sábado, 13 de agosto de 2016

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 7 - Revista CPAD - ADULTOS



AULA EM 14 DE AGOSTO DE 2016 – LIÇÃO 7
(Revista: CPAD)

Tema: O Evangelho no mundo acadêmico e político

Texto Áureo: 1 Co 2.4,5
  
INTRODUÇÃO
- Professor(a), para esta lição recomendo que você ore antes ou depois para que os alunos jovens consigam fazer uma faculdade e se for classe de adultos que os seus filhos consigam ingressar num curso superior.
- “saem os cientistas, educadores, formadores”, acredita-se hoje que os nossos antepassados erraram nesse sentido ao deixar de evangelizar essas instituições, porque hoje os nossos políticos, reitores, promotores, cientistas e diretores do alto escalão do governo são homens ímpios que não possuem compromisso com Deus e Sua obra.
- “legisladores”, são aqueles que fazem e julgam as leis, se tivermos cristãos fieis a Deus nesses cargos teremos menos problemas com leis que perseguem a fé cristã.
- “campus”, é o local onde funciona o curso de nível superior.
- “destacaram-se como acadêmicos”, eles foram levados para terem seus talentos administrativos aproveitados por Babilônia.
- “a supremacia do Deus de Israel”, eles deram testemunho do Senhor num local estranho diante de pessoas de muito conhecimento, assim nossos magistrados podem dar esse testemunho hoje.
_______________________________________
I - DANIEL NA UNIVERSIDADE DE BABILÔNIA
- “jamais renunciaram o seu temor a Deus”, e lá se praticava idolatria e a magia, isso mostra que podemos estar numa comunidade dos ímpios racionalistas e cheios de idolatria e não nos contaminarmos.

1. Uma vida testemunhal.
- “eles resolveram firmemente, em seu coração”, eles firmaram um propósito em suas vidas e buscaram segui-lo. Não é possível frequentar esses ambientes sem antes fazer propósitos com o Senhor.
- “Mais adiante, eles vieram a influenciar”, onde passamos não devemos ser influenciados, mas sim influenciar, pela nossa postura de homens e mulheres de Deus.
- “evangeliza através de um testemunho”, o crente não deve ser militante da fé nesses locais, com o risco de ser visto como um chato que as pessoas evitam por estar o tempo todo falando de coisas espirituais. Ele deve primeiro dar testemunho e depois aproveitar as oportunidades que aparecerem para evangelizar.
- “sacrificar o Evangelho no altar da pós-modernidade”, quer dizer cessar de evangelizar diante das coisas e entretenimentos pós-modernos.

2. Uma carreira acadêmica testemunhal.
- “sobressaiam pela excelência acadêmica”, que sejam alunos dedicados e que orgulhem os professores e arranquem admiração dos outros alunos, ainda que surjam os invejosos.
- “rendimentos medíocres”, são rendimentos medianos, ou dentro da média, com notas razoáveis. A proposta é que os servos do Senhor tenham notas elevadas como a sua conduta cristã.
- “mais doutos do que todos os magos ou astrólogos”, doutos, significa conhecedores ou possui conhecimento. Os magos e astrólogos eram os estudiosos da ciência que praticavam a medicina e o estudo dos astros.

3. Uma carreira testemunhal.
- “inseridos, imediatamente, na elite cultural”, devido ao alto desempenho diante do rei e dos doutores eles foram colocados nos cargos a altura de seus talentos. No nosso país é fácil encontrar pessoas que desanimam durante a formação ou após a formação.
- “Daniel ficaria por mais de 70 anos”, ele permaneceu até o final do império babilônio e provavelmente até retorno do povo judeu sendo que ele mesmo não retornou.
- “morreu pelos cientistas, médicos, advogados”, evangelizar eles não produziria frutos somente neles, pois eles são formadores de opiniões, pensemos que seria interessante um professor que ensine sobre a teoria da evolução das espécies também explicasse aos alunos que isso é apenas uma matéria e que na verdade o mundo e tudo que nele há foram criados por uma sabedoria superior e que nada surgiu do acaso.
- “à elite cultural de nossa nação”, se refere aos acadêmicos, professores e escritores.
- “Desses núcleos, Deus haverá de suscitar testemunhas”, esse tipo de evangelismo tem dado muito certo nos locais de trabalho e com certeza dará certo também nas universidades.
_________________________________
II - DEUS NA ACADEMIA BABILÔNICA

