quarta-feira, 4 de maio de 2016

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 6 - Revista CPAD - ADULTOS


AULA EM 8 DE MAIO DE 2016 – LIÇÃO 6
(Revista: CPAD)

Tema: A Lei, a Carne e o Espírito
Texto Áureo: Romanos 7.25
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição dê uma atenção è leitura bíblica para que você possa entender e explicar aos alunos os pontos de vista de Paulo. .
- “três analogias”, analogias são situações que podem ser usadas para comparação, a fim de exemplificar alguma coisa para ensinar.
- “nos comportar diante da lei”, se referindo à Lei de Moisés, pois mesmo estando nós na Graça ainda sofremos o efeito da Lei em nossas vidas. Porque para que haja graça deve haver condenação e essa condenação quem promove é a Lei.
__________________________________________
I - A LEI ILUSTRADA NA ANALOGIA DO CASAMENTO (Rm 7.1-6)

1. A metáfora do casamento.
- “ homem algum pode ser salvo pela Lei”, a Lei não veio para salvar o ser humano e sim para apontar-lhe o pecado.
- “aqueles que a guardam com zelo”, são os que guardam a Lei cuidando que a salvação está em cumprir as obras da Lei.
- “ao morrermos com Cristo”, simbolicamente morremos com Cristo no batismo nas águas, a partir daí partir daí passamos a ter uma nova vida. O velho homem estava condenado com a Lei, a Lei não pode condenar o novo homem.
- “estamos unidos a Cristo”, a Lei condenou o velho homem, por isso se deixarmos Cristo e voltarmos à natureza do velho homem, voltaremos então à condenação.

2. A metáfora da mulher viúva.
- “se a mulher se casar novamente”, conforme a Lei a mulher jamais poderia se casar novamente, estando o marido vivo. Estava condenada a uma prisão promovida pela Lei.
- “livre para se casar novamente”, representando a liberdade que a morte de Jesus trouxe para nós através de sua morte.

3. Mortos para a lei.
- “referência à morte de Cristo”, quer dizer que ao ser morto o corpo de Cristo na cruz nos deu a possibilidade de morrer para a Lei.
- “biblicista”, é aquele que estuda ou se dedica a estudar a Bíblia.
__________________________________
II - ADÃO ILUSTRADO NA ANALOGIA DA SOLIDARIEDADE DA RAÇA (Rm 7.6-13)

1. De volta ao paraíso.
- “Adão pecou, logo todos pecaram”, dessa forma o ser humano nasce com a natureza corrompida e está propenso à desobediência.
- “é uma alusão a Gênesis 3.1-6”, isso porque no momento em que Eva cedeu à tentação do inimigo, ela se deixou levar pela concupiscência dos olhos, ela cobiçou o fruto.
- “concupiscência”, é o desejo exagerado da carne, Satanás tenta usar essa arma que existe dentro de cada ser humano.

2. Lembranças do Sinai.
- “é uma crença muito bem documentada”, quer dizer que existem muitos registros históricos a esse respeito.
- “dizia que a cobiça, pecado praticado por Adão”, a cobiça é um pecado que foi classificado pela Lei, o que faz o filósofo Filo tecer essa afirmação é a crença de que Adão estaria sob os preceitos da Lei. Sem essa crença o único pecado de Adão teria sido a desobediência.
- “era a raiz de todos os males”, Paulo chegou a afirmar que o “amor ao dinheiro” é a raiz de todos os males, pode-se dizer que seria a cobiça pelo dinheiro. 1 Tm 6.10 Essa associação mostra que Paulo também conhecia essa crença judaica.

