quinta-feira, 14 de julho de 2016

ESCOLA DOMINICAL BETEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 3 - Revista Betel


AULA EM 17 DE JULHO DE 2016 – LIÇÃO 3
(Revista: Editora Betel)

Tema: A Voz do que Clama no Deserto

Texto Áureo: Salmos 24.10
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta aula se concentre na vida e obra de João Batista, pois é o objeto de estudo nesta lição, repare se João Batista não se parece com cada um dos crentes que tem a responsabilidade de anunciar a vinda do Cordeiro de Deus?
- “em Israel em sua plenitude”, O Reino de Deus sempre esteve nos corações dos servos de Deus, nas promessas feitas aos profetas, mas a sua plenitude ocorreu quando Jesus veio em carne.
- “os homens precisavam preparar um caminho”, a ideia de preparar um caminho para o rei sempre existiu em Israel e noutras partes do mundo, era o chamado arauto do rei, ele ia nas cidades onde o rei visitaria anunciando a vinda do rei, dessa forma a cidade tinha tempo de se preparar.
__________________________________________
1. Antes de falar de João
- “estabelecimento da família em Nazaré”, Jesus cresceu em Nazaré, por isso era chamado de Nazareno, por isso os homens de Nazaré não tiveram fé quando Jesus lhes anunciou o Evangelho do Reino.

1.1. Jesus e Sua família.
- “José era pai de coração de Jesus”, não sabemos como foi a infância de Jesus, mas podemos deduzir que Ele tenha sido obediente a seus pais, devido ao zelo que Ele tinha pela Lei.
- “Ele tinha irmãos (Tiago, José, Judas e Simão)”, existem crenças católicas de que esses eram, na verdade, primos de Jesus e não irmãos, pois para os católicos Maria teria ficado virgem até sua morte, outros acreditam até mesmo que ela teria ascendido ao céu. Tiago e Judas são autores das duas cartas que levam o seus nomes no Novo Testamento.
- “o dever de filho primogênito”, se Jesus não tivesse cumprido essa parte, logo os fariseus teriam do que o acusar.

1.2. Jesus e o Seu desenvolvimento pessoal.
- “heresias para pôr em dúvida a Sua divindade”, para esses inimigos de hoje Jesus não sabia da sua missão até o dia do Batismo nas águas, porém entendemos pela inferência bíblica que Jesus sabia quem era e conhecia sua missão em todo tempo.
- “desenvolveu num lar comum à sua época”, Jesus era visto em Nazaré como uma pessoa comum, pois Ele não operou milagres antes do início de Seu ministério terreno.
- “também aprendeu a ler e escrever na sinagoga”, para alguns parece controverso que o filho de Deus precisasse aprender a ler, mas Ele cumpriu a justiça dos homens, tanto que foi ser batizado por João. Mt 3.14
A escola onde se aprendia a ler era a sinagoga, a religião era a única matéria.

1.3. Jesus e Sua vida religiosa.
- “Ele foi circuncidado ao oitavo dia”,a circuncisão é um corte que se faz na pele do prepúcio na genitália masculina.
- “aprendiam a ler e escrever”, esse costume só entrou para a cultura de Israel depois do cativeiro, quando foram instituídas as sinagogas.
- “Jesus também orava”, enquanto esteve aqui na terra o Senhor vivia conforme toda a humanidade, e por isso também tinha necessidade de orar.
- “participava das festas religiosas”, Jesus cumpriu a lei, não era seu objetivo causar polêmica nesse sentido, pois Sua missão morrer pela humanidade.
_____________________________________________
2. João, a voz do que clama no deserto
- “silêncio profético de quatrocentos anos”, se refere ao período chamado de inter bíblico, que vai do ultimo profeta do Antigo Testamento até o primeiro do Novo Testamento que é João Batista.
- “por isso denunciava os pecados”, João tinha que preparar os corações e não a nação, pois não era um reino político que o Messias traria, mas um reino espiritual, que reside principalmente nos corações e mentes dos verdadeiros adoradores.

2.1. A pessoa de João Batista.
- “desempenhou o seu ministério de modo brilhante”, um pregador que arrasta uma multidão para o deserto sem operar grandes milagres, pode ser classificado de brilhante.
- “João era um homem resignado”, resignado é o que se sujeita, que se submete, assim era João, uma das maiores qualidades dele era a humildade.
- “luz que brilhava em meio as densas trevas”, João trazia a mensagem de esperança anunciando a chegada do Reino de Deus através do Cordeiro que tira o pecado do mundo.
- “denunciava o pecado de quem quer que fosse”, isso é ser justo e para isso tem que ter coragem.
- “o Elias que deveria vir”, não ma reencarnação de Elias, como alguns pensam, mas alguém com o ministério semelhante ao de Elias.