1. A crise escatológica.
- “Deus lhe mostrou, em sonho”, se referindo à visão da estátua, Deus não estava dando um sonho somente para Nabucodonosor, mas ele estava deixando um registro para mais tarde ser colocado nas Escrituras e assim falar a Igreja em todas as épocas e conosco hoje.
- “decretou a morte da elite intelectual”, o rei entendeu que eles não tinham poder e se não tinham poder, não serviriam para nada no império.
- “acadêmicos cristãos nas diversas áreas”, os estudiosos e conhecedores vez ou outra se deparam como casos inexplicáveis e por isso precisamos ter uma resposta sábia dentro da visão espiritual cristã.
- “mostrar o Evangelho de Cristo como a única solução”, nessas ocasiões surgem as oportunidades de evangelizar e por isso precisamos estar sempre estudando a Palavra de Deus. Infelizmente muitos estudantes relaxam no estudo da Bíblia quando entram para a universidade.

2. A resposta teológico-evangélica.
- “Daniel apresenta corajosamente”, é necessário coragem para falar e dar testemunho de Deus, por isso ninguém deve ficar em cima do muro dentro de uma faculdade, deve se apresentar logo como servo de Jesus.
- “há um Deus nos céus, o qual revela os segredos”, Daniel deu todo o crédito e honra ao Senhor Deus, dessa forma deve ser o proceder daquele que possui dons espirituais, talentos ou conhecimento.
- “o programa divino para os últimos dias”, havia um projeto no coração de Deus para a humanidade e exaltou a Daniel apresentando-o como Seu profeta diante de todos.
- “uma ruína certa e anunciada”, se a ruína da sociedade atual já estava anunciada desde os tempos de Daniel, então não há motivos para pegar ninguém de surpresa.
___________________________________________
III - A INTERVENÇÃO DE DEUS NA POLÍTICA BABILÔNICA
- “não poderia ser politicamente correto”, ser politicamente correto é não ofender e nem denegrir a imagem de outro em público, mas naquele momento não poderia ser assim, era necessário ser duro com o rei.

1. A corrupção de Babilônia.
- tenha reconhecido o senhorio divino”, apesar disso não há evidencias de que ele teria sido salvo, parece que ele não recebeu a Deus como Senhor e sim o considerava o Deus de Daniel.
- “profanou os utensílios sagrados”, em pleno temo da Lei, esse foi um grave erro, difamar o nome de Deus em público, não poderia dar outra coisa.
- “a sentença de morte daquele reino”, na mesma noite Belsazar perdeu o reino, conta-se a história de que os próprios generais de Belsazar abriram os portões de Babilônia para Ciro.
  
2. Daniel, o incorruptível.
- “o nome do velho profeta é evocado”, pode se dizer que o nome d0o profeta foi lembrado, quando os recursos humanos não são mais eficazes, as pessoas se lembram de Deus e dos homens e mulheres de Deus.
- “rejeitando todos os dons e agrados”, Daniel não poderia aceitar presentes de um condenado, e talvez ele não aceitou nada para que o rei não achasse que tinha direito sobre a interpretação.
- “homens públicos cristãos não se furtem ao seu dever”, alguns de nossos irmãos que estão no senado federal e na câmara dos deputados devem ter a postura de Daniel ao se depararem com alguns Belsazares da política, que profanam o nome de Deus.
____________________________________
CONCLUSÃO
- “saibam como preparar”, nós não podemos pensar somente no hoje, é preciso preparar os líderes para a Igreja no futuro e alguns desses líderes precisarão ter nível superior, o Evangelho tem que estar presente em todos os seguimentos da sociedade.
- Faça uma revisão da aula com os alunos.
- Não deixe de corrigir o questionário.

Respostas:
   
Por que a evangelização acadêmica é prioridade da igreja?
Porque no universo acadêmico saem os cientistas, educadores, formadores de opinião e boa parte dos governantes e legisladores.

De que modo os acadêmicos podem testemunhar de Cristo?
Por intermédio de uma vida testemunhal e uma carreira acadêmica excelente.

Como atuaram Daniel e seus companheiros em Babilônia?
Atuaram de forma excelente, exaltando e glorificando o Deus Todo-Poderoso.

Fale da intervenção de Daniel na cultura babilônica.
Daniel não se deixou enlaçar pela cultura babilônica nem pelo charme do politicamente correto.

Qual a obrigação de um político cristão ante as crises?
Orar e anunciar que Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a vida e que bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor.

Pr Marcos André – professor
Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.