sexta-feira, 30 de outubro de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 5 - Revista da Editora Betel


AULA EM 1º DE NOVEMBRO DE 2015 – LIÇÃO 5
(Revista: Editora Betel)

Tema: Judas Iscariotes, Um Apóstolo Dominado Pela Carne

Texto Áureo: 1 Coríntios 10.11
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição se concentre na ação satânica no interior do ser humano, mostre como o inimigo opera na mente e no coração humano.
- “foi o escolhido por Jesus para ser um dos doze”, ele foi escolhido para fazer o bem e não para um fim maligno. Satanás jamais saberia quem haveria de ser o traidor, observamos o inimigo agindo muito em Pedro.
- “expulsava demônios e curava os enfermos”, sabemos que Judas já tinha um coração carnal, notamos assim Deus pode usar qualquer um, ninguém deve ficar admirado se um crente operar maravilhas pelo poder de Deus e depois for descoberto seus pecados ocultos.
__________________________________________
1. Judas, o traidor
- “durante a sua caminhada algo terrível aconteceu”, os problemas ocorrem durante a caminhada, no dia-a-dia da obra, alguns crentes iniciam a vida espiritual como invencíveis, mas vão relaxando na devoção, oração, jejum, leitura e meditação da Palavra, então o inimigo encontra uma brecha para entrar.
- “passou a roubar”, ele roubava do dinheiro do qual era responsável para guardar. Jo 12.6 Com certeza ele começou subtraindo pequenas quantidades achando que isso não tinha nada a ver, depois passou se assumir como ladrão.

1.1. A enigmática vocação de Judas.
- “como que em repúdio à sua vergonhosa carreira”, sabemos que o evangelho foi escrito bem depois da ressurreição de Jesus, isso explica porque muitos fatos sobre Judas são omitidos, com certeza Judas fez algo de bom, porém não há nenhuma narrativa acerca disso, o que não diminui a veracidade da inspiração da Bíblia.
- “Todas essas suposições são plausíveis”, existe uma outra suposição muito conhecida: talvez Judas esperasse ser Jesus o Messias que haveria de vir e por ser Judas um dos zelotes, ele esperava que o Messias lutasse contra Roma.

1.2. As reais convicções de Judas.
- “tanto as riquezas dos ensinamentos”, isso confirma que é possível alguém receber a revelação da Palavra e ter conhecimento acerca de Deus e não conhecê-lo de verdade. Judas teve contato com a verdade, mas não conheceu a verdade, por isso não foi liberto.
- “Alguns expositores”, são aqueles que comentam sobre as Escrituras Sagradas em livros, trabalhos acadêmicos ou artigos.
- “afirmam que Judas se decepcionou”, quer dizer que ele tinha expectativas acerca do Messias e num certo momento descobriu que essas expectativas não seriam atendidas.
- “um Messias de acordo com a ideologia de seu povo”, o povo esperava um Messias que os libertasse do julgo romano, que fizesse guerra a Roma e a humilhasse assim como Moisés fez no Egito. Mas a proposta de libertação de Jesus era espiritual e não física.
- “essa admiração passou com o tempo”, todos se admiram de Jesus no início, mas com o ensino da Palavra as pessoas vão conhecendo quem Ele é de verdade e passam a ter temor Dele e a amá-lo.

1.3. Por que Jesus escolheu a Judas?
- “Se Jesus sabia que Judas iria traí-lo, por que o chamou?”, essa pergunta tem semelhança com algumas outras: Se Deus sabia que Satanás iria pecar, por que o criou? Se sabia que Adão pecaria porque colocou aquela árvore no jardim? A resposta dada na lição serve também para as outras perguntas.
- “Ele dá as opções e nós tomamos as decisões”, a árvore da ciência do bem e do mal no meio do jardim era a opção que Adão e Eva tinham, e Judas também tinha suas opções assim como todos os apóstolos. Em uma ocasião o Senhor deu as opções aos discípulos:
“Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos?”
Jo 6.67
Na ocasião Pedro respondeu:
“Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna” Jo 6.68
- “livre arbítrio”, é a capacidade de realizar escolhas, mesmo os que são servos de Deus estão escolhendo o tempo todo, estão o tempo todo usando seu livre arbítrio.
- “quando Ele nos escolhe e comissiona”, comissionar significa dar uma comissão, ou seja, um encargo.
- “todos fazem suas opções”, até mesmo aqueles eu ainda não conhecem a Jesus e nem a Palavra de Deus, sabem que há coisas erradas e coisas certas. Esse tipo de conhecimento está escrito na alma do ser humano.
_____________________________________________
2. Quando o profano vence o santo
- “a entrada de Satanás em sua vida”, é o mesmo processo que se dá com os crentes que se desviam hoje em dia, até as decisões carnais que tomam são influencia de Satanás.

