INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 4 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2014 - LIÇÃO 4
(Revista: Central Gospel - nº 37)

Tema: A ENCARNAÇÃO DE CRISTO
  
Texto Áureo: 1 João 5.6
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição apresente a importância da encarnação de Cristo, mostre como isso no beneficiou.
- “doutrina da encarnação”, doutrina que afirma que Jesus veio em carne e quais as consequências disso.
- “fundamentos da fé”, aquilo que dá base, quando essa e outras doutrinas essenciais estão bem firmadas no crente ele fica sólido diante das lutas, pois sua base está bem firme.
- “se fez carne e habitou entre nós”, por isso o anjo disse a Maria que o nome Dele seria “Emanuel”, que significa Deus conosco Mt1.23, ou seja Deus habitando conosco em forma humana.
_______________________________________________
1. ENSINOS CONTRADITÓRIOS À DOUTRINA DA ENCARNAÇÃO

1.1. Doutrina da reencarnação
- “alma humana desencarnada”, é a alma humana após deixar o corpo, os espíritas afirmam ela retorna para um novo nascimento, nós afirmamos pela Bíblia, que ela vai para um local de espera.
- “ciclo da vida”, o ciclo da vida se constitui em nascer, crescer, reproduzir e morrer.
- “até alcançar a perfeição”, segundo a doutrina bíblica as passagens sucessivas pela Terra seria um aprendizado, essa doutrina seduziu muitas pessoas, até mesmo aqueles que não são espíritas, por isso muitas novelas e filmes exploram essas especulações.
- Para os espíritas Jesus seria o espírito perfeito.

1.2. O docetismo
- “corrente gnóstica”, o gnosticismo vem de um conjunto de crenças de natureza filosófica e religiosa cujo princípio é a ideia de que há em cada homem uma essência imortal que transcende o próprio homem. Os gnósticos consideram a existência humana neste mundo como não natural. As correntes filosóficas gnósticas existem desde a época dos apóstolos.
- “visão platônica do mundo”, forma de ver o mundo do filósofo Platão, que expressou seus pensamentos em livros e influenciou muitas culturas.
- “relação de Pai (Deus) e Filho (Jesus)”, afirmar essa relação é o mesmo que afirmar que Jesus também é Deus e isso é que os gnósticos combatiam com suas doutrinas filosóficas.
- A palavra “gnóstico”, deriva de gnose e significa: conhecer.

2. A DOUTRINA DA ENCARNAÇÃO DE CRISTO
- “não pode ser encontrada na bíblia”, esse termo não existia na época. A preocupação era afirmar que o Messias nasceria, que nada mais é do que a encarnação de Jesus.
- “epílogo da Sua existência”,epílogo é a conclusão, se refere ao momento em que Jesus afirma que estava tudo consumado. Jo 19.30
- “sacrifício perfeito”, único sacrifício que é capaz de remover o pecado e regenerar o pecador.

2.1. O verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e verdade
- “Trindade”, outra palavra que não se encontra na Bíblia.
- “verbo de Deus”, verbo expressa a ação, é aquele que executa a ação de Deus. Jesus é quem executa a vontade o Pai no mundo.
- “tabernáculo”, era uma espécie de templo móvel, desmontável, era uma tenda que os hebreus montavam e desmontavam para a caminhada. Quando o Verbo se fez carne Ele viveu, morreu e ressuscitou e subindo ao céu nos enviou o Consolador que passou a habitar em nós e nos fez templos móveis para caminhar nesse deserto (mundo).
- “tabernaculou”, o tabernáculo guardava a presença de Deus entre os homens (a Arca) assim Jesus passou a manter a presença de Deus entre os homens.
- “entrou uma vez”, no tabernáculo do deserto o sumo sacerdote entrava uma vez por ano para fazer o sacrifício pelo povo, mas o Senhor Jesus, como nosso
sumo sacerdote entrou uma única vez e ofereceu um único sacrifício para sempre.
- “uma iniciativa divina”, foi Deus quem procurou salvar o homem e não o homem que buscou ser salvo, até hoje quando alguém busca a Jesus é porque Jesus já o buscou primeiro.

2.1.1. Uma defesa argumentativa e sistemática
- “apologética cristã”, apologética é tipo de ensino que defende uma determinada ideologia e a “apologética cristã” é o sistema de ensinamentos que defendem os conceitos do cristianismo.

2.2. E vimos Sua glória como a glória do Unigênito do Pai
- “Unigênito”, unigênito significa “único filho”.
- “mesma natureza”, quer dizer que Jesus também é Deus. Essa é a verdade que mantém o evangelho de pé através dos séculos.

2.3. Os vértices da doutrina da encarnação
- “vértices”, de significado figurado, quer dizer os pontos mais altos, ou pontos importantes, ou pontos de destaque. Pode significar também os pontos que fazem ligação com outros assuntos.
- “traz a lume”, traz a luminosidade, ou traz a conhecimento.

2.3.1. A preexistência de Cristo
- A preexistência de Cristo é a doutrina que afirma que Jesus já existia na eternidade antes de vir à Terra como homem.

2.3.2. A unicidade de Deus
- É a doutrina que afirma que Deus é um e dessa doutrina sai a da Trindade que afirma que Deus subsiste em três pessoas o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

2.3.3. A autoridade de Cristo
- “e ressuscitar”, Ele continuou sendo homem e foi assunto ao céu como homem, ainda que tenha sido glorificado.
- “irrestrita autoridade”, quer dizer que Ele tem autoridade sem restrições, Ele domina sobre tudo.

2.3.4. a dupla natureza de Jesus
- “união hipostática”, conceito usado por Apolinário de Laodiceia que afirma que Jesus tinha as duas naturezas humana e divina em uma só. Apolinário afirmava que Cristo tinha um corpo de homem e a mente de Deus. A ideia de união hipostática foi considerada heresia no consílio de Constantinopla em 381 d.C.
- Hoje acreditamos nessa união em que Jesus era 100% homem e 100% Deus.
_______________________________________
3. OS MOTIVOS DA ENCARNAÇÃO
- “doenças e misérias”, nos não fomos feitos para morrer, por isso o homem tem tanto receio da morte, mas com o pecado o corpo passou a ser corruptível, ou seja, pode ser ferido, envelhecer e morrer.
- “prova mais cabal”, “cabal” é o que dá cabo de algo, que finaliza, a humanidade do altíssimo é a prova que encerra a questão sobre o amor de Deus pelo homem.

CONCLUSÃO
- “a justificação”, doutrina que afirma que o ser humano foi justificado na cruz, pela dívida que foi paga por Jesus. De acordo com a justiça divina alguém teria que morrer pelo pecado.
- “capaz de entender-nos”, Jesus já era capaz disso, mas ao se tornar homam como nós, Ele nos mostrou o quanto Ele é capaz de nos entender. A Sua encarnação não era para Ele provar nada para Ele e sim para nós.
 - Faça o resumo, apresentando os pontos mais importantes aprendidos. 

Boa aula!


Marcos André – professor

8 comentários:

  1. Grato Prof MARCOS ANDRÉ tem me feito muito bem
    suas aulas nessa correria da vida.To pronto para
    substituir o Pastor se houver necessidade hoje
    dia de EBD abraço!!! PR ENÉAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí meu pastor devemos estar sempre preparados. Deus tem reservado maravilhas para seus filhos, mas é preciso estar pronto para receber e pagar o preço rsrsrs.
      Paz de Cristo para tu e tua casa.

      Excluir
  2. Paz Senhor essas aulas no seu blog tem feito muito bem para minha vida, Deus abençoe pastor !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu abençoado, ore por mim porque vou pregar no culto de missões daqui a pouco.

      Excluir
  3. Agradeço a Deus por sua vida esses esboços tem nos ajudado muito Deus o abençoe

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Amém irmã Suzilane, obrigado, paz de Jesus.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.