segunda-feira, 21 de março de 2016

ESCOLA DOMINICAL EDITORA BETEL - Conteúdo da Lição 13 - Revista Betel


Os Desafios de Educar Filhos
27 de março de 2016


Texto Áureo
“Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele”.
Provérbios 22.6

Verdade Aplicada
Os pais não podem agir com coação, estupidez ou maus tratos com os filhos, pois, além de não ser a forma ideal, existem leis que preveem sanções aos pais infratores.

Textos de Referência.

Deuteronômio 6.6-7
6 E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração;
7 E as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te.
Salmos 127.3-4
3 Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão.
4 Como flechas na mão do valente, assim são os filhos da mocidade.
Efésios 6.4
4 E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.
Colossenses 3.21
21 Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo.

Introdução
Hoje os nossos filhos têm mais informações do que tínhamos no passado. Por isso, os pais também devem acompanhar o desenvolvimento e o progresso tecnológico para ajudar os filhos a crescerem sem prejuízo.

1. Filhos Herança do Senhor
Os filhos são herança do Senhor e o fruto do ventre o seu galardão (Sl 127.3). A responsabilidade recai sobre os pais, que deverão cuidá-los bem, da melhor maneira possível, pois os pais são apenas mordomos cuidando daquilo que não é deles. Tanto é que os filhos nascem, crescem, se casam e vão embora constituir novas famílias.

1.1. Presente de Deus aos pais.
Os filhos são recompensas da parte de Deus. São bens ativos e não dívidas. O Senhor espera que sejamos bons despenseiros na criação e educação dos filhos. Eles são privilégios dados a nós. É uma bênção usufruirmos durante a vida da companhia, do carinho e do amor dos filhos. Não podemos abrir mão da missão deliciosa que Deus nos confiou.

1.2. Responsabilidade dos pais.
Os pais têm a responsabilidade de ensinar aos filhos “no” caminho em que devem andar (Pv 22.6).Não adianta mostrar a porta, há necessidade de entrar por ela. Os pais não devem mandar os filhos para a igreja, devem ir juntos. Não adianta querer o filho na igreja se a mãe fica assistindo novela ou o pai assistindo futebol. Além dos pais serem guias, sacerdotes e provedores, também deverão dar as suas vidas como exemplo aos filhos.

1.3. Pais, espelhos dos filhos.
Muitos filhos querem imitar os pais, inclusive na profissão. Cuidado com os maus exemplos, pois os filhos poderão copiá-los. Alguém, certa feita, disse: “As palavras comovem, mas o exemplo arrasta”. A maior herança que deixamos para os nossos filhos não são os estudos nem os bens patrimoniais, mas um nome limpo, uma vida honrada e digna, um exemplo a ser seguido. Infelizmente, alguns pais pensam que os filhos são bobos e que não estão de olho nas suas atitudes.

2. Limites: quem manda em sua casa?
Aceitar os filhos mandarem nos pais é negativo e fora dos princípios da Palavra de Deus (Hb 12.8). A Palavra de Deus afirma em 1Timóteo 3.4-5 que o obreiro (mas esse princípio vale para todos) precisa governar bem a própria casa, tendo seus filhos sob disciplina, com todo o respeito, pois se alguém não sabe governar a sua própria casa, como cuidará da Igreja de Deus? Com essa palavra, o apóstolo Paulo nos dá prova suficiente sobre quem deve mandar na casa.

2.1. Limites estabelecidos por Deus.
Os filhos devem obedecer e honrar os pais porque é um mandamento com promessa, além de ser extremamente agradável ao Senhor (Ef 6.13; Cl 3.20). No entanto, os pais também não podem provocar a ira dos filhos, para que não percam o ânimo (Ef 6.4; Cl 3.21). Os filhos precisam de normas para serem obedecidas, pois onde não há regras nem regulamentos vira bagunça (Pv 29.17). Os pais devem estabelecer limites justos e lógicos. Não devem exagerar nos limites. Devem elogiar quando cumprirem os horários e os limites pré-estabelecidos. Não devem colocar limites inatingíveis para evitar desgastes. Nunca punir injustamente. Devem corrigir sempre com justiça. Jamais disciplinar os filhos com as emoções afloradas.

