INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 4 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2014 - LIÇÃO 4
(Revista: Central Gospel - nº 40)

Tema: UM SAMARITANO MOVIDO PELA MISERICÓRDIA
  
Texto Áureo: Mateus 12.7
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição
- "registrados nos três evangelhos", quando uma parábola ou um fato aparece nos três evangelhos, nos mostra o quanto ela marcou e como essa história deve ter sido repetida até ser registrada nos evangelhos, pois só foram escritos para mais de vinte anos depois da ascensão de Cristo ao céu.
- "variações apresentadas", essas variações se devem pelo motivo de os evangelhos terem sido escritos por pessoas diferentes e para pessoas diferentes.
_______________________________________________
1. O MESTRE DE ISRAEL
- “Torah", é a Bíblia dos judeus composta do Pentateuco.
- "percurso inverso de uma estrada", linguagem figurada para dizer que o Doutor da lei deveria estar apto para responder as perguntas e não para fazer mais perguntas. 

1.1. Os doutores da lei
- “denominação honorífica”, honorífico é a característica do que promove honra.
- “Talmude”, é a coleção das tradições de judaicas com base na lei.
- “imbricada”, entrelaçada.

1.1.1. Mestre por excelência
- “admirados por seus discípulos”, Jesus pelo contrário, era admirado pela multidão, pois Ele falava a língua do povo. Os ensinos de Cristo falava diretamente ao coração das pessoas e por isso muitos dos mestres da lei o odiavam.

1.2. A proposta da parábola
- “provavelmente, era judeu”, era um caminho comum para a população.
- “passaram de largo”, passaram longe, provavelmente atravessaram a rua para o outro lado.
- “samaritano”, natural de Samaria, antiga capital do Reino do Norte.
- “foi o próximo daquele homem”, a ideia era saber qual deles cumpriu a lei.
_________________________________
2. UMA ESTRADA, QUATRO HISTÓRIAS
- “uma resposta adequada”, a resposta adequada seria a de ajudar, pelo menos socorrer o ferido e leva-lo às autoridades da cidade, os sacerdote e o levita tinham motivos morais para fazê-lo, mas quem ajudou foi aquele de quem não se esperava tal atitude.

2.1. Os religiosos
- “explicariam tal atitude”, mas como a lição mesmo fala, explica, mas não justifica. Muitas pessoas hoje tem diversas explicações, mas nenhuma delas justifica não fazermos o bem ao próximo.
- “evidencia-se pelo perigo”, essa é a mais usada atualmente. Até mesmo os crentes alegam o medo da violência que há no nosso país como explicação para não estenderem a mão aos aflitos.
- “ofício sacerdotal”, os dois que deixaram de ajudar eram religiosos, atarefados com os afazeres do templo. A religiosidade tem ocupado muitos crentes, tirando tempo até mesmo da família, quanto mais das vidas necessitadas.

2.1.1. O sacerdote
- “conservar aceso o fogo”, provavelmente essa tarefa dava trabalho a noite toda, pois o fogo deveria permanecer aceso continuamente sobre o altar.

2.1.2. O levita
- ...

2.2. O Samaritano
- “capital do Reino do Norte, foi tomada”, nessa ocasião o povo foi levado cativo para a Assíria 2 Reis 17.6 e não há registro de seu retorno.
- “promoveu uma miscigenação racial”, é a mistura com outros povos, o rei da Assíria colocou outro povo para habitar na terra de Samaria.
- “passaram a discriminar”, a discriminação se deu pelo fato de os Samaritanos serem um povo misturado e por isso os judeus não os consideravam como descendência de Abraão.
- “foram sentidas nos dias de Jesus”, nos dias de Jesus os judeus e os samaritanos não se davam, por conta dessa discriminação.
________________________________________
3. UMA RESPOSTA DESAFIADORAMENTE INESPERADA
- “prova contra Jesus”, ele queria uma prova dentro da lei de Moisés, para poder acusar o Mestre, eles esperavam que Jesus falasse algo contra os mandamentos da lei.
- “observância do amor”, isso tem sido difícil até mesmo para os crentes atualmente. Muitos assumem a postura religiosa, afirmam amar a Deus e ao próximo, mas o negam na prática. Cada um dos doutores da lei que ouviram essa parábola deve ter se identificado dentro da história, porque cada um deles devia tomar a atitude do sacerdote constantemente.

3.1. Amarras religiosas
- “além das fronteiras bairristas”, literalmente é a fronteira entre bairros, mas aqui se refere à fronteira das diferenças étnicas, onde as pessoas ajudam e apoiam aqueles que são seus semelhantes culturais.
- “alguém que nutrimos afeto”, geralmente os religiosos se esforçam em ajudar aqueles que são seus parentes, amigos, companheiros de igreja, mas não se esforçam pelo estranho.

3.2. Subvertendo a lógica humana
- “a citação de um samaritano”, significa que pelo simples fato de citar um personagem como sendo um samaritano, já causaria rejeição pelos mestres da lei.
- “cercas do nacionalismo judaico”, se refere ao fato de os judeus se fecharem em seus costumes e tradições e excluírem todos os demais.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “inevitabilidade do mal”, é um principio humano universal que afirma que todos estamos sujeitos aos perigos que a sociedade impõe.
- “Religioso ou pagão?”, a adversidade une as pessoas, diante de um problema ninguém se apoia em suas convicções, mas cada um acolhe a ajuda que está disponível.   
- Professor(a), faça o seu resumo e repasse os principais pontos para a classe.
- Procure também apresentar a próxima lição para a turma.

Boa aula!


Marcos André – professor

Boa aula!

Marcos André - Professor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.