quarta-feira, 24 de agosto de 2016

ESCOLA DOMINICAL BETEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 9 - Revista Betel


AULA EM 28 DE AGOSTO DE 2016 – LIÇÃO 9
(Revista: Editora Betel)

Tema: Cristãos Firmados na Rocha

Texto Áureo: 1 Co 16.13
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição busque conduzir os alunos na direção da prática cristã, ensinando que vida com Deus não se define dentro da igreja e sim fora dela.
- “que ouvem e praticam as palavras de Jesus”, com o advento da pós-modernidade, uma das coisas mais difíceis tem sido “ouvir e praticar a Palavra” de Deus, principalmente “praticar”.
- “Muitos podem se declarar cristãos”, existe atualmente o conceito de “crente nominal”, ou seja, aquele que se nomeia crente, que se diz crente, mas que no entanto tem praticas na sua vida diária que não condiz com essa afirmação que a pessoa faz de si mesma.
- “que representará uma concreta obediência”, é na prática que a pessoa mostra para Deus e para o mundo quem ela realmente é, dessa forma entendemos que o ser crente não se comprova dentro da igreja, mas sim, fora da igreja, fora da presença dos cristãos.
__________________________________________
1. O cristão e seus relacionamentos
- “na contramão da vontade de Deus, temos que viver as palavras”, se essa sociedade vive na contramão da vontade de Deus, e se nós estamos na direção dessa mesma vontade, então podemos dizer que estamos na contramão da sociedade. Crente que se encaixa bem nessa sociedade deve ter algo de errado em sua vida cristã.

1.1. O dever de aplicar a regra de ouro.
- “compreendam e apliquem a si a regra de ouro”, o nome é regra de ouro, porque parece ser uma regra máster, pois ela é o princípio de tudo que entendemos como ética.
- “a empregavam, porém negativamente”, empregavam afirmando o que não se pode fazer, e Jesus passa a empregá-la positivamente, afirmando o que se pode e deve fazer.
- “todos os homens amam a si mesmos e procuram o próprio bem”, com essa regra o Senhor procura despertar o bem nas pessoas a partir delas mesmas. Pois há um bem dentro de cada um, um espírito de vida da parte de Deus.

1.2. O resumo da Lei e dos Profetas.
- “Le os Profetas representam toda a Escritura”, mencionar “Lei e os Profetas” era uma forma de os judeus referenciarem todas as Escrituras inspiradas por Deus no Antigo Testamento.
- “Jesus chegou ao suprassumo”, quer dizer que Ele chegou ao ponto máximo dos ensinamentos.
- “um pagão foi ao sacerdote”, um pagão para o judaísmo é todo aquele que não é convertido à religião judaica. Para o catolicismo um pagão é aquele que não foi batizado pela igreja católica em águas. Para os cristãos evangélicos é todo aquele que não serve a Cristo.
Aqui é passada uma ilustração interessante, essa é uma parábola ilustrativa para explicar o conceito da regra de ouro. Cada cristão deve aplicar essa regra em sua vida, só assim ele conseguirá ser um crente verdadeiro.

1.3. O dever de escolher o que é bom.
- “sérias escolhas ao longo de nossas vidas”, pode-se afirmar que a vida é feita pelas nossas escolhas, pois o futuro vai sendo definido nessas escolhas.
- “facilidades que se frustram com o tempo”, às vezes escolhemos caminhos mais fáceis que não nos leva a nada. Ex.: uma pessoa pode escolher fazer uma faculdade e passar quatro anos de aperto e outra pode escolher fazer um cursinho de seis meses e passar esses quatro anos mais tranquilamente, porém no final dos quatro anos aquele que fez a faculdade tem muito mais chance de estar em uma posição melhor.
- “difícil no começo por exigir maior atenção e energia”, por estarmos na direção da vontade de Deus e na contramão do mundo, os caminhos de Deus são bem difíceis, é como alguém que nada contra a correnteza.
- “conduzem à vida eterna”, esses benefícios só experimentaremos no fina da carreira cristã, porém outros poderão ser sentidos aqui, como a paz com Deus, as bênçãos materiais e a salvação da nossa família.
_____________________________________________
2. O cristão e os falsos profetas
- “cuidadosos quanto a quem irá influenciar nossas vidas”, os alunos devem meditar quem são os ministros e obreiros que eles admiram, como é a vida deles, se são pessoas de bem, pois a vida cristã não se resume a boas pregações e conhecimento, mas de prática.

