quinta-feira, 6 de outubro de 2016

ESCOLA DOMINICAL BETEL ESBOÇO - Subsídio da Lição 2


AULA EM 9 DE OUTUBRO DE 2016 – LIÇÃO 2
(Revista: Editora Betel)

Tema: A Centralidade da Adoração 

Texto Áureo: Sl 95.6
  
INTRODUÇÃO
- Querido(a) professor(a), nesta lição se concentre em falar de como devemos colocar o Senhor no centro de toda adoração.
- “nos leva a assumir um profundo comprometimento”, se refere à temática “centralidade da adoração”, e quer dizer que saber disso e acreditar nisso nos conduz a ter compromisso com o Senhor.
- “conhecimento daquilo que significa a verdadeira adoração”, esse é um requisito essência, pois para colocar o Senhor no centro da adoração é necessário que saibamos como adorar verdadeiramente.
__________________________________________
1. Deus é o centro de tudo
- “Se temos Deus no centro de nossas vidas, temos tudo o que necessitamos”, não é ter o que se quer, mas o que se precisa, depois de um tempo descobrimos que é melhor ter o que se precisa do que ter o que se quer.

1.1. A adoração verdadeira tem Deus como o centro.
- “Deus deve ser o centro da nossa reunião”, na atualidade existem reuniões cristãs onde o Senhor não é adorado, chamam de louvor, mas não louvam a Deus. São pregações e canções de autoajuda.
- “Podemos honrar os homens”, honrar é destacar, distinguir, dar o devido respeito e mérito a alguém, por isso podemos demonstrar respeito às autoridade eclesiásticas, mas a adoração deve ser somente para Deus.  
- “Não devemos adorar imagens, estátuas religiosas, retratos nem quadros”, a igreja Católica promove essa prática entre os seus membros com a argumentação de que não os adora, mas apenas os venera e entendem que eles fazem intercessão por seus devotos junto a Jesus.
- “A resposta é: pela fé”, por isso a fé é tão importante para o cristão, quando alguém cai ou se enfraquece o primeiro elemento que ele perdeu foi a fé.

1.2. A verdadeira adoração é baseada na obra sacrificial de Cristo.
- “Pai sem ser pela obra meritória de Cristo”, o sacrifício na cruz é o grande assunto da pregação e louvor, ainda que se fale de outros assuntos mas o foco principal deve estar na mensagem da cruz.
- “pelo novo e vivo caminho que Cristo nos consagrou”, pois existia um antigo caminho, que era pelo fiel cumprimento da Lei.

1.3. A adoração verdadeira e a palavra de Deus.
- “a menos que achemos esta verdade revelada na Bíblia”, a Bíblia ensina acerca do propósito de nossa existência, não precisamos de uma nova revelação sobre isso, não é necessário uma nova visão.
- “chegar a Deus em nossos termos”, significa chegar a Deus da forma como achamos certo, isso é errado, devemos chegar a Deus como as Escrituras Ensinam.
- “rejeitados, assim como Caim”, ao que a Palavra de Deus indica a oferta de Caim teria sido rejeitada devido a seu coração.
- “se não dermos atenção aos ensinamentos”, alguns crentes trabalham na obra de Deus pelo que veem os outros fazerem, dessa forma se cria vícios e tradições dentro de algumas igrejas que nada tem a ver com o que ensina a Palavra.
_____________________________________________
2. O objetivo da adoração 
- “distinguir, fazer diferença”, no sentido de dar importância de colocar em destaque o mais importante.

2.1. Devemos adorar com os nossos bens.
- “suprir as necessidades materiais dos seus filhos”, independente de nós pedirmos ou não, pois a promessa está na Palavra Lc 12.31, então o crente deve primeiro se preocupar em adorar ao Senhor e deixar que Ele cuide de suas necessidades.
- “Esta promessa é condicional”, assim como todas as promessas, Deus não se agrada do comodismo, mas deseja que sejamos ativos na vida cristã.
- “o que nós devemos fazer e o que Deus fará”, “O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.” Fp 4.19 Essa fala do que Deus fará, porque no verso anterior Paulo fala o que os Filipenses fizeram por ele.

2.2. Devemos adorar com a honra que lhe tributamos. 
- “O conselho que Deus nos dá por meio de Salomão”, isso porque o livro de Provérbios é um livro de conselhos e não de mandamentos, são conselhos para vivermos bem uma vida espiritual, social, conjugal e profissional.
- “Deus não está interessado em nossas ofertas”, se Deus estivesse interessado em ofertas, o que desse mais seria mais abençoado, mas ainda bem que não é assim, pois o Senhor o que dá mais nem sempre é o que dá o maior valor. Lc 21.4
- “Ele só queria a expressão da honra, e não o privar de seu filho”, não podemos estar presos a nada nesse mundo, tudo o que temos devemos estar prontos a ofertar, ainda que não nos seja pedido pelo Senhor.

