INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL



__________________________________________________________________

quarta-feira, 17 de junho de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 12 - Revista da Editora Betel


AULA EM 21 DE JUNHO DE 2015 – LIÇÃO 12
(Revista: Editora Betel)

Tema: O Último Encontro de Um Grande Herói

Texto Áureo: Deuteronômio 34.12
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição procure apresentar Moisés como um exemplo de vida, de alguém que tinha intimidade com Deus, apesar de ter defeitos e também errar, ele se apegou ao Senhor dos Exércitos.
- “um dos tipos que mais se assemelham a Cristo”, na Palavra de Deus existem outros tipos de Cristo, como Samuel, por exemplo, Moisés é que mais tem semelhança com Jesus, devido a sua obra libertadora.
- “Até hoje não se sabe onde ele foi sepultado”, as Escrituras não relatam onde Moisés foi sepultado, é afirmado em Jd 9 que houve disputa pelo corpo de Moisés entre o arcanjo Miguel e Satanás.
- “mediador do antigo concerto..Mediador do novo”, o antigo concerto foi estabelecido pela Lei que Moisés escreveu e o novo concerto é estabelecido pelo sangue que Jesus derramou.
- “porque seus corpos não estão lá”, essa é uma outra relação de semelhança entre Jesus e Moisés, não há corpo.
__________________________________________
1. A última visão de Moisés.
- “e com Ele também terminou”, a julgar pelo comportamento de Moisés durante o seu ministério, a sua maior vontade não era de entrar na terra prometida, mas sim de ver a face e estar com o Senhor. Ex 33.18

1.1. Morte, a recompensa para Moisés.
- “Ele também já havia nomeado um substituto Josué”, muitos líderes cristãos deveriam se preocupar em preparar seus substitutos para garantir que seu legado permanecerá depois da sua partida. Existem muitos ministérios que após a morte do líder o que vem depois muda tudo, mostrando que sua igreja é baseado na política e não orientação divina.
- “não havia motivos para fugir da morte”, Moisés alcançou a mesma maturidade de Paulo acerca da morte, por isso não vemos ele apreensivo sobre isso. Fp 1.21
- “medo, pânico e a dor da separação”, todos os homens tem um certo receio da incerteza do que vai encontrar do outro lado. O ser humano não foi projetado para passar pela morte, pois a morte é uma consequência do pecado.
- “foi um prêmio concedido por Deus”, Moisés durante a sua caminhada no deserto se apegou a Deus de uma maneira que o mais importante passou a ser o seu relacionamento com o Senhor. Deus estava acima de tudo e era tudo o que importava.

1.2. Pessoas especiais deixam marcas indeléveis.
- “Todos queriam que Moisés ficasse”, Moisés dava a segurança da liderança, Moisés era a garantia da vitória e conquista da terra prometida.
- “essa é a maior representação da morte de um cristão”, o objetivo de todo crente deve ser o céu, não devemos nos apegar a objetivos terrenos mais do que os celestiais. Muitos cristãos fazem tantos planos para o futuro nesse mundo e se esquecem de se programarem para quando Deus chamar.

1.3. A segurança da morte.
- “trabalho, relacionamentos e entretenimentos”, muitas vezes deixamos Deus de lado por apego a essas coisas. Às vezes elas nos envolvem de um jeito que passamos a orar pouco e a ler a Palavra menos ainda.
- “morreu segundo a Palavra do Senhor”, Moisés havia entregue a sua vida totalmente nas mãos de Deus, ele não se preocupou, deixou que Deus definisse seu destino.
- “como também o fim deles”, a morte é uma surpresa desagradável para a maioria dos seres humanos, porque ninguém se programa para ela. Buscam desesperadamente fugir dela. Mas a vida é como um filme que vai passando diante de nós e chegará um momento que ele acabará. Nessa hora a melhor coisa é estar junto a Deus.
_____________________________________________
2. A mensagem da vida vitoriosa de Moisés.
- “escolhas certas durante a vida”, nem sempre iremos acertar nas nossas escolhas, mas existe uma escolha supera todos os erros que cometemos na vida, é a escolha em servir a Deus.
- “nasce com o punho fechado, mas morre com as mãos abertas”, um bom entendimento para isso é que com o punho fechado o ser humano está pronto para a luta da vida e as mãos abertas mostra que não leva nada ao final dessa vida.

2.1. Moisés, um jovem de cento e vinte anos. 
- “pois nunca se entregou à velhice”, a Bíblia não dá detalhes se o fato de Moisés ter se mantido com o mesmo vigor durante aqueles oitenta anos, foi devido a fatores psicológicos ou por força sobrenatural. Mas sabemos que passou a vida em companhia daquele que é o autor da vida.
- “nunca é tarde para se realizar algo para Deus”, na obra de Deus sempre há algo a fazer, algo que pode ser feito por alguém de qualquer idade.
- “pois ele foi chamado aos oitenta anos”, somando o tempo de quarenta anos passados no Egito mais quarenta anos no deserto até o momento em que ele foi chamado por Deus diante da sarça.
- “A vida é uma grande oportunidade”, quer dizer que estar vivo é a oportunidade de se achegar a Deus.