2.1. Entrou, porém, Satanás.
- “uma traição tão absurda como a de Judas”, existe uma teoria que afirma que Judas estava tentando provocar o Messias, supondo que se Ele fosse preso pelos judeus e entregue aos romanos, Ele se levantaria e destruiria os inimigos do povo de Deus. Mas isso é somente uma teoria.
- “E ele só precisa de uma pequena brecha”, às vezes o crente é uma benção na Palavra, mas ora muito pouco, ou ora bem e lê a Palavra, mas não vigia com as amizades e por aí vai.
- “matou as certeiras convicções de Judas”, uma das convicções que Satanás matou em Judas foi a de que Jesus é o Messias, além de outras, e quando alguém tem dúvidas a respeito disso perde o ânimo de lutar por Ele.
- “conduziu Judas ao extremo de eliminar a própria vida”, uma das razões que leva uma pessoa a se matar é a perda de toda a esperança. Foi o que aconteceu com Judas.

2.2. Judas personificou o mal.
- “ele fazia parte do grupo que as compreendia”, Judas representa o crente que adquiri o conhecimento, mas o conhecimento não o transforma. Isso acontece o tempo todo em nossas igrejas.
- “Mas a verdade não criou raízes em sua vida”, é possível a pessoa estar em contato com a verdade e não conhecer a verdade, Judas mostrou isso, é como alguém andar com uma pessoa e não a conhecer na intimidade.
- “Da mesma maneira que Satanás tramou na eternidade”, se referindo ao tempo em que o inimigo era um anjo no céu. Ali ele tramou contra Deus. Is 14.14
- “Judas não se firmou na Terra ao lado de Jesus”, essa forma de comparação pode não ser muito boa, pois Judas não visava ser mais do que Jesus como era o propósito de Satanás no céu.

2.3. A porta de entrada de Satanás.
- “João denuncia que Judas era ladrão”, quer dizer que ele já possuía um coração inclinado ao mal. Com isso não seria muito difícil o inimigo entrar.
- “talvez esperasse que Judas caísse em si”, se acreditarmos que Jesus não sabia quem seria o traidor (o que era possível) então podemos entender que Ele esperasse algo de Judas, mas se entendermos que Jesus já sabia quem seria o traidor, diante disso acreditamos que Ele não esperasse mais nada de Judas, apenas estava com ele para cumprir a justiça. São duas situações a serem consideradas.
- “mas não significava que fosse Judas”, nesse caso o comentarista está considerando nem Jesus saberia se seria Judas o traidor.
- “alimentando sua fútil ganância pelo dinheiro”, devemos considerar também que Judas era um zelote, e isso pode ter influenciado a sua decisão, uma vez que os zelotes lutavam contra o domínio romano. É possível que no início Judas tenha acreditado que Jesus seria aquele que os libertaria e depois tenha se iludido.
- “ele conseguia viver de mentira”, como afirma a palavra de Deus em Ap 3.1:
“E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto.”
________________________________________
3. Quando o enganador é enganado
- “a única porta que encontrou para escapar foi a da morte”, possivelmente ele perdeu a esperança de ser perdoado.

3.1. O pior negócio da história.
- “abriu mão da única pessoa que poderia perdoá-lo”, assim ocorre com muitos irmãos, são enganados por Satanás e erram, e ao invés de pedirem perdão simplesmente abandonam a Cristo. Como o salmista falou, um abismo chama outro abismo.
- “Sua ficha só caiu quando as moedas estavam em suas mãos”, foi aí que ele percebeu o mal que havia feito, assim ocorre com os traem e abandonam Jesus, quando recebem o pagamento que o mundo oferece se dão conta do mal que fizeram a si mesmo.
- “ele usa esse erro para nos envergonhar e nos escravizar”, uma grande dificuldade para os que erraram com Jesus uma vez é aceitar que Ele nos perdoa e nos recebe de novo. Satanás sempre fica acusando e fazendo a pessoa lembrar do que fez.
3.2. O prêmio da iniquidade.
- “É isso que o inimigo promove”, o pagamento pela iniquidade vem do próprio Satanás, mas antes de Satanás entregar seu pagamento a pessoa perde coisas e a primeira coisa que o crente perde ao trair Jesus é a autoridade, não consegue mais orar ou ler a Bíblia, depois vem o pagamento do diabo.
- “é a perda total da moralidade”, no caso de Judas todos o odiavam e também ele se odiava, somente Jesus ainda o amava.

3.3. Um alerta para quem serve a Deus.
- “Agur nos fala sobre o caminho da cobra na penha”, o sábio chega a dizer que não conhece Pv 30.18b
- “se o local por onde passou estiver limpo, ela jamais encontrará o caminho de volta”, essa limpeza é a representação do que Jesus faz no coração humano.
- “Havia nele uma marca de Satanás, a mentira”, a serpente o havia visitado anteriormente, mas ele não deixou Jesus limpar a sua vida e por isso a serpente achou o caminho de novo.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “não teve valor algum quando esteve em seu poder”, nesse momento pesou mais a atitude que ele tomou para conseguir o seu objetivo. Ele traiu o Mestre.
- “Esta pode ser a surpresa de muitas pessoas”, se refere à surpresa de descobrir que aquilo que desejaram suas almas, na verdade não tem valor nenhum.
- Faça o resumo e passe os pontos mais importantes.

Marcos André – professor

Boa Aula!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.