INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

domingo, 30 de novembro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 9 - Revista da Central Gospel



AULA EM___DE______DE 2014 - LIÇÃO 9

(Revista: Central Gospel - nº 40)



Tema: O RICO INSENSATO E A LIBERALIDADE
  
Texto Áureo: 1 Timóteo 6.17
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição ensine aos alunos o verdadeiro propósito de estarmos aqui e a necessidade de nos escondermos debaixo da sombra do Onipotente.
- “exclusiva do Evangelho de Lucas”, isso se deve pelo caráter particular desse Evangelho, pois o Evangelho de Lucas foi montado com base em uma pesquisa que Lucas empreendeu coletando relatos. Dessa fora surgiu esse fato que havia se perdido.  
- “perigo de confiarmos nas riquezas”, note que não está falando do perigo de ser rico, mas sim da confiança depositada.
_______________________________________________
1. DINHEIRO: UMA QUESTÃO RECORRENTE
- “talvez ele fosse um irmão mais novo”, a parte do irmão mais novo era bem menor do que a do primogênito, ainda hoje em alguns países se adota essa lei.
- Essa pessoa com certeza é alguém cuja a família respeitava Jesus e o reconhecia como autoridade do céu, por isso ele recorre ao Mestre.
- Ele deixou claro que o interesse na herança estava motivando uma rixa familiar. Isso tem ocorrido no meio cristão pelo mundo afora.

1.1. A resposta de Jesus
- “qualquer rabino”, os rabinos eram os doutores da Lei, eles eram procurados constantemente para solucionar essas questões.
- “ofício de legislador”, ofício de estabelecer leis e fazer cumpri-las.
- “existe um caminho ainda mais excelente”, é uma alusão ao que Paulo afirma em 1 Coríntios 12.31 quando chamou o amor de caminho mais excelente. O rapaz que estava brigando pela herança com seu irmão deveria trilhar esse caminho.

1.2. Um alerta contra a avareza
- “limitou-se a redarguir”, “redarguir” é responder arguindo, ou seja, responder opondo com outro argumento, responder com outra proposta.
- “guardai-vos da avareza”, a avareza significa apego demasiado ao dinheiro. A ganância resulta na avareza, alguns não gostam de gastar o que recebem, procurando somente acumular, isso é avareza.

1.3. A proposta da parábola
- “começou a pensar em uma forma de armazenar”, ele começou a pensar em uma forma de enriquecer. Se ele tinha muito ele deveria pensar em uma forma de ajudar a quem tem pouco.
- “não contava com a inevitabilidade do fim”, a ideia é que o fim pode chegar para todos, pessoas que tem grandes riquezas podem perder tudo em tratamentos de doenças crônicas. Dessa forma todos nós devemos estar preparados para partir dessa terra a qualquer momento.
- Jesus propôs uma parábola com um fato que ocorria muito em Israel e usou uma história poderia estar acontecendo com alguém naquele momento ali. Ainda hoje isso ocorre ao redor do mundo.
_________________________________
2. A TOLICE DO HOMEM RICO
- “um homem zeloso e precavido”, “zeloso” significa que ele cuidava do que tinha e “precavido” quer dizer que ele se prevenia para o futuro. Talvez fosse características elogiáveis, mas ele tinha um defeito que o levaria a ruína.
- “desconsiderou a vontade Daquele”, “Daquele” está com “D” maiúsculo para se referir a Deus, porque se os campos produziram muito, é porque havia um propósito.
- “sua insensatez foi evidenciada”, quer dizer que passou a ser vista por todos, antes ele era insensato, mas ninguém sabia porque nunca havia acontecido nada. Por isso Deus permite que aconteça algumas coisas ruins, para que os insensatos ou fieis se manifestem.

2.1. Propósito autolimitado
- “propósito de sua existência”, as pessoas devem entender que estamos aqui para uma missão que está acima de ficar rico ou viver confortavelmente.
- “nada mais ao seu redor parecia ter valor”, ninguém pode viver uma vida pensando em si mesmo. O rico desprezava o sofrimento de pessoas necessitadas e pensava somente em si.

2.2. Egoísmo: uma vida sem inquietações, uma morte sem afetos
- “ele não conseguia enxergar”, essas pessoas para aquele rico eram como invisíveis, assim como acontece hoje na nossa sociedade, algumas pessoas dos seus carros importados não conseguem ver os necessitados nas ruas. Existem pessoas que recebem um salário excelente, mas não colaboram com nenhuma obra social. Alguns crentes são assim também.
- “satisfação de suas vontades”, isso faz parte da filosofia hedonista, onde se busca o prazer e pessoal acima de tudo, a mídia tem promovido essa filosofia hedonista em seus comerciais de TV e na internet.   

2.3. Fé na efemeridade
- “efemeridade”, característica do que é passageiro.
- “esta noite”, isso demonstra um caráter terrível do fim das coisas, o de repente. De repente a morte pode chegar, de repente Jesus pode voltar, de repente a saúde pode ir embora. Tudo pode acontecer de repente em nossas vidas, devemos estar preparados para o dia da aflição.
- “precipitação humana”, “precipitação” é o ato de se tomar atitudes sem considerar elementos importantes como tempo, recursos, disponibilidade e outros. O ser humano é mestre em fazer isso.
________________________________________
3. A ADVERTÊNCIA DIVINA
- ...

3.1. A desafiadora responsabilidade dos ricos
- “ele logo desistiu da ideia”, isso porque Jesus foi direto no problema que realmente o impedia de ser um verdadeiro homem de Deus e obter a salvação.
- “dificilmente entrarão no Reino”, Jesus não disse ser impossível. É difícil porque o Reino de Deus é para quem o busca e só busca quem precisa, os que são ricos sentem pouca necessidade em suas vidas.

3.2. O amor ao dinheiro
- “inanimado”, que não possui vida.
- “possuir aquele que julga possuí-lo”, forma poética para afirmar que algumas pessoas que tem dinheiro na verdade são dominadas por ele, não fazem nada sem pensar na conta bancária.
- “Mamom”, termo hebraico que significa literalmente “dinheiro”, é interpretado por Jesus como ídolo, por seu caráter dominador, por isso é colocado como substantivo próprio.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “dom inefável”, inefável é aquilo que não se pode explicar verbalmente, parece estar se referindo à salvação em Cristo, que é um dom de Deus.
- “religiosos ascetas”, são aqueles que castigam o corpo, privando-lhe de qualquer tipo de satisfação.
- “não amemos por palavra...mas por obra”, significa não ficar só falando que ama, mas sim tomar atitudes que mostrem esse amor.
- Professor(a), faça o seu resumo e repasse os principais pontos para a classe.

Boa aula!


Marcos André – professor


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.