sexta-feira, 5 de agosto de 2016

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 6 - Revista CPAD - ADULTOS


AULA EM 7 DE AGOSTO DE 2016 – LIÇÃO 6
(Revista: CPAD)

Tema: A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS DESAFIADORES

Texto Áureo: Jo 6.37
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), para esta lição procure estudar técnicas para evangelizar esses grupos para passar como acréscimo na aula.
- “evangelizar os grupos desafiadores”, esses grupos são difíceis de serem evangelizados devido a questão social envolvida, pois ao levarmos a Palavra de Deus a eles e quando o deixamos eles voltam a sua realidade de vida e tudo tende a voltar como era antes.
- “não podem ser ignoradas em nossas ações”, resolver o problema social deles é dever do estado, mas o trabalho da Igreja é semelhante ao da igreja em Jerusalém, davam a mensagem de salvação e um alívio para a vida social cotidiana com a distribuição dos alimentos e roupas.
- “cracolândias”, é a concentração dos usuários de crack em determinadas áreas das grandes cidades.
- Nesse tipo de evangelização é necessário aliviar a pressão social deles com alguma forma de benefício material.
_______________________________________
I - JESUS ANUNCIA O EVANGELHO DA INCLUSÃO
- “mostra a ação inclusiva do Evangelho de Cristo”, ação que inclui a pessoa na sociedade, pois as pessoas excluem de seu convívio aqueles que estão nessa situação.

1. A reação do fariseu, o incluído.
- “Vendo a pecadora”, no conceito da lei “pecador” é todo aquele que não pratica a religião, enquanto que na graça todos nós somos pecadores, a graça inclui.
- “Aos próprios olhos, já estava incluso no Reino”, o problema do legalista é achar que está melhor do que os demais, quando na verdade não está, pois aquele que alcançou o perdão do Senhor deve ser mais humilde, buscar mais intimidade e se aproximar ainda mais de Deus, porque mais difícil é manter do que conquistar.
- “condenando-a ao fogo do inferno”, notemos que enquanto a graça inclui o legalismo exclui, devemos deixar de ser legalistas.

2. A reação da mulher, a excluída.
- “outra coisa senão chorar e adorar”, não se sabe exatamente o porque do choro da pecadora, porém sabemos que ela considerava Jesus o Messias prometido e considerava também sua posição infeliz de excluída e por isso estava envergonhada.
- “choram envergonhados de seus pecados”, dá para entender que o choro dela tinha a ver com vergonha, pois ela não falou e nem ergueu a cabeça, mas ficou no nível dos pés do Senhor.
- “a fé operosa daquela pecadora”, é a fé que realiza trabalho, que faz obras.
- “Jesus inclui a mulher no Reino de Deus”, mostrando a todos que a mensagem da salvação trazida por Jesus é mais poderosa que a Lei, pois inclui a todos e por isso tem um maior alcance.
_________________________________
II - O EVANGELHO ÀS PROSTITUTAS

1. Por que evangelizar as prostitutas.
- “porque Jesus morreu por elas também”, essa resposta portanto serve para todos os grupos sociais, devem ser evangelizados por esse motivo acima de qualquer outro.
- “libertas de pecados sexuais”, a prostituição é um problema que é movido principalmente pela falta de recursos financeiros, as pessoas desse grupo ao serem libertadas precisam encontrar caminhos para suprir a necessidade financeira, se não retornarão à atividade da prostituição.
- “tornaram-se heroínas da fé, como Raabe”, Raabe foi salva e foi integrada no povo judeu, casou-se e entrou para a genealogia de Jesus.
- “mulher pecadora na casa de Simão”, é a mulher do texto que estamos estudando, porém muitos acreditam que ela seria Maria Madalena a discípula mais operosa do Senhor, mas não nada nos evangelhos que indique isso.

2. Como evangelizar as prostitutas.
- “acompanhado por uma equipe feminina”, a ideia é evitar problemas nos casamentos ou fofocas no ministério.
- “em consequência de seu amor à vida pecaminosa”, a prática da prostituição está relacionada ao prazer corporal e por isso algumas pessoas não somente estão presas, como também estão cegas, não vendo a necessidade da salvação. Recebem a Palavra, mas logo se deixam levar pela prática pecaminosa novamente.

___________________________________________
III - O EVANGELHO AOS HOMOSSEXUAIS
- “Cristo também liberta e salva os homossexuais”,

1. Homossexuais em Corinto.
- “deixaram as velhas práticas”, alguns homossexuais não estão buscando por libertação, apesar de ouvirem de bom grado a mensagem da Palavra, adorariam serem incluídos no Reino de Deus sem, no entanto, se libertarem da prática homossexual, devemos ter em mente que é necessário se arrepender, confessar e deixar.
- “Basta esse único caso para comprovar o poder”, a mensagem do Evangelho tem o poder para salvar e também libertar, quer dizer que a pessoa que for impactada por essa mensagem pode também deixar as práticas pecaminosas homossexuais, desde que deixem Jesus trabalhar em seus corações.

