INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 11 - Revista da Revista Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2014 - LIÇÃO 11
(Revista: Central Gospel - nº 40)

Tema: OS MISTERIOS DO REINO E OS HOMENS DE FÉ

Texto Áureo: 1 Coríntios 4.20
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição procura apresentar a beleza da revelação das parábolas de Jesus, ensine com emoção.
- “aqueles que se ajuntaram a Seus pés”, esse era um método antigo de ensino onde o discípulo ficava sentado aos pés do mestre que lhe falava, era muito utilizado pelos filósofos gregos.
- “voltou-se para casa”, alguns defendem que essa fosse na verdade a casa de Pedro, mas não se sabe na verdade.
_______________________________________________
1. O TESOURO ESCONDIDO E A PÉROLADE GRANDE VALOR

1.1. O tesouro escondido
- A situação apresentada nessa parábola é ilustrativa, pois um se um homem trabalha em um campo que não é dele, então ele era apenas um empregado, logo ele não teria condições de comprar o tal campo.

1.1.1. O campo
- “declara que o campo é o mundo”, pode-se usar aqui a mesma matriz ilustrativa para o campo, se na parábola do joio afirmava que o campo é o mundo, então nessa que foi contada logo após aquela pode-se entender o mesmo.
- “há um tesouro escondido nele”, esse tesouro como Jesus disse, é o Reino dos Céus, ele está no mundo, mas está escondido e poucos o encontram.

1.1.2. O homem
- “vendeu tudo quanto possuía”, a Bíblia afirma que Jesus deixou Sua majestade para fazer a obra no mundo. Filipenses 2.6-8. Esse ato está representado pelo homem que vendeu tudo que possuía.

1.1.3. O tesouro
- “seria o próprio Reino”, o Reino de Deus está atuando no mundo, mas sua localização é pouco conhecido, poucos conseguem achá-lo.
O Reio dos Céus é tudo aquilo que está a serviço de Deus nesse mundo. Se trabalhamos, dormimos ou nos alimentamos, isso é o reino humano, mas se evangelizamos, oramos, anunciamos a Palavra de Deus, isso é Reino de Deus.

1.2. A pérola de grande valor
- “análoga à anterior”, quer dizer que pode ser feita analogia com a anterior, ou seja, comparar os seus elementos.
- “em busca de boas pérolas”, fala de alguém que procura algo de valor, mas acaba encontrando algo de valor muito maior do que o que buscava.

1.2.1. A interpretação popular
- “esta análise desarmoniza”, não está em concordância, pois nessa interpretação os ele não representam as mesmas coisas das anteriores.

1.2.2. O negociante
- “fato que se evidencia no valor atribuído”, quer dizer que se ele soube o valor de uma das pérolas, então ele era um conhecedor do assunto e não um leigo qualquer.
- “depreende-se”, entende-se algo que não está escrito, apenas sugestionado.

1.2.3. A pérola
- “interior de organismos vivos”, isso ocorre quando um objeto estranho(areia, verme, etc) penetra o interior de uma ostra(organismo vivo), então o organismo identifica esse objeto estranho e o isola, aplicando sobre ele um material a base de carbonato de cálcio que cria uma camada cristalizada, formando assim a pérola.
- “o Reino (a pérola de grande valor)”, também podemos conjecturar o seguinte: nós somos esse objeto estranho que adentrou ao organismo vivo (a Igreja) e recebeu um tratamento que criou uma capa cristalizada que nos transformou nas pérolas do Reino de Deus.
_________________________________
2. A REDE LANÇADA AO MAR
- “em um mesmo ambiente”, esse ambiente é a Igreja, nela está tanto o joio como o trigo, nela existem todos os tipos de peixe.
- “na consumação dos séculos”, essa consumação terá seu início com o arrebatamento da Igreja, seria a separação dos peixes bons e peixes ruins.

2.1. A rede e os peixes
- “ilustra o alcance, a força e a efetividade do Evangelho”, em conformidade com isso podemos dizer que a mensagem da cruz de Cristo é a rede que apanha toda sorte de peixes.

2.2. Os pescadores e os peixes
- “pescadores de homens”, e não somente eles, mas todos os que recebem a mensagem, que são pescados por ela, passam também a serem pescadores.
- “mensagem da Graça redentora”, que é a mensagem da cruz.
________________________________________
3. O ESCRIBA E O PAI DE FAMÍLIA
- “escriba”, o escriba seria basicamente aquele que escreve, mas eles se acercavam de várias funções.

3.1. Aquele que supre o que é justo
- “eram homens letrados”, eles também compilavam os livros sagrados, aqui se refere aos eruditos, que estudam a Palavra.
- “seu objetivo primário”, esse objetivo seria o de proporcionar ao povo a maneira correta de servir e reverenciar o Senhor, mas escribas da época de Cristo, usavam as interpretações para outros fins.
- “o pai de família”, é o supridor da casa, comparado ao escriba que supre os filhos de Deus como as leis novas e velhas.

3.2. As coisas novas e velhas
- “novos escribas”, seriam os novos responsáveis por doutrinar os filhos de Deus, ensinados o caminho e orientando como andar nele.
- “verdades antigas”, as verdades antigas escritas nas Escrituras, são ofuscadas pelo mundanismo atual, mas os novos escribas do Reino tem a responsabilidade de trazer a tona essas verdade esquecidas por muitos.
- “estão em constante mutação”, se refere aos novos tempos, eles estão modificando a uma velocidade espantosa com adventos de tecnologias e novos comportamentos da sociedade.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “entendestes todas estas coisas?” professor(a), sugiro que você faça essa pergunta a classe, experimente fazer perguntas simples sobre o que eles aprenderam nessa lição.
- “aptos a dizer sim”, não são poucos os servos de Cristo que começam a pregar sem realmente entender a essência do Reino de Deus. São obreiros eloquentes, mas que desmoronam com facilidade por não saberem o significado do ensinamento de Jesus, ou se sabem não o vive na totalidade do coração.
- Professor(a), faça o seu resumo e repasse os principais pontos para a classe e corrija as perguntas da lição.

Boa aula!

Marcos André – professor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.