quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 11 - Revista da Editora Betel


AULA EM 13 DE DEZEMBRO DE 2015 – LIÇÃO 11
(Revista: Editora Betel)

Tema: Calebe: Um exemplo de Visão, Coragem e Perseverança

Texto Áureo: Josué 14.11
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição procure enaltecer a atitude de Calebe e mostre como alguns irmãos podem causar tanto dano nas igrejas hoje assim como aqueles espias causaram no passado.
- “como a incredulidade pode nos afastar das promessas”, se refere ao fato ocorrido logo após a volta dos espias que Moisés havia enviado. Nm 13.18,19
- “reagir diante das adversidades”, adversidades são situações incomuns que fogem ao nosso controle.
- “perseverar no Senhor”, como fez Calebe ao se manter na fé diante das palavras dos espias.
__________________________________________
1. Os malefícios da incredulidade
- “expor um relatório completo de tudo”, eles deveriam permanecer neutro na exposição do relatório, só falar do que viram e ouviram.

1.1. A influência negativa dos olhos.
- “a terra da promessa era fértil e abundante”, a Palestina fica numa região conhecida como Crescente Fértil, devido a ser uma faixa de terra produtiva em meio ao deserto.
- “Que prova a mais esse povo necessitava?”, não aprenderam nada com Abraão, nosso pai da fé.
- “O povo não falhou diante da Terra Prometida”, quer dizer que o povo não falhou ao ouvir o relatório dos espias, mas somente pelo fato de eles não crerem de todo o coração já era uma falha. Até hoje nós pensamos que alguns irmãos caem em pecado de repente, mas nada é de repente, com certeza já vinha falhando na fé.

1.2. A influência negativa de um discurso.
- “não para fazer cálculos negativos de si mesmos”, eles não deveriam nem ter a oportunidade de falar diante da congregação, o relatório deveria ser somente para Moisés e seus auxiliares.
- “eles mesmos se inferiorizaram”, o problema é que eles se inferiorizaram e seus comentários aliciaram o povo. O problema de alguns irmão que tem uma visão negativa de si mesmos é que eles tentam puxar outros para seus ponto de vista espalhando a falta de fé e o medo.
- “eles viram a questão de outra forma”, há grande diferença na visão de um para outro irmão, às vezes um irmão de classe média enxerga a sua situação com um grande pesar, enquanto um outro bem mais pobre financeiramente está dando graças por sua vida.
- “poder que os havia libertado do Egito”, estavam olhando para o passado e vendo o poder de Deus e crendo. Assim nós devemos fazer sempre, visualizar o passado e enxergar os sinais que Deus operou tanto em nossas vidas como na vida de nossos irmãos e na Palavra.
- “Tanto a confiança quanto a incredulidade contagiam”, basta alguns crentes animados para animarem todo o ministério de uma igreja e basta alguns crentes desanimados para desanimarem os demais. Cada um precisa estar seguro na Palavra e firmado na Rocha para não ser influenciado por palavras desanimadoras.

1.3. O benefício de uma sábia decisão.
- “nele houve outro espírito”, a palavra espírito aqui não se refere a uma entidade espiritual e sim ao ânimo da pessoa. Quer dizer que Calebe teve outro ânimo, agiu de forma diferente.
- “levarei à terra em que entrou”, parece se referir ao local exato onde ele espiou.
- “Ele escolheu ser odiado pelo povo”, a Bíblia não afirma que ele foi odiado pelo povo, mas podemos supor pelo fato de ele ter decidido ficar contra o povo e depois só ele e Josué receberam a promessa da vitória.
_____________________________________________
2. A confiança em Deus
- “condenado a andar em círculo”, o povo fez uma grande volta sendo guiados pela nuvem, andando e parando conforme o Senhor determinava, por isso demoraram tanto para fazer aquela caminhada.

2.1. Uma profunda confiança em Deus.
- “confiança que subjugava o medo”, não quer dizer que ele não tivesse medo, ele apenas não deixava o medo lhe dominar. O medo é uma reação natural e defensiva do corpo e mente, a pessoa não deve ser dominada pelo medo.
- “maximiza o problema”, torna o problema de proporções máximas.
- “éramos aos nossos olhos”, como se dissessem: “nós nos víamos como gafanhotos diante deles.
- “Eles incendiaram a alma do povo”, alguns irmãos que tem oportunidades nas igrejas não se dão conta de que suas palavras podem rachar um ministério, destruir amizades e até afastar alguém da presença de Deus. É preciso ter muito cuidado com o que vai se falar nos microfones das igrejas.

