sábado, 8 de agosto de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 6 - Revista da CPAD - ADULTOS


AULA EM 9 DE AGOSTO DE 2015 – LIÇÃO 6
(Revista: CPAD)

Tema: Conselhos gerais

Texto Áureo: Atos 20.28
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição é interessante você começar ambientando os alunos ao contexto de igreja daquela época. Não podemos imaginar uma igreja do primeiro século como conhecemos hoje. Não havia equipamento de som, bebedouro e nem templo, o culto era nas casas dos irmãos. Além de tudo isso havia ainda a perseguição.
- “lidar com os idosos...demais faixas etárias”, parece se referir a problemas entre membros da igreja.  Os problemas da igreja primitiva eram na maior parte com as perseguições e com as falsas doutrinas, mas de vez em quando ocorriam alguns problemas. Atualmente os problemas entre os irmãos ocorrem com maior frequência.
- “pois todos fazem parte do rebanho do Senhor”, existem igrejas atualmente onde a liderança se dedica mais ao trabalho com os jovens, outras trabalha mais com casais, etc. O ideal seria que a igreja local trabalhe de igual modo com todas os departamentos.
__________________________________________
I - O CUIDADO COM O REBANHO

1. O cuidado com os anciãos (5.1).
- “se relacionar bem com os membros de diferentes idades”, professor(a), nesse ponto é interessante explicar para a classe que esses conselhos são úteis também para o caso de liderança de departamentos e outras atividades, para que o aluno não perca o interesse na aula achando que são ordenanças para pastores somente.
- “solicite-lhe; apela a ele como se fosse teu pai”, isso é dar honra aos mais velhos, toda a igreja observará e os mais jovens aprenderão o que significa honrar os mais velhos. Atualmente os mais idosos são muito desrespeitados onde quer que vão e na igreja eles precisam se sentirem honrados pelo povo de Deus. Muitos velhos passaram a vida inteira criticando o povo de Deus, agora precisamos mostrar parra eles que somos um povo de paz e que honra seus conservos idosos.

2. O cuidado com as mulheres idosas e viúvas (5.2).
- “membros da família”, a igreja deve ter um ambiente familiar, por isso nós nos chamamos de irmãos, pois pertencemos à família de Cristo. Os que são de fora observam isso em nós e essa conduta atrai a muitos.
- “continuem a crescer na graça e no conhecimento”, ou seja, para que adquiram a maturidade, pois não é por ser uma senhora ou um idoso que o crente tem maturidade. A maturidade pode ser a soma de três coisas: aprendizado+vivencia.
- “Não havia o serviço de previdência social”, e também naquela época as mulheres não tinha a facilidade para trabalhar como tem hoje.
- “por isso, a igreja deveria sustentar aquelas que”, por isso a igreja de Jerusalém vivia em comunidade, num modelo parecido com o socialismo, dessa forma eles conseguiam sustentar às viúvas e os órfãos.

3. O cuidado com os ministros fiéis (v.17).
- “não é fácil agradar a todos”, acho que na verdade é impossível agradar a todos sempre e esses líderes sempre estão em evidência, não é difícil achar neles alguma erro, pois são ser humanos como qualquer outro.
- “vivendo exclusivamente da igreja e para a igreja”, esses obreiros deixavam tudo, vendendo posses e doando na comunidade dos crentes. Atualmente as igrejas geralmente assalariam pastores, mas não assalariam os obreiros por falta de recursos. É interessante que o pastor trabalhe somente na igreja, pois os que tem emprego secular sofrem com a falta de tempo.
- “zelo pela manutenção dos obreiros”, Paulo defendia que a igreja deveria apoiar financeiramente seus obreiros, no caso aqui os líderes, e isso muitas igrejas fazem conforme as suas possibilidades.
_______________________________________
II - O TRATO COM O PRESBITÉRIO

1. Acusação contra os presbíteros.
- “presbíteros, ou pastores”, os presbíteros são cargos de ministro, equivalente à pastor, ao que parece esse cargo surgiu primeiro que o de pastor.
- “senão com duas ou três testemunhas”, essa orientação foi para evitar que rixas pessoais pudessem levar algum presbítero a perder seu cargo ou a sofrer alguma disciplina, e difícil duas ou três pessoas  conseguirem sustentar uma mentira.
- “Encobrir os erros daqueles...não é a solução”, na verdade pode ser a destruição, quando um erro é encoberto, por mais que se faça segredo na igreja, alguém saberá e será uma questão de tempo até todos ficarem sabendo e nome do ministério ficar manchado. Tudo pelo permissão de Deus que não aceita a conivência com o erro.
                
2. A repreensão aos presbíteros.
- “repreende-os na presença de todos”, lembrando que Paulo está se referindo ao presbítero, pois presume-se que ele é um servo e conhecedor do poder de Deus, porque não se deve repreender um membro que pecou na presença de todos, pois há risco de acabar com o resto de vida espiritual que ainda há nesse membro.
- “tiveram suas faltas comprovadas por testemunhas”, não se deve punir ninguém que não tenha sido ouvido e após a análise da liderança for comprovado o pecado do presbítero, aí então ele deve ser disciplinado. O ideal é que ele confesse seu erro e peça perdão à igreja, lembrando que estamos falando de um presbítero. As igrejas devem ter comissão de ética para avaliar esse tipo de ocorrência.
- “precisa ter muito cuidado para agir conforme a reta justiça”, atualmente estamos vivendo em um período que a justiça dá muitos recursos aos cidadãos, isso é bom, mas diante disso os pastores devem ter cautela com as disciplinas, principalmente com o que vão falar diante da igreja, pois se algum membro se sentir injustiçado e/ou constrangido pode acabar acionando a igreja na justiça. O próprio apóstolo Paulo manda que os irmãos não acionem outros na justiça dos homens 1 Co 6.1-5 Mas sabemos que muitos dos que estão nas igrejas não são crentes de verdade, EU DIRIA QUE ATÉ ALGUNS OBREIROS NÃO O SÃO!
- “ser feita de maneira criteriosa”, ter critério na aplicação da disciplina é seguir certo parâmetro ou lógica para se definir quantidade de tempo e tipo de disciplina. Se um obreiro perguntar: por que eu fui punido tantos meses e fulano com menos? Não se deve dar respostas do tipo: o pastor achou melhor assim!

