INICIE CLICANDO NO NOSSO MENU PRINCIPAL

sexta-feira, 25 de maio de 2018

ESCOLA DOMINICAL CPAD ESBOÇO - Subsídio da Lição 9


AULA EM 27 DE MAIO DE 2018 - LIÇÃO 9
(Revista CPAD)

Tema: Ética Cristã e planejamento familiar


Texto Áureo: Sl 127.3

INTRODUÇÃO
- Professor(a), nesta lição ensine direcionado ao seu público, se for classe de jovens, pode falar diretamente, se for de adultos a aula fica para orientação aos mais jovens.
"O casamento, no plano divino, pressupõe o nascimento de filhos", isso pode ser afirmado devido ao Senhor ter mandado eles povoarem a Terra.
"o planejamento familiar é importantíssimo", pelas razões que foram faladas, cuidar de filhos, administrar uma casa e sustentar uma família não pode ser feito de qualquer forma, deve ser planejado. Há Jovens que pensam mais na festa de casamento e não se preocupam com o que vem depois.

I – O CONCEITO GERAL DE PLANEJAMENTO FAMILIAR

1. Controle de natalidade.
"são adotadas pelos governos totalitários para refrear o aumento da população", esses países o estado toma as medidas para que a população tenha uma quantidade máxima de filhos por casal. Há países europeus que adotaram o controle de natalidade por muitos anos e hoje possuem crescimento populacional negativo, a população diminui a cada ano, esse é o caso da Rússia, isso trouxe uma série de problemas, atualmente esses governos elaboram políticas de incentivo a geração de filhos.

2Planejamento familiar.
- "saúde dos pais", no planejamento familiar deve ser levado em conta se os pais são férteis para terem filhos, se algum deles tem algum tipo de doença que possa transmiti à criança, etc.
"espaçamento de tempo entre uma e outra gestação", tem que se levar em conta o tempo que ficará sem ter filhos, lembrando que a criação de filhos com idades próximas sai mais barato.

II - O QUE AS ESCRITURAS DIZEM SOBRE O PLANEJAMENTO FAMILIAR

1. A família e a procriação da espécie.

- "Note que essa é uma ordem universal direcionada às gerações pré e pós-diluviana", aqui reside um argumento para que não seja autorizada a família com indivíduos do mesmo sexo. Pois não poderão procriar, existem muitos argumentos por parte dos que são a favor desse modelo familiar, mas estão cada vez menos usando a Bíblia como fonte de subsídio para o debate. Isso quer dizer que esse modelo familiar estará cada vez mais presente no mundo.

2. O planejamento familiar no Antigo Testamento.
- "Em contraste a essa cultura, as esposas dos patriarcas foram estéreis", quando nós falamos de Antigo Testamento a única cultura que tratamos é a judaica, e dentre outros detalhes dessa cultura notamos também que o judeu não levava muito em conta a questão financeira na quantidade de filhos. A família fica pobre, mas não deixava de ter filhos por conta disso. Por conta disso a população judaica depois dos patriarca cresceu mais do que os egípcios. 

3. O planejamento familiar no Novo Testamento.
Nesse tópico apenas fala de casos isolados de Maria e Isabel, não dá acréscimo entendimento do que é planejamento familiar e sua importância, pode ser pulado.

III. ÉTICA CRISTÃ E O LIMITE DO NÚMERO DE FILHOS 

1. A questão do fator de multiplicação.
"indicando que ela não tem o dever de gerar filhos a vida toda", ou seja, a própria natureza demonstra que o casal pode escolher se vai procriar ou se vai ter relação apenas para o prazer.
"Deve-se também entender que a ordem de procriação é “geral” e não “específica”", o mandamento de multiplicação é genérico, para toda a humanidade, não pode ser visto de forma pessoal. Se uma mulher é estéril não deve achar que está errando com Deus por isso ou se um casal decidir gerar apenas um está de acordo com ele. Quando um casal decide ter um filho para poder cria-lo bem, então está em conformidade com a Palavra de Deus.
Pode se entender do mesmo jeito que se alguém decidir passar a vida inteira sem ter filhos apenas para fazer a obra do Senhor, não está pecando também.

2. A questão ética no planejamento familiar.
- "postergar o nascimento dos filhos até que se possa cuidar melhor da família; limitar o número dos filhos para que se possa criá-los com dignidade", esse tipo de planejamento visando o bem estar da família é salutar, como a lição está ensinando, deve se levar a conhecimento de Deus e pedir a Ele uma melhor estratégia, não deixar que a vaidade e egoísmo domine as atitudes no planejamento familiar.

CONCLUSÃO
"simples limitação ou espaçamento do nascimento de seus filhos. Ele comete pecado quando suas motivações são presunçosas e utilitaristas", pode-se concluir da lição que o planejamento familiar que envolve poucos filhos não incorre em pecado, apenas a motivação quanto a ