sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 3 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2014 - LIÇÃO 3
(Revista: Central Gospel - nº 37)

Tema: O MUNDO DO MESSIAS
  
Texto Áureo: Mateus 4.16
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição você passará o conhecimento como se fosse um glossário dos termos antigos, vá falando e mostrando para os alunos o que Jesus encontrou quando pregou na Judeia.
- “sócio-político-religioso”, quer dizer que Cristo atuou nessas três áreas, manifestando Seu poder e causando mudanças profundas.
- “conhecimento prévio dessa estrutura”, é essencial que o crente seja instruído na profundidade da revelação de Jesus e Sua obra, mas para isso é necessário saber como estava a palestina na época em que Jesus andou por lá.  
_______________________________________________
1. A SITUAÇÃO POLÍTICA DA PALESTINA NO ADVENTO DO MESSIAS
- “formação da civilização ocidental”, constituída pela Europa e as Américas.
- O cristianismo romano e mais tarde o protestantismo espalharam pelo mundo ocidental a mensagem do evangelho. Dessa forma os ensinos de Jesus influenciaram profundamente essas culturas e suas leis, até o calendário do ocidente conta os anos a partir do nascimento de Cristo.

1.1. Os imperadores
- Esses imperadores reinavam na capital do império, em Roma e de lá comandavam todas as províncias dominadas por Roma.

1.2. Os Herodes
- “governantes políticos”, tinham permissão de Roma para governar e eram controlados por ela.
- “o grande”, foi que reconstruiu o templo em 40 a.C. e fez dele uma das maravilhas do mundo antigo e também foi esse rei que mandou matar as crianças de Belém.
- “Antipas”, filho de Herodes o grande, foi esse que mandou matar João Batista na cadeia.
- “Agripa I”, esse foi o que mandou matar Tiago e depois foi comido de bicho.

1.3. Os procuradores
- “procurador romano na Judéia”, Roma dividiu as regiões em províncias e nomeou procuradores para tratar dos assuntos relativos ao império e o principal deles era a cobrança de impostos. Eles também tinham que manter as províncias em paz. A província da Judeia era considerada a mais difícil de ser administrada pelo grande número de rebeliões.

1.4. O Sinédrio Judaico
- “assembleia superior nacional”, era composto por 71 juízes dentre eles o sumo sacerdote.
- “ofensas capitais”, ofensas passivas de morte, Na noite em que Jesus foi preso, o Sinédrio se reuniu de madrugada sem a presença de todos os integrantes, o que era proibido. E como a decisão deles foi que Jesus era passível de morte, precisaram mandá-lo para Pilatos. 

2. AS CONDIÇÕES SOCIAIS DA PALESTINA NO ADVENTO DO MESSIAS
- “deportação da maior parte dos habitantes”, se refere ao cativeiro em Babilônia em 606 a.C. Quando a maioria dos habitantes foram levados para Babilônia por Nabucodonosor e o Templo e a cidade foram destruídos.
- “os cativeiros caldeu”, caldeu se refere ao babilônico, era o nome dado a etnia, o povo que habitava Babilônia eram os caldeus.
- “persa”, devido à imprudência de Belsazar em beber vinho nos utensílios sagrados do Templo em Dn 5, o reino foi tomado pelos persas, então o cativeiro passou a ser persa.
- “grego”, se refere ao domínio grego da região após as conquistas de Alexandre o Grande. Não houve um cativeiro grego.

2.1. Os impostos
- “os distritos”, aqui é o mesmo que província.
- “sistema de inspeção”, era como terceirizar o serviço deixavam a cobrança a cargo de outros e o procurador apenas fiscalizava o processo.
- “os publicanos”, eram judeus que trabalhavam para Roma cobrando os impostos do povo, eles estabelecia suas comissões, de maneira que se tornava abusivo a cobrança. Eram vistos como traidores pelo povo. O nome publicano é um apelido pejorativo dado pelo povo.

2.2. A influencia dos pagãos
- “contra a influencia pagã”, essa influencia vinha por objetos comprados de fora, e até mesmo moedas estrangeiras. O maior temor dos judeus era de entrar idolatria em Israel.
- “aberto uma vala”, em sentido figurado era como aqueles fossos em torno dos castelos, cheios de crocodilos, para proteger contra os invasores.

2.3. A diáspora
- “significa dispersão”, foram duas diásporas judaicas na História: a do cativeiro em Babilônia em 606 a.C. e que ocorreu com a destruição de Jerusalém no ano 70 d.C. Quando no Novo Testamento se fala “judeus vindos de todas as partes” At 2.5 se refere aos judeus da primeira diáspora, que não retornaram do cativeiro e ficaram morando nas cidades dominadas pelos persas, que depois foram dominadas pelos gregos e depois dominadas pelos romanos.
- “encarregaram-se de espalhar o judaísmo”, o povo judeu tem uma característica diferente dos outros povos, eles não deixam sua religião e tradições, eles se unem em comunidades nos países por onde se espalharam. Dessa forma o culto judeu se tornou conhecido em vários lugares.
_______________________________________
3. A SITUAÇÃO RELIGIOSA DOS JUDEUS NO ADVENTO DO MESSIAS
- “grupo religioso homogêneo”, quer dizer que eles se dividiram em vários grupos.
- “judeus hebraicos”, parece se refere aos judeus que habitavam em Jerusalém ou nas cidades da Judeia.

3.1. O templo
- “o palácio do grande Rei”, o Messias prometido, para os judeus o messias viria com o objetivo de libertá-lo pela força e reinar sobre eles.
- “centro religioso”, vinha judeus de todas as partes do mundo da época, para adorar no templo.

