quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 3 - Revista da Editora Betel



AULA EM 18 DE JANEIRO DE 2015 – LIÇÃO 3
(Revista: EDITORA BETEL)

Homens fiéis na Bíblia
Texto Áureo: Lucas 2.37
 _________________________________________
 INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição aproveite para exortar os alunos a tomarem esses personagens como exemplo.
- “tinham dúvidas, inseguranças e fraquezas”, significa que eram homens como nós, com muitas limitações. Com isso o Senhor mostra o poder que faz alguém orar e o fogo cair do céu vem Dele e não da pessoa. Ás vezes o crente acha que não pode ter uma fé semelhante a de Elias ou Paulo. Mas a Bíblia apresenta as fraquezas deles para nos mostrar que também podemos fazer obras como eles fizeram.
- “o Espírito de Deus os capacitou”, eles não fizeram a obra pela sua própria capacidade, ainda que alguns deles tivessem talentos pessoais.
_______________________________________________
1. Um homem escolhido: Noé
- “pregoeiro da justiça”, é aquele que anuncia a justiça, a justiça que Noé anunciou foi o dilúvio.

1.1.  Pelo seu exemplo em uma sociedade corrompida
- “ele achou graça aos olhos do Senhor”, a graça é o favor imerecido, quer dizer que ele achou o favor de Deus.
- “uma sociedade que perdeu o temor e a reverência”, a única diferença é que atualmente nós temos o sangue de Cristo que permite que haja pessoas transformadas vivendo em meio a essa sociedade corrompida.
- “conforme os padrões exigidos por Deus”, muitas pessoas julgam as coisas com seus próprios padrões, acreditam que Deus lhes devem explicações e tem que atender sempre que lhe for solicitado algo. São pessoas que tentam impor regras a Deus. Muitos não sabem que existem orações que Deus não atende como nós queremos. 2 Co 12.8,9

1.2.  Pela sua obediência à voz de Deus
- “se submeter à autoridade”, assim como nos dias de Noé, hoje vivemos um grande mal na sociedade que é a insubmissão, as pessoas de hoje tem grande dificuldade em obedecer às autoridades.
- “A voz de Deus ouvida por Noé”, o conhecimento de Deus que Noé tinha foi o que ele recebeu de seu pai, mas ele soube reconhecer a voz de Deus. Nós hoje temos o conhecimento da Palavra, mas muitas vezes não se reconhece a voz Dele, pois Ele fala de muitas formas.
- “execução das ordens dadas pelo seu Senhor”, isso é fidelidade, o cumprimento daquilo que se espera de nós, professor(a), você pode lançar essa pergunta no ar: Será que somos fieis a Deus? Fazemos aquilo que Ele espera de nós? Complete dizendo, a fidelidade é melhor demonstrada quando ninguém está vendo.
- “estar atentos ao que Deus está dizendo”, displicência é outra marca dessa sociedade pós-moderna, muitos não estão percebendo o que o Espírito diz às igrejas! Maranata.
1.3. Pela sua fé em Deus
- “A construção da arca foi uma obra de fé”, presume-se que a arca de Noé levou 120 anos para ser construída, porém não há nenhum versículo que afirme isso. A arca de Noé não era um navio com as características dos atuais, era apenas uma caixa de madeira feita somente para flutuar.
- “fortalecida pela comunhão que ele tinha com Deus”, ninguém poderia construir algo daquele tipo, com tão poucos recursos de mão de obra, no meio de um povo descrente, sem a força de um Deus todo poderoso que o animava.
- “não olhando para as circunstâncias negativas”, circunstâncias são as situações que ocorrem a nossa volta, se olharmos para elas, colocamos em risco a nossa fé e o projeto de Deus em nossa vida. A obra de Noé era fazer uma arca e assim cada um tem uma obra diferente com o Senhor.
__________________________________________
2.        Ana, uma mulher fiel

2.1.  Ana e seu histórico.
- “profetisa, da tribo de Aser e filha de Fanuel”, é interessante citar a linhagem de uma tribo no tempo de Jesus, o que se pensa é que dez tribos desapareceram com a destruição do reino do norte, porém podemos notar que ainda existiam famílias das dez tribos que preservavam sua genealogia.
- “perdeu o seu esposo, após sete anos de casada”, em um tempo tão difícil como aquele vemos uma mulher exercendo o ministério profético, o mais importante depois do sacerdote, e ainda por cima era viúva.

2.2. Ana era dedicada.
- “preferiu dedicar-se integralmente à obra do Senhor”, Paulo chegou a alertar que o solteiro cuida melhor das coisas de Deus e que os casados cuidam em como agradar o conjugue. 1 Co 7.32,33.
- “ferramentas basilares”, são ferramentas que servem como base para a vitória sobre as dificuldades.
- “a oração e o jejum”, muitos crentes não jejuam mais e oram muito pouco. Os crentes de hoje se envolvem em diversas atividades seculares e deixam essa prática tão exercida por Jesus.
- “aproveitar o nosso tempo na presença de Deus”, não adianta estar na presença de viver no secularismo, como se fosse do mundo. Precisamos retornar as práticas espirituais que produzem vida com Deus.