3. A lei dada a Adão.
- “entre o Paraíso e o Sinai”, no Paraíso foi dada uma única lei a Adão e no Sinai foi dada a Lei completa a Moisés.
- “foi dado a Adão para trazer vida”, no entanto Deus não foi pego de surpresa, Ele sabia exatamente o iria acontecer, o plano da salvação já estava traçado.
- “a transformou em um instrumento de morte”, devido ao pecado o ser humano não conseguiria cumprir toda a Lei, por isso ela o condenou. Sendo assim houve a necessidade de uma salvação promovida por Deus.
___________________________________________
III - O CRISTÃO ILUSTRADO NA ANALOGIA ENTRE CARNE E ESPÍRITO (Rm 7.14-25)

1. A santidade da lei.
- Esse tópico apresenta como a Lei é santa explicando que ela tem uma finalidade e os homens é que são ruins, corrompidos pelo pecado.
- “interlocutor”, é alguém que participa do diálogo.
- “reduzindo-a a algo extremamente mal”, isso devido ao fato de Paulo afirmar que a Lei condena e opera a morte.
- “a lei é santa”, a Lei coloca o ser humano em seu lugar, de pecador. Se não houvesse Lei o ser humano se acharia livre em tudo o que faz, mas havendo Lei essa o condena e uma vez condenado ele sente a necessidade de salvação.
- “mas naqueles que se regiam por ela”, no ser humano que é pecador.

2. A malignidade da carne.
- Esse tópico mostra o quanto a carne é ruim, pois nela está o velho homem com sua natureza caída fazendo guerra contra o Espírito Santo.
- “revelam o conflito entre”, quer dizer que há uma guerra dentro do ser humano, onde a natureza transformada e espiritual está em combate contra a velha natureza. Veja:
“Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.” Rm 7.23
- “o “velho homem” residente em nós”, a parte sublinhada no versículo acima mostra que o velho homem está dentro de nós, querendo se levantar.

3. A velha natureza.
- Aqui é mostrado como a velha natureza é forte e como nós podemos lutar contra ela.
- “tentando rebelar-se contra Deus”, esse foi o problema do pecado de Adão, foi um pecado de desobediência arquitetado por um rebelde (Satanás). A todo momento a velha natureza quer armar de novo a rebelião contra Deus.
- “ajuda-nos a vencer a velha natureza”, só o Espírito Santo tem a forma correta de combater contra esse inimigo terrível que também habita em nós. Se alguém se sentir tentado e deixar de orar ou de ir à igreja jamais terá forças para combater contra a velha natureza.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “Mesmo vivendo debaixo da graça”, por isso é necessário o crente viver em vigilância, tendo em mente que se não viver em comunhão com o Espírito Santo poderá cair no pecado e o velho homem se levantar novamente.
- “responder positivamente à nova vida espiritual”, significa aceitar viver em Espírito, viver uma vida espiritual, sendo cheio do Espírito Santo.
- Não deixe de corrigir o questionário.
Respostas:

O que Paulo desejava mostrar com a metáfora do casamento?
Paulo desejava mostrar que homem algum pode ser salvo pela Lei, até mesmo aqueles que a guardam com zelo e devoção. Paulo usou o casamento para mostrar o nosso relacionamento com a Lei. O apóstolo ressalta que o contrato de casamento perde sua validade quando um dos cônjuges morre. Segundo a Bíblia de Aplicação Pessoal “ao morrermos com Cristo, a Lei não pode mais nos condenar; estamos unidos a Cristo”.

Como pode ser entendida a expressão “mortos para lei pelo corpo de Cristo”?
A expressão “mortos para a lei pelo corpo de Cristo” é entendida pelos intérpretes como uma referência à morte de Cristo e a nossa identificação com Ele.

Segundo Paulo, quem é o cabeça da raça humana?
Paulo considerava Adão o cabeça e o representante da humanidade.

Segundo Paulo, a lei e seus propósitos são bons?
Sim. A Lei é boa e seu propósito também. O problema, portanto, não estava na Lei, mas naqueles que se regiam por ela.

Quem pode nos ajudar no embate contra a velha natureza?
O Espírito Santo, que habita em nós.

Marcos André – professor
Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.