2.1. Os falsos profetas e seus propósitos.
- “intenções e o que produzem são capazes de destruir”, em nosso tempo está repleto deles, geralmente são itinerantes, alguns sem igrejas, servindo apenas a ministérios particulares, alguns são cantores, pregadores, professores, profetas de monte, profetas de mesa de oração, profetas de ponto de pregação e por aí vai.
- “faz de tudo para não ser descoberto”, mantém uma capa, pois na maioria das vezes seus ministérios lhes dão bastante dinheiro e mídia.
- “mas eles buscam os rebanhos”, em nosso tempo eles amam os grandes púlpitos de grandes igrejas, amam os muitos aplausos e as muitas ofertas.
- “e com alianças depravadas”, alguns com associação com políticos, empresários ou com pastores inescrupulosos.
- “O falso não aceita tratamento”, o falso não aceita nem a sua crise, acredita estar tudo bem.

2.2. Como discernir um falso profeta?
- “sabem o que estão fazendo e por isso eles usam disfarces”, quer dizer que eles tem consciência de seus atos, na verdade eles não acreditam em Deus e nem no inferno.
- “para parecerem ovelhas”, para conseguirem seus objetivos eles precisam ser aceitos pelo povo de Deus e para isso eles tem que demonstrar a qualidade que os crentes mais veneram nos ministros, a humildade.
- “ou seja, por meio de virtudes”, porém para observar essas virtudes é preciso estar próximo a eles, não tem como observar um itinerante que chega em  nossa igreja recentemente, pois assim como para conhecer o fruto de uma árvore é necessário achegar-se a ela para colher o fruto, também para conhecer as virtudes de um falso profeta é necessário se aproximar dele ou falar com quem se aproximou. A liderança pode se empenhar nisso.
- ““acautelai-vos”, significa ser cuidadoso”, não se deve sair cedendo os púlpitos para aqueles que não conhecemos e não temos nenhuma informação a respeito.
- “trazer para perto”, é o exemplo para o que falamos sobre se aproximar da árvore para colher seu fruto.

2.3. O argumento dos falsos profetas.
- “Eles usam do engano, às vezes da força”, armam intrigas, denigrem disfarçadamente a imagem de bons líderes e demonstram muita prestatividade.
- “dos milagres para firmarem a sua autoridade”, querem mostrar para o rebanho que são enviados de Deus para com isso conduzir as pessoas a fazerem coisas impensáveis para eles.
- “perseguir os verdadeiros obreiros e humilhá-los”, eles na verdade se sentem ameaçados por esses obreiros e fazem de tudo para descredenciá-los diante da igreja.
- “facilmente são apanhadas na rede deles”, a falta de conhecimento da Palavra de Deus conduz a isso, infelizmente pouco se estuda a Bíblia nos dias atuais.
________________________________________
3. O cristão e a firmeza espiritual
- “desenvolvê-la dia após dia em nossa caminhada”, o caminho para esse desenvolvimento é a vida devocional, a oração, a leitura da Palavra e o jejum.

3.1. Os momentos de provação virão.
- “como nos preparamos”, o que importa é a nossa resposta a essas provações e para que saibamos com agir precisamos estar preparados.
- “trabalhar com todo o cuidado na construção”, ou seja, no preparo, no tipo de solo, tipo de material a ser usado, etc.
- “para que ela resista às intempéries”, intempéries são eventos climáticos que ocorrem no meio ambiente como chuva, ventania, temporal, sol, etc.

3.2. Como age o homem prudente.
- “ele constrói sobre a rocha”, esse é o preparo espiritual, na vida espiritual é ter uma boa base de conhecimento, oração e prática devocional.
- “na prática, com persistência, erros e acertos”, o ideal seria aprendermos com os erros dos outros, porém algumas lições só aprendemos vivendo os erros, por isso de vez em quando o Senhor nos permite passar certos processos.
- “nos impulsiona ao aperfeiçoamento de nossa santificação”, não podemos julgar que alcançamos o fim de todo conhecimento e propósito na obra de Deus, sempre haverá algo a mais para aprendermos ou fazermos.

