segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Conteúdo da Lição 4 - Revista da Editora Betel


Congregação Cristã no Brasil
26 de janeiro de 2014 – Editora BETEL

TEXTO AUREO
"E Ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres". Ef 4.11


VERDADE APLICADA
A incumbência de edificar a igreja de Jesus Cristo não foi dada aos anjos, mas aos homens, que a exercem através dos dons.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

ICo 9.11 - Se nós semeamos para vós as coisas espirituais, será muito que de vós colhamos as materiais?
ICo 9.12 - Se outros participam deste direito sobre vós, por que não nós com mais justiça? Mas nós nunca usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo.
ICo 9.13 - Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que servem ao altar, par­ticipam do altar?
ICo 9.14 - Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evan­gelho.


INTRODUÇÃO

Denominação fundada pelo ítalo-americano Louis Francescon. Louis nasceu na Itália em 1866, converteu ao cristianismo em 1891 quando morava em Chicago, EUA. No ano seguinte, na mesma cidade, foi criada a Igreja Presbiteriana Italiana. Nesta igreja, Francescon foi eleito diácono e depois de alguns anos, ancião. Em 1907, Francescon passou a frequentar a Missão America­na, onde começou a pastorear uma Igreja pentecostal. Em oito de março de 1910, chegou à cidade de São Paulo, no bairro do Brás, onde começou a pregar o Evangelho, vindo a fundar a Igreja Pentecostal Italiana (primeiro nome da Congregação Crista no Bra­sil). Francescon faleceu em 7 de setembro de 1964, aos 98 anos de idade.


1. Práticas da Con­gregação Cristã no Brasil

Algumas práticas são defendidas pelos adeptos desta seita, sem qualquer base bíblica.


1.1. São contra o Ministério Pastoral

O ensino de que a Igreja não deve ter nenhum pastor além de Jesus Cristo não harmoniza com o ensino bíblico, que afirma, em vários textos, a existência do ministério pas­toral. Em Efésios 4.7,8,11-14, o Apóstolo Paulo ensina que: 1) O Pastor é um dom de Deus a sua Igreja (Ef 4.8); 2) O Ministério Pastoral tem propósitos específicos dentro do reino de Deus, cooperando com o aperfeiçoamento dos santos, edificando o corpo de Cristo. O exemplo da igreja primitiva quanto ao ministério é uma for­te base para que a função pasto­ral fosse implantada, haja vista a citação de vários pastores de igrejas no Novo Testamento, tais como: Timóteo, Tito, Pedro e Tiago, sendo Tiago o primeiro pastor da igreja de Jerusalém. O Apostolo Pedro afirma em I Pedro 5.2,3 essa verdade.

1.2. São contra o sustento Pastoral
O sustento pastoral é uma recomendação bíblica. Senão vejamos: 1) Paulo recebeu salario das igrejas (2Co 11.8); 2) O pastor é digno de seu salário (l Tm 5.18); 3) Paulo ensinou a igreja de Corinto a sustentar pregadores do evangelho (I Co 9.4-14).


1.3. São contra o Estudo da Bíblia Sagrada

A Congregação Cristã no Brasil ensina que o pregador não deve buscar maiores conhecimentos, pois o Espirito Santo colocará na boca as palavras certas no momento certo. Esse ensino é oriundo de uma interpretação equivocada por parte dessa seita, pois o que Jesus ensinou tem outro sentido. Em Mt 10.19,20, Jesus se refere a maneira como o crente deve se comportar diante da provação, no caso de vir a ser conduzido aos tribunais, governadores e reis, pela causa de Cristo. Há muitas referências bíblicas mostrando a necessidade do crente buscar maior conhecimento através da leitura, do estudo e de outras formas de ensino (lTm 4.13; João 14.26). Só é possível lembrar-se do que se sabe.


2. Textos Bíblicos mal interpretados pela Congregação Cristã no Brasil

Alguns ensinos da Congregação Cristã no Brasil são fundamentados em versículos isolados das Escrituras.


2.1. O uso do véu nos cultos

As mulheres, no momento do culto da Congregação Cristã no Brasil, usam um véu para cobrir a cabeça, conforme a interpretação equivocada de I Co 11.4-15. A prática do véu instituída por Paulo, foi aplicada somente para os corintos, como substituição aos cabelos, para as mulheres que anteriormente haviam sido sacerdotisas da deusa Afrodite, pois elas raspavam a cabeça para cumprir essa função. O uso do véu em si não é uma prática sustentada pelas Escrituras, pois não existem referências, além desta especificamente. Ao contrário, Paulo ensina que: "Pois a cabeleira lhe foi dada em lugar de véu" (I Co 11.15b).


2.2. O uso do "Ósculo Santo" nos cultos

O texto de Romanos 16.16 é mais um interpretado erradamente, visto que esta saudação, "Ósculo Santo" - o popular beijo - é praticado por eles so­mente nos cultos. Acontece que o ósculo é um costume entre os orientais (At 20.37), utilizado tanto no momento da chegada como na despedida entre as pessoas, costume que existe até hoje. Como exemplo disso, no Brasil, usa-se o aperto de mão na saudação; da mesma forma o ósculo santo, apenas um costume cultural e não uma doutrina. Por que eles não "beijam" uns aos outros fora de seus templos?