2. Como evangelizar os homossexuais.
- “mas respeitosa e amorosamente”, há atualmente um grande clamor social contra a homofobia, por isso tudo que fizermos que pareça ofensivo para eles será interpretado como ato homofóbico.
- “será devidamente discipulado e integrado à igreja”, discipulado e integrado são duas ações que estão em falta na maioria das igrejas. Por isso alguns ministérios ganham almas, mas não as mantém na igreja.
____________________________________
IV. O EVANGELHO AOS CRIMINOSOS
- “acham-se abarrotadas de homens e mulheres”, alguns excelentes obreiros e ministros que temos nas igrejas foram ganhos no cárcere, daí vemos a importância dessa obra nos presídios.

1. A capelania de Paulo e Silas.
- “primeiros capelães carcerários”, o capelão é um ministro religioso autorizado a ministrar a religião aos presos ou enfermos num hospital.
- “através de seu testemunho e proclamação”, o testemunho foi o de continuar anunciando com alegria através do louvor o Evangelho do Reino, isso é profundo e causa admiração nas pessoas a nossa volta.
Existem dois tipos básicos de capelania: a capelania carcerária e a capelania hospitalar. Há cursos nessa área para ensinar como montar e como trabalhar nesse serviço.

2. A capelania da igreja atual.
- “menores que estão sofrendo medidas socioeducativa”, se refere aos locais que recebem menores infratores, pois existem centros sócio educativos como a antiga FEBEM em São Paulo, onde menores infratores permanecem até atingirem a maior idade.
- “não deve se ausentar das áreas de risco”, se referindo aos locais onde existem grupos armados que traficam drogas. A maioria dos integrantes desses grupos armados são de jovens e pré adolescentes e alguns são desviados da Igreja.
____________________________________
V. O EVANGELHO AOS VICIADOS
- “Se isso for verdade, estamos diante de uma tragédia social”, se não for verdade a tragédia social está ocorrendo mesmo assim, pois esse número só não está três vezes maior porque o crack é uma droga que mata rápido.

1. Viciados libertos.
- “irmãos libertos do álcool que, à semelhança de outras drogas”, o comentarista está usando o exemplo do álcool porque naquela época não havia as drogas ilícitas. Existem dois tipos de drogas, as lícitas e as ilícitas. O álcool é considerado uma droga lícita por ter o consentimento da sociedade.
- “levavam, agora, uma vida produtiva”, o evangelismo de grupos de viciados pode ser auxiliado por ex viciados que serão um testemunho de incentivo para aqueles que precisam se libertar.

2. Como evangelizar os viciados.
- “Evangelho aos que vivem nas cracolândias”, talvez o fato de estarem concentrado em um local pode facilitar o anúncio da mensagem, porém é muito complicado ajudá-los com algo além da Palavra e das orações.
- “comportam-se como mortos-vivos”, atravessam as avenidas sem se preocuparem com o trânsito e caminham nos trilhos dos trens, o crack é de rápida absorção pelo organismo e causa danos terríveis ao sistema respiratório e circulatório.
- “equipe evangelística especializada”, na equipe deve ter pessoas que entendam dos efeitos dessas drogas e a igreja deve dispor de psicólogos para auxiliarem a recuperação dos novos convertidos.
- “As medidas de segurança não podem ser desprezadas”, se refere ao cuidado ao entrar em áreas dominadas por grupos armados, cuidado com o que se vai falar.
____________________________________
CONCLUSÃO
- “Busque conhecer as reais carências de sua cidade”, cada região pode ter problemas específicos de sua cultura e a igreja local deve buscar conhecer os grupos dessas regiões.
- Faça uma revisão da aula com os alunos.
- Não deixe de corrigir o questionário.

Respostas:
   
Por que o Evangelho de Cristo é inclusivo?
Porque Jesus ama a todos. Seu sacrifício na cruz foi para todos.

Quais são os principais grupos desafiadores?
As prostitutas, homossexuais, viciados.

O que mostra a igreja coríntia?
Mostra que entre os crentes de Corinto, talvez, houvesse também ex-homossexuais que, ao se arrependerem de seus pecados, deixaram as velhas práticas. E, agora, achavam-se entre os santos daquela igreja (1Co 6.10,11).

O que ensina a igreja coríntia?
Que os homossexuais podem ser evangelizados e salvos por Jesus Cristo.

Como se pregar aos grupos desafiadores?
Esses grupos devem ser abordados direta, mas respeitosa e amorosamente. Devemos vê-los como pessoas carentes da graça de Deus.

Pr Marcos André – professor
Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.