2.2. Limites, um ato de amor.
Quem ama ensina e coloca limites. Os pais devem ensinar aos filhos a ouvir e aceitar o “sim” e o “não”. Deve-se sempre educar os filhos sob o princípio de que na vida não se pode fazer somente o que se quer (Pv 29.15). Ensinar que não se pode ter tudo que quer. Desejar tudo que quer é uma ilusão perigosa. Ensinar que nem tudo que se acha bonito é bom, pois nem tudo que reluz é ouro. Ensinar que não precisa experimentar de tudo na vida para saber que não vale a pena, pois algumas coisas não são legítimas nem boas, além de serem prejudiciais à saúde física e à vida espiritual.

2.3. Disciplina à luz da Bíblia.
A Palavra de Deus afirma em Hebreus 12.7-8 que é para disciplina que suportamos a correção, pois o nosso Deus nos trata como filhos. E faz uma simples pergunta: “Que filho há a quem o pai não corrige?”. Logo após, dá uma célebre resposta: “O filho que fica sem disciplina, da qual todos devem ser participantes, passa a ser bastardo e não filho”. Assim como somos corrigidos constantemente por Deus para o nosso próprio bem, visto que somos Seus filhos (Jo 1.12), mediante a fé (Ef 2.8-9), não devemos retirar a disciplinados nossos filhos (Pv 23.13), mas devemos ter o cuidado para não os espancar. É uma atitude que necessita de moderação. Disciplina o teu filho e ele te dará descanso; dará delícias à tua alma (Pv 29.17). Mais do que nunca, é preciso que os pais entendam que o caráter, através do qual a sabedoria se expressa, é uma planta que cresce com mais força após ser podada (Pv 5.11-12; 15.32-33; Hb 12.11) – e isto desde os dias da infância (Pv 13.24; 22.6). No caso da criança entregue a si mesma, o único resultado que se pode prever é a vergonha para os seus pais (Pv 29.15).

3. Educar versus treinar.
Ao educar nossos filhos, estamos passando valores éticos, morais e cristãos, mas, com o mundo agonizando por falta desses elementos, se torna uma missão dificílima, pois o que eles enxergam na sociedade, e ás vezes até dentro das igrejas, são comportamentos totalmente desvirtuados dos conceitos bíblicos e valores cristãos. Mesmo com todas as dificuldades, precisamos preparar os filhos para o futuro, torna-los hábeis e capazes de vencer na vida.

3.1. Educar a luz da Bíblia.
Os filhos precisam ser educados na disciplina e admoestação do Senhor (Ef 6.4). A Bíblia recomenda ensinar a criança no caminho em que deve andar e, ainda quando for velho, não se desviará dele (Pv 22.6). Não podemos deixar de transmitir os valores cristãos (teoria e prática) desde cedo. Inculque nos filhos a Palavra do Senhor desde criança, assentado em casa, andando pelo caminho, ao deitar e ao levantar (Dt 6.6-7).

3.2. Educar e treinar para a vida.
Educar é um desafio diário e essa tarefa compete aos pais e não à igreja ou escola. Educar filhos para a vida é educar embasado no amor, equilíbrio emocional, limites e diálogo. Isso propiciará qualidade aos ensinamentos. Educar é, acima de tudo, dar exemplos. Invista tempo com seus filhos, ouça-os, ame-os incondicionalmente, não abra mão da disciplina, desenvolva diariamente a autoestima deles e nunca deixe de ensinar a amar a Deus e a Sua Palavra (Pv 22.6). Pais, Deus deu essa missão a vocês!

3.3. A família e o comportamento infantil.
O ser humano precisa de outras pessoas para se desenvolver, pois é um ser social. Na infância, há necessidade de a criança reproduzir o ambiente familiar onde vive. Através dos gestos, falas e atitudes, pode-se notar indicadores de relação familiar com a qual a criança está inserida. Como a família é um modelo cultural, social e emocional, a criança extrairá dele o aprendizado. É nessa fase de formação da personalidade que esse meio estabelece vínculos afetivos e construções de aprendizagem para toda vida. É necessário que a família esteja atenta às atitudes, formas e conteúdos que estão repassando, de forma indireta, às suas crianças.

Conclusão
Educar filhos nos dias de hoje é um desafio. Os pais devem se conscientizar de que não se pode criar filhos hoje como fomos criados no passado. A cada década, precisamos nos atualizara respeito de como educar os nossos filhos. Não dá para pararmos no tempo e ignorarmos a evolução e a modernidade.

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.