quinta-feira, 13 de agosto de 2015

ATUALIDADE GOSPEL - Cresce o número de personagens gays em programas de TV infantis



Parece que não há como escapar da ampla aceitação da homossexualidade e casamento gay nos EUA. Desde que os ativistas começaram a se beneficiar com leis “antidiscriminatórias”, a indústria de entretenimento acompanha o fluxo de pensamento dominante.

O estudioso de mídia Jeff Johnston é cristão e fez um alerta ao site LifeSiteNews. Ele deseja que os pais se preparem, pois, um número crescente de personagens gays e transexuais são mostrados em programas de televisão infantis.

Como exemplo, cita a controvérsia das personagens Korra e Asami, em “Avatar: A Lenda de Korra”, cujo último episódio mostrava claramente que elas viviam um relacionamento lésbico.

Ao mesmo tempo, surgiu uma grande polêmica na Austrália por causa do desenho animado “Shezow”, que chegou no Brasil mês passado pela Netflix. A história gira em torno de um “um menino de 12 anos que encontra um ‘anel mágico” que o transforma em uma menina”.

Sucesso entre pré-adolescentes, “Hora da Aventura”, exibido pelo Cartoon Network tem “fortes narrativas” relacionadas a questão de gênero, alerta Johnson. O criador da série, Pendleton Ward, já declarou que as duas personagens femininas, Marcelline e Princesa Bubblegum, foram namoradas.

A tendência não é apenas nos desenhos animados. O Disney Channel introduziu ano passado no popular seriado “Boa Sorte, Charlie” um casal homossexual formado por duas mulheres que tem um filho.

Johnston lembra que esse são apenas alguns exemplos, mas a tendência é esperar que os programas de televisão feitos para crianças devem mostrar cada vez mais o que “já está em nossa cultura.” Ele pediu aos pais que monitorem o que seus filhos estão vendo, não apenas na televisão, mas também em livros, jogos e filmes.

Para Johnston muitas dessas produções trazem “mensagens sexualmente confusas” que podem ser prejudiciais para quem não possui maturidade de entender plenamente o que está vendo. “Essas mensagens apenas criam confusão e geram insegurança. Nossas crianças não estão preparadas para lidar com esses temas adultos”, enfatizou.

Fonte: Gospel Prime

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.