2.2. O poder de reação diante da adversidade.
- “mas como reagimos diante delas”, a nossa reação diante de uma situação adversa pode fazer toda a diferença, alguns pessoas se desesperam e tomam decisões erradas ou precipitadas, mas o servo de Deus deve confiar no Senhor.
- “se é vista desde Sua ótica”, ver pela ótica de Deus é considerar os problemas apenas como obstáculos a serem superados, é a certeza de ter que lutar, mas com uma certeza maior ainda da vitória.
- “teremos a força necessária para superar os obstáculos”, o ânimo é o que nos mantém de pé na luta, por isso Calebe teve forças para viver mais 45 anos com o mesmo vigor de antes. O que dava esse ânimo a Calebe era a fé na promessa, a fé em Deus. Se hoje alguém quiser manter o vigor nas adversidades deve buscar essa fé. Meditar na Palavra de Deus é a chave para essa busca.
- “não vê Deus porque se fixa nas circunstâncias”, como ilustração temos Pedro andando sobre as águas em direção a Jesus, num momento em que ele deixa de olhar para Jesus e começa a se concentrar nos ventos e nas ondas ele começa a afundar.

2.3. Uma confiança inabalável.
- “não o deixaria morrer sem que essa palavra se cumprisse”, isso é obvio, pois a promessa de Deus foi bem específica, porém aqui não cabe sustentar aquela doutrina de que “quem tem promessa não morre”, ainda que Deus faça promessas o crente deve continuar cuidando de sua fida espiritual e de sua saúde. Crente que tem promessa tanto está suscetível a morrer como a se desviar.
- “mesmo o deserto consumindo a todos”, as pessoas iam morrendo aos poucos conforme o passar do tempo, não foi de repente. De sorte que a geração que entrou na terra prometida nasceu no próprio deserto, apenas Josué e Calebe saíram do Egito e entraram na terra de Canaã.
- “quarenta e cinco anos de humilhação”, talvez não seja correto considerar que foram anos de humilhação, pois todos iam morrendo a sua volta enquanto ele permanecia com saúde. Podemos imaginar Calebe agradecendo a Deus todos os dias pela grande benção que ele estava desfrutando.  
________________________________________
3. A vitória da perseverança
- “reação de um povo impactado pelo medo”, aquela geração estava se acabando e agora estava se levantando uma geração nova que alcançaria a vitória pela fé, pois buscariam uma terra da qual não viram acreditando e confiando em sinais que não vivenciaram como as pragas e a abertura do mar, isso é fé.
- “remar contra a maré”, basicamente significa fazer quando todos estão fazendo a mesma coisa.

3.1. A terra que pisou o teu pé.
- “da terra que pisou o seu pé”, essa foi a promessa relatada em Dt 1.36 mostrando que Deus deu a ele o local exato onde ele espiou. Uma hipótese explica o porque de Deus ter dado a ele a terra onde ele pisou: Calebe observou o que aquela terra tinha de melhor e isso lhe ajudou, por isso Deus deu a ele tudo o que ele achou maravilhoso.
- “Calebe quis o plano original”, mesmo demorando tanto, ele ficou até o fim, não quis ajudar Deus e nem mudou seu foco para outra direção, e olha que ele esperou 45 anos.
- “forma de agir e pensar se destacou diante”, todos estamos sendo observados por Deus e pelos homens. Nossa forma de agir fará com que as pessoas formem opiniões a nosso respeito, isso ajudará na hora da evangelização.

3.2. Perseverança, a chave da conquista.
- “perseverança”, é a capacidade de se manter na luta, visando alcançar um objetivo.
- “chave que pode abrir a porta da esperança”, às vezes a falta de esperança ocorre porque a pessoa não vê nenhuma possibilidade de melhora, mas talvez ela não esteja vendo naquele momento, mas quando há perseverança a pessoa começa se manter na luta e então começa surgir uma esperança de que as coisas podem melhorar.
- “que se constrói um caráter forte”, a caráter da pessoa vai se formando com o tempo, conforme a pessoa vai treinando sua perseverança ele vai moldando seu caráter, se tornando um cristão melhor.

3.3. Praticantes, não somente ouvintes.
- “envelhecer no Senhor”, significa passar o tempo e ficar velho, perder o ânimo inicial, alguns ficam formalistas e outros ficam céticos.
- “crescer no Senhor”, significa adquirir maturidade, ficar madura na presença de Deus.
- “Assim é a Palavra ouvida sem a prática”, a pessoa pensa que está bem porque aprendeu algo a mais na obra de Deus, mas em seguida retorna a suas práticas errôneas. Isso ocorre porque não é o conhecimento que dá força para resistir ao pecado, mas a prática devocional, por isso há muitos teólogos que caem na fé. Diante da crença de que estão bem, relaxam na oração e jejum.
- “fórmula que produza cristãos amadurecidos”, só o tempo na caminhada, a vida devocional e o conhecimento podem amadurecer o cristão.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “quarenta e cinco anos errante pelo deserto”, não foram quarenta e cinco anos errantes pelo deserto, foram quarenta anos caminhando guiados pela nuvem e cinco anos de luta pela conquista da terra.
- “expulsou os mesmos gigantes”, Calebe recebeu como herança aquela terra, com gigantes e tudo e não precisou de toda a nação para expulsá-los.
- Faça o resumo e passe os pontos mais importantes.

Marcos André – professor

Boa Aula!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.