INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

domingo, 26 de janeiro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Conteúdo da Lição 5 - Revista da Editora Betel


Mormonismo, a Mais Anticristã das Seitas
02 de fevereiro de 2014
TEXTO ÁUREO

"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema". Gl 1.8


VERDADE APLICADA
Nenhuma visão angelical ou sobrenatural sobrepõe os ensinos das Sagradas Escrituras.


TEXTOS DE REFERÊNCIA

Gl 1.6 - Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou na graça de Cristo, para outro evangelho,
Gl 1.7 - O qual não é outro; senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo.
Gl 1.8 - Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema.
Gl 1.9 - Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.


INTRODUÇÃO
O Mormonismo é uma das seitas mais anticristã, pois sua doutrina é repleta de orientação e revelação angelicais. Os Mórmons ou a "Igreja dos San­tos dos Últimos Dias", como também são conhecidos, é uma das seitas que mais cresce no mundo, com dados de crescimento assustador, especialmente no Brasil. Todo esse crescimento é atribuído ao trabalho intenso dos missionários, denominados Elder.
Portanto é de suma importância conhecer a história e seus princi­pais ensinos.


1. O Surgimento do Mormonismo
O mormonismo teve início com a morte do americano Joseph Smith Jr, nascido em 23 de dezembro de 1805. Uma seita que começou com seis membros (1830), um mês depois tinha quarenta adeptos e, apos seis anos, em 1836, contava com dezesseis mil membros. Há dados estatísticos indicando que, no mundo todo, atualmente, há mais de 13 milhões de Mórmons.


1.1. Origem da seita
Conta-se que Smith, atormentado pela situação religiosa em que encontravam as igrejas, em 1820, orando em um bosque, recebe de Deus a resposta, através de uma visão. Segundo Smith, Deus aparece a ele. Nessa visão, chamada pelos Mórmons de "A Primeira Visão", Smith pergunta a Deus quais as igrejas verdadeiras e em qual ele deveria congregar, então ouviu uma surpreendente res­posta: Deus, segundo Smith, responde a ele que "todas as igrejas de sua época estavam desviadas". Em uma segunda visão, em 1823, recebeu a visita de um anjo, chamado Moroni, que lhe revelou a existência de um livro escrito em placas de ouro.


1.2. Fundação da Seita Mórmon
Em 1829, Smith diz ter recebido de João Batista, através de visão, o sacerdócio de Arão, e pouco depois recebido, também por visão, dos Apóstolos Pedro Tiago e João, o sacerdócio de Melquisedeque. Em 6 de abril 1830, segundo ele, com as autoridades de Arão e Melquisede­que, Smith abriu na cidade de Eayette (E.U.A.) esta seita.


1.3. Vida de Joseph Smi­th Jr.
Smith teve 27 esposas e 44 filhos, adotando a poligamia tão condenada pela Bíblia (Dt 17.17). Os casos de poligamia citadas na Bíblia não tinham a aprovação de Deus, eram escolhas humanas contrárias a Pala­vra de Deus. Em 27 de junho de 1844, Smith foi morto na prisão de Cartage (E.U.A.), por uma multidão furiosa que invadiu o cárcere onde se encontrava cumprindo pena.


2. Livros sagrados dos Mórmons
Os mórmons creem que Deus continuamente traz novas informações a igreja, não acreditando na existência de um Ca­non Bíblico encerrado. Assim, eles possuem muitos livros que são considerados novas inspirações para suas igrejas. Seus principais livros são:

2.1. O Livro Mórmon
Segundo eles, esse livro foi escrito originalmente em placas de ouro por um profeta chamado Mórmon e dado ao seu filho Moroni, que por sua vez enterrou no monte Cumorah (situado em Palmyra, Nova York). Após catorze anos de sua escrita, em vinte e dois de setembro de 1827, estas placas foram encontradas através de revelação e orientação de Moroni a Smith que, após tradução para o idioma Inglês, foi publicado pela primeira vez em 1830. Essa obra é composta por quinze livros, que são divididos em capítulos e versículos. É um relato da história dos primeiros habitantes da América e citações de textos bíblicos.


2.2. A Pérola de Grande Valor
Segundo os Mórmons, "A Pérola de Grande Valor" con­tem o Livro de Moisés, o Livro de Abraão e alguns escritos inspirados de Joseph Smith. O Livro de Moisés contem uma narrativa de algumas das visões e escritos de Moisés revelados ao Profeta Joseph Smith em junho e dezembro de 1830. Segundo os Mórmons, esta obra esclarece doutrinas e ensinamentos que se haviam perdido da Bíblia, e traz também, informações adicionais concernentes a criação da Terra. O Livro de Abraão, conforme acreditam os Mórmons, contem informações sobre a Criação, o Evangelho, a Natureza de Deus e o Sacerdócio.


2.3. Doutrina e Convênios
Para os Mórmons, este livro contem revelações sobre a Igreja de Jesus Cristo, conforme foi restaurada nestes últimos dias. Diversas seções do livro explicam a organização da Igreja e definem os ofícios do sacerdócio e suas funções. Outras seções contem, segundo eles, verdades gloriosas que ficaram perdidas por centenas de anos. Outras são uma tentativa de esclarecer os ensinamentos da Bíblia. Além dessas, há seções que contem profecias de acontecimentos ainda por vir.


3. Principais Ensinos Mórmons
A Doutrina Mórmon é extensa, pois possui várias escrituras consideradas por eles como inspiradas. Nesta lição, serão abordadas apenas as mais relevantes de suas infindáveis heresias.


3.1. Doutrinas Fundamentais
Nos livros de Smith, Deus é apresentado como um ser de carne e osso, além de afirmar a existência de outros deuses. Diferente da Bíblia, pois ela afirma que Deus é Espirito (Jo 4.24), e que há um só Deus (Dt 6.4). Afirmam que Jesus não foi gerado pelo Espírito Santo, mas pelo Deus-Adão, contradizendo a Bíblia (Mt 1.18). Afirmam que todos, após o castigo, serão salvos. A Bíblia afirma que o castigo será eterno (Mt 25.46), sem a possibilidade de salvação.


3.2. O batismo pelos mortos
Batismo pelos mortos ou batismo por procuração, é o ato de alguém ser batizado em lugar de uma pessoa que já morreu, com objetivo de salvar o falecido. Usam fora de contexto ICo 15.29, quando Paulo usa o próprio argumento dos que negavam a ressurreição, e pergunta: se eles não acreditam na ressurreição, então por que batizam pelos mortos? Existe, nesse texto bíblico, uma interrogação como forma de argumento e não uma doutrina. Após a morte resta o juízo, não há subterfugio (Hb 9.27).


3.3. Casamento para a eternidade
Segundo a Doutrina Mórmon, na viuvez, não se pode casar novamente, para ter um novo encontro com o cônjuge nos Céus e desfrutar de um casamento eterno. Afirma que os casais ao reencontrarem na eternidade, transformam-se em deuses. Em Lucas 20.27-36, Jesus ensina que o casamento existe só nesta vida. Então não é verdade que o casamento, mesmo os realizados no templo mórmon, serão eternos e tampouco a afirmação que seremos deuses. A Palavra de Deus afirma que, no céu, os salvos serão como os anjos e não como deuses (Mt 22.30).


CONCLUSÃO
A visão de Joseph Smi­th contradiz os ensinos das Escrituras Sagradas que condena outro evangelho, mesmo sendo dado por um anjo (Gl 1.8). Por esse motivo e tantos outros, como os apresentados nesta lição, o mormonismo é enquadrado como uma seita. Está recheada de falsos ensinos e deve ser refutada à luz da Palavra de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.