sexta-feira, 18 de setembro de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 12 - Revista da Editora Betel


AULA EM 20 DE SETEMBRO DE 2015 – LIÇÃO 12
(Revista: Editora Betel)

Tema: O Milagre do Livramento do Naufrágio

Texto Áureo: 2 Coríntios 4.11
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição você pode traçar o comparativo com as situações que nos envolve e como o Senhor nos conduz a fazer a Sua obra.
- “Paulo testemunhava aos grandes”, nessa desastrosa viagem, Paulo tem a oportunidade de testemunhar de Jesus ao centurião, ao capitão do navio, aos anciãos da ilha de Malta e depois a César. 
__________________________________________
1. Os ventos e a vontade de Deus.
- “ lhe disse para não temer”, quando alguém tem a fé no que está fazendo na obra de Deus consegue ficar tranquilo nas adversidades, não vemos Paulo entrando em desespero e nem passando desanimo para os companheiros.

1.1. Uma fiel testemunha de Cristo.
- “cumprir a ordem do Senhor que pôs em jogo a própria vida”, foi devido a esses homens que o evangelho atravessou os continentes e chegou a nós hoje. Quero dizer que se o evangelho dependesse da maioria dos crentes de nossa geração, ele ficaria apenas em Jerusalém.
- “oportunidade de aparecer diante de César, a quem havia apelado”, na sua audiência em Jerusalém, Paulo por ser também cidadão romano, usou do direito de ser ouvido pelo imperador.
- “o apóstolo era o capitão e os demais eram os prisioneiros”, interessante analogia, vejamos uma outra: para o mundo nós somos loucos e fanáticos, mas Deus nós somos os mais normais que existe e o mundo está cheio de loucos e fanáticos.

1.2. Discernindo os tempos.
- “conclusões de peritos e nas ciências”, conforme a ciência evoluiu, o homem passou a confiar mais nela do que em Deus.
- Veja o texto:
“Mas o centurião cria mais no piloto e no mestre, do que no que dizia Paulo.” At 27:11
- “pode destruir sociedades civilizações inteiras”, ensinando as pessoas a serem racionais e basearem suas decisões em fatos e não considerarem que existe um mundo espiritual onde o Criador habita e quer se comunicar com a criatura. Dessa forma as pessoas só buscam a Deus quando estão arrasadas, tristes, sem bens, desempregadas, etc.
- “havia passado por três naufrágios”, o naufrágio ocorre quando o barco encalha ou afunda e os sobreviventes são chamados de náufragos.
- “e alertou para o problema”, o detalhe é que o capitão da embarcação também tinha experiência, mas a sua experiência era terrena e decidiu prosseguir. O centurião que conduzia Paulo ficou no dilema, mas preferiu seguir razão científica.
- “certeza de que lhe abrimos a porta”, certeza de que tínhamos os sinais, mas decidimos tentar no caminho errado e por isso veio o problema.

1.3. O contraste entre Paulo e Jonas.
- “Jonas fugia de uma chamada; Paulo viajava para cumprir uma missão”, existem tempestades que nós buscamos pela rebeldia, foi o caso de Jonas e existem outras que o Senhor nos permite passar para nos levar a lugares que não iríamos se estivesse tudo bem, foi o caso de Paulo.
- “encorajava os passageiros”, nas adversidades os verdadeiros servos de Cristo tem as palavras para animar os que estão passando pela mesma prova.
- “Jonas foi disfarçado a dar testemunho”, não adianta aqueles que foram comissionados e alcançaram os dons espirituais, agora fugirem da missão de Cristo, vai acabar fazendo de uma forma ou de outra.
_____________________________________________
2. Perderemos o navio, as almas jamais
- “ser a diferença até mesmo em um naufrágio”, é pela boca de um servo de Deus que se ouve a pergunta: quer receber a Jesus como salvador? O servo de Cristo sempre será útil.

2.1. O encorajamento de um líder.
- “faz aflorar a verdadeira liderança”, os líderes cristãos são moldados nas adversidades. Aprendem a liderar na crise, o Senhor conta com esses, não adianta ser líder só na tranquilidade. Deus precisa de líderes para as provas de seu povo.
- “poupara todos eles somente por causa do Apóstolo”, e diria que Deus poupou a Paulo por causa de todos no navio e de todos na ilha de Malta, porque desejava anunciar-lhes a mensagem da Palavra de salvação.
- “conselhos abalizados”, conselhos construídos em cima de teorias científicas ou fatos.
- “nos fiando nas condições “ideais””, fiar é passar por dificuldades sérias, eles pensaram que aquelas condições eram as ideais para prosseguir, mas entraram na prova. Algumas condições que parecem ideais acabam arrastando o servo de Deus para a luta.

