quarta-feira, 20 de abril de 2016

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 4 - Revista da CPAD - ADULTOS


AULA EM 24 DE ABRIL DE 2016 – LIÇÃO 4
(Revista: CPAD)

Tema: Os Benefícios da Justificação

Texto Áureo: Romanos 5.8
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição se aprofunde no entendimento da graça de Deus ministrada aos homens e os seus efeitos práticos em cada pessoa.
- “falar dos resultados dessa justificação”, seria tratar em termos práticos do efeito da justificação no ser humano.
- “Que benefícios ela nos trouxe?”, é interessante tratar também de que responsabilidade ela nos trouxe, pois receber de Deus tão grande graça requer do ser humano um posicionamento.
- “nos fez participante de uma bênção maior”, sempre na história bíblica há uma benção ou um propósito maior envolvendo certos acontecimentos, vimos isso na história de José, a benção maior era fazer o povo de Deus ir morar numa terra desenvolvida, poderosa e com recursos para seu crescimento, ainda que no final dos quatrocentos anos tenha sido feito escravo.
__________________________________________
I - A BÊNÇÃO DA GRAÇA JUSTIFICADORA (Rm 5.1-5)

1. A bênção da paz com Deus.
- “temos paz com Deus”, aí está a primeira bênção dessa justificação.
- “diferente daquele usado no mundo antigo”, como foi Cristo quem nos trouxe essa paz, notemos o que Ele nos diz:
“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.”, Jo 14.27 Jesus deixou claro que a paz que Ele dá é bem diferente da que o mundo dá. A Paz do mundo significa tranquilidade e a paz que Jesus dá significa fim da guerra com Deus.
- “salvação dos piedosos, prosperidade e bem-estar”, para os antigos do tempo da Lei essas benção dava a tranquilidade que eles precisavam, ou seja, a paz.
- “Robertson”, A. T. Robertson (1863 a 1934) americano do estado de Virgínia, especialista em teologia do Novo Testamento e escritor.
- “desfrutemos, pois, dessa paz com Deus”, significa dizer essa paz com Deus é para ser aproveitada em nossa vida. Alguns crentes ficam o tempo inteiro reclamando das coisas da vida, provavelmente não estão desfrutando dessa paz.

2. A bênção de esperar em Deus.
- “A fé no Cordeiro de Deus”, quando Jesus deu a vida na cruz, o véu do Templo se rasgou dando acesso a todos ao Santo dos Santos representando o nosso livre acesso à presença de Deus, porém para usufruir dessa graça é preciso ter fé no sacrifício de Jesus na cruz.
- “William Barclay”, (1907 a 1978) apresentador de TV, rádio, professor e escritor, pastoreou na Escócia, onde viveu.
- “porque se tem certeza quanto ao futuro”, ou seja, se tem uma boa expectativa.
- “não é algo mais desconhecido”, para a humanidade que não conhece as escrituras, o futuro é obscuro, os cientistas buscam a resposta para a pergunta: para onde vamos? Ou seja, para onde a humanidade vai?

3. A bênção de sofrer por Jesus.
- “no contexto atual, escandaliza muita gente”, quer dizer que no contexto atual os cristãos estão procurando facilidades, bem estar no mundo e benefício financeiros. Quando se encontra alguém alegre por sofrer por Jesus é logo taxado de bitolado ou sem a correta visão espiritual.
- “sabendo que a tribulação produz a paciência”, pelo Espírito Santo ele considerava que a tribulação lhe trazia alguns benefícios. Devemos entender que certas coisas boas nunca aconteceriam se não houvesse primeiro uma adversidade.
- “resquícios da Teologia da Prosperidade”, se refere a fé atual em que os crentes esperam receber algum benefício material.
- “paliativos espirituais”, se refere às novidades nos cultos para apresentar ao povo um perfil espiritual elevado, é unção disso, unção daquilo, um sem fim de coisas absurdas que muitos crentes fazem. Na verdade são paliativos para atrair pessoas, para fins diversos, menos para a salvação.
__________________________________
II - AS BÊNÇÃOS DO AMOR TRINITÁRIO (Rm 5.5-11)

