sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 5 - Revista da Editora Betel


AULA EM 01 DE FEVEREIRO DE 2015 – LIÇÃO 5
(Revista: EDITORA BETEL)

A Crise de Fidelidade na Igreja
Texto Áureo: Efésios 1.4
 _________________________________________
 INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição ensine a realidade, denuncie o erro e não esconda a verdade dos alunos.
- “se abateram sobre o Corpo de Cristo”, quer dizer que algo mudou na Igreja de Cristo. Na verdade podemos dizer nada mudou na Igreja de Cristo, mas sim que as igrejas ao redor do mundo é que estão mudando e que a Igreja de Cristo permanece dentro dessas milhares de igrejas, é um povo no meio de outro povo.
- “alteraram seu conceito diante da sociedade”, quer dizer que a sociedade hoje faz um conceito diferente da Igreja de Cristo, devido aos milhares de escândalos e tolerância com o erro, o mundo nos vê como hipócritas, caloteiros, falsos e outras coisas mais. Claro que ainda existem muitos fieis a Cristo, mas é assim a maioria das pessoas nos vêm.
- “Sua visão ficou ofuscada...comunhão fragmentada”, aqui está relatando uma séria de problemas que estão ocorrendo nas igrejas. Professor(a), note que o comentarista está se referindo a Igreja de Jesus, mas você pode fazer estas afirmações para as igrejas locais e não para a Igreja verdadeira. É importante os alunos entenderem que nas igrejas existem os religiosos e existem aqueles que além de religiosos são também salvos pelo sangue de Jesus.
_______________________________________________
1. As dimensões da crise de fidelidade na Igreja
- “unidade”, seria a união em torno de uma mesma fé e mesmo propósito, falando a mesma língua.
- “comunhão”, é a união dos irmãos uns com os outros, se amando e se respeitando.
- “ética”, são os preceitos que regulam a boa convivência.

1.1.  A crise de unidade
- “deve ser um fator de identificação da Igreja”, são vários os fatores que nos identificam como crentes, alguns deles são: o amor, a capacidade de perdoar, a benignidade, a serenidade. E o principal deles é esse, a unidade em amor.
- “aqueles que se dividiam em grupos ou partidos”, é fácil de notar que esse problema ocorre muito hoje em dia.  Alguns irmãos se reúnem em grupos e isolam outros, fazem isso de forma bem sutil, mas vão excluindo aos poucos os outros irmãos.
- “a unidade é construída sobre o fundamento da verdade”, Essa afirmação não aparece na referência, mas no verso 3 ordena: “Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz” Efésios 4:3 então essa unidade é na fé pelo Espírito Santo.
- “Não se trata de unidade denominacional, mas espiritual”, não é fazer parte da mesma igreja ou ter o mesmo costume, mas sim ter o mesmo Espírito.

1.2.  A crise de comunhão
- “A ideia básica inserida aqui é compartilhar”, isso porque ela foi a palavra usada para designar os primeiros crentes, pois eles compartilhavam tudo, até seus bens.
- “entendida pelos primeiros cristãos”, os primeiros crentes viviam em comunidade e o partir do pão que era a santa ceia deles, era uma obra social de distribuição de alimentos.
- “compromisso uns para com os outros”, cada um é responsável por manter a comunhão com seu irmão em Cristo.
1.3. A crise ética
- “é sal da terra e luz do mundo”, isso gera muitas interpretações, mas a mais comum é que assim como o sal dá um sabor, fazendo a comida ficar degustável também a Igreja faz o mundo ficar ainda aceitável à Deus. A ideia principal é de fazer a diferença no mundo.
- “negócios escusos com políticos desonestos”, essa é a grande realidade, existem pastores que liberam o púlpito para políticos que não tem nenhuma vida com Deus.
- “negociam, inclusive, o próprio rebanho”, existem pastores que repassam para políticos, o número dos títulos de eleitor de seus membros para conseguir certos benefícios. DA VONTADE DE VOMITAR!
__________________________________________
2.  A crise de fidelidade na missão da Igreja

2.1.  Sua missão com Deus
- “missão da Igreja com Deus”, nos primeiros anos da Igreja os crentes não cantavam muito devida à perseguição, por isso eles tiveram que entender que adoração não é só com cânticos, a verdadeira adoração está no coração, Jesus classificou como verdadeiros adoradores, aqueles adoram em espírito (com o coração) e em verdade (com sinceridade) Jo 4.23. Por isso a verdadeira adoração é aquela que mostra atitudes de gratidão a Deus por tudo o que Ele fez e que tem feito a Seu povo.
- “não é meramente um preparo para outra coisa”, nas cerimônias os cânticos vem antes de algum outro evento do protocolo, no culto primeiro se louva e depois se ouve a Palavra, alguns acabam pensando que o louvor é apenas um prepara para a Palavra, já não soa bem afirmar que a pregação é a melhor parte do culto.

