INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sábado, 26 de julho de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 4


AULA EM 27 DE JULHO DE 2014 – LIÇÃO 4
(Revista: EDITORA BETEL)

O Líder Espiritual é Comprometido com a Oração

Texto Áureo: Efésios 1.1
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição concentre-se em animar seus alunos a orarem mais. E você pode usar a didática do confronto direto para transmitir esta lição, depois eu publicarei um artigo de didática cristã para ensinar essa técnica interessante.
- “incisão na alma”, “incisão” significa corte, aqui está afirmando que a palavra de um homem de oração (conectado a Deus) corta até a alma.
- “qualidade invejável em nossos dias”, hoje em dia há pouca oração tanto nas igrejas como fora delas, o louvor tomou a maioria dos espaços. Atualmente ao começar os cultos os grupos estão preocupados em qual será o louvor, ou se os componentes já chegaram, tudo em prol do louvor. Mas o que menos havia na igreja primitiva era o louvor, eles eram constantes na oração e na Palavra.
- “exige disciplina”, disciplina é a capacidade de seguir regras, obedecer a determinações, e aqui se refere a uma disciplina consciente, onde a pessoa determina para si mesmo: Agora vou orar! Ou: É hora de orar! Para cumprir isso deve-se ter muita disciplina.
- “deve ser sábio e perseverar na oração”, aqui estão mais duas qualidades que um líder deve ter para ser homem de oração: sabedoria e perseverança.
_______________________________________________
1.  Algumas forças contrárias à oração
- “a maneira de orar”, não se refere à forma de orar, mas ao costume de orar muito.  Os avivalistas dos tempos passados eram verdadeiros homens de oração.
- “sabe muito bem se ele esteve ou não”, os crentes conseguem identificar a unção espiritual nas palavras do orador. O problema é que a eloquência de alguns tem enganado a muitos.

1.1. A ausência de disciplina
- “conflitam com a devoção”, quer dizer, que luta contra a devoção.
- “falta de compromisso com a prática da oração”, lembrando que compromisso é o envolvimento com prejuízo de tempo, recursos e atenção. A pessoa que está envolvida com a oração, ela pratica somente quando dá, mas aquele que está comprometido ele se desprende de tudo, fazendo daquilo um hábito que lhe faz falta quando ele não consegue oportunidade de fazê-lo. Pergunte aos alunos: Você está envolvido ou comprometido com a oração?
- “está fadado ao fracasso”, realmente ele terá um fracasso espiritual, mas muitos desses líderes passaram a trabalhar a imagem para se mostrarem como homens de oração, quando não são.
- “melhor hora de rendimento”, é a hora em que você hora com mais qualidade, com mais atenção e dedicação. Não adianta orar de madrugada, estando sonolento demais. O importante é ter qualidade e atenção.
- “porque demonstra dedicação ao Senhor”, de fato quando alguém chega em uma festa em que você está e vem falar primeiro contigo, você sentirá que essa pessoa te tem em grande estima, só os amigos chegados fazem isso. Assim também Deus se sente em ralação a nós se ao acordarmos, dedicarmos os primeiros momentos a Ele.

1.2. O ativismo
- “ativistas religiosos”, é aquele que está sempre em atividade, nunca parando para nada e nem para orar.
- “não sobra ao líder energia para o “Senhor da obra””, às vezes sobra o tempo à noite, mas aí já não haverá qualidade porque faltará energia, o líder estará esgotado.
- “um programa previamente elaborado”, seria se programar para essa atividade, colocar na agenda e cumprir fielmente.
- “delegar autoridade, e não centralizar”, um líder que quer resolver tudo sozinho se esgota facilmente e não consegue fazer mais nada. Delegar autoridade é deixar que pessoas capacitadas e fieis possam tomar decisões em seu nome.
- “Nem Jesus trabalhou sozinho (Lc 10.1). Custa entender isso?”, Jesus logo no início de Seu ministério reuniu um grupo de doze homens, depois Ele envia setenta homens delegando-lhes autoridade espiritual. O comentarista faz aqui uma pergunta em tom de desabafo, porque a pessoa lê a Bíblia e não consegue aprender essa lição de liderança com Jesus.

