sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

ESCOLA DOMINICAL - Esboço e Subsídio da Lição 4 - Revista da Central Gospel


AULA EM___DE______DE 2016 – LIÇÃO 4
(Revista: Central Gospel - nº 45)

Tema: LIVRO DOS SALMOS PARTE I (Sl 1 – 41)

Texto Áureo: Lucas 1.32,33
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição é interessante que você dê uma olhada em todas as referências apresentadas no conteúdo.
- “título original hebraico é “Tehillim”, esse título está no Tanakh (a Bíblia em hebraico). O nome Salmos é da Septuaginta.
- “homem segundo o coração de Deus”, esse título dado a Davi não o isentou de cometer pecados que consideramos de grande gravidade, por ser ele também um homem falho como nós. Por isso devemos considerar os Salmos como os escritos de alguém carente de Deus, como nós.   
_______________________________________________
1. PANORAMA DO LIVRO DOS SALMOS
- “som de instrumentos de cordas”, isso porque os Salmos eram acompanhados originalmente com a harpa.
- “cada aspecto da vida cotidiana”, ao lermos os Salmos percebemos que os cantores narravam coisas do dia-a-dia.
- “também de tristezas, lutas, desafios”, o livro de Salmos segue o padrão de toda a Bíblia, jamais encobrindo a fraqueza humana. Veja:
“Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos.” Sl 73.2 Poucos pastores teriam coragem de declarar isso hoje em dia.

1.1. O caminho intelectual para a felicidade
- “governo soberano do altíssimo”, os Salmos mostram a grandeza de Deus e a necessidade do homem em buscá-lo e de estar debaixo de Sua proteção.
- “trilogia”, conjunto de três palavras, histórias ou argumentos.
- “bem-aventurança”, melhor interpretação é “felicidade”.

1.1.1. Relação entre conselho e pensamento humano
- “não adota o padrão de vida do ímpio”, se referindo à argumentação: “Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios...” Sl 1.1a, não adotar o padrão ímpio de viver, é não ter os mesmos pensamentos dos ímpios.
- “desperdício de bens”, se refere ao consumismo e extravagâncias.

1.1.2. Relação entre caminho e imitar ou ser companheiro de alguém
- Se referindo à parte do Salmo 1.1 que afirma: “nem se detém no caminho dos pecadores...” Sl 1.1
- “agir como os grandes homens e mulheres de Deus”, existem excelentes exemplos dentro das igrejas para imitarmos, mas infelizmente às amizades do mundo tem levado muitos jovens para o caminho das drogas, álcool, tráfico e outras práticas terríveis.

1.1.3. Relação entre roda e pertencimento ao grupo
- Se referindo ao “nem se assenta na roda dos escarnecedores.” Sl 1.1
- “cuidado com o jugo desigual”, se referindo à passagem onde Paulo afirma:
“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” 2 Co 6.14 Leia isso na classe, o texto fala por si só.

1.2. A meditação na Lei do Senhor
- “proferir sons baixos”, era a forma do judeu considerar um assunto muito importante, comentando consigo mesmo com grande concentração. Seria mais do que simplesmente pensar a respeito.
- “analisando o que precisa ser mudado”, é o julgamento de nós mesmo segundo a Palavra do Senhor. Pergunte aos alunos se cada um tem colocado isso em prática na sua vida.

1.3. O destino dos justos e dos pecadores
- “nunca tem sede da verdade”, a comparação afirma que a árvore plantada perto de um córrego, está sempre com a folhagem bonita porque suas raízes captam água desse córrego. Assim é o crente que sempre lê e medita na Palavra de Deus.
 ________________________________                
2. TRIBULAÇÃO E ALENTO NA CAMINHADA CRISTÃ
- “um salmo de confiança”, por expressar a confiança em Deus.
- “servido de consolo”, muitos são os testemunhos de que a meditação nessas palavras geraram fé e grande livramento das aflições.
- “revela o cuidado”, a fé com base na Palavra e principalmente nos moldes desse salmo, é uma fé forte e audaciosa.

