sábado, 6 de junho de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 10 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2015 - LIÇÃO 10
(Revista: Central Gospel - nº 42)

Tema: AS QUEDAS DE ISRAEL E JUDÁ

Texto Áureo: Oséias 14.1
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição tente extrair os ensinamentos para os alunos viverem na dependência de Deus.
- “era clássica da profecia”, esse período é o tempo dos profetas que escreveram as profecias. Isaías, Amós, etc.
- “mediada pelos arautos”, se referindo aos profetas clássicos. Arauto eram os homens que tinham a responsabilidade de anunciar nas cidades e aldeias quando o rei fosse passar por elas, eles clamavam em vós alta nas ruas das cidades: “Preparem as ruas e liberem a estrada porque o rei está chegando!”
_______________________________________________
1. REINO DO NORTE: DE PECA A OSÉIAS
- “Os Assírios que viviam no norte da Mesopotâmia”, a Assíria não existe mais, sua capital era Nínive e atualmente é só um ruínas, a Assíria nunca mais foi reconstruída. Sf 2.13,14
- “Mesopotâmia”, era antiga região entre os rios Eufrates e Tigre, onde atualmente se encontra o atual Iraque.

1.1.  Peca e Oséias: comandantes de Israel à época do desterro
- “experiência de desterro”, desterro é o ato de retirar os habitantes de sua terra de origem e transportá-los para outra terra.
- “poção setentrional”, se refere ao norte, ao reino do Norte.
- “levou cativa duas tribos”, foram as tribos de Rúben, Gade e Manassés. Os Israelitas não era um povo beligerante, suas raízes eram pastores e agricultores, por isso dependiam totalmente do Senhor.
- “Samaria foi completamente destruída”, suas terras foram dadas a outro povo, que se converteram ao Senhor, mas por serem estrangeiros, não eram bem vistos pelos judeus. Essa rivalidade permaneceu até o tempo de Jesus.

1.2. Razões para o cativeiro
- “rejeição da mensagem de arrependimento”, além de rebeldes eles também eram imprudentes, pois se alguém é alertado do mal que há de vir, vai tomar suas precauções. Mas o reino do Norte fez pouco caso dos avisos dos profetas.
- “pecados terem sido generalizados”, se o pecado estivesse somente na casa dos reis, o Senhor teria entregue somente eles, mas toda a nação estava conjurada no erro.

1.3. Consequência do cativeiro assírio
- “foram dispersos pelas comarcas assírias”, aquelas dez tribos que compunham o reino do Norte perderam a identidade e toda a sua história ficou esquecida. Dessa forma as dez tribos desapareceram, ficando somente em Judá, as tribos de Judá e Benjamim, as famílias dos sacerdotes levitas e algumas poucas famílias das outras dez tribos.
________________________________                 
2. REINO DO SUL: DE JOTÃO A ZEDEQUIAS

2.1. Jotão
- “não removeu os santuários pagãos”, apesar do rei fazer o que era reto, havia um clima de tolerância, o que naquele tempo era extremamente perigoso no meio do povo de Deus.

2.2. Acaz
- “ele confeccionou ídolos”, se Jotão já deve ser alvo de críticas, quanto mais o rei Acaz, que demonstrou como servir aos ídolos.
- “queimou seus filhos em sacrifício”, havia entre ao cananeus uma divindade pagã chamada Moloque ao qual eles sacrificavam crianças no fogo. Não há nenhuma ligação entre a palavra moleque e o ídolo Moloque.

2.3. Ezequias
- “havia sido conduzida a impiedade”, as festas não eram mais comemoradas como havia sido ordenado e o Templo do Senhor estava abandonado.

