INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 13 - Revista da CPAD


AULA EM 28 DE SETEMBRO DE 2014 – LIÇÃO 13
(Revista: CPAD)

Tema: A Atualidade dos Últimos Conselhos de Tiago

Texto Áureo: Tiago 5.16
  
INTRODUÇÃO
- Amado(a) professor(a), nesta lição se concentre nos ensinamento de Tiago através de seus conselhos. Ensine os alunos a seguirem-nos.
- “ensinos práticos”, são ensinos para a prática, para serem usados no dia-a-dia.
- “perene”, significa eterno, que dura para sempre. 
__________________________________________
1. O VALOR DA PACIÊNCIA E A PROIBIÇÃO DO JURAMENTO (Tg 5.7-12)

1.   O valor da paciência e da perseverança (vv.7,8).
- “evoca uma imagem agrícola”, quer dizer que ele faz uso de uma ilustração para exemplificar o ensinamento. Tiago usa essa figura porque os judeus conheciam muito bem esse tipo de ofício.
- “são valores que devem ser cultivados”, no meio do povo de Deus na igreja local existem muitos “ex”, ex-bandido, ex-viciado, ex-traficante e muitos outros, a melhor coisa é que tenhamos sempre muita paciência uns para com os outros.
- “perseverantes em aguardá-la”, a grande dificuldade é se manter em condições de receber a Jesus na sua vinda, é preciso ser perseverante em não pecar.

2. O valor da tolerância de uns para com os outros (v.9).
- “se não soubermos usá-la”, a língua pode ser um benção assim como pode destruir, o segredo está em saber usar. Se uma pessoa tem um carro superpotente ele pode ser uma benção e levá-lo a muitos lugares, mas se não souber usá-lo ele poderá destruí-lo.
- “falsos julgamentos contra as pessoas”, esse é somente um dos mau uso da língua. Alguns usam para debochar, diminuir os outros, mentir, dissimular, fofocar e outras coisas.
-“O Juiz está às portas”, essa é uma verdade que poucos estão atentos e pouquíssimos estão se preparando para a chegada Dele.

3. Aflição, sofrimento e juramento (vv.10-12).
- “profetas que falaram em nome do Senhor”, e esses profetas viveram em um tempo em que ser profeta do Senhor era bem mais trabalhoso do que atualmente. Muitos até morreram nessa tarefa.
- “o fim que o Senhor lhe concedeu”, se refere às bênçãos em dobro que o Senhor deu a Jô. Como recompensa por ter sido paciente na tribulação.
- “sentiam-se orgulhosos por ser comparados”, convém lembrar que aqueles crentes eram da igreja de Jerusalém e por isso eram judeus e os judeus admiram os personagens do Antigo Testamento e seus feitos.
- “deve se resumir ao sim ou ao não”, o crente deve ser sério e honesto o suficiente para que sua palavra tenha validade. Se alguém precisar ficar jurando é porque sua palavra não serve para nada.
_____________________________________________
2. A UNÇÃO DE ENFERMOS E COMO DEUS OUVIU A ELIAS (Tg 5.13-18)

1. Oração e cânticos (Tg 5.13).
- “adversidades”, são as situações adversas, ou seja, aquelas que fogem ao nosso controle.
- “nos recomenda a adorar a Deus”, isso é a expressão da nossa alegria em forma de gratidão.
- “Em ambas as situações”, infelizmente há crentes que só se alegram na fartura e só buscam a Deus na prova.
- “seremos maravilhosamente consolados”, o Senhor se agrada naqueles que se lembram Dele, que em meio a tantos problemas não deixam e nem se desviam do Senhor.