2.1. A suficiência e a vida cristã
- “é como o de um pastor de ovelhas”, isso devido ao cuidado que Deus tem por nós. O pastor era um vigia sempre atento à chegada do lobo, assim como devem ser os pastores das igrejas hoje.
- “nada faltava às ovelhas”, o pastor estava sempre empenhado em levar o rebanho para um pasto verde e para onde houvesse água.

2.1.1. O pastor e seu rebanho
- “características peculiares”, características particulares que os identificavam.
- “conheciam a diferenças de suas ovelhas”, isso porque eles conviviam muito tempo com o rebanho, as ovelhas para eles não eram somente um monte de animais, uma quantidade. Assim devem também ser os pastores atualmente, conhecer a necessidade do povo de Deus sob sua responsabilidade.
- “descansamos em paz”, porque sabemos que o Senhor conhece nossa necessidade. Alguns crentes andam desesperados em tudo que é ponto de pregação atrás de revelação e milagres, porque não conhecem o pastor das ovelhas.

2.1.2. O provedor de toda suficiência
- “não significa...ter em abundância”, algumas teologias tem pregado que o crente precisa ter muitos bens materiais e que essa é a vontade de Deus. Por causa disso existe no meio das igrejas uma grande massa de pessoas que esperam receber muitos benefícios financeiros entre outros. Muitos deles ficam decepcionados quando não recebem o que pediram.
- “a resposta das ovelhas”, seria a reação dos servos de Deus diante dessa palavra.

2.2. A confiança no pastor
- “toda nossa ansiedade”, a ansiedade é o sentimento de inquietação aflição e impaciência diante de algo que se espera.
- “fios de nossa cabeça...por Ele contados”, quer dizer que Deus tem o controle da natureza e que se algo acontece conosco foi pela Sua permissão.

2.3. O pastor dá a vida pelas ovelhas
- “o bom pastor dá vida por suas ovelhas”, essa era uma característica dos pastores palestinos, geralmente os rebanhos eram pequenos e faziam parte pouca fonte de renda da família, por isso eles lutavam colocando a vida em risco diante dos ataques dos lobos e leões, por isso Jesus fez esse tipo de comparação com Ele o nosso pastor, que deu a vida por nós.
________________________________________
3. OS SALMOS MESSIANICOS
- “salmos messiânicos”, são os salmos que tratam do Messias prometido.

3.1. Cristo como Rei poderoso
- “o seu ungido [...] o Ungido do Senhor”, este é o significado da palavra Messias.
- “entrada gloriosa do Redentor”, Jesus veio à Terra e comprou com Seu sangue um povo para o Senhor, após isso foi assunto ao céu sendo recebido à destra de Deus e assentando ao Seu lado no Trono. Provavelmente o salmo 24 se refere a esse evento da ascensão do Senhor.

3.2. A eternidade e divindade do Filho de Deus
- “encarnação de Cristo”, também chamado de advento de Cristo, se refer ao fato de o Filho de Deus ter vindo em carne.
- “vaticínios de Isaias”, são as profecias acerca Dele.
- “cumpre também a profecia do Salmo 40.7”, Jesus entrou na sinagoga em Nazaré e abriu o rolo e após ler anunciou o cumprimento da profecia de Isaias 61.1,2 e assim estava cumprindo o Salmo 40.7.

3.3. Os sofrimentos e o sacrifício do Messias
- “chegam a ser profecias literais”, o cumprimento exato dessas profecias não fizeram com que os judeus cressem nele, pois estavam cegos. Haviam sido enganados pelos intérpretes das profecias da época.
______________________________________
CONCLUSÃO
- “cumprindo-se nos mais recentes”, por isso dizemos que a Bíblia se auto interpreta.
- “é a exortação”, a exortação é um encorajamento. Para que a pessoa se anime a fazer algo necessário.
- “renovação da vida espiritual”, se nós lermos o livro de Salmos como uma oração e louvor a Deus, então nos sentiremos fortalecidos e renovados espiritualmente, mas é necessário ler com o mesmo coração do escritor, um coração segundo o coração de Deus.
- Corrija o questionário e faça o seu resumo.

Boa aula!

Marcos André – professor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.