2.3.1. O avivamento liderado por Ezequias
- “removeu os altares idólatras”, havia uma série de altares espalhados pela nação, ninguém ia ao Templo, pois tinha um altar idólatra bem perto de sua casa.
- A purificação que Ezequias promoveu foi a maior em Israel, ele combateu mais a idolatria do que Davi, destruiu inclusive a imagem que Moisés havia feito, mas que depois o povo a idolatrou. 2 Rs 18.4

2.3.2. O cerco de Judá empreendido por Senaqueribe
- “como Deus miraculosamente”, professor(a), dê um pesquisada na Palavra para estar a par dessas histórias.
- Senaqueribe invadiu Judá e cercou a Jerusalém, pois era a cidade mais fortificada.

2.4. Manassés, o terrível
- “o pior comandante do Sul”, ele foi o que mais afastou o povo da presença do Senhor e teria sido ele que mandou executar o profeta Isaías, porém essa informação não é bíblica, ela surgiu de um livro apócrifo de autoria desconhecida.
- Algo interessante é que Manassés nasceu durante os quinze anos que o Senhor concedeu a Ezequias após a sua doença, porque quando Ezequias morre Manassés tinha uns doze anos. Se Ezequias tivesse morrido na época em que o Senhor anunciou, então Manassés não teria nascido e tudo estaria resolvido, mas aí Ezequias orou e chorou e o resto os irmãos já sabem.

2.4.1. O arrependimento de Manassés
- “passou a adorar tão somente a Ele”, o pior rei de Israel foi salvo. Então todos podemos ser salvos também, tem muito valor pra Deus um coração arrependido.

2.5. Amom
- ...

2.6. Josias
- “a aliança foi renovada”, nessa ocasião foi encontrado o livro da Lei na casa do Senhor 2 Rs 22.8. Foi um avivamento que começou na Palavra.
- “o coração do povo não se havia voltado”, nesse caso só o cativeiro seria a solução, e de fato após o cativeiro a nação de Israel nunca mais se voltou à idolatria outra vez.

2.7. Joacaz, Jeoaquim, Joaquim e Zedequias: a queda do Reino do Sul
- Apesar do bom exemplo de Josias, seus filhos não seguiram seus passos, o que prova que filho de crente não será necessariamente crente.

2.7.1 A primeira leva dos cativos
- “recusando-se a pagar novos tributos”, o objetivo de Babilônia não era inicialmente a deportação, mas a cobrança de tributos. Isso porque Ezequias havia mostrado para a comitiva de Babilônia toda a sua riqueza Is 39.12, criando a ideia naquela nação de que Israel era muito rico.

2.7.2. A segunda leva de cativos
- “além do profeta Ezequiel”, nesse tempo o profeta Jeremias profetizava em Jerusalém, isso mostra que Ezequiel foi contemporâneo de Daniel e Jeremias, porém Daniel morava no palácio e Ezequiel com os escravos judeus, enquanto Jeremias estava em Jerusalém. Assim havia uma boca de Deus no palácio de Nabucodonosor, uma no meio do povo e uma em Judá.

2.7.3. A última leva de cativos
- “o Templo ficou em ruínas”, nesse período a Arca de Deus desaparece, é provável que ela já não estivesse mais no Templo na época da invasão.
- “Jeremias e mais alguns pobres”, e a terra ficou desolada, sem governo, completamente abandonada.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “levou-os ao exílio”, diferente do povo que foi levado cativo para a Assíria, os habitantes de Judá retornaram após setenta anos de cativeiro e reconstruíram o templo e os muros.
- “intervém de forma direta no pecado nacional”, as diversas situações ocorridas ao longo da história mundial mostram que o Senhor leva em consideração quando um ato pecaminoso afeta o povo em nível nacional ou regional.
Pense nessa teoria: quando alguém peca as consequências naturais vem para si e para sua família, porém se alguém com seu pecado influencia uma massa popular então ele corre o risco de receber a visita do anjo do Senhor. Além dos casos bíblicos temos o caso do Titanic, dos Beatles e muitos outros. É uma teoria, se achar interessante, comente.
- Corrija o questionário e elabore o resumo.

Boa aula!


Marcos André – professor

Um comentário:

  1. excelente trabalho irmão esses esboços me ajudam muito, parabens e obrigado nos ajudar, que DEUS te abençoe vaso

    ResponderExcluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.