1. O amor que o Pai outorga.
- “revelando em suas epístolas é amor”, os judeus acreditavam num Deus que exige serviço de seus filhos, mas Paulo apresenta o Senhor como Jesus o apresentou, o amor de Deus para com a humanidade.
- “caso genitivo”, é um recurso gramatical que indica a posse de algo, nesse caso é o “amor de Deus”.
- “Esse é o amor que perdoa”, que inclusive perdoa antes que se peça o perdão, como podemos notar no texto áureo, por isso é chamado de amor perfeito ou “ágape”.

2. O amor que o Espírito distribui.
- “o instrumentaliza na vida do crente”, o Espírito Santo é a divindade dentro do ser humano, trabalhando nele e fazendo-o ficar a imagem e semelhança de seu Criador, ministrando o amor em sua vida.
- “ação passada, mas que continua com os efeitos no presente”, seria o mesmo que dizer no português “o amor é derramado sobre nós”, o termo “derramado” é o verbo derramar conjugado no passado, mas com efeito no presente.
- “o Espírito Santo faz-nos viver esse amor”, quando alguém é cheio do Espírito Santo de Deus começa a amar as pessoas pelo amor do Pai que este nela. Passamos a sentir afeição até mesmo por pessoas que não conhecemos.

3. O amor que o Filho realiza. 
- “realizado pelo Filho”, quer dizer que Jesus o tornou esse amor realidade em nossas vidas, quando o consumou real lá na cruz, antes ele era somente um plano na mente de Deus e profetizado nas Escrituras, mas Deus o fez realidade em Seu Filho.
- “basta olharmos para Cristo”, e entendermos a sua obra na cruz do Calvário.
___________________________________________
III - AS BÊNÇÃOS DA NOVA CRIAÇÃO (Rm 5.12-21)

1. O homem em Adão.
- “várias interpretações a respeito deste texto bíblico”, são teólogos escritores que vez ou outra publicam algo sobre assunto considerando outras interpretações além das já existentes.
- “pois, todos descenderam de Adão”, Deus poderia ter exterminado Adão e Eva logo após o pecado e ter feito outro casal perfeito, mas ele preferiu trabalhar essa natureza humana com um plano tremendo e magnífico, o da salvação.
- “está condenado”, quem permanece como velha criatura está vivendo como Adão e condenado como ele.
- “dominado pelo pecado”, é um escravo do pecado, não conseguindo fazer o que deseja somente aquilo que impulsiona sua carne.

2. O homem em Cristo.
- “O contraste entre Adão e Cristo”, são as diferenças opostas que quando colocadas juntas realçam uma a outra, veja como esse versículo mostra esse contraste:
“Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.” Rm 5.15.  
- “alma vivente, o segundo Adão é Espírito vivificante”, aqui está mais um grande contraste entre Adão e Cristo.
- “antes da fundação do mundo”, quer dizer que antes do mundo ser feito o Senhor já tinha um propósito para cada um de nós. Para os calvinistas o Senhor já tinha preparado os seus servos antes da fundação do mundo, relegando aos demais a perdição, é a chamada predestinação fatalista. Para os arminianistas o Senhor escolheu a todos sendo que alguns o rejeitaram.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “indiferentes ao seu propósito”, é o ser humano sob o domínio do pecado, sem o conhecimento de Deus.
- “Ele os justifica pela fé na pessoa bendita de Jesus”, quer dizer que se a pessoa tiver fé em Jesus Cristo, de que Ele é o filho de Deus e morreu na cruz por nós, então essa pessoa estará justificada.
- “com todas as bênçãos espirituais”, são as bênçãos que fazem parte da promessa da salvação, como paz com Deus, bem estar na alma, cura interior, equilíbrio na família, etc. As benção materiais não são prioridades para os crentes, mas o Senhor também dá conforme cada um busca e conforme a necessidade da obra.
- Não deixe de corrigir o questionário.

Marcos André – professor

Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.