sábado, 5 de março de 2016

ESCOLA DOMINICAL BETEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 10 - Revista da Editora Betel


AULA EM 06 DE MARÇO DE 2016 – LIÇÃO 10
(Revista: Editora Betel)

Tema: Superando os Conflitos no Lar
Texto Áureo: Cantares 8.7
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição combata os conflitos do casal, para que diminua e para que o casal possa conviver.
- “são vencidos quando o casal se une”, por isso eles devem evitar ao máximo os conflitos, pois somente a união deles será o início da superação.
- “entrega nas mãos do Senhor Deus”, notamos que ainda que haja união entre eles, devem entregar os problemas nas mãos de Deus.
- “maravilhosa intervenção”, quando a situação chega a um ponto em que o casal não consegue resolver, então o Senhor intervém, mas se eles estiverem em conflito como clamarão pelo socorro de Deus.
__________________________________________
1. Não existe casamento perfeito
- “já existem problemas de relacionamento”, isso porque são pessoas diferentes, não existem no mundo duas pessoas exatamente iguais no modo de pensar e agir, os relacionamentos existem com as pessoas que conseguem se equilibrar amando e tolerando uns aos outros.
- “apaziguar e amenizar”, às vezes ainda que não seja possível apaziguar de imediato um conflito é possível amenizar seus efeitos.

1.1. O diálogo é vital.
- “não é capacidade de não brigar”, algumas pessoas para não brigarem se fecham caladas, nesse caso evita-se a briga, mas corta-se o diálogo e sem diálogo não há relacionamento.
- “dialogar e chegar a um acordo”, as decisões importantes devem se tomadas juntas, em acordo mútuo.
- “capacidade do casal se perdoar”, três verbos apresentados aqui: arrepender, reconciliar e perdoar. O casal deve colocar em prática essas ações, pois sempre haverá conflitos.
- “buscando objetivos comuns”, ainda que haja brigas num casamento, os cônjuges superam seus problemas se unindo em seus objetivos comuns, quando os objetivos são diferentes, então a superação será mais difícil.
- “supérfluo”, são coisas sem uma importância principal, algo secundário.

1.2. É preciso superar os conflitos.
- “capacidade de superar os conflitos”, não adianta resolver os problemas e continuar em conflito, é preciso superar os conflitos.
- “conviver com os problemas”, problemas sempre surgirão, por isso é necessário conviver com eles, e somente superando os conflitos isso será possível.
- “aceitar o cônjuge sem remodela-lo”, não é possível mudarmos as pessoas, só Jesus faz isso, o que precisamos é aceitar e tolerar as diferenças.
- “com um jogando a culpa no outro”, isso aconteceu logo após a Queda, quando Deus perguntou do ocorrido, Adão jogou a culpa na mulher e em Deus e a mulher jogou a culpa na serpente.

1.3. É preciso se esforçar para ter harmonia.
- “satisfazer todos os desejos do cônjuge”, já está mais do que comprovado que satisfazer as vontades do cônjuge não ajuda, pelo contrário pode promover um mal, assim como fazer todas as vontades dos filhos estraga os filhos.
- “diagnosticar as prioridades buscando solução”, nem tudo o que o cônjuge deseja é supérfluo, nem tudo deve ser ignorado, é precisa diagnosticar o que é prioritário para ser feito logo.
- “mostrar que nem tudo é possível”, é preciso haver diálogo e acordo para mostrar que nem sempre temos condições financeiras para arcar com tudo. É necessário pensar como casal e não individualmente.
_____________________________________________
2. É preciso aceitar os limites do cônjuge

2.1. Elogie e reconheça o valor do cônjuge.
- “elogiar cada progresso conquistado pelo cônjuge”, com o tempo nos acostumamos a somente reclamar do cônjuge, deixamos de elogiar as coisas que o cônjuge faz que beneficia o casal e a família.
- “progresso em que demora a chegar”, no mundo atual, a correria impera, as pessoas querem tudo imediatamente e essa mentalidade adentra os relacionamentos, os cônjuges exigem rapidez uns dos outros. Isso gera grandes problemas nos casamentos.

2.2. Aprecie a qualidade do relacionamento.
- “às necessidades íntimas do cônjuge”, está se falando de sexo do casal.
- “um padrão aceitável por ambos”, na relação sexual deve haver o acordo entre os cônjuges. Na questão do sexo não há o mesmo padrão para todas as pessoas. Alguns aceitam determinadas coisas no sexo que outros não aceitam, mas a Bíblia não trata com detalhes a relação íntima do casal.
- “mas a qualidade do relacionamento”, ter relação sexual todo dia não quer dizer nada, mas o importante é na relação ter a satisfação de ambos. O objetivo do casal não deve ser a buscar do máximo de prazer, pois assim poderá cair em concupiscência carnal.

