sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

ESCOLA DOMINICAL CENTRAL GOSPEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 5 - Revista Central Gospel



AULA EM___DE______DE 2016 – LIÇÃO 5
(Revista: Central Gospel - nº 45)

Tema: LIVRO DOS SALMOS PARTE II (Sl 42– 72)

Texto Áureo: Hebreus 11.13
 _________________________________________
 PALAVRA INTRODUTÓRIA
- Professor(a), nesta lição tente mostrar como os salmos servem para o nosso dia a dia.
- “atribuída toda a compilação”, a compilação é uma cópia feita a mão, exatamente igual ao original. Quer dizer que Salomão copiou o salmo de outros autores para juntar no compêndio do livro de Salmos.
_______________________________________________
1. O CRISTÃO E A ADVERSIDADE
- “passaram por grandes angustias”, isso combate a ideia do evangelho triunfalista que ensina que o crente não pode passar por dificuldades, os falsos pregadores desse tipo de doutrina afirmam que o crente que passa por aflição não tem fé ou não sabe exercitar a fé.
- “a enfrentar os momentos de dor”, professor(a), diga aos alunos que as lutas passam e a vida do home e da mulher de Deus deve seguir adiante, porque existem alguns crentes que remoem as aflições no coração, por isso estão sempre pra baixo. As palavras desses salmos são um auxílio para enfrentar essas provas.
- “reconhecendo a soberania e misericórdia de Deus”, significa entender que tudo está no controle de Deus, isso ajuda a acalmar o coração.

1.1. O dia da angústia
- “suas lágrimas servem de mantimento”, essas palavras declaram duas coisas, uma é que o salmista não come em decorrência da aflição e a outra é que ele chora constantemente.
- “limiar da morte”, limiar significa fronteira, beirada. Como se Jó dissesse que para morrer, basta estar vivo.

1.1.1. O cristão e o sofrimento
- “mensagens monotemáticas”, são mensagens com temas e assuntos repetidos. Com a riqueza de conselhos, exortações, exemplos, parábolas, figuras e diversos textos com que Deus fala ao homem, ainda assim alguns pregadores conseguem falar a mesma coisa sobre determinadas passagens.
- “triunfalismo”, sistema de doutrinas que ensinam que o cristão deve sempre – “apesar de bem-intencionada”, podemos arriscar a dizer que nem todos são bem-intencionados com essas mensagens.
- “fortaleza nas fraquezas”, o crente também sente tristeza, é enganoso a afirmação de alguns que dizem que o crente não se entristece, porque no reino de Deus a fartura de alegria. A diferença é que a tristeza do crente não é permanente e sim temporária.

1.2. O silêncio de Deus
- “compreender o silencio de Deus”, é fato que em algumas ocasiões o Senhor não fala conosco ou demora a responder e em outros casos a resposta não é favorável.
- “de quem acredita ter sido esquecido por Deus”, embora esses servos tenham questionado o Senhor, não pecaram nisso, pois o fizeram pela intimidade que tinham com o Pai e como se vê nesses Salmos a soberania de Deus é sempre colocada em primeiro plano.

1.2.1. As lições da voz que se faz silente
- “maior evidência de fé...não se cumpre nessa vida”, a fé é o combustível do crente, ela só pode ser notada quando Deus se cala, quando recebemos a vitória a fé é fortalecida momentaneamente, mas se não investirmos ela estaciona. Essa fé será extremamente necessária nos períodos em que o Senhor não falar conosco.
- “verdades que lhe são exclusivas”, quer dizer que nem tudo Deus nos revela, nem sempre o Senhor irá falar. Alguns crentes se enfraquecem quando Deus não usa um profeta pra ele, isso acontece porque eles são fracos na fé.


1.3. Qual deve ser a resposta do cristão diante dos momentos de angústias?
- “uma manifestação teofânica”, é a manifestação da divindade em forma humana.
- “é seu próprio consolo”, essa esperança é a fé, pois ele espera aquilo que não vê, por isso a resposta do cristão nos momentos de angústias é ter fé.
________________________________                 
2. O GRITO DO ÍMPIO
- “a lidar com a intolerância”, essa intolerância pode ser exemplificada já no Salmo 42, veja: “enquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus?” Sl 42.3
- “exalarmos o amor do Mestre”, quando tratamos os ímpios com tolerância, confiando em Deus e deixando tudo nas mãos de Deus, passamos para as pessoas que Jesus é bom e que seus servos expressam a Sua bondade.
- “persecução”, é o mesmo que “perseguição”.

2.1. A perseguição por causa da justiça
- “além de sofrerem escárnio, sem causa aparente”, é interessante notarmos que a zombaria e o escárnio são realidades para muitos crentes, por isso os Salmos é um livro atual.

2.2. A vida cristã e a perseguição
- “o evangelho nunca foi extinto”, quanto mais foi perseguido mais se espalhou. Foram nos momentos de perseguição que o evangelho teve um maior crescimento.
- “olhos fitos em Cristo”, quando o cristão está focado em Jesus ele sente pouco as perseguições. Podem até doer, mas não param a caminhado de quem está olhando para Cristo.

2.3. A resposta ao ímpio e ao perseguidor
- “Sermão do Monte”, também conhecido como sermão das bem-aventuranças, está em Mateus 5,6 e 7.
- “a lógica vigente”, é a lógica da lei, do olho por olho e dente por dente. Hoje a lógica é do bateu levou.
- “proposição revolucionária”, essa proposta de Jesus já conta quase dois mil anos e ainda hoje é desafiador para todos os crentes.
- “época em que...incentivam a vingança”, se referindo à época atual em que os hinos clamam pela vingança contra os inimigos dos servos de Deus, e ensinam que há um monte de invejosos nas igrejas.
________________________________________
3. O PECADO E ARREPENDIMENTO NA VIDA CRISTÃ
- “texto penitencial”, texto que ressalta a penitência, a obediência.
- “contexto do poema”, é a situação que Davi estava vivendo naquele momento, o profundo arrependimento pelo pecado.

3.1. O homem é passível ao erro
- “isso não impediu que ele cometesse adultério”, isso mostra que não importa o quanto somos fiéis, ou tenhamos cargos nas igrejas, ou sejamos usados por Deus, se não vigiarmos poderemos cair em tentação.
- “espiritualmente confortáveis”, são aqueles momentos em que deixamos de orar, jejuar e até de ira a igreja, achamos que estamos fortes.

3.2. O ser humano é responsável pelo pecado
- “tente a colocar a culpa de suas transgressões”, logo após pecar Adão já colocou isso em prática, culpando Eva e Deus pelo seu erro.
- “pela sua própria concupiscência”, a concupiscência é o deseje exagerado do ser humano, os desejos do homem podem ser controlados até um certo ponto, mas quando se tornam concupiscência a pessoa não consegue mais controlar.

3.3. Os perigos da iniquidade
- “está pronto a nos perdoar”, isso porque o Senhor quer se aproximar do ser humano, e por isso disponibilizou para nós uma forma de conseguir o perdão, através do sacrifício de Cristo.
- “nos torna livres”, é a liberdade do domínio do pecado, algumas pessoas gostariam de servir a Deus, mas acreditam que jamais conseguirão se libertar das garras do pecado.  
______________________________________
CONCLUSÃO
- “adversidades”, são as situações que fogem da normalidade.
- “saber faceá-las”, saber enfrentá-las.
- “enfrentadas com amor”, aqui vale a pena relembrar o que foi ensinado sobre a perseguição dos ímpios.
- Corrija o questionário e faça o seu resumo.

Boa aula!

Marcos André – professor

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.