2.2. Sua missão para consigo mesma
- “fortalecimento espiritual e da edificação”, para isso as práticas mais eficazes são a oração (fortalecimento espiritual) e o ensino da Palavra (edificação).
- “para o aperfeiçoamento dos santos”, significa fazer com que os santos melhorem a cada dia, crescendo na graça e conhecimento, isso é aperfeiçoamento. Muitas igrejas não se preocupam com os membros do corpo de Cristo, estão buscando quantidade, mas deixam de lado a qualidade.
- “estado de homem perfeito”, os teólogos admitem que essa perfeição que Paulo afirma seria uma perfeição do homem falho, seria aquele que alcançou a plenitude da maturidade cristã.

2.3. Sua missão para com o mundo
- “seja por meio de palavras”, seria evangelizando anunciando a Jesus, falando dele às pessoas.
- “seja por meio de atitudes”, é a forma de evangelismo considerada mais eficaz, onde os ímpios observam a atitude dos crentes e entendem que são homens e mulheres de Deus. As atitudes dos filhos de Deus no dia a dia é uma pregação sem palavras.
- “também em assistência aos pobres”, esse trabalho faz parte do evangelismo por atitudes, atualmente muitos órgãos mantém trabalhos assistenciais e a Igreja não deve fazer diferente. Há uma grande crise nessa área.
______________________________________________
3. As características de uma Igreja fiel

3.1. Uma Igreja frutífera
- “difundiam o Evangelho”, isso é divulgação, uma igreja frutífera é aquela que dá fruto, que produz salvação de almas, e só s divulgação do evangelho torna isso possível.
- “além de suas fronteiras físicas”, é a obra missionária de longa distância, hoje algumas igrejas mantém missionários na África, Haiti e Ásia. Essa obra deve ser levada a sério ainda hoje.
- “outras igrejas foram fundadas”, deixaram um legado, uma história, por isso o evangelho chegou a nós hoje. Qual história deixaremos para nossa posteridade? Será que nos seminários de teologia do futuro, vão estudar sobre um grande esfriamento espiritual nos anos de 2000 à 2020? Ou será sobre um avivamento?

3.2. Uma Igreja solidária
- “orientar...serviço à sociedade”, os crentes instruídos dentro das igrejas devem se destacar em seus empregos como fieis, honestos, bons profissionais, etc. É muito triste ver crentes no local de trabalho preguiçosos, reclamões, libertinos e escarnecedores e por ai vai.
- “através da conscientização”, é conscientizar as pessoas pelo nosso testemunho de fidelidade, onde as pessoas do mundo verão que os crentes são realmente um povo santo e de boas obras.
- “assembleia de santos”, ou assembleia de separados, estão no meio, mas são diferentes dos demais.

3.3. Uma Igreja missionária
- “Richard Mayhue”, escritor teólogo e professor de seminário americano, vive atualmente nos Estados Unidos.
- “princípios básicos e eternos”, quer dizer que servem para qualquer igreja em qualquer época. Apesar de muitos líderes tentarem inovar com adoção de métodos modernos, os princípios para que a obra de Deus cresça são os mesmo.
- “direcionada pelo espírito Santo”, encontramos alguns irmãos que traçam seus planos e querem que o Senhor se encaixe neles, mas na verdade eles é que devem se adequar ao plano de Deus. Não querem trabalhar para Deus, querem que Deus trabalhe para eles.
- “a igreja cedeu de boa vontade”, alguns líderes não aceitariam hoje essa visão, achariam que outros ministérios tomariam o irmão talentoso da igreja.

CONCLUSÃO
- “repensar nossa espiritualidade”, significa que devemos analisar nossos motivos e ver se somos espirituais mesmo ou se somos só religiosos.
- “através de Sua Palavra”, não precisamos de profundas revelações para sabermos o que Deus quer, basta ler a Bíblia.
- Precisamos se mais fieis a Deus, para que o mundo veja em nós o reflexo da glória do Pai.
- Professor(a) prepare seu resumo e apresente aos alunos.
- Corrija o questionário. É importante

Paz de Cristo!

Boa aula!

Marcos André – editor
José Evaldo Barbosa - Colaborador

4 comentários:

  1. Deus continue abençoando o amado pastor. Seus comentários enriquecem muito nossas aulas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa que bom ler isso, que Deus continue derramando da Sua graça em tua vida. Ajude a divulgar nosso trabalho aí na tua cidade.
      Paz.

      Excluir
  2. Gostei muito! Me abençoe muito e com certeza irá ajudar meus alunos.

    ResponderExcluir
  3. Vai sim, continue nesse caminho e crescendo a cada dia pode sempre contar conosco. paz

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.