sábado, 10 de maio de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 6 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2014 - LIÇÃO 6
(Revista: Central Gospel - nº 38)

Tema: DEUS, REFÚGIO E FORTALEZA NA HORA DA ADVERSIDADE
  
Texto Áureo: João 16.33
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição você passará vários conselhos para se enfrentar as dificuldades, se concentre neles.
- “nada além da tribulação”, se refere aos momentos em que a pessoa passa pelas dificuldades da vida, nos faz lembrar a trajetória de Pedro por sobre as águas revoltas até o Mestre que o aguardava, mas num certo momento, ele olhou para as ondas, essas ondas representam as tribulações.
- “para o bem daqueles que amam”, certamente nos momentos da prova, não conseguimos perceber isso, esse testemunho geralmente ocorre depois que a prova passa.
- “para conseguirmos superá-las”, em nossa trajetória na presença de Deus Ele procura nos conduzir a posição de lutador. Deus não se agrada de ver crentes cabisbaixo, desesperado, constantemente triste. 
_______________________________________________
1. QUANDO A TRIBULAÇÃO VIER, CONFIE EM DEUS
- “todos nós os encaramos”, muitas pessoas acreditam que ao passarem para presença de Deus os seus problemas serão resolvidos, mas na verdade Jesus não promete isso, Jesus não veio para resolver nossos problemas aqui, mas para nos ensinar a enfrentá-los.

1.1. Tenha paciência
- “fez um desafio a Deus”, na verdade foi o Senhor quem estimulou Satanás a fazer o desafio, pois Ele é quem pergunta primeiro:
 “Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele” Jó 1:8.
- Com essas palavras o Senhor estava provocando o inimigo, ou seja, tudo estava no controle de Deus.
- “perguntarmos “por quê””, a dúvida pode existir mas ela deve ser sanada aos pés do Senhor em oração, não é falta de fé ter dúvida, mas ela deve ser passageira.
- “não devem se tornar acusações”, isso acaba acontecendo com alguns crentes por falta de paciência. A paciência é uma das características do fruto do Espírito.

1.2. Confie no altíssimo
- “de fazer perguntas ao Senhor”, essa prática só alcança aqueles que tem intimidade com Deus.
- “Deus não pode explicar tudo de forma satisfatória”, um dos motivos para isso é porque os planos do Senhor levam em consideração o futuro, por isso tem coisas que só vamos entender depois.
- “e nem nós somos capazes de compreender”, essa é uma outra explicação para o fato de Deus não poder explicar seus motivos de forma satisfatória. Existem fatores extremamente complexos nas motivações de Deus, mas sabemos que tudo que acontece tem um porque e uma finalidade.

1.3. Tenha esperança
- “na graça de Deus”, esperar na graça de Deus é esperar que Ele nos conceda a salvação, não por mérito nosso, pois somos falhos, mas gratuitamente e imerecidamente.
- “e no livramento”, esperar no livramento é saber que Ele está nos guardando do mal.
- “esperança na vinda gloriosa”, essa deve ser a maior esperança do crente. As igrejas devem ensinar os membros a esperarem esse acontecimento, o arrebatamento da Igreja. Muitos crentes já nem aguardam a volta do Senhor.

1.4. Acredite na misericórdia divina
- “por acreditarem na misericórdia”, eles acreditaram que Deus os ajudaria por sua misericórdia. A misericórdia é o ato de se compadecer do miserável.
- Essas pessoas citadas aqui passaram suas provações, mas mantiveram a fé de que Deus daria a petição. Um dos grandes problemas das igrejas hoje é a falta de fé. Muitos crentes hoje vivem um evangelho de aparências e não de obras de fé verdadeira.

2. QUANDO A TRIBULAÇÃO VIER, FAÇA A SUA PARTE
- “preferem esconder suas emoções”, alguns fazem isso para transparecer uma espiritualidade, afirmam que o crente não pode ficar triste.
- “sabermos vivenciar”, todos somos sujeitos as emoções, o importante não é reprimi-las, mas saber vive-las.  

2.1. Encare o problema
- “somos tentados a transferir a responsabilidade”, queremos logo procurar um culpado para o problema. Como Adão que jogou a culpa em Eva e Eva tentou empurrar para a serpente, porém estavam todos errados.
- “a responsabilidade que lhe cabe”, sempre há algo que poderíamos fazer para ajudar. Melhor do que achar o responsável é solucionar o problema e tentar descobrir o que poderíamos fazer para que ele pudesse ser evitado.

2.2. Vivencie as emoções
- “Morte de seu filho inocente”, Pesava o coração de Davi por saber que a criança estava morrendo por sua culpa. Davi passou por aquele momento sem fingir que estava bem.

2.3. Não deixe o pavor dominá-lo
- “o pavor é um medo incontrolável”, o pavor leva a pessoa a tomar decisões erradas ou precipitadas. No Rio de Janeiro tem ocorrido o golpe do sequestro, onde um suposto sequestrador liga para a casa da pessoa afirmando ter sequestrado o filho ou filha, nessa situação, muitos pais se apavoram e atendem a exigência da pessoa sem saber se é verdade ou não, na maioria dos casos é o golpe.

2.4. Faça um autoexame
- “examinar a sua vida”, tentar descobrir a razão da provação, é mais produtivo do que ficar reclamando ou tomar decisões que mais tarde nos arrependeremos.

2.4.1. As leis da vida
- Grandes tragédias e calamidades podem vir sobre qualquer um. O Senhor quer que saibamos enfrentá-las.

2.4.2. Falta de sabedoria
- Existem situações que nós mesmos provocamos, quando não vigiamos com as ações e as palavras.

2.4.3. Negligência
- negligência é quando deixamos de tomar uma atitude necessária para resolver ou impedir um problema. A negligência acontece mais por acomodação da pessoa.

2.4.4. Situações permitidas por Deus
- “ação maligna de outrem”, talvez um trabalho espiritual contra a vida de alguém. Geralmente o Senhor nos livra disso, mas quando Ele deixa acontecer, mesmo que estejamos firmes na fé, então é para que o mal apareça e estejamos alerta.
- “aprimoramento da fé”, alguns problemas acontecem para que cresçamos na fé e adquirimos experiências.

2.5. Verifique as possibilidades e use o seu potencial
...

2.6. Prepare-se para suportar
- “sei estar abatido”, com isso entendemos que podemos estar abatidos, mas precisamos saber passar nessas lutas. Nos próximos subtópicos a lição vai dar algumas dicas.

2.7. Não fique só
- “animemos outros”, Deus sempre nos mostra amigos que podem nos ajudar em oração ou palavras, para que não estejamos e nem nos sintamos só. O isolamento é pior, pode agravar mais ainda o quadro da tribulação.

2.8. Dê graças ao Senhor
- A Bíblia afirma que Daniel dava graças ao Senhor Daniel 6.10, e como o Senhor o amava.
- “mesmo nas lutas...louve”, isso é saber estar abatido. Mesmo diante das provações precisamos adorar o Senhor. Mas se alguém não consegue adorar diante de uma tribulação, é necessário estar sempre nos desertos até aprender a desenvolver essa prática.
______________________________________
CONCLUSÃO
- Professor(a), nessa conclusão o primeiro parágrafo é um resumo dos conselhos da lição, passe-o na íntegra.
- Corrija o questionário.

Boa aula!


Marcos André – professor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.