2.3. Ana era uma mulher encorajadora
- “por reconhecer que aquele era o Messias”, ela não ficou sabendo pela boca de Simeão, ela teve uma revelação profética acerca de Jesus.
- “uma grande expectativa de mudança”, naquele momento o povo vivia sob o domínio romano e por isso havia um desejo pela vinda do Messias.
- “Precisamos motivar as pessoas”, Ana motivou pelo seu entusiasmo, assim devemos ser também, precisamos estar animados na obra de Deus. Nosso ânimo animará os outros.
______________________________________________
3. Um jovem que decidiu ser fiel
- “A vida de Daniel é uma historia inspiradora para todas as idades”, ao contrario do que muitos pensam, Daniel envelheceu. Um dos personagens mais usado nas pregações de culto de mocidade, e sempre que os pregadores falam desse servo de Deus o retratam com “o jovem Daniel”, não importando a fase da vida dele, mas ele não foi um eterno jovem, como jovem foi um exemplo e como velho também.
- “Decidiu ser fiel a Deus”, mesmo longe da sua família e da sua pátria, tendo direitos e privilégios no palácio real, tomou uma decisão em ser fiel.

3.1. Abandonando o caminho da desobediência
- “Está na Babilônia por consequência do pecado do seu povo”, nem todos pecaram a idolatria, mas a punição veio para toda a nação, mas Daniel e outros ao invés de serem tratados como escravos usufruíram dos palácios.
- “Se permanecessem fieis, alcançariam grandes bênçãos”, esta é a lei da semeadura, o que plantamos colhemos isso não era válido apenas para Israel. É valido hoje para o mundo inteiro.
- “Observou que o erro da sua nação foi não atentar as palavras de Deus”, Já fazia mais de sessenta anos que Daniel estava em Babilônia, ele então vai estudar o livro de Jeremias e entende o motivo do cativeiro e sua duração, sua atitude não é de revolta mais sim de humilhação.
- “A semelhança de Daniel, devemos também decidir a cada dia permanecer firmes na presença de Deus”, é muito bonito ler a historia de Daniel, mas não podemos ficar só admirando personagens bíblicos como ele; temos que fazer nossa própria historia de fidelidade e firmeza.

3.2. Aplicando à sua vida os princípios divinos
- “Daniel e seus três amigos propuseram um pacto de fidelidade para com o único Deus”, não havia nenhuma pressão de alguma autoridade eclesiástica, eles agiram deliberadamente. Ser fiel na igreja é fácil, mas nossa luz deve brilhar é nas trevas. Precisamos ser fieis quando ninguém estiver olhando.
- “A aplicação desse principio para a vida está inserida no primeiro preceito”, é muito fácil falar, mas amar a Deus sobre todas as coisas não é muito fácil, quando colocamos Deus em primeiro lugar em nossas vidas conseguimos ser fiel em quaisquer que sejam as circunstancias.
- “Assim como Daniel precisamos viver uma vida de princípios”, princípios são atributos morais e éticos que pautam a conduta de uma pessoa de bem. No caso do cristão esses princípios devem ser pautados na palavra de Deus.

3.3. Suportando todos os desafios
- “Viver uma vida de propósito diante de Deus”, temos que ter planos e metas em nossas vidas, e não podemos fugir do nosso alvo, mesmo que pareça que pagaremos um preço alto pela decisão que tomamos.
- “Deus vela pela vida dos fieis”, não podemos acreditar na musa que diz: ...quem tem promessa de Deus não morre... Não é bem assim; aprouve a Deus livrar Daniel de muitas situações, preservando sua vida, permitindo que ele morresse em avançada idade, mas houveram muitos servos de Deus, fieis que tiveram suas vidas ceifadas pela a espada, pelo fogo e tantas outras mortes cruéis, mas isso não fez deles nem um pouquinho inferior a Daniel, foram valiosos aos olhos de Deus.
- “Daniel sempre procurou servir com sinceridade e dedicação aos reis”, Daniel é uma prova que é possível ser um político e ser um cristão, os governos que ele fez parte eram totalmente ímpios, mas ele ao invés de se associar as negociatas políticas, mostrou a diferença e se manteve fiel.

CONCLUSÃO
- A Bíblia não esconde nada de ninguém, todos tiveram suas falhas expostas, isso é para que possamos aprender com eles, com seus erros e acertos.
- “uma vida de testemunho”, significa as pessoas verem Cristo através da nossa vida e das nossas ações.
- “plenitude”, viver uma vida de plenitude espiritual é receber e desfrutar das bênçãos espirituais de Deus.
- Professor(a) prepare seu resumo e apresente aos alunos.
- Corrija o questionário. É importante

Paz de Cristo!

Boa aula!

Marcos André – editor
José Evaldo Barbosa - Colaborador

4 comentários:

  1. Meu irmão que Deus continue te abençoando,esses subsídios muito tem me ajudado. continuarei orando por você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém glória a Deus, continue mesmo me ajudando em oração. Paz.

      Excluir
  2. Deus continue te abençoando e que todas as necessidades materiais e espirituais sejam supridas em glória por Cristo Jesus.Shalom Adhonay.

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.