2.2. A mensagem de João Batista.
- “era a chegada do Reino de Deus”, essa mensagem dava uma carga de esperança na vida dos ouvintes, por isso ele era procurado pelos populares.
- “urgente preparatória como se necessita hoje”, estamos hoje às vésperas da chegada do salvador do mundo, porém Ele virá como o juiz das nações, mesmo assim precisamos ser como João Batista hoje para preparar as pessoas para recebê-lo em seus corações.
- “o arrependimento”, a mensagem central vinha com o clamor de João: “Arrependei-vos, porque...” Mt 3.2a
- “severa advertência do juízo”, para que haja arrependimento a pessoa precisa reconhecer sua situação crítica e para houvesse esse reconhecimento, João Batista apontava as falhas de alguns que vinham até ele, pois não tem como apresentar a oportunidade de salvação para aquele que acredita estar bem com o Criador.

2.3.  A procura por João Batista.
- “chamados de raças de víboras”, pelo texto sagrado temos a impressão de que aqueles fariseus e saduceus estivessem se ocultando no meio deles.
- “e de como ele era procurado”, o que causa admiração é o fato de João ministrar às vezes um discurso pesado, no qual muitos crentes hoje se escandalizariam e deixariam de segui-lo.
- “apresentação de João e de como ele era procurado”, de fato o que mais chama a atenção é o fato de como o povo saía da cidade e ia até o profeta no deserto.
- “o Senhor Jesus procurou João para ser batizado”, o Senhor Jesus honrou o ministério de João, mostrando a todos que o que ele fazia era muito importante. Assim Jesus faz com todos os que o anunciam, que o honram diante dos homens.
________________________________________
3. João e seu ministério batismal
- “o outro sobrenatural que apenas caberia a Cristo”, dois batismos, um cabe aos homens e o outro ao Senhor, a parte de Deus Ele faz, nós precisamos fazer a nossa.

3.1. O batismo com água e sua finalidade.
- “eu vos mergulho em água para o arrependimento”, a razão desse comentário é porque alguns segmentos evangélicos adotam o batismo por aspersão, que consiste em aspergir água sobre a cabeça da pessoa. Essa crença vem de uma série de interpretações e estudos feitos no Antigo Testamento.
- “não significa o arrependimento em si, mas um símbolo”, é um simbolismo da fé, uma declaração pública do que acredita. Alguns se batizam e logo abandonam a fé, isso porque não entenderam o simbolismo.
- “escolhem o batismo por imersão”, não convém discutir sobre qual o batismo correto, pois se ele é somente um simbolismo, pode ser feito da forma que melhor convir os recursos. Por exemplo em locais que não possui pão, como em tribos indígenas, pode ser feito Santa Ceia com mandioca, por que é um simbolismo.

3.2. A mensagem do batismo sobrenatural.
- “a fim de capacitar o cristão a tornar-se testemunha”, torna o cristão capaz de fazer algumas coisas que uma pessoa normalmente não faria, como pregar ao traficante, expulsar demônio de alguém ou prosseguir numa viagem a um lugar ermo para anunciar o Evangelho. É também chamado de revestimento de poder.
- “Todos nós precisamos desse batismo”, esse batismo nos auxilia a fazer a obra de Cristo, no entanto, não é condição essencial para a salvação.

3.3. O batismo do Senhor Jesus.
- “gerado e nascido sem pecado”, ele foi gerado pelo Espírito Santo, não trazendo o mesmo DNA de Adão, por isso não tinha em Seu corpo a natureza caída de Adão.
- “nos convém cumprir toda a justiça”, a justiça em questão é fazer o que é correto diante de Deus e João veio pregar o batismo de arrependimento para a chegada do Reio de Deus, dessa forma todos deveriam passar pelo batismo de arrependimento, e Jesus deu o exemplo. Seja filho de pastor, se já é batizado no Espírito Santo, todos devem passar pelas águas.

CONCLUSÃO
- “encerrando dessa maneira a dispensação do Antigo Testamento”, João é o profeta da transição, que prepararia o início da pregação do Evangelho do Reino.
Todos nós devemos ser pregadores como foi João ainda que falar a verdade dê prejuízos como o que aconteceu com ele, mas não se vendeu e nem perdeu a salvação.  
- Faça o resumo e corrija o questionário.

QUESTIONÁRIO

1. O que Jesus herdou de José?
R: A sua profissão (Mc 6.3)..

2. A expressão “voz que clama no deserto” refere-se a quem e por quê?
R:  Refere-se a João Batista, porque ele haveria de preparar o caminho para Jesus, o Messias (Is 40.3).

3. O que João vestia e se alimentava?
R: Ele se vestia de peles de camelo e se alimentava de mel silvestre (Mt 3.4).

4. Qual era a mensagem de João?
R: A chegada do Reino de Deus (Mt 3.2).

5. O que representa o batismo de Jesus, visto que Ele não tinha pecado?
R: A Sua morte e ressurreição em favor dos pecadores (Jo 12.23-24).

Marcos André – professor

Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

2 comentários:

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.