INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL

quinta-feira, 17 de maio de 2018

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 8


AULA EM 20 DE MAIO DE 2018 - LIÇÃO 8
(Revista CPAD)

Tema: Ética Cristã e Sexualidade


Texto Áureo: Hb 13.4

INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição ensine que a sexualidade deve ser debatida nos meios cristãos onde alguns paradigmas devem ser desfeitos e os crentes devem buscar o controle e equilíbrio.
"a sexualidade tem sido desvirtuada na sociedade pós-moderna", ela tem sido tratada com outros propósitos que não os padrões cristãos, tem sido vista de forma permissiva e meramente carnal.
"alguns cristãos insistem em tratar o assunto como tabu", ou seja, aquilo que não pode ser mexido, como se fosse pecado o simples fato de se explicar acerca de sexualidade.

I – SEXUALIDADE: CONCEITOS E PERSPECTIVAS BÍBLICAS

1. Conceito de Sexo e Sexualidade.
"ações e práticas...relacionados com a busca da satisfação do apetite sexual", dessa forma, se um indivíduo pratica o ato sexual ele está exercendo sua sexualidade. O problema está a partir do momento em que a sociedade passa a estimular o exercício da sexualidade cada vez mais cedo nos seus indivíduos.

2O sexo foi criado por Deus.
- "o sexo faz parte da constituição anatômica e fisiológica", a ideia é que a definição sexual já nasce com a pessoa, pois ela já está definida fisicamente. Alguns defensores da ideologia de gênero alegam que há o sexo físico definido e o sexo psicológico ainda em formação.
"Desse modo, o sexo não deve ser visto como algo pecaminoso", desde que seja realizado dentro dos parâmetros do casamento, o sexo deve ser visto como uma benção dada por Deus ao ser humano, o casal devidamente casado não deve ver tudo no ato sexual como pecado e imundície.

3. A sexualidade é criação divina.
"deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher", por ser um código escrito na alma humana desde o início de Sua criação todas as civilizações da terra possuem o costume de celebrar a união de um homem e sua companheira.
"Portanto, não é correto “demonizar” o desejo e a satisfação sexual", alguns segmentos religiosos e muitos até mesmo cristãos evangélicos defenderam por muito tempo que o sexo entre o casal deve ser praticado com o mínimo de prazer possível. É possível que ainda haja pastores que defendam isso.

II - O PROPÓSITO DO SEXO SEGUNDO AS ESCRITURAS


1. Multiplicação da espécie humana.

- "Passado o dilúvio, Noé recebeu a mesma ordem recebida por Adão", mesmo Deus salvando uma família do homem de Deus, a natureza humana já estava corrompida pelo pecado, dessa forma o ser humano jamais soube se controlar quanto a prática da sexualidade, quanto o ser humano se entrega aos desejos sexuais, mais ele se sente necessitado disso. É necessário investir no equilíbrio pela busca da espiritualidade.

2. Satisfação e prazer conjugal.
- "a Bíblia também se refere ao sexo como algo prazeroso e satisfatório", foi Salomão quem mais escreveu sobre a satisfação do sexo no casamento, se não houve esse escritor na Bíblia temos a impressão que o sexo jamais seria visto como algo prazeroso e sim unicamente para a procriação. Esposas e maridos seria escravos de um tabu e o casamento cristão seria uma instituição sem graça. Atualmente o povo de Deus é esclarecido pelos mais diversos líderes e estudiosos acerca de casamento.

3. O correto uso do corpo.
- "Assim não são mais dois, mas uma só carne”, é bom tomar cuidado com a afirmação do comentarista, pois essa passagem não se refere a sexo e sim ao casamento.
- "as Escrituras proíbem o uso do corpo para práticas sexuais ilícitas", há aqui uma relação dessas práticas, porém é com lembrar o sexo até com o casal deve ser praticado de forma controlada, recíproca, respeitosa e de comum acordo.

III – O CASAMENTO COMO LIMITE ÉTICO PARA O SEXO

1. Prevenção contra a fornicação.
- "Deste modo, a legitimidade cristã para a satisfação dos apetites sexuais entre um homem e uma mulher restringe-se ao casamento", ou seja a Bíblia aprova a satisfação sexual, o prazer no ato sexual, ainda há líderes que acreditam que o sexo deve ser para a procriação e que deve o mínimo de prazer. Aqui também se afirma restrição dessa satisfação ao casamento monogâmico, com apenas um companheiro, e heterossexual, ou seja, com o sexo oposto.

2. O casamento e o leito sem mácula.
- "O leito conjugal não pode ser maculado por ninguém.", o leito conjugal pode ser entendido como casamento aprovado por Deus ou sexo em acordo com as Escrituras. Alguns casamentos não são corretos aos olhos divinos como o segundo casamento resultante de um divórcio banal.
"resultante de divórcios e de segundo casamentos antibíblicos", pela Palavra o divórcio é tolerado em caso de traição do conjugue.
"Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério." Mt 19.9 

CONCLUSÃO
- Faça a revisão e corrija o questionário.


Pr Marcos André

Pr Marcos André - Contatos para palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.