2.3. Devemos adorá-lo com a motivação correta.
- “quando Ananias e Safira trouxeram uma oferta”, professor(a), antes de continuar se certifique que os alunos conhecem a história desses irmãos que morreram após ofertarem. Se algum aluno conhecer essa história leia com eles a passagem de At 5.1-5
- “mas com a motivação errada e recheada de mentira”, o problema deles foi a mentira, esse foi o motivo da morte.
- “o Senhor os julgou pelo que fizeram”, uma desconcertante pergunta que pode surgir é “Por que o Senhor puniu Ananias e Safira com a morte e hoje não pune com a mesma pena, outros irmãos que fazem coisas piores?” a resposta é que aquele casal era judeu conhecedores do poder de Deus, deveriam respeitar e não mentirem para Deus. Após aquele fato houve o concílio de Jerusalém e o evangelho passou a ser transmitido para os gentios sem o rigor da lei.
________________________________________
3. Tudo para a glória de Deus
- “tamanha foi a repreensão que aquela igreja precisou receber”, segundo a Bíblia e a história houve ainda uma outra carta aos Coríntios na qual Paulo teria repreendido ainda mais fortemente algumas condutas. Essa terceira carta teria desaparecido na história ficando somente as duas que estão na Bíblia.

3.1. Nossas obras devem ser para a glória de Deus.
- “deve bastar-nos a alegria e a benção de sermos achados fiéis”, como servos do altíssimo não podemos julgar que seja coisa mínima essa honra, pois o Senhor cuida de nós e de nossa família.
- “querermos que o nosso trabalho seja mais vistoso”, dentro das igrejas existe um clima de disputa, onde os ministros, líderes e levitas tentam ser mais reconhecidos do que os demais.
- “para que o nosso trabalho seja o melhor, o mais excelente”, não melhor do que o do nosso irmão, mas sim melhor porque é para o Senhor e Ele merece o melhor.

3.2. Nossa entrega a Cristo deve ser sem reservas.
- “descrita como a vida a ser desenvolvida diariamente”,  ávida com Deus é em tempo integral não somente quando estamos no templo, mas em todo tempo. Nós não estamos em condição de adoradores, nós somos adoradores, é a nossa identidade.
- “É fácil na hora do culto glorificar a Deus”, na hora do culto estamos envoltos numa atmosfera de glória e emoção, por isso vemos muitos irmãos que até choram na hora de declarar que tudo que tem pertence a Deus, mas na verdade nada do que ele tem, de fato deixa a disposição de Deus.
- “Mas como fazer isso sempre?”, a pergunta é, como ser sempre um glorificador de Deus? Como ser fora da presença dos irmãos e do pastor?
- “É a conscientização de que tudo que envolve a nossa vida deve ser para adorar a Deus”, essa é a resposta para a pergunta anterior, é ter isso na consciência, reconhecer que Deus é o Criador de tudo e o que mantém tudo.

3.3. Vivendo para a glória de Deus.
- “buscar o máximo de satisfação própria”, essa é a visão hedonista que impera no presente período que chamamos de pós-modernidade. As pessoas estão emprenhadas na busca do prazer e da satisfação e isso tem adentrado nas igrejas.
- “quebrando-se toda a espécie de moral ou amor”, assim é como essa prática hedonista é aplicada no mundo, porém no meio cristão ela é adaptada para a vida eclesiástica, onde as pessoas são levadas a buscarem satisfação na obra de Deus com aquisição de bens e fim das crises diversas. As pregações tem sido voltadas para isso.
- “mas o prazer daquele que o criou”, nós fomos criados para louvor da glória de Deus, por isso nas Escrituras se fala de alegrar ao Senhor, veja:
“O solteiro cuida das coisas do Senhor, em como há de agradar ao Senhor;” 1 Co 7.32
- “sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe”, Hb 11.6

CONCLUSÃO
- “vigilância constante para que em nenhum momento nos desviemos”, nós estamos num mundo cercado por tudo que não louva a Deus, onde as pessoas fazem de tudo para aborrecê-lo e é exatamente por isso que devemos nos esforçar ainda mais em agradá-lo e adorá-lo.
- Faça o resumo para a revisão e corrija o questionário.

QUESTIONÁRIO

1. Conforme Efésios 1.6, o que precisamos fazer para sermos aceitos?
R: Temos que estar no Amado (Ef 1.6).

2. Qual conselho que Deus nos dá por meio de Salomão?
R: Para honrarmos ao Senhor com os nossos bens (Pv 10.22).

3. O que Deus pediu a Abraão?
R: O sacrifício de Isaque (Gn 22.1-10).

4. O que Ananias e Safira fizeram?
R: Trouxeram uma oferta de alto valor, mas a motivação errada e recheada de mentira (At 5.1-5).

5. Como devemos viver?
R: Para a glória de Deus (1Co 10.31).

Marcos André – professor


Boa Aula!

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.