quinta-feira, 19 de maio de 2016

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 8 - Revista da CPAD



AULA EM 22 DE MAIO DE 2016 – LIÇÃO 8
(Revista: CPAD)

Tema: Israel no Plano da Redenção

Texto Áureo: Romanos 11.36
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição tenha em mente o que são as doutrinas da predestinação e determinismo, será útil para a aula.
- “parêntese para tratar a respeito da “sorte de Israel”, o assunto acerca da escatologia bíblica fala obrigatoriamente do destino de Israel, pois a nação eleita tem um papel importante no fim dos tempos.
- “plenitude dos gentios”, é um conceito expressado por Paulo em Rm 11.25, para falar da redenção de Israel e se ao tempo em que a obra da Igreja na Terra haverá terminada.
__________________________________________
I - A ELEIÇÃO DE ISRAEL DENTRO DO PLANO DA REDENÇÃO (Rm 9.1-29)

1. O anseio de Paulo e a incredulidade de Israel.
* Aqui é mostrado o desejo de Paulo em que Israel aceitasse o plano da salvação e recebesse a Jesus com Senhor.
- “estima que possuía por seus compatriotas”, Quando lemos as cartas de Paulo temos a impressão que ele tinha sérios problemas com os judeus, mas não era isso, Paulo lutava contra os cristãos judaizantes que apregoavam o cumprimento dos preceitos rituais da Lei pelos cristãos gentios.
- “aos judeus foi dada a adoção, a glória, os pactos”, toda a revelação de Deus foi dada primeiro aos judeus, para que eles trouxessem o Seu conhecimento ao mundo.
- “continuava, e continua, endurecido”, endurecido em relação à Salvação, porque na época de Paulo a grande maioria dos judeus não entenderam e não receberam a Jesus como salvador.

2. Os eleitos e as promessas de Deus.
* Aqui mostra o debate entre os que defendem a predestinação e aqueles que acreditam na livre-escolha.
- “as promessas...de Israel não falharam”, a ideia de Paulo era ensinar que Deus não deixou Israel de lado por terem entregue a Jesus para ser morto.
- “judeus remanescentes”, são os judeus que ficarem fieis a Deus, provavelmente os que abraçaram a fé.
- “gentios que abraçaram a fé”, somos nós.
- “As posições se polarizam”, quer dizer que as pessoas assumem um lado no debate tornando a discussão acirrada.
- “determinismo”, é a teoria de que todo o futuro está determinado e nada do que o ser humano faz poderá mudar isso. Alguns usam isso como argumento para sustentar a teoria da predestinação.
- “livre-escolha”, é a argumentação de que temos escolha, mesmo diante das profecias que mostram que o futuro da nação está determinado.
- “não está se referindo a eleição individual, mas coletiva”, quer dizer que não está se referindo à eleição de indivíduos, mas sim da nação.
- “que a predestinação é corporativa”, quer dizer que a predestinação é da nação e não de indivíduos.

3. Eleição, justiça e soberania de Deus.
* Mostra uma parte do duelo entre predestinação e livre-arbítrio.
- “justiça de Deus e sua soberania”, soberania é a capacidade de se estabelecer acima da vontade de outros.
- “quando este resistiu à vontade de Deus”, o comentarista está afirmando que Deus é soberano para decidir o que quiser e que Faraó teria dado o motivo ao resistir à vontade do Senhor. A passagem mencionada aqui no capítulo nove de Romanos é um forte argumento a favor da predestinação fatalista.
- “cai diante da exposição do próprio texto.”, a argumentação de que “vaso de ira” se trata de pessoas que foram criadas para irem para o inferno. Essa argumentação cai, pois o texto se refere a toda nação.
__________________________________
II - O TROPEÇO DE ISRAEL DENTRO DO PLANO DA REDENÇÃO (Rm 9.30 — 10.21)

1. Tropeçaram em Cristo.
* Aqui mostra como o fato de saber acerca da salvação em Jesus e não o receber como Senhor trás condenação.
- “dificuldade de entender porque os gentios”, eles tiveram contato com a Lei desde a infância, por isso não compreendia a graça, essa ideia de alguém ser salvo sem ser por obras.
- “de não terem crido em Jesus”, com a instituição da Graça o requisito para ser salvo é acreditar e aceitar a Cristo como salvador.
- “para eles tornou-se em tropeço”, isso porque o fato de não terem aceitado a Jesus, se tornou em condenação para eles.

