sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 7 - Revista da Editora Betel


AULA EM 16 DE FEVEREIRO DE 2014 – LIÇÃO 7
(Revista: EDITORA BETEL)

CATOLICISMO ROMANO 
  
Texto Áureo: Salmos 115.3
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição apresente aos alunos os argumentos que comprovem que não precisamos dos dogmas criados por homens para chegarmos a Deus.
- “próprias tradições”, tradição é basicamente a transmissão de doutrinas, de lendas, ou de costumes durante longo espaço de tempo, especialmente pela palavra. As tradições católicas se transformaram em seus dogmas católicos e ganharam força de mandamento bíblico.
- “veneração a Maria”, veneração é uma palavra fraca para definir o que eles fazem em relação à irmã Maria. No caso aqui é adoração mesmo.
_______________________________________
1. Os primórdios da Igreja Católica
- ““geral” ou “universal””, para transmiti a ideia de que seus ensinos e doutrinas são para todos. Pois essa foi a última instrução que Cristo deu a Pedro na visão do lençol. At 10.10-15
- “comando inicial os Apóstolos”, pelo que parece o nome apostólico se deve por seguir a doutrina dos apóstolos e não por ter tido o comando inicial dos apóstolos.

1.1. A Romanização da Igreja
- "supostamente se converte”, há quem diga que essa suposta conversão seria uma jogada política, pois o cristianismo estava crescendo desenfreadamente e era impossível ao império romano para esse avanço. Por isso se cogita a hipótese de Constantino ter se aliado a igreja para controlá-la.
- “gozar dos favores”, um desses favores foi que o império passou a perseguir as outras religiões.
- “totalmente descaracterizada”, sem as características originais que a identificam como a Igreja de Cristo.
- “Santa Inquisição”, era um tribunal religioso com o objetivo de verificar por meio de inquirições se uma determinada pessoa era, ou não herege. Toda vez que alguém era denunciado por suspeita de bruxaria ou de heresia, então era nomeado um “inquisitor” para ir até a aldeia ou vila e inquirir os suspeitos, com poderes para emitira a sentença que na maioria das vezes era a pena de morte na fogueira.
- “com um falso “combate as heresias””, se referindo a Inquisição. Na verdade a Inquisição não iniciou assim que a Igreja se aliou ao império em 380 d.C. Na verdade as heresias não começaram de imediato, elas foram entrando aos poucos.

1.2. A apostasia dos sucessores dos Apóstolos
- “seu Bispo o mais influente”,dessa forma cada região tinha um bispo e o bispo de Roma era o Papa, exercendo autoridade sobre os demais.
- “são os sucessores de Pedro”, para os católicos o apóstolo Pedro teria sido nomeado líder da Igreja por Jesus em Mt 16.18,19.  
- “mediador entre Deus e os homens”, esse título pertence exclusivamente a Jesus 1 Tm 2.5.
- “simonia”, é a venda de favores divinos e cargos eclesiásticos, objetos ungidos, etc.
- “o “Papa”, não é mediador”, nem é mediador entre o homem e Jesus.
1.3. O protestantismo e a reforma da Igreja Católica Romana
 - “Martinho Lutero”, era um padre e teólogo que se indignou contra a ganância do clero e a ostentação do luxo das grandes catedrais em Roma enquanto o povo das regiões mais pobres sofriam a miséria. A principal luta de Lutero foi contra as venda de indulgencias.
- “liderou um movimento”, Lutero aparece com líder do movimento por ter tido a coragem de se expor. Ele afixou na porta da igreja em Wittenberg as famosas 95 teses, que protestavam contra o comportamento da liderança católica de sua época.
- “surgimento das igrejas protestantes”, não era a intenção inicial de Lutero criar novas igrejas, mas diante da reação católica.
__________________________________
2. O Catolicismo Romano e a Idolatria

