sábado, 9 de abril de 2016

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 2 - Revista da CPAD - ADULTOS


AULA EM 10 DE ABRIL DE 2016 – LIÇÃO 2
(Revista: CPAD)

Tema: A Necessidade Universal da Salvação em Cristo

Texto Áureo: Romanos 3.10
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição se aprofunde nos ensinamentos que podemos tirar da exposição de Paulo aos romanos. Cuidado para não se confundir e tente evitar que a aula fique monótona. Tente usar perguntas.
- “debaixo do impiedoso jugo do pecado”, o pecado escraviza a pessoa, a palavra “jugo” é o nome dado à peça que serve para prender a carroça no lombo do boi para que ele possa trabalhar preso ela. Assim é o pecado deixa a pessoa presa.
- “uma salvação universal”, uma salvação que possa servir para todos. Se algum homem fosse perfeito e cumprisse toda a Lei se errar, ele só poderia salvar a si mesmo, mas em Cristo a salvação é universal.
- “tanto os pagãos”, pergunte aos alunos, quem eram esses pagãos, informe que eles eram os gentios, os que não adoravam ao Deus de Israel.
__________________________________________
I - A NECESSIDADE DA SALVAÇÃO DOS GENTIOS (Rm 1.18-32)

1. A rejeição.
- “situação na qual se encontra o mundo gentílico”, sempre houve uma luta de Paulo contra o legalismo judaizante e isso se deve à essa situação dos gentios, estavam condenados e a maioria nem sabiam disso.
- “estado de insensibilidade”, é o estado em que a pessoa não se importa com as coisas espirituais. Muitos no mundo estão dessa maneira vivendo como se não houvesse inferno e nem céu.
- “O pecado os havia lançado para longe de Deus”, há um texto na Bíblia que melhor representa esse afastamento do homem para com Deus devido ao pecado, experimente perguntar aos alunos qual seria o texto que representa o afastamento de Deus. O texto que propomos é o de Gn 3.23 onde o homem é expulso do jardim do Éden.
- “mais o pecado manifesta os seus tentáculos”, isso quando o homem está longe de Deus, serve até para os crentes, que devem manter uma vida de proximidade com Deus, pois ser salvo e não se aproximar do Senhor.
- “imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis”, era comum entre os gregos as imagem de escultura em forma humana, mas entre os cananeus e os povos árabes haviam muitas em forma de aves e répteis e também de seres híbridos, metade humano e metade animal.

2. A revelação.
- “Deus não pode ser responsabilizado por isso”, pois foi o homem quem pecou e continua pecando contra Deus.
- “a conhecer através das coisas criadas”, quer dizer que a criação e sua complexidade revelam a existência de uma divindade superior criadora de todas as coisas.
- “revelação geral”, ou seja, a revelação que a é dada a todos de uma forma geral. Todos podem atestar a grandeza de Deus e Sua obra através da natureza.
- “revelação especial de Deus, Jesus Cristo”, essa revelação não é dada somente a quem Deus quer, mas a todos que a buscam.

3. A punição.
- “colhem os maus frutos”, colhem aquilo que o pecado produz, o salário que ele paga, a morte.
- “não é o responsável por essa obstinação”, não quer dizer que eles cometem mais pecados porque Deus fez com que eles cometessem. Eles cometem cada vez mais pecados por sua natureza pecaminosa estar afastada de Deus.
- “apenas permitiu que os homens”, se o ato de pecar fosse por ação de Deus, então o homem não seria responsável por suas ações e não poderia ser condenado por isso. Quando fala que “Deus os entregou às concupiscências de seus corações” Rm 1.24 quer dizer que Deus deixou eles a sua própria sorte.
- “essa atitude reprovada cegou os homens”, significa que a pessoa ao se afundar n pecado chega a um momento em que perde todos os valores e parâmetros.
- “desvio da sexualidade”, isso indica a homossexualidade.
__________________________________
II - A NECESSIDADE DE SALVAÇÃO DOS JUDEUS (Rm 2.1 — 3.8)

1. Os judeus em relação aos gentios.
- “método de diatribe”, esse termo foi estudado na lição 1, com esse método o apóstolo expunha em forma de diálogo a crítica sobre o legalismo.  
- “permitia que ele dialogasse com os leitores”, notamos isso no texto da leitura em classe: “Eis que tu, que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus”, Rm 2.17 Note que Paulo parece estar falando diretamente a alguém, como num diálogo.
- “os judeus moralistas não estavam em melhor situação”, na carta aos romanos expõe a situação deplorável de todos, igualando as pessoas diante de Deus. Ninguém pode afirmar ser melhor do ninguém, todos estão necessitados da mesma salvação.
- “condenavam os gentios, mas praticavam pecados semelhantes”, eles eram legalistas, isso explica porque condenavam os gentios. O legalismo exige que a pessoa demonstre exteriormente a fé, sem se importar com o interior. Nessa carta Paulo demonstra a necessidade da libertação interior.