2.3. Oram somente ajoelhados

Os membros da Congregação Cristã no Brasil só oram ajoelhados. Na Bíblia há relatos de orações feitas em prisões, montes, em pé, deitados, amarrados, em covas, com posturas e em locais diferentes. Ezequias quando orou a Deus pedindo a cura, ele não estava no templo (2Rs 20.1-3; Is 38.1-8). Em que posição Jonas orou no ventre do peixe? (Jn 2.1). O próprio Jesus não seguia a regra de orar somente ajoelhado, Je­sus orou diante do túmulo de Lázaro (Jo 11.41). Jesus orou pendurado na cruz (Lc 23.46). O cego de Jericó orou "na beira da estrada" e recebeu o milagre (Mc 10.46-54). Paulo e Silas oraram na prisão (At 16.25). Oração é falar com Deus, e para conversar com o Pai, não importa a posição corporal, o que importa é a comunhão com Ele.


3. Doutrinas da Congregação Cristã no Brasil

Ensinos de suma importância para a vida cristã não são interpretados corretamente, como descritos a seguir:


3.1. O batismo nas águas como "Ato Regenerador"

A Congregação Cristã no Bra­sil utiliza o texto de At 2.38 para afirmar que as águas do batismo tem a finalidade de purificar pecados. A salvação é um favor de Deus aos homens (Ef 2.8, 9); é uma dadiva de Deus (Tt 2.11). A regeneração é obra do Espirito Santo (Tt 3.5); enquanto que o batismo em águas é um sinal, um testemunho público, do arrependimento que acontece no ato da conversão a Jesus Cristo como Senhor e Salvador.

3.2. A doutrina da transubstanciação
Esta denominação prega a heresia católica da transubstanciação. Há, pelo menos, três doutrinas concernentes aos elementos da Santa Ceia: 1) Transubstanciação - ensina que os elementos da Santa Ceia, no ato da consagração, transformam-se literalmente em carne e sangue de Jesus Cristo; 2) Consubstanciação - ensina que as substâncias do Corpo e do Sangue de Cristo se unem a substância dos elemen­tos da Ceia, no instante que são consagrados; 3) Substanciação - ensina que a substância dos elementos da Ceia continuam sem alteração, apenas simbolizando o corpo e o sangue de Cristo. A doutrina ensinando que os elementos da Ceia são símbolos, e que tem apoio bíblico 1 Co 11.23-26).


3.3. O Ensino concernente ao dízimo

Esta Igreja ensina que o dízimo foi uma prática restrita ao tempo da lei, portanto, nada tendo a ver com os crentes da atualidade. É mais um erro de interpretação desta seita, visto que, como pode ser constatado em Gn 14.20 e Gn 28.22, a prática do dízimo é bem antes da instituição da Lei Mosaica. Em Mt 23.23, Jesus confirma o dever de dizimar.


CONCLUSÃO

Pelo ensino de várias heresias, mesmo tendo como livro sagrado e manual de doutrinas a Bíblia, e que esta denominação é classificada como uma seita. Negam verdades bíblicas, interpretam erradamente vários textos das Escrituras Sagradas, torcendo Doutrinas de cunho fun­damental de uma Igreja verdadeiramente Cristã.

2 comentários:

  1. diante desta lição posso observar que a religião tem o poder de engessar a visão das pessoas, deixando-as escravas e pobres de conhecimento; quando os responsáveis das denominações que se dizem representarem pregam doutrinas que ouviram falar e conseguem fazer discípulos que por sua vez são pessoas que estavam sem esperança neste mundo tão pobre de Deus, levam as massas a acreditarem em tudo que falam sem examinar as escrituras passando tempo nas igrejas sem ao menos conhecer o seu criador isso dói muito, pois o evangelho é liberdade é vida eterna é libertação e essas pessoas que vão pagar um preço muito alto engessam a liberdade da queles que muitas vezes querem mudar de vida; pois o estado em que estavam não iam para lugar nenhum sem Deus e sem salvação, mas ao invés da palavra fazer dessas pessoas verdadeiros cidadãos; a palavra mal interpretada faz dessas pessoas intolerantes presunçosas e insuportáveis com um puritanismo insuportável e longe do cristianismo.

    atenciosamente.José Silva Gomes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom irmão José Silva Gomes, eu li e reli esse comentário interessante e verdadeiro que você postou, dentre as verdades que você abordou eu destaquei essa: "a palavra mal interpretada faz dessas pessoas intolerantes presunçosas e insuportáveis com um puritanismo insuportável", isso é a mais pura realidade, eu vi isso a vida inteira. Mas agora temos essa ferramenta para espalhar a mensagem que liberta.

      Paz de Cristo irmão.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.