2.3. O que mantém o casamento não é a capacidade de subjugar o cônjuge.
- “não se amarra uma pessoa com cadeados”, o amor trabalha junto com a liberdade, se alguém quiser saber se é amado deixe a pessoa amada livre, se ela realmente te ama ficará contigo.
- “a grosseria é o câncer que devora o amor”, das coisas que afetam o casamento, a grosseria é a que vai sendo tolerada, algumas pessoas se acostumam a ela.
- “o ciúme doentio que apaga a felicidade”, o ciúme pode ser benéfico, quando demonstra o cuidado e o zelo, mas quando se torna obsessivo é maléfico e causa muito transtorno a ambos. Professor(a), com certeza há muitos exemplos desse tipo de ciúme na classe.
________________________________________
3. Os problemas não podem se avolumar

3.1. Personalidade versus individualidade.
- “apagar a própria personalidade”, se refere a pessoa que cede tudo pelo cônjuge, deixa de praticar seus robes e alguns deixam emprego e estudos para agradar o cônjuge. Depois descobrem que nada disso adianta, então o despontamento é grande.
- “alguma posição radical e egoísta”, algumas decisões são radicais causam muitas brigas, cada um dos cônjuges deve pensar e rever essas posições que causam dissensão entre o casal.
- “não andarão dois juntos se não estiverem de acordo”, a base para o acordo é o diálogo, o casal deve sempre conversar e chegar a decisões comuns aos dois.
- “pessoal continua existindo”, a pessoa não deixa de ser alguém único no mundo, apenas deve tomar o cuidado para isso não afetar o acordo entre os dois.
3.2. Equilíbrio versus confronto.
- “debaixo dos princípios da Palavra de Deus”, o casal não deve esquecer esses princípios, como por exemplo, o marido amar a esposa e se entregar por ela, se sacrificando para que ela tenha segurança.
- “transformar o lar num cantinho do céu”, a casa do casal deve ter os mesmos elementos que há na igreja, oração, leitura da Palavra, jejum, etc.
- “vistos como choque de gerações”, desse forma poderá haver aceitação de ambos e os conflitos diminuirão.
- “é uma atitude normal entre os filhos”, como exemplo disso temos a TV, por muito tempo acreditava-se que a TV era do demônio, mas agora sabemos que alguns programas é que são do demônio, o mesmo se pensou da internet.

3.3. Beleza física versus beleza interior.
- “capacidade de manter a beleza física o tempo todo”, no começo da relação a beleza física era o diferencial, mas depois de um tempo isso não é mais o fator principal.
- “capacidade de cuidar do corpo da melhor forma possível”, podemos dizer que a saúde deve estar a frente da beleza do corpo, porque depois de um tempo descobrimos que a coisa mais importante é termos a pessoa amada ao nosso lado, por isso a saúde deve ser tratada com mais seriedade.
- “se produzir dentro de sua faixa etária”, seria os mais velhos não se produzirem como se fossem jovens, colocando em destaque partes do corpo que não possuem a mesma beleza. Talvez haja contestação sobre isso.

CONCLUSÃO
- “nem tem prazo de validade”, podemos dizer que a morte de um dos cônjuges é o seu limite.
- “Qualquer fama ou sucesso que venha colocar em risco”, cada cônjuge deve considerar sua posição, se está abandonando o cônjuge ou se está aprisionando-o pelo ciúme. O diálogo é importantíssimo e a comunhão com Deus é essencial.

- Faça o resumo e corrija o questionário.

Marcos André – professor

Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

4 comentários:

  1. Olá meu amigo, graça e paz.

    Acho que nesta lição o cometarista se inspirou em você, a maneira como ele terceu seus cometarios tem tudo a ver como você elabora seus esboços.

    Embora o tema seja pertinente, ao meu ver este assunto já foi saturado em outras lições. Só lendo seus comentarios para achar assuntos para tornar a lição interessante e de fugir de cometarios repetitivos.

    Forte abraço, até a próxima

    Irmão Evaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz irmão Evaldo, estou sentindo essas dificuldades nessas lições, espero que os professores consigam desenrolar as lições na classe. Vou me esforçar para colocar subsídios mais interessantes.

      Paz de Jesus meu irmão.

      Excluir
  2. Marcos André são sempre edificantes os comentários do irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado irmão André, vocês me inspiram a continuar essa obra. Paz.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.