2. Tropeçaram na lei.
* Aqui é mostrado que os judeus não conseguiram cumprir a Lei.
- “buscarem a sua justiça própria através da Lei”, eles acreditavam que ao cumprirem a Lei seriam justos, porém não sabiam que a justiça de Deus não vem de obras da Lei.
- “visto que Cristo é o fim da lei”, quer dizer que Jesus é o cumprimento da Lei, a sua conclusão. A Lei foi determinada para que a Graça de Cristo pudesse ser evidente.

3. Tropeçaram na Palavra.
* Aqui é apresentado como os hebreus deixaram de interpretar os textos sagrados e por isso não perceberam quem era Jesus de verdade.
- “não por falta de aviso”, Deus usou muitos profetas para mostrar que Jesus era o Messias prometido, mostre aos alunos essa profecia de Zacarias:
“Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre, e montado sobre um jumento, e sobre um jumentinho, filho de jumenta.” Zc 9.9 Note que a interpretação é clara e o cumprimento literal. Jesus entrou em Jerusalém montado num jumento.
- “tropeçaram na Palavra”, não entenderam a Palavra, não a interpretaram corretamente. Interpretaram somente o que lhes agradavam interpretar.
___________________________________________
III - A RESTAURAÇÃO DE ISRAEL DENTRO DO PLANO DA REDENÇÃO (Rm 11.1-32)

1. Israel e o remanescente.
* Mostra como existe na cultura de Israel a crença de uma reserva de homens e mulheres que se guardam em santidade.
- “doutrina de um “remanescente””, de acordo com essa doutrina Deus tem sempre aqueles eu ficam fieis, que permanecem fieis enquanto os outros se desviam.
- “um remanescente que se mantinha fiel”, o remanescente nos dá a ideia daqueles que não possuem nomes famosos, estão no anonimato prontos para serem usados por Deus. A ideia de um remanescente pode se aplicar também à Igreja de Jesus.

2. Israel e o enxerto gentílico.
* Mostra como fazemos parte de uma mesma árvore, porém sendo nós enxerto e os judeus ramos naturais.       
- “incluía também os gentios”, para os judeus, os gentios não eram dignos de serem participantes das bênçãos de Deus.
- “gentios entraram como um enxerto”, sendo Deus a videira, os judeus eram os ramos originais e os gentios foram enxertados para crescerem com a seiva da videira.
- “assumir uma posição de orgulho”, Paulo se refere ao orgulho de se achar melhor do que os judeus, existem ministros que chegam a afirmar que os judeus são amaldiçoados.

3. Israel e a restauração futura (11.25-32).
* Aqui é mostrado como Paulo acreditava numa redenção futura de Israel após o tempo da redenção dos gentios.
_____________________________________
CONCLUSÃO
- “deve ser de temor, não de jactância”, a jactância significa arrogância, de alguém que se acha alguma coisa.
- “mostra que Deus respeita as escolhas”, significa que Deus permite ao homem um livre arbítrio.
- Não deixe de corrigir o questionário.

Respostas:
  
Os patriarcas e o Cristo descendiam de que povo?
Os patriarcas e o próprio Cristo descendiam dos judeus.

As promessas de Deus em relação a Israel falharam com a rejeição deles?
As promessas de Deus relativas à nação de Israel não falharam, mesmo que a maioria deles as tenha rejeitado.

Segundo a lição, por que Israel foi endurecido?
Israel foi endurecido porque não aceitou a justificação que lhe foi dada através de Jesus Cristo.

Paulo se considerava um dos remanescentes?
Sim, ele se considerava um dos remanescentes.

Como os gentios passaram a fazer parte do plano da salvação?
Como os judeus tropeçaram ao não aceitarem a justiça de Deus manifestada em Jesus Cristo, os gentios entraram como um “enxerto” no plano da salvação.


Marcos André – professor
Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.