado e estruturado as igrejas.

2.2. Os últimos dias do apóstolo
- “tradição da igreja primitiva”, são narrativas e livros escritos pelos pais da igreja, foram pastores que viveram depois dos apóstolos.
- “entre os etíopes”, assim como os outros apóstolos Mateus também foi martirizado, ele morreu na Etiópia perfurado por lanças.
_______________________________________
3. MATEUS, O EVANGELHO
- “foi escrito aos judeus”, cada evangelho foi escrito para uma povo especificamente e por isso tem características próprias. Marcos foi escrito para os romanos, Lucas para os gregos e João para a Igreja.
- “mais eclesiástico”, eclesiástico se refere à igreja. Parece que somente nesse evangelho aparece o termo igreja e isso por duas vezes. Mateus 16.18 e 18.17

3.1. A autoria
- “Palestina”, é a região da terra de Canaã, que compreendia a Judeia, a Galileia, Samaria, Gaza e Sinai. Atualmente Israel ocupa uma grande parte desses territórios.
- “todos esses detalhes apontam”, mesmo que um livro tenha o nome do autor, deve-se analisar as evidências internas, pois naquela época a autoria não tinha grande valor e muitas obras eram atribuídas à pessoas importantes somente para terem o crédito.

3.2. Composição canônica
- “os evangelistas”, se refere aos autores dos quatro evangelhos.
- “recursos narrativos próprios”, isso porque o Espírito Santo somente os inspirava e não ditava as palavras nos seus ouvidos, mas trazia-lhes à memória fatos vistos ou ouvidos para que fossem escritos.
- “linha cronológica”, é a linha de tempo, quer dizer que o autor não seguiu a ordem de tempo para registrar os fatos.
- “abordagem tópica”, quer dizer que ele abordou por tópico, ou por assunto.

3.3. Por que Mateus escreveu aos judeus?
- “João escreveu à Igreja”, A maior pregação de João era o amor, e por essa característica ele achava que devia passar a mensagem de Cristo de forma universal. João por exemplo não cita o texto de Mateus 15.26, onde Jesus afirma sobre “tirar o pão da boca dos cachorrinhos” talvez esse texto fosse muito pesado para os novos convertidos da época.
- “Lucas escreve aos gregos”, os gregos eram um povo muito ligado à perfeição humana, admiravam as esculturas do corpo perfeito, por isso Lucas passa Jesus como o homem perfeito chamando-o de o “Filho do Homem”. Devido às exigências culturais dos gregos havia a necessidade de expor os fatos de forma fidedigna, por isso Lucas faz um amplo trabalho de campo, pesquisando as fontes.
- “Marcos dedicou-se aos romanos”, sobre ele deixo que você pesquise sozinho. É bom para treinar!

3.3.1. As expectativas judaicas
- “deveria ser”, isso é uma forma egocêntrica de se interpretar o texto sagrado, onde a pessoa só extrai o que lhe interessa e não analisa de forma a entender o que o autor queria passar. Esse erro acontece ainda hoje, a hermenêutica é a ciência que visa corrigir esse problema.
* hermenêutica é a ciência ou arte da interpretação de textos, é um ramo da filosofia.

3.3.2. O estilo literário
- “citação dos profetas do Antigo Testamento”, pelo grande número de citações do AT entendemos que Mateus era conhecedor do judaísmo.
- “Mateus não explica seus comentários sobre”, o fato de Mateus não explicar as práticas religiosas dos judeus dá a entender que ele estivesse escrevendo para quem conhecia o assunto e por isso não havia necessidade de maiores explicações.
____________________________________
CONCLUSÃO
- “pela graça”, analisando a vida de Mateus compreendemos porque Deus liberta o pecador e o faz anunciador do evangelho, se tinha tanta gente mais capacitada na época. A vida de Mateus seria uma pregação sem palavras, os outros publicanos e corruptos que conheciam ele antes, agora ao verem um Mateus transformado saberiam que há salvação também para eles.
- Aprendemos que Deus faz heróis com qualquer tipo de pessoa, só Ele faz isso
- Faça o encerramento apresentando o resumo e anunciando a próxima aula.
- Corrija os exercícios. São pequenas coisas que dão qualidade a sua aula.

Boa aula!


Marcos André – professor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.