INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 5 - Revista da Editora Betel



AULA EM 2 DE NOVEMBRO DE 2014 – LIÇÃO 5
(Revista: EDITORA BETEL)

MEFIBOSETE E O MILAGRE DA RESTITUIÇÃO DA HONRA
Texto Áureo: 2 Samuel 4.4
 _________________________________________
 INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição compare Mefibosete à alguém que precisa ser honrado e Davi ao Rei Jesus.
- “viu em Davi a unção de rei”, Jônatas tinha visão espiritual, conseguiu observar quem estava com a unção de Deus, diferente de Saul que deu lugar ao ciúme e a inveja.
- “porque via em seu amigo o homem escolhido”, Jônatas sabia que não era prudente lutar contra um ungido de Deus, mas acima de tudo ele deixou que a amizade entre eles falasse mais alto. Jônatas não tinha ganância pelo trono, por isso não deu lugar ao Diabo.
_______________________________________________
1.  Mefibosete, o filho de Jônatas
- “Davi tornando-se rei cuidaria dele”, Jônatas era prudente e estava fazendo um investimento para  futuro, pois ele sabia que aquele que ajuda um ungido do Senhor seria abençoado por Ele.

1.1.  Um trágico acidente
- “exterminasse a todos os familiares do antecessor”, isso acontecia quando uma dinastia substituía outra, como foi o caso de Saul e Davi, que eram de famílias diferentes.
- “que não houvesse uma insurreição”, era uma rebelião por parte de algum familiar do rei destituído do poder ou morto.
- “no afã de salvá-lo da morte”, nesse caso era salvar dos inimigos de Saul, os filisteus.

1.2. Mefibosete, o príncipe que vivia em Lo-Debar
- “totalmente esquecido por todos”, na verdade era conveniente que Mefibosete continuasse escondido, devido ao perigo de o rei querer tirar-lhe a vida.
- “um lugar deserto e árido”, naquela região da Palestina o aspecto é de deserto com menos vegetação do que o sertão nordestino no Brasil.
- “usurpou todos os bens que possuía (2Sm 9.2-3)”, a referência apresentada não expressa muito bem o caráter de Ziba, porém ao ler os versos seguintes entendemos que Davi restitui a terra que foi de Saul a Mefibosete, isso quer dizer que Ziba estava no comando das terras que tinham sido de Saul.

1.3. Toda promessa tem um tempo para se cumprir
- “e Davi se lembrou da aliança”, quando a situação se acalmou um pouco após o conturbado início de ascensão ao trono, Davi teve tempo para se lembrar da antiga aliança com seu amigo.
- “alguém da casa de Saul”, apesar da aliança ter sido feita com Jônatas, Davi propõe abençoar alguém da casa de Saul. Assim o nosso Deus trabalha, quando temos uma aliança com Deus, Ele abençoa toda a nossa família.
- “o mal intencionado Ziba”, lembro que é difícil perceber a má intenção de Ziba no texto.
- “mostrou o defeito para impedir o rei de abençoá-lo”, o judeu sempre foi muito supersticioso quanto a maldição e a imundícia, jamais algum rei aceitaria a presença de um coxo a sua mesa.

2.   Do deserto à mesa do rei
- “marcado com o selo real”, isso porque ele era da casa de Saul, terceiro da linhagem real, embora ele tenha sido impedido por Deus de assumir o trono, ele não deixava de ser príncipe.

 2.1. Quando a surpresa bate à porta
- “como o dia do juízo”, ele deve ter pensado que iria morrer devido ao fato de ter direitos ao trono e nenhum rei deixava vivo alguém de outra família que tivesse direitos ao trono.
- “o tempo do Rei nos honrar”, esse Rei com “R” maiúsculo se refere ao Senhor Jesus obviamente.
- “quando bate a nossa porta”, pode-se fazer alusão às palavras de Jesus em Apocalipse onde Ele diz: “Eis que estou a porta e bato...” Apocalipse 3.20    

2.2. Quando a visão do rei prevalece
- “visão que Jônatas tinha para o futuro”, naquela época os nomes eram escolhidos mediante uma característica da criança, algum fato da gravidez ou simplesmente pelo desejo dos pais no futuro dos filhos.
- “Ele se via como um cão morto”, muitos que se encontram com Jesus o nosso Rei estão exatamente com essa visão de si mesmo.
- “Davi o via como um príncipe”, Davi nessa história tipifica Jesus e é assim que Jesus nos vê.

2.3.  Os humilhados serão exaltados
- “todos os anos em que viveu em Lo-Debar”, provavelmente Mefibosete tivesse a intenção de reaver suas terras e posses, mas temia requerer aos magistrados  do reino por ser da linhagem de Saul.
- “Ziba é um tipo de Satanás”, quer dizer que ele tipifica Satanás, aquele que tenta desmoralizar os filhos da promessa, ele tenta fazer com que nos diminuamos e achemos que não somos nada para receber algo de Deus.
- “nos verá sentados à mesa do rei”, aqui pode-se fazer alusão à promessa de que nos assentaremos a mesa de Cristo nas bodas do Cordeiro Apocalipse 19.7-9.  
______________________________________
3. Jerusalém o lugar dos príncipes de Deus
- ...

3.1. Quem Mefibosete tipifica em nossos dias?
- “os filhos que o rei está à procura pra honrar”, seriam aquelas pessoas que estão sendo oprimidas pelo Diabo.
- “vivem à margem da sociedade”, dessa expressão surgiu o termo “marginal”, que se refere à bandido ou vagabundo, mas aqui está se referindo aos que sofrem com a discriminação, perseguição, rejeição, preconceito, bullying, tudo isso por ser de Cristo.
- “tempo de revelação continua”, seria um tempo de maior intimidade com Deus.

3.2.  Na mesa do rei todos são iguais 
- “quebrava o protocolo”, significa violar algum código de ética ou etiqueta que regula as cerimônias.
- “quando estão sentados todos são iguais”, quando estão de pé é notório o defeito de Mefibosete, mas ao se assentarem os defeitos dos pés de Mefibosete desaparece.

3.3. Ele começou em Lo-Debar, terminou em Jerusalém
- “final que o Senhor deseja dar a todos”, todos que estão em aliança com Deus irão morar na nova Jerusalém. Essa terra representa Lo-Debar para nós e o inimigo quer que continuemos aqui para sempre.
- “que somente o Rei conhece”, o Rei representa Jesus e Ele sabe quando será a nossa ida à nova Jerusalém para sermos honrados por Deus. Em Marcos 13.32 Jesus afirma que nem o Filho sabe a hora do arrebatamento, mas naquela ocasião Ele ainda não havia sido glorificado.

CONCLUSÃO
- “deserto do anonimato”, se refere ao momento em que a pessoa não é ainda abençoada por Deus. Nesse caso o nosso Lo-Debar é uma não é essa Terra, mas seria os momentos em que esperamos a nossa benção.
- Faça o resumo e apresente à classe.

Boa aula!

Marcos André – editor

Luiz Evaldo Barbosa - colaborador

4 comentários:

  1. olà estes estudos para mim sao muito importante, que deus o abençoe, espero que esta obra nunca acabe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glória a Deus, em nome de Jesus e com a ajuda de vocês em oração a obra vai sempre adiante.

      Paz.

      Excluir
  2. simplesmente maravilhoso quisera poder imprimir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmão. Dá pra imprimi, é só copiar e colar num word do teu computador. Vê se dá aí.

      Paz.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.