3. O cuidado com a saúde (v.23).
- “Não sabemos ao certo o porquê de tal conselho”, quer dizer que não sabemos que tipo de efeito esse vinho poderia fazer para ajudar os problemas estomacais de Timóteo.
- “Sabemos também que o crente não deve beber vinho”, na verdade na Bíblia não está escrito uma proibição do crente beber vinho, apenas as recomendações, porém sabemos que as nossas tradições bem como a realidade de nosso país não nos permite fazer uso de qualquer bebida alcoólica, até mesmo as que estão sendo fabricadas sem álcool, mas que tradicionalmente estão associadas há um comportamento anticristão. Paulo declara:
“Por isso, se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize.” 1 Coríntios 8:13 Se devemos fazer isso quanto a carne, também devemos fazer quanto à bebida. Nesse texto Paulo está falando de comida oferecida à ídolos, mas a associação é válida.
- O principal argumento desse tópico é o cuidado que o obreiro deve ter com a saúde, existem seguimentos doutrinários modernos que não aceitam que um crente adoeça, afirmando que se isso ocorre é porque tal crente não teve fé o suficiente para ser curado. Essa doutrina é contra a soberania de Deus e deve ser rejeitada.
__________________________________
III - CONSELHOS GERAIS 

1. Aos que não respeitam a sã doutrina (6.3,4).
- “exposição sistemática e lógica das verdades”, significa que uma doutrina não surge de uma passagem ou de textos isolados. Uma doutrina é baseada em versículos dentro de seus contextos e analisados dentro de um contexto geral da Palavra de Deus. Quando se extrai uma doutrina de um ou dois versículos isolados de seus contextos, surge a heresia, que é afirmar que a Bíblia diz algo que ela não diz.
- “falsificando a Palavra”, usando a Palavra de Deus para enganar, afirmando que determinado texto fala algo para alguém, quando na verdade ele está falando outra coisa ou falando para outro tipo de pessoas.
- “seguindo os ensinos de Balaão”, veja o texto que fala acerca dos ensinos de Balaão:
“Mas algumas poucas coisas tenho contra ti, porque tens lá os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e fornicassem.” Ap 2.14 Esse Balaão após não poder amaldiçoar o povo de Deus Nm 23.8 largou uma semente do mau, aconselhando o rei Balaque que tirasse o povo de Deus da presença do Senhor, só assim ele poderia ser amaldiçoado. Nm 31.16 Os que seguem os ensinos de Balaão hoje são os que induzem o povo ao erro, usando para isso a própria Palavra de Deus. ISSO É REVELADOR, DÁ 30 MINUTOS DE PREGAÇÃO RSRSRS”

2. Aos que querem ser ricos (6.9,10).
- “que vivem buscando bens materiais”, se estão buscando bens materiais não estão buscando a Deus ou estão colocando Deus em segundo plano. A busca por bens materiais aos poucos tira o foco das coisas de Deus, a pessoa que começa uma obra com força e vigor e se deixa levar por essas coisas, fica com o bolso cheio de dinheiro, mas também fica fraco e vazio de Deus.
- “não é rico para com Deus”, Jesus afirmou que devemos ajuntar tesouros no céu, Mt 6.20 ter tesouros no céu é ser rico para com Deus. Quando fazemos o bem pelo Reino de Deus, estamos ajuntando tesouro no céu. Pergunte a classe onde cada um tem juntado o seu tesouro?

3. Conselhos aos ricos (6.17-19).
- “não depositem sua esperança na riqueza.”, significa confiar que a riqueza poderá livrá-lo de algo ruim. Alguns nessa confiança deixam de orar a Deus para Ele guardar a sua vida e de sua família, para Ele sustentar seu emprego e bens. Por isso muitos ricos dificilmente se achegam a Deus.
- “mas são necessárias ao bom testemunho”, o interessante é que as boas obras não salvam, mas as más obras lançam no inferno e se não tiver obra nenhuma está correndo o risco de ser aliciado por Satanás a abandonar a fé.
- “não entesoura para esta vida, mas para a futura”, muitos crentes da atualidade não almejam a vida futura, vivem somente pelo presente, investindo em cosias para esse tempo. Quando o nosso tempo acabar e formos nos apresentar diante de Deus, o que teremos de valioso para lhe mostrar.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “especial importância à manutenção dos obreiros”, inclusive as cartas a Timóteo e a Tito refletem sua preocupação com o futuro da Igreja depois de sua partida.
Devemos ter a mesma preocupação, os pastores devem preparar seus sucessores, não tratando com ciúmes os talentos novos que se apresentam e não vetando espaço aos obreiros com chamada para a obra de liderança. É triste mas existem muitos líderes pelas igrejas com o espírito de Saul, que tentou matar a Davi por ciúmes.

Marcos André – professor


Boa Aula!

- Esse esboço é gratuito, porém se alguém desejar ofertar para essa obra, fique a vontade, é só clicar aqui!
- Se alguém quiser acrescentar algo interessante ao esboço, mande para licks1996@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.