2.1. A Mariolatria
- “mediadora entre Deus e os homens”, e nem é mediadora entre o homem e Jesus, como pensam alguns católicos. Maria não desfruta de nenhum privilégio no céu por ter sido a mãe do Salvador.
- “imaculada”, que não tem mancha, ou que não tem pecado.
- “tabernaculação humana”, é a presença de Deus habitando um corpo humano, como a Arca no tabernáculo.
- “no sentido físico”, quer dizer que vieram da mesma barriga, alguns católicos afirmam que esses irmãos de Jesus, seriam na verdade primos e por isso acreditam que Maria continuou virgem depois que Jesus nasceu. Os católicos foram orientados pelos seus líderes a fazerem preces à Maria, mas foi a própria Maria que disse acerca de Jesus: “Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser.”
João 2:5
2.2. Culto aos Santos
- Os santos da igreja católica foram pessoas que pregaram o evangelho e agradaram a Deus, mas eles próprios não aceitariam a veneração a eles.

2.3. As Imagens de Escultura
- “modelo do propiciatório”, o propiciatório era a tampa da Arca da Alianças.
- “como argumentam os Católicos”, os católicos acreditam que aqueles querubins é uma comprovação de que Deus autoriza a criação de imagens. Mas agora o aluno pode argumentar com o que está na lição caso se depare com uma argumentação dessas.
- A adoração às imagens tem inicio em 370 d. C.
____________________________________
3. Heresias do Catolicismo

3.1. Batismo de Crianças
- “não dá o direito de supor”, o texto bíblica diversas vezes generaliza, quando se diz tudo geralmente não se refere a totalidade. Nem sempre quando se diz: “tua serva não tem nada em casa..” pode ser que ainda haja um botija de azeite.
- O batismo de criança na verdade foi instituído para que a igreja pudesse agregar rapidamente as famílias inteiras, mas esse tipo de batismo acrescenta o número de católicos, mas não melhora a qualidade deles.

3.2. Instituição do Purgatório
- “purgatório”, deriva da palavra “purgar”, que significa purificar através da eliminação de impurezas.
- “não tinha caráter eterno”, como toda heresia que se preze, essa também é baseada em um único texto bíblico tirado de seu foco fundamental. E se observarmos o contexto veremos que Jesus estava se referindo aos problemas entre irmãos, mas os católicos dizem que o purgatório é para todos os tipos de pecados. Nota-se assim uma clara divergência na interpretação.
- Para os católicos nem todas as pessoas vão para o purgatório, apenas os salvos, o purgatório seria para purificar a alma de pecados que se apegaram a ela, mesmo que a pessoa tenha sido salva.

3.3. A oração pelos mortos
- “em favor de pessoas vivas”, para o judeu era mais do que claro que não se orava em favor de mortos, devido ao conhecido fato em que Saul consulta a necromante 1 Sm 28 Então para os judeus não precisava escrever essa doutrina tão evidente. Por isso somente aparece a expressão “em favor de todos os homens”. 1 Tm 2.1
- Um outro argumento dos católicos é um texto apócrifo de 2 Macabeus:
"Santo e salutar pensamento este de orar pelos mortos. Eis porque ofereceu um sacrifício expiatório pelos defuntos, para que fossem livres dos seus pecados" (II Macab. 12, 41-46). Esse livro não é considerado inspirado, nem pelos cristãos protestantes e nem pelos judeus, é um apócrifo.
- A Bíblia Católica é acrescida de alguns dos livros apócrifos, são eles: Tobias, Judite, 1 e 2 Macabeus, Livro da Sabedoria (de Salomão), Sabedoria de Jesus bem Siraque(ou Eclesiástico), e Baruc. Existem ainda muitos outros apócrifos, mas não foram colocados na Bíblia católica.
___________________________
CONCLUSÃO
- “igreja que Jesus instituiu”, convém lembrar que a igreja Romana surgiu no ano 380 e a igreja primitiva surge assim que ocorre a descida do Espírito Santo.
- “aquela que segue fielmente a sua Palavra”, O Senhor virá arrebatar uma igreja dentro de outra igreja. Somente os remanescentes é que se salvarão, isso é, aqueles que ficarem fieis mesmo que a maioria se corrompa.
- É bom alertar que os erros católicos estão ocorrendo em muitas igrejas crentes, onde eles se aliam a política e às instituições mundanas, tolerando o erro no seio da igreja.  
- Repasse os pontos mais importantes.