2. A oração da fé (vv. 14,15).
- “respeito que os crentes tinham com esses ministros”, esses presbíteros eram realmente anciãos e os judeus repeitavam muito seus idosos.
- “não deve ser banalizada”, banalizar é tornar comum, sem importância ou deixar de ser especial. Há relatos de curas após a unção com azeite.
- “esoterismo”, é a crença no poder místico das coisas, locais e situações.
- “que ele sinta igualmente o perdão”, Jesus sempre perdoa os pecados ao ministrar a cura, Ele faz a obra completa.

3. Oração e confissão (v.16-18).
- “Ele rechaça a "confissão entre os irmãos", parece ter havido algum erro aqui, pois a palavra “rechaçar” significa afastar, combater ou rejeitar e o texto do verso 16 manda o contrário, veja:
“Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” Tiago 5:16
Essas palavras de Tiago nos orientam a confessarmos nossos erros com nossos irmãos. É bom esclarecer isso aos alunos.
- “todos somos pecadores”, essa é a verdade que nenhum crente deve esquecer. Não podemos condenar um crente como se ele fosse o pior pecador do mundo, porque ele cometeu algum delito, pois nós mesmos estamos sujeitos ao erro. Somos frágeis ao pecado, por isso precisamos da ajuda divina.
- “para ajudarmo-nos mutuamente”, atualmente confessar publicamente as falhas é algo extremamente difícil pelo tipo de respostas que pode haver, pois muitos crentes passarão adiante a informação e outros julgarão mal a pessoa que confessa, mas a confissão à liderança da igreja pode ser menos dolorosa.
- “até mesmo um homem como ele”, Elias é um profeta controverso por ter feito maravilhas em nome do Senhor e depois ter fugido diante da ameaça de uma mulher. Ele sem dúvida é um bom exemplo de fragilidade humana.
_________________________________________
3. A IMPORTÂNCIA DA CONVERSÃO DE UM IRMÃO (Tg 5.19,20) 
1. O cuidado de uns para com os outros (v.19).
- “retornar à verdade original”, a verdade aqui não era a afirmação específica sobre algo, a verdade aqui é Jesus, Ele se intitulou de “o caminho, a verdade e a vida”. João 14.6
- “se formos em busca de tal pessoa”, não é necessário muitas palavras persuasivas para se alcançar almas, basta apenas que as simples palavras da verdade sejam conduzidas aos ouvidos afastados. Nesse caso a prática do evangelismo familiar ou ostensivo é ainda muito eficaz.
- “cuidado especial e amoroso de uns para com os outros”, poucos irmãos vivem essa Palavra, poucos praticam isso, é fácil notar, basta marcar um evangelismo e percebemos quantos irmãos vão comparecer e depois marcamos um culto com a presença de um cantor ou pregador meio famoso e então poderemos chegar a triste conclusão de que o amor pelas vidas é quase escasso.  

2. A proximidade do ensino de Tiago com o de Jesus.
- “fio condutor que perpassa toda a epístola”, forma poética para dizer qual é o objetivo da carta. É esse objetivo que une todos os tópicos da carta. No caso aqui é a “Lei do Amor”, toda a epístola de Tiago está fundamentada sobre essa lei extraída do Antigo Testamento e proferida por Jesus, é o amor a Deus e ao próximo. Só quem alcançou essa verdade pode verdadeiramente viver e praticar o que a epístola de Tiago recomenda.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “estudo panorâmico”, é quando o estudante analisa todo o conteúdo ponto a ponto.
- “cresça mais e mais em Cristo”, é crescer em conhecimento de Jesus até adquirir a maturidade espiritual semelhante a Dele.
- “demonstrando a fé...através das boas obras”, nesta epístola a fé do crente é confrontada com a realidade da vida prática, ou seja, na prática se o crente tem boas obras então ele tem a fé que afirma ter, mas se não possui boas obras então a fé que ele afirma é falsa ou deficiente.
- Professor(a) você também pode relembrar das aulas passadas desse trimestre, e apresentar a próxima revista caso a possua.

Marcos André – Superintendente e professor
Gustavo Matos – Cooperador

Boa Aula!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.