domingo, 28 de fevereiro de 2016

ESCOLA DOMINICAL CPAD - Conteúdo da Lição 10 - Revista da CPAD - JOVENS


O Jovem e a Consagração
6 de Março de 2016



TEXTO DO DIA
“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Rm 12.1).


SÍNTESE
O culto que agrada a Deus não é mecânico e rotineiro, mas o culto espiritual, que é oferecido no dia a dia da vida do crente.

TEXTO BÍBLICO

Romanos 12.1,2.
1 — Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
2 — E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

INTRODUÇÃO
Nesta lição, vamos refletir a respeito de como você pode consagrar um culto racional a Deus, como pode ter uma mente renovada e como pode experimentar qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.

I. A CONSAGRAÇÃO DO CULTO RACIONAL

1. Consagrando o corpo como sacrifício vivo.
No Antigo Testamento, a liturgia tinha como uma das práticas principais o sacrifício de animais. Estes rituais serviram para apontar para Cristo e encobrir os pecados, mas não eram eficazes para removê-los (Hb 10.3,4). As pessoas justificadas passam a ter acesso ao sacrifício único e perfeito realizado por meio de Cristo, porém, isso não elimina a liturgia e a consagração a Deus, pelo contrário, exige-se uma consagração autêntica e não simplesmente algo mecânico e repetitivo. Paulo esclarece como entrar em comunhão com Deus, uma vez que os antigos rituais não eram mais necessários. O culto agora deveria ser realmente espiritual, onde o adorador entrega sua própria vida, seguindo o exemplo de Jesus, o corpo do crente passa a ser o lugar de encontro e da comunhão, lugar privilegiado na adoração, o templo do Espírito Santo (1Co 3.16; 6.19).

2. Consagrando o corpo em santidade.
O apóstolo orienta o crente a oferecer o corpo como sacrifício vivo, mas ele acrescenta que deve ser um corpo santo. No AT a santidade era preocupação dos sacerdotes. O povo era responsável por levar o sacrifício a ser oferecido, mas era o sacerdote que o oferecia, ele que deveria tomar as precauções previstas na lei mosaica, tanto para quem oferecia como para o sacrifício em si (Êx 28.1-4; Lv 4.3; 21; 23.12; Hb 8.7,8). Devido à sua limitação, o sacrifício deveria ser repetido várias vezes (Hb 10.3). Na nova aliança, o crente não precisa mais de intermediário, pois cada crente possui um sacerdócio santo para oferecer o sacrifício espiritual e agradável a Deus (1Pe 2.5). O crente passa a adorar a Deus por meio de seu próprio corpo, de forma integral (corpo e alma). Oferecer um corpo santo é oferecer corpo e alma de forma exclusiva (separada) para Deus, o culto espiritual.

3. Consagrando o corpo de forma agradável a Deus.
Deus se interessa pelo interior das pessoas, onde está o verdadeiro eu, mas é inegável que o interior reflete no exterior. Desse modo, como devemos cuidar do templo do Espírito Santo?
Esta lição é um bom momento para refletirmos sobre a mordomia do corpo, para que possamos consagrá-lo a Deus de forma agradável. Dentre vários cuidados, pode ser citada a alimentação saudável (Pv 23.2; Gl 5.22,23). Alguns crentes levam uma vida desregrada e quando as consequências deflagram no corpo eles correm para Deus, como se Ele tivesse obrigação de curar. No entanto, devemos oferecer o melhor ao nosso corpo para que estejamos prontos para o serviço do Mestre. Isso é agradável a Deus.

Pense!
“Cristianismo não é apenas ir à igreja aos domingos. É viver 24 horas por dia com Jesus Cristo” (Billy Graham).

Ponto Importante
O crente na nova aliança não precisa mais oferecer sacrifícios de animais, mas deve apresentar seu corpo como sacrifício vivo, seguindo o exemplo de Cristo.

II. A RENOVAÇÃO DA MENTE (v.2a)

1. A mente renovada não se acomoda ao padrão estabelecido pelo sistema dominante do mundo (v.2).
A cultura tem um poder expressivo na formação da cosmovisão e no comportamento das pessoas. O sistema dominante do mundo, que segundo a Bíblia “jaz no maligno” (1Jo 5.19), tem seus meios para manter sua ideologia e controle sobre o comportamento das pessoas. A educação, a mídia, a televisão, os jornais, entre outros meios de comunicação tornaram-se ferramentas eficazes para moldar o pensamento dominante de acordo com os interesses do poder dominante. Por isso, o crente deve estar atento, conhecendo a Bíblia e mantendo uma vida de comunhão com Deus para ser influenciado pelas coisas que são de cima (Jo 3) e não pelas forças que dominam o mundo secular, sem Deus. Os jovens pela sua rede de relacionamentos estão mais expostos a esta influência, dessa forma precisam ser fortes para influenciar e não serem influenciados.

2. A mente renovada pelo Espírito Santo (v.2).
Só o Espírito Santo por meio da Palavra é capaz de renovar a nossa mente, mas esse processo não acontece de forma passiva. O Espírito Santo nos auxilia, mas nós temos de querer e buscar uma mente renovada permanentemente. Antes do Evangelho, a mente da pessoa é alimentada pela sua natureza pecaminosa, mas depois do Evangelho, sua mente deve se ocupar das coisas de Deus (Fp 4.8), pois recebe o poder de discernir as coisas espirituais (1Co 2.14-16). As maiores batalhas espirituais acontecem no campo da mente. O Espírito Santo orienta o ser humano sobre a vontade de Deus. A diferença é que a pessoa que ainda não se rendeu a Deus não dá ouvidos ao Espírito Santo e procura agir de acordo com sua vontade, buscando ter vantagem em tudo. Jesus disse que onde estiver o tesouro do ser humano ai estará também o seu coração e sua mente (Mt 6.21-24).

3. A mente renovada transforma o modo de vida (v.2).
Enquanto as pessoas sem Deus vivem de acordo com o padrão estabelecido pelo mundo, os crentes devem viver uma vida de forma que tudo o que fizerem seja para a glória de Deus (1Co 10.31). O que se espera de uma pessoa que teve um encontro com Cristo é que viva de maneira digna, (para não ser oprimido pela sua própria consciência), e que seja irrepreensível. Essa recomendação não é para o crente se excluir do mundo, rejeitar os amigos, se isolar dos relacionamentos, mas mudar a conduta, demonstrando o impacto do Evangelho em sua vida. Apesar da natureza corrompida e de viver em um mundo que “jaz no maligno”, o crente precisa ter uma vida consagrada a Deus. A maneira como vemos o mundo interfere na maneira como agimos (Pv 23.7), por isso devemos seguir a vida no Espírito, a fim de que tenhamos “força, amor e moderação” (2Tm 1.7), sendo fiel a Deus independente das circunstâncias (Fp 4.11-13).

Pense!
“O que mais precisamos hoje em dia não é de mais Cristianismo, e sim de mais cristãos verdadeiros” (Billy Graham).

Ponto Importante
O crente não deve amoldar-se ao mundo.

CONCLUSÃO
Nesta lição nos aprendemos que atualmente muitas pessoas ainda têm o templo como o local mais importante de adoração (cultura do AT), mas Paulo derruba esse conceito e diz que o culto espiritual que agrada a Deus é contínuo na vida do crente. A renovação da mente vem com a conversão, mas como um processo, uma luta constante contra a natureza decaída do ser humano. O crente precisa fazer uma entrega completa para ser trabalhado pelo Espírito Santo (Rm 8.1-4).

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.