2. Os judeus em relação à Lei.
- “gentios que possuíam apenas a revelação natural”, é a revelação de Deus na natureza, na história e no interior do ser humano. Os gentios só tinha isso.
- “incongruência entre o conhecer a Lei e o praticá-la”, quer dizer que há diferença entre conhecer e praticar e sofremos disso ainda hoje no tempo da graça, pois conhecemos a verdade, porém o praticar a verdade é algo bem difícil.
- “moralismo estéril e farisaico”, farisaico se tornou sinônimo de “hipocrisia”,  pois os fariseus faziam algo para parecerem às pessoas quer eram praticantes da Lei, mas não a tinham no seu interior.
- “assim que muitos cristãos agem.”, o problema apontado aqui por Paulo serve para os nossos dias, pois alguns fazem como os fariseus, demonstram ser praticantes, mas enganam, conhecem e fingem que praticam. Diante dos holofotes são uma benção, pulam, rodam, choram, etc, mas quando ninguém está vendo são trevas.   

3. Os judeus em relação à aliança.
- “Qual é, logo, a vantagem do judeu?”, Paulo pergunta no contexto da Graça.
- “utilidade da circuncisão”, a circuncisão é um corte que se faz na pele do prepúcio da genitália masculina a fim de marcar o povo judeu e também com fins higiênicos.
- “Muita, em toda a maneira”, quer dizer que no tempo da Graça não se abandona a Lei, pois ela é o fundamento da Graça. Não haveria Graça se não fosse a Lei, a Lei condena e a Graça liberta.
- “circuncisão do coração”, essa foi uma metáfora usada por Paulo para mostrar que o importante é a pessoa ter a Lei no seu coração e não somente no exterior.
- “despenseiros dos mistérios de Deus”, despenseiro é o mordomo, aquele que cuida da despensa, assim eram os judeus, cuidavam da revelação de Deus ao homem.
- “F. F. Bruce”, Frederick Fyvie Bruce era um escocês, professor, estudioso da Bíblia e escritor, morreu em 1990.
- “levava consigo uma grande responsabilidade”, ter o conhecimento de Deus nos dá a responsabilidade de o seguir e passar aos outros esse conhecimento, se erramos as pessoas tentam justificar sua rebeldia em cima dos nossos erros.
___________________________________________
III - A NECESSIDADE DA SALVAÇÃO DA HUMANIDADE (Rm 3.9-20)

1. A universalidade e o jugo do pecado.
- “estão debaixo da condenação do pecado (Rm 3.9)”, quer dizer que para os judeus, não há vantagem em ter a Lei se não a praticam e para os gentios não há vantagem em ter a Graça se não a tem no coração.
- “está sob o domínio do pecado”, todos são pecadores, a diferença é que o salvo em Jesus não é dominado pelo pecado, pois Jesus o libertou, porém o que não é salvo o pecado o domina.
- “hamartían”, termo grego para pecado, desse termo saiu a disciplina teológica chamada “Harmatiologia”, que significa estudo do pecado.
- “incapaz de libertar-se por si mesma”, só o sangue de Jesus nos limpa de todo o pecado e nos liberta. Alguém pode bolar várias estratégias, mas no fim ainda será um escravo.

2. Valores e comportamentos.
- “distorceu valores e comportamentos na sociedade”, como toda a sociedade está debaixo da escravidão do pecado, seus valores estão corrompidos e invertidos. Alguém que tem os valores cristãos, se sente um estrangeiro nesse mundo.
Sobre a inversão de valores peça aos alunos para lerem: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!”, Is 5.20
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “é uma doutrina claramente demonstrada”, o nome da doutrina é “doutrina do pecado”, que orienta sobre o mal que o pecado faz e suas consequências na humanidade.
- “doutrina herética”, é uma doutrina da qual se afirma ser bíblica, mas na verdade não é.
- “no fim de tudo, serão salvos”, essa é a crença de muitas pessoas, e é uma desculpa para continuarem no erro, assim como a afirmação que “todos são filhos de Deus.” Ouve-se muito isso nos evangelismos, mas só Jesus pode fazer alguém se tornar filho de Deus.
- Não deixe de corrigir o questionário.

Marcos André – professor

Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.