3.1.1. As sinagogas
- “serviam às reuniões”, essas reuniões tinha o objetivo de leitura e estudo das Escrituras, além de orações.
- “da boca dos doutores”, não era qualquer um que podia falar na Sinagoga, tinha que ser reconhecidamente um doutor da lei.

3.2. A classe sacerdotal
- “família de Levi”, melhor seria da tribo de Levi era composta de várias famílias das quais a família de Arão eram os sacerdotes.
- “linhagem primogênita”, linhagem que conta os primogênitos, assim como a dos reis.

3.3. Os escribas
- “missão oficial de interpretar”, eles também tinham a missão de compilar os rolos sagrados para assegurarem a perpetuação dos escritos.  
- “correligionários”, aqueles que tem a mesma religião, partido político ou qualquer ideal filosófico em comum.

3.4. Os partidos-seita influentes na vida religiosa de Israel

3.4.1. Os saduceus
- “de forma literal”, eles cumpriam ao pé da letra, não aceitavam sentido figurado.
- Os saduceus não acreditavam na ressurreição de mortos, nem em carne e nem espiritualmente.

3.4.2. Os fariseus
- “religiosidade hipócrita”, na verdade nem todos os fariseus eram assim, podemos encontrar alguns que praticavam a verdadeira religião no Novo Testamento: Nicodemos, Paulo, Gamaliel entre outros que não aceitaram prender e julgar Jesus.
- “restante das Escrituras”, se refere aos outros livros do Antigo Testamento, principalmente os dos profetas.

3.4.3. Os essênios
- “mudaram-se para Qumran”, eles buscavam a verdadeira presença de Deus, almejavam viver em perfeição.

3.4.4. Os Zelotes
- “um movimento fanático”, era um movimento fundamentalista como alguns grupos mulçumanos de hoje que provem ataques a bomba.
- “causando levantes”, eles faziam saques às caravanas romanas e odiavam os publicanos. Judas e Barrabás eram zelotes.

3.4.5. Os herodianos
- “partido político”, suas intenções estavam na área política somente.
- “da dinastia de Herodes”, nem todos concordavam com o governo de Herodes, por isso muitos gritavam “Jesus filho de Davi!” quando Cristo passava. Provavelmente eram os herodianos que mandavam o povo se calar.

4. FACILITADORES PARA O ADVENTO DO MESSIAS
- “cuidadosamente preparado”, a própria situação de Israel, sob domínio dos romanos, necessitando de um libertador. A pressão política, religiosa e social faziam alma do povo clamar por liberdade.
- “império mundial”, Roma
- “onde as leis fossem as mesmas”, uma prova disso é que a identidade romana de Paulo facilitou muito a difusão da mensagem.

4.1. A pax romana
- “houve paz”, se o mundo estava em paz, então era possível os missionários atravessarem as fronteiras.

4.2. Um mesmo idioma
- “o grego popular”, e não o latim que era falado em Roma. Isso ocorreu porque quando Alexandre o Grande dominou o mundo ele impôs a cultura grega a todas as regiões conquistadas queimando bibliotecas e fazendo as suas, além de divulgar as artes gregas, mas os romanos dominavam apenas política e financeiramente, mantinham a cultura e a religião local de cada cidade.

4.3. A filosofia grega
- “aprofundar-se no campo das ideias”, os gregos veneravam o corpo e a mente, ele se achavam superiores. Era parte da cultura grega, a valorização dos estudos filosóficos. Por isso surgiram grandes filósofos entre eles. Os ensinos de Jesus combinaram com algumas ideias da filosofia grega no que tange a valorização do homem.

CONCLUSÃO
- “plenitude dos tempos”, quando o tempo ficou pleno, para Paulo a humanidade havia atingido o momento propício para o advento de Cristo.
- “na ocasião certa”, ainda hoje o socorro de Deus vem na hora certa, Ele espera o momento adequado para que tudo tenha o maior aproveitamento possível.

- Faça o resumo, apresentando os pontos mais importantes aprendidos. 

Boa aula!


Marcos André – professor

10 comentários:

  1. Tremendo Deus Abençoe Poderosamente seu ministério meu irmão...

    Att,

    Marco Aurélio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmão Marcos, mas deu um trabalho rsrsrs

      Excluir
  2. Graças a Deus que encontrei,um grande auxílio para desenvolver a minha aula pois são temas muito difíceis,nem todo professor de escola bíblica tem teologia,faço parte de um pequeno ministério onde adotamos lições da central gospel eu tenho me esfossado mais tem sido difícil,espero encontrar sempre irmãos que possa auxiliar professores que como eu precisa de auxílio.DEUS abençõe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, fique a vontade para acessar quando quiser e copiar os conteúdos.
      Paz.

      Excluir
  3. Com certeza uma grande ajuda para todos os professores de EBD que lutam pela consolidação do ensino nas igrejas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei dessa palavra "consolidação", é isso que precisamos fazer, consolidar o ensino.
      Obrigado pelo comentário excelente.

      Excluir
  4. Deus abençoe sua disponibilidade em ajudar a todos nós professores, para que o ensino da palavra seja realmente eficaz e efetivo na igreja atual, que precisa da essência do verdadeiro evangelho! Fique na paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado irmã, desculpe-me, pois às vezes eu demoro a responder, isso acontece por que eu ando muito ocupado. Fico alegre em ver a tua preocupação pela essência do verdadeiro evangelho.
      paz.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.