2.2. Deus me deu a vida de vocês.
- “Podemos dormir profundo no meio do rugido”, a tranquilidade vem no coração do homem pela certeza de algo, tanto Jonas como Paulo dormiram no meio da tempestade, Paulo pela certeza da vitória e Jonas pela crença de que havia conseguido escapar da mão de Deus.
- “O navio e a carga se perderiam”, as muitas cargas desse mundo impedem as pessoas de ouvirem a voz e de se relacionarem com Deus.


2.3. E todos se salvaram.
- “em comunhão com Ele, tornou-se benção para todos”, essa é a posição do crente que é coluna espiritual dentro da família, no trabalho, na escola. Através desses o Senhor salva a muitos.
- “pois era costume romano”, esse costume vinha do rigor militar de Roma, se um prisioneiro fugisse o responsável pela fuga muitas vezes pagava com a vida.
- “Júlio foi impulsionado a poupar a vida de todos”, note que ele foi impulsionado, às vezes pensamos que o livramento ou a benção veio pela mão de um homem, mas essa pessoa foi usada por Deus, impulsionada pelo Espírito Santo para nos abençoar.
________________________________________
3.  Vencendo as tempestades
- “situações que o Senhor nos coloca”, os verdadeiros servos de Deus andam direcionados pela mão do Senhor, se entram em provas foi porque Deus colocou ou permitiu.
- “aflorar em nossas vidas algumas qualidades e ações”, algumas provas são escolas de Deus para produzir líderes, e dar ao povo de Deus a experiência necessária para aconselhar outros.
3.1. Nem estrela, nem esperança.
- “perder a visão durante a tempestade”, sol e estrelas são elementos utilizados pelos marinheiros para a navegação, se faltasse esses elementos o navio ficava desorientado, atualmente existe o GPS que identifica o sinal de satélite, mas na época de Paulo as nuvens fecharam o céu. Assim acontece com as pessoas em uma provação, ficam desorientadas. Apenas o servo de Deus sabia o que fazer e para onde ia, é como se Paulo tivesse um GPS em pleno século primeiro.
- “podem esconder a face de Deus”, Deus sempre está presente, o problema é que alguns deixam de olhar para Ele em meio a tempestade e passam a olhar as ondas, os problemas.
- “a não utilização dos meios da graça”, esses meios da graça seriam a oração, o jejum, a intercessão. Às vezes, no meio de uma crise, o servo de Deus deixa de orar, então ele começa a perder a orientação de Deus.

3.2. Transformando adversidade em oportunidade
- “não lhe disse como chegaria lá”, Deus não trabalha com regras humanas, se o Senhor nos avisa que iremos à Europa não podemos afirmar que será de avião ou de navio, o Senhor sabe.
- “porque o Senhor nos comissionou”, ser comissionado pelo Senhor é receber uma missão. Passar por uma crise cumprindo uma missão de Deus, com certeza é melhor do que entrar nela por tomar caminhos errados.
- “a finalidade é nos transformar em bênçãos”, muitos homens de Deus, pregaram a Palavra com suas próprias vidas, se entregaram para a obra e não receberam horárias materiais, nem promoções e nem dinheiro por isso. Alguns obreiros atualmente só pregam se receberem algum valor ou esperam certo reconhecimento.
- “será a porta de uma grande oportunidade”, as portas que o Senhor nos abre são oportunidades para pregar a Sua Palavra, algumas referências mostram isso: 2 Co 2.12, Ap 3.8 Diferente das portas que anunciam nos cultos por aí.

3.3. Imitadores de Cristo.
- “identidade não pode ser nada além de Cristo”, o que nos identifica deve ser algo de Cristo em nossa vida.
- “no que Ele fez por nós, não no que fazemos para Ele”, a obra Dele na cruz deve aparecer mais do que as nossas obras. O que fazemos não deve ofuscar o que Deus fez por nós.
- “um aconselhamento especializado”, às vezes alguns de nossos amigos não estão na mesma visão espiritual que nós e aconselham segundo as suas experiências e concepções humanas. 
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “servem para revelar o caráter do cristão”, seja para mostrar os fieis ou revelar os infiéis, Deus pode mexer algo para a obra não venha a sofrer mais tarde.
- “a fé nos permite ver”, por isso os crentes devem sempre fazer manutenção de sua fé. Orando, pedindo, jejuando e lendo a Palavra de Deus.

Marcos André – professor

Boa Aula!

6 comentários:

  1. Amo os seus esboços obrigado, sugiro criação de Slides das lições.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Ivanildo, obrigado por essa sugestão maravilhosa, mas eu não tenho tempo para fazer, estive pensando em fazer videos, o que vocês acham?

      Excluir
  2. Vídeos seria muito bom meu pastor... Parabéns pelo trabalho e que Deus continue te abençoado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, o vídeo seria para explicar superficialmente cada tópico, para dar um auxílio aos professores.

      Paz.

      Excluir
  3. Um vídeo seria bom pra dar um maior respaldo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, mas eu ainda tenho alguns problemas para editar, por isso ainda não fiz.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.