INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

terça-feira, 5 de novembro de 2013

INTERPRETAÇÃO BÍBLICA - A Decisão de Seguir a Jesus


Considere a passagem a seguir:

"E, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, aonde quer que fores, eu te seguirei.
E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.
E outro de seus discípulos lhe disse: Senhor, permite-me que primeiramente vá sepultar meu pai.
Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa os mortos sepultar os seus mortos."
Mateus 8:19-22
   Nesses versos o Senhor Jesus está tratando espiritualmente a questão da decisão de segui-lo e como meio de ensinar, o Senhor usa as tradições populares para mostrar a melhor forma de segui-lo.

  Primeiro Jesus ouve a declaração do escriba (mestre da lei que cuidava da compilação dos manuscritos e redação dos documentos da sinagoga) e como ser escriba era uma das profissões mais nobres em Israel, pois o escriba gozava de privilégios, boa reputação, e tinha que ter família e obviamente uma boa casa. Mas Jesus convida aquele escriba a não se apegar a nada disso.
  Para seguir a Cristo é necessário não estar preso às acomodações dessa vida. É como se Jesus dissesse para aquele escriba: pensa bem no que você está afirmando, pois a obra é árdua!

 Na segunda parte o Senhor rebate as tradições, pois para o judeu era inadmissível faltar ao velório de um membro da família, mas Jesus convida aquele discípulo a se desprender de tradições populares que emperram o agir de Deus e a parte onde Ele diz: "deixa os mortos sepultar os seus mortos" a primeira palavra "mortos" é figurado, se refere aos mortos espiritualmente, pois aquela pessoa que estava falando era um discípulo, e por isso já estava liberto, não estava morto espiritualmente, já a segunda palavra "mortos" é literal e se referia ao familiar morto, dessa forma Jesus pediu para ele deixasse os mortos espiritualmente da família dele enterrassem o parente morto.  
  Nessa parte Jesus está convidando seus servos a não se prenderem à tradições humanas que amarram a forma e o agir do povo, atrapalhando o agir de Deus.

Marcos André - Professor  

4 comentários:

  1. gostaria de externar alguns pontos que arrolam a décadas em EBD (Assembleia de Deus)aos quais tento propor mudanças para o único fim de ganho para os alunos, a saber:

    1) Tradicionalmente, em todas as Assembleias de Deus que estive assistindo, a rotina de três hinos da harpa antes da leitura oficial do texto áureo e verdade prática da revista, emana um tempo considerado

    podendo ter sido revertido na própria aula (tempo);

    2) O toque do sino ou alguém avisando "falta cinco minutos para o encerramento", ocorre às 10h25, onde após isso, até às 11h, avisos e mais avisos que poderiam muito bem serem anunciados à noite (culto noturno de louvor)

    são um não aproveitamento do tempo que também poderiam ser revertidos para a exposição bíblica durante a aula;

    3) Um fato corriqueiro e que de certa forma a "ética" impede de que ocorra é a exposição de erros da revista em que tanto professores como alunos aplicados tentam de alguma forma debaterem e interruptamente são submetidos

    com alegações de que é uma afronte, desrespeito, ante-ético... é difícil hoje defender a fé calado (Judas 3,4). O sentido da escola é a abertura para o ouvir e por mais pedagogia que seja empregada, de nada adianta devido a isso.

    4) Os temas das revistas Lições Bíblicas dos adultos não mais utilizam profundidade, sempre assuntos que não abarcam a atualidade. Sugeri tantas vezes alguns temas e agora a Senhora repasso:

    -Ecumenismo, uma ameaça;

    -2ª vinda de Cristo (englobando profecias do fim em sequência escatológica, Israel,era da igreja, tribulação, milênio e Juízo Final, não repetindo sete cartas como sempre é feito; Daniel, Joel, Mateus, cartas etc.

    -Pecados da obra da carne, um a um;

    -Doutrina do pecado;

    -Legalismo, modismos dentro da igreja e a secularização da igreja;

    -Purgatório, conversa com mortos;

    -Reais interpretações dos versículos e jargões utilizados pelos propagadores do evangelho da prosperidades (Passagem por passagem);

    -Nova era e suas sutis infiltrações na sociedade e na igreja;

    -Falsos mestres e ensinos (como identifica-los).

    5) Marcação de eventos a mando das sedes no dia de ebd (santa ceia, dia das mães/evento, etc);

    Espero ter contribuído

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Mendes, obrigado por expor suas observações aqui, concordo com quase tudo o que você disse, Sobre a profundidade da lição, acho que nem todas as igrejas poderão ter, fica na habilidade dos professores aprofundar o ensino.
      Percebi que alguns pontos que você colocou são particulares da sua denominação, porém o alerta que você deu serve para todas as igrejas.
      Já o item 5 (último) chega a me tirar da graça. Não suporto a falta de comprometimento de alguns líderes que fazem a agenda atropelando as atividades da EBD.

      Obrigado irmão. Paz.

      Excluir
  2. Boa tarde amigo. Espero que se lembre quando lhe pedi uma explanação sobre o assunto acima. Mas achei que faltou informação. Posso estar enganado, se assim for, já te peço perdão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão eu me lembro que você me havia pedido sim, mas não me lembro onde está o teu comentário e nem qual foi a munha resposta. Eu respondo muitos comentário, por isso não me lembro do teu, me perdoe, paz.
      Se achar refaça a pergunta que eu me esforçarei em responder.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.