3.3. Como age o homem insensato.
- “Ele também sabe que não tem controle sobre o tempo”, apesar de ter o mesmo conhecimento do homem prudente, esse julga que os problemas não serão tão graves, ele tem um outra visão da situação.
- “porém não se prepara para as adversidades”, ele resolve se acomodar, pois é preguiçoso.
- “impede de avaliar o lugar correto”,esse tipo de coisa dá trabalho, comparando com a vida espiritual, esse preparo consiste em praticar a Palavra de Deus, e isso dá trabalho.
- “emprega os piores materiais possíveis”, e faz tudo de qualquer jeito para terminar rápido, assim é imprudente, ora de qualquer jeito, não se aprimora na leitura e faz um jejum qualquer.
- “que se formam em consequência dela mesma”, uma tempestade pode se prolongar ou passar rápido, como pode deixar marcas nos locais onde passa. As situações difíceis da vida cristã são parecidas, podem se prolongar e deixar marcas.
- “quando há negligência”, quando a pessoa se nega a fazer algo que deve ser feito, no caso aqui, a pessoa se nega ao preparo necessário na sua vida espiritual.

CONCLUSÃO
- “precisamos andar nesse caminho”, essa lição é um estímulo para vivermos o verdadeiro Evangelho, praticando os mandamentos de Jesus e sendo exemplo de servos de Cristo.
- “caminho preparado desde a fundação do mundo”, o plano da salvação estava traçado desde a fundação do mundo, pois Deus já sabia que o ser humano pecaria, por isso tinha preparado a vinda de Jesus nosso salvador.
- Faça o resumo para a revisão e corrija o questionário.

QUESTIONÁRIO

1. O que é estar firmado na rocha?
R: É ouvir e praticar as palavras de Jesus.

2. Qual é a regra de ouro?
R: “Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas” (Mt 7.12).

3. O que é inevitável?
R: As provações (Mt 7.12).

4. Como age o homem prudente?
R: Sabe que não tem controle sobre o tempo, e, por isso, se prepara para as tempestades (Mt 7.24-25).

5.  Como age o homem insensato?
R: Não se prepara para as adversidades que vêm com o mau tempo (Mt 7.26-27).

Marcos André – professor

Boa Aula!


SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!


13 comentários:

  1. Bom dia, meu amigo, irmão e Pastor Marcos André, que o Senhor continue te usando para as nossas vidas, no ministério de educação cristã em todos os sentidos! Paz do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmão André, lembra aí, se quiser é só marcar lá que eu prego lá na tua igreja, os dias de semana são mais fáceis pra mim.
      É só ligar.

      paz de Jesus amado.

      Excluir
  2. Muito bom esse esboço, esclarecedor .Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom seu comentário pastor estou usando no meu ensino agregando algumas coisa Deus te abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmã Ika, é assim mesmo que deve ser usado, paz de Jesus.

      Excluir
  4. parabéns pastor pelo seu comentario e de grande valia para nos auxiliar como professores.Deus continue te abençoando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado irmã Laureni, estamos sempre a disposição com esse material. Paz.

      Excluir
  5. Paz do Senhor Jesus,muito bom esses comentários,tem acrescentado muito nas aulas da EBD aqui no Mato Grosso do Sul,meu esposo é pastor e ele que ministra as aulas a classe aumentou e as aulas ficaram mais esclarecedoras.Deus abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado irmã Angela, esse retorno é muito importante, Deus abençoe vocês e a igreja que está sob vossa responsabilidade, espero um dia poder visitar-lhes.

      Abraços.

      Excluir
  6. Paz do Senhor amado, é impressão minha ou nesta lição da Betel, o título não tem nada a ver com o conteúdo?

    Não é a primeira vez que eu pego lições assim da Betel, aí fica difícil ministrar se não há coerência :|

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paz meu irmão, eu verifiquei as lições 9 e 10 e estão de acordo, acho que é impressão tua. Está tudo certo, o tema está falando a mesma lingua do conteúdo.

      Abraços irmão R Santana.

      Excluir

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.