2.2. O nível de vida vivido por Moisés.
- “o que Deus escreveu em seu túmulo”, linguagem figurada, não se sabe Deus escreveu qualquer coisa no túmulo de Moisés. Apenas quer dizer que essas foram as ultimas palavras ditas sobre Moisés.
- “E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés”, o autor se refere ao tempo em que foi escrito essa passagem, com certeza ela não foi escrita por Moisés, é provável que tenha sido escrita por Josué, Samuel ou alguém no período dos reis.
- “podemos observar três esferas de nível espiritual”, comparando o povo, Arão e Moisés, sendo Moisés o nível mais elevado, pois falava diretamente com Deus.

2.3. O sepultamento de Moisés.
- “fosse incapaz de expressar sentimentos pela vida de seu líder”, na verdade os rebeldes que se levantavam não falavam em nome da nação inteira. Às vezes lemos a Bíblia e achamos que todos eram rebeldes. Todos eles tinham falta de fé, menos Josué e Calebe, mas nem todos eram rebeldes.
- “para evitar que erigissem um momento”, Moisés certamente seria idolatrado por gerações. Por esse motivo o Senhor providenciou que muitos objetos do Antigo Testamento desaparecessem com o tempo.
________________________________________
3. Da glória transitória à gloria permanente
- “soube a quem deixar a continuidade do seu ministério”, Moisés partiria sem a preocupação de como estaria o povo de Deus, sabia que o povo estaria sob a liderança de um grande general.

3.1. O ministério do espírito é mais excelente que o ministério de Moisés.
- “que ficou impregnada no rosto de Moisés”, a glória de Deus manifestada no monte santificava tudo ao redor e afetava a matéria com a qual tinha contato.
- “ministério do Espírito Santo é mais poderoso”, isso devido ao tipo de operação promovida pelo Espírito Santo, diferente da operação promovida pela Lei.
- “ministério da morte”, Paulo chamou assim devido à obra da Lei, pois a Lei é que classifica o pecado, apresentando a morte para a alma que pecar.
- “retrata uma Lei escrita em pedras”, por isso Paulo afirma que a letra mata 2 Co 3.6, ele está se referindo a letra da Lei. Ele diz que a letra da Lei mata porque a Lei aponta o pecado, condenando o pecador.

3.2. O ministério de Moisés era uma figura do que havia de vir.
- “foi retida no tempo de Moisés...prevista para o nosso tempo”, o tempo da Lei é uma preparação para graça que seria revelada. Não poderia haver graça se o ser humano não estivesse condenado. A Lei serve para condenar o ser humano e a graça serve para salvá-lo.
- “o ministério do Espírito é mais poderoso”, o ministério do Espírito opera no interior do ser humano e faz uma obra muito mais difícil do que abrir dez vezes o Mar Vermelho, que é converter uma alma humana. Converter uma alma envolve o livre arbítrio, quer dizer que para salvar alguém não depende somente de Deus, mas também da pessoa.

3.3. Devemos brilhar com rosto descoberto.
- “figura do véu do santuário que limitava o acesso à presença de Deus”, o véu fazia separação entre o santo lugar e o Santo dos santos onde estava a Arca do Concerto. Ninguém poderia entrar no santuário, a não ser o sumo sacerdote uma vez por ano.
- “Cristo rompeu a limitação humana”, quando Jesus se entregou na cruz, o véu do santuário se rasgou de cima abaixo. Mc 15.38 simbolizando o livre acesso do ser humano à presença de Deus após consumada a crucificação.
- “age de dentro para fora”, quer dizer que na antiga aliança a glória de Deus era manifestada ao homem de fora pra dentro. Na nova aliança o Espírito habita dentro do servo de Deus, transformando-o de dentro para fora.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- Elabore o resumo e apresente a classe.
- Corrija o questionário em aula.

Marcos André – professor

Boa Aula!

10 comentários:

  1. boa noite, eu sempre acompanho seu blog e estes estudos, queria pedir um favor, se poderia me repassar o restante deste estudo, pois me ajuda bastante na EBD. muito obrigado Fica na Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz varão, obrigado pelo carinho e reconhecimento, mas eu não entendi, de que restante você está falando?

      Paz de Jesus pra você e sua casa.

      Excluir
    2. paz vazo é que ontem dia 19/06 tava incompleta a lição

      Excluir
    3. Desculpe irmão, só percebi isso depois que tinha respondido o teu comentário. Tá na benção!

      Excluir
  2. A paz do Senhor, Pastor Marcos que Deus continue abençoando você é seu ministério, é seus esbouço tem sido uma benção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmão, obrigado Deus tem aberto as portas para o ensino da Palavra. Conto com as suas orações. Deus abençoe a sua família.
      Paz.

      Excluir
  3. A paz pastor , sou professora da EBD, amei a maneira que o senhor nos ensina que Deus te abençoe a cada dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmã, obrigado e que Deus continue nos abençoando, paz.

      Excluir
  4. A paz do Senhor, Pastor Marcos que Deus continue abençoando você é seu ministério, é seus esbouço tem sido uma benção na minha vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, ajude a gente em oração, que a paz esteja em sua vida!

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.