1.3. Prepotência e impaciência
- “empecilho à oração é a prepotência”, a prepotência é a pessoa achar que pode fazer algo sem a ajuda ou o apoio de outros.
- “apoiar-se em seu carisma pessoal”, é tentar manter o grupo unido e trabalhando através de suas qualidades de líder e amizade que conquistou. Ele relaxa na oração.
- “paciência para estar só e quieto diante de Deus”, a correria de nossos dias provoca essa inquietação. Se o líder não vigiar ele acaba se moldando a essa inquietação da sociedade moderna.

2.  O grande conflito
- “forças que vão além das pessoas”, nos muitas vezes enfrentamos pessoas que se opõem a obra de Deus que está em nossas mãos, mas devemos saber que na maioria das vezes é Satanás e seus demônios que estão atuando.  

 2.1.  Lutando contra as hostes espirituais
- “antagônica ao sistema mundano”, “antagônico” quer dizer divergente, que faz oposição.
- “ou entramos em seu mundo”, não é possível para o crente se tornar invisível, por isso deve combater no mundo espiritual onde age essas forças.
- “conhecer seu mundo e sua esfera de ação”, é bom lembrar que ninguém precisa passear no mundo para aprender as vulnerabilidades de Satanás. Basta que o crente leia a Bíblia para compreender a forma eficaz de combater.
- “principados, potestades, dominadores, hostes”, essas são classes angelicais, pois os demônios que atuam com o adversário já foram anjos de Deus um dia.

2.2. A preparação de cada dia
- “enfrenta um adversário sem o devido preparo”, quem assume uma função de liderança deve ter sempre em mente que estará entrando em uma luta contra adversários fortes e por isso devemos estar preparados para ele e também a nossa família deverá estar em oração.
- “dias calmos”, são os tempos de paz, nesses dias os crentes devem estar em preparo na oração, treinando para o combate.
- “dias intensos”, seriam momentos em que temos mais dificuldades para esse preparo.
- “o dia mau”, é o tempo do combate, o dia da batalha, nesse dia seremos vitoriosos se tivermos treinado quando estávamos nos dias de paz.
- “dia de vinte quatro horas, e sim, de acontecimentos”, ninguém pode interpretar as Escrituras ao pé da letra. Por mais leigo que um líder possa ser, ele precisa conhecer um pouco dessa homilética. 


2.3.  Dois pontos de convergência da oração
- “para que enviasse ceifeiros”, quer dizer, para que enviasse trabalhadores, isso é, para que mais pessoas com desejo de trabalharem na obra de Deus se convertessem para o Reino.
- “tenham uma vida quieta e sossegada”, para que os governantes não os perseguissem, isso vale nas diversas esferas de autoridades com que nos deparamos. Em uma empresa, por exemplo, se os crentes intercederam por seus chefes, eles poderão conseguir fazer seus minicultos na hora do almoço, com ordem e decência é claro. E se esse patrão sentir que sua vida melhorou depois que abriu oportunidades para os crentes, ele também será alcançado pelo poder de Deus.
______________________________________
3. Estabelecendo um padrão de oração

3.1. O tempo de oração - “Orando em todo tempo”
- “Orai sem cessar”, trata-se de uma sentença, orar não só quando estamos prostrados, mas também em mente elevando nossos pensamentos ao Céu.
-“expôs a ausência da oração e jejum”, o problema de oração dos discípulos veio a tona quando eles tentaram realizar algo no campo espiritual, assim ocorre com os líderes que não oram, tudo vai bem até o momento em que eles tentam fazer algo na área espiritual.
- “A oração não dá ibope”, esse é um dos motivos pelos quais muitos não oram ou oram muito pouco. Atualmente muitas igrejas tem sido movidas por aquilo que dá fama, ou traz retorno financeiro, ou os dois.
- “Contudo, há um segredo em orar”, de acordo com o contexto aqui, está sendo afirmado que a oração é o segredo para toda a obra que Jesus realizava.
- “não perde o dia tentando resolver com a razão aquilo que só no espírito se vê”, a razão ensina métodos para realização de obras, mas o homem de oração chamado Jesus resolvia certos problemas espirituais com apenas uma palavra.