Boa aula!


Marcos André – professor

4 comentários:

  1. Como toda religião, fácil perceber que não existe testificação do pecado. Meu pai agredia-me pela recusa de ir a missa e, em um certo domingo, após as agressões físicas, permaneci em casa e quando menos espera lá estava ele sendo consumido pela cerveja e o adultério. Cenário que nunca mudava mesmo com o sinal da cruz ao passar defronte a uma capela, mesmo com aquelas diversas imagens espalhadas pelos cômodos, mesmo com as rezas de fim de ano.
    Assim foi minha infância até que com 76 anos, acamado com câncer, aceitou a raiz de Davi, a resplandescente estrela do amanhã, após mostrar-lhe que todos os médicos e próprios filhos mentiam quanto ao seu quadro terminal. Mostrei-lhe o céu, disse-lhe que a eternidade o esperava porém que para aquele lugar necessitaria de arrependimento e aceitar aquele que toda humanidade rejeita. Li Romanos 10.9 colocando minha mão abaixo da dele quando pedi que se cresse apertasse ela quatro vezes então, o fez e de madrugada fechava o zíper do involutório de seu corpo silenciado. Meu coração foi confortado pelo Espírito Santo até hoje e ao refletir as obrigações ritualísticas que tive que me submeter na infância e adolescência, vi o quanto é difícil de largar um dogma sem ouvir a pregação do evangelho mas percebi também que muitos deles e não são poucos não querem ver a verdade no sentido de reconhecerem.Recordo-me um pouco do ateísmo. Nietzsche comentava "é nossa preferência que decide contra o cristianismo, e não argumentos".
    Testemunho, paciência, amor e anúncio do evangelho foram as armas que os crentes utilizaram para me atingirem a quinze anos atrás. De todas as religiões, por estar de certa forma envolvida com a Bíblia, ainda que mal interpretada, formam um grupo mais difícil de alvo para convencimento, vivi na pele mas a Graça de Deus supera então, o uso de passagens Bíblicas em ambiente de trabalho (católicos são mais tímidos em anunciar), convidá-los a estudar o NT, oferecer sempre orações pelos familiares, pelo dia é um bom início. O texto de Gálatas 5.19-22 os colocam sem jeito durante uma leitura em conjunto pois muito me chamava a atenção pelas coisas que praticava como sendo relativas.
    Fiquei constrangido no dia do enterro pois faltou água no cemitério e comprei uma garrafinha quando o líder eclesiástico que não recordo se era um padre mesmo, pegou-a para borrifar o corpo de meu pai para purificá-lo, então a tomei de volta e pensei o quanto a salvação em Cristo estava longe desta religião. Em seguida, ao descer a cova pronunciei passagem de 1 Coríntios, que ali só tinha "acem e paleta" que "as coisas que se vem são temporais e aos que não se vem são eternas". Minha mãe e irmãs e demais presentes olharam-me assustados mas o recado foi dado.
    PAZ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão mendes, ilhe a tua caixa de e-mail, pois te fiz uma proposta!!!

      Excluir
    2. A paz do senhor, irmao Mendes que Deus continue lhe dando ousadia e autoridade para proclamar o evangelho genuino e combater as heresias que nos circundam. Que Deus lhe abencoe.

      Excluir
    3. Paz irmão Paulo, eu vou retirar esse comentário do irmão Mendes e vou postá-lo como artigo tá. Só pra você ficar sabendo que ele vai sumir, mas vai aparecer na página de entrada.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.