3.2. A intensidade da oração - “Com toda oração e súplica”
- “não tem nada a ver com a posição da oração”, professor(a), deixe bem claro que aquele que ora com o rosto em terra, não está sendo mais intenso do que aquele que ora de joelhos ou em pé.
- “diz respeito ao fervor”, seria o mesmo que animação, é o envolvimento de todo o ser na prática da oração.
- “intimidade”, seria falar com o Senhor sem lhe esconder nada, como falamos com um amigo intimo.
- “João Bunyan”, escritor e pregador da Inglaterra, escreveu o livro cristão “O Peregrino” livro cristão mais conhecido de todos os tempos, depois da Bíblia é claro.
- “ter um coração sem palavras”, parece se referir àqueles irmãos que oram só com o coração, ou choram sem conseguir nem sequer falar.
- “Palavras sem um coração”, quer dizer que falar bonito ou falar feio, não esta aí o segredo para convencer o Senhor de alguma coisa, mas ter um coração verdadeiro diante dEle, pois não podemos passar a imagem de vítima, mas com toda certeza Ele receberá um coração quebrantado.
- “que são verdadeiros júbilos”, onde a pessoa se expressa de forma alegre com suas emoções afloradas.
- “nunca falte ações de graça nas orações.”, são ações de agradecimento, levantando as mãos ou glorificando, ou simplesmente dizendo: Muito obrigado meu Deus!

3.3. Vigiando na intercessão, na oração - “Por todos os santos”
- “A oração de um líder nunca é pessoal”, se refere à oração uns pelos outros. Essa afirmação nos revela uma atitude do líder cristão, ele não deve orar somente por si mesmo. É necessário lutar por seus liderados. O líder que ora pouco por seus cooperadores, logo terá poucos deles para o ajudar.
- “jamais deixará fora de sua agenda de oração”, é interessante o crente ter em mente, as necessidades e os seus pedidos de oração, podendo anotar também.
- “Na verdade, não falta motivos para orarmos”, orar é uma atitude de contrição, dependência Divina, uma profunda comunhão com Deus, quando Jesus nos ensina a interceder, Ele nos leva a um grau maior espiritualmente, pois a oração de um justo pode muito em seus efeitos Tg. 5;16,20.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “obstáculos do ativismo”, se certifique de que os alunos se lembram o que é “ativismo”.
- “falta de programa previamente estabelecido”, é interessante o líder estabelecer o seu horário, parar de fazer tudo espontaneamente.
- “um padrão de oração (lTs 5.17)”, que pode ser esse que foi explanado em todo esse tópico 3.
- Faça um resumo com a classe.

Boa aula!

Marcos André – editor
Gustavo Matos – colaborador
Juliane Souza – colaboradora
Luiz Evaldo Barbosa - colaborador

7 comentários:

  1. Deus abençoe grandemente sua vida.muito lindo esse esboço.me ajuda,me faz entender melhor as lições.shalom adhonay.

    ResponderExcluir
  2. Prezados Editores,
    gostaria de saber porque a Editora Betel não disponibiliza o esboço da lição na Semana que antecede a lição, ora, se a intenção da Editora é ajudar ao professor, por quê não liberar o ESBOÇO, uma vez que depois da lição, não terá o mesmo benefício que anterior, Domingo próximo vou trazer à igreja a LIÇÃO 05, como seria importante se o esboço estivesse disponível antes,

    Saudações Cristãs.


    Cidomar Cruz - Goiânia -GO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a paz irmão Cidomar, obrigado por comentar. Mas eu devo esclarecer que o CLUBE DA TEOLOGIA não está ligado à editora Betel, somos independente. Mas temos responsabilidades com Cristo e com a Igreja, fica anotado a tua reclamação e faremos o possível para editar com antecedência.
      Paz.

      Excluir
  3. Paz irmão Cidomar, nos acrescente em suas orações
    Pr. Marcos já esclareceu tudo.
    Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  4. Vale ressaltar que o clube da teologia alem de independente e' voluntario. Entendo a cobrança de muitos irmãos sobre os esboços em dia, mas nem sempre o Marcos Andre tem a disponibilidade de tempo para realizar tao importante tarefa. Alem do pedido do Gustavo gostaria de dar uma dica; ore e contribua financeiramente para que este trabalho alcance um nível mais elevado. Que Deus abençoe a todos, Jose Evaldo em Fortaleza-ce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu irmão Evaldo, infelizmente poucos colaboram financeiramente, mas nós vamos levando, se esforçando e com a ajuda em oração dos irmãos. Mas se alguém sentir no coração de ser colaborador financeiro, com certeza poderemos realizar mais coisas do que é feito atualmente, uma delas seria a melhora na qualidade dos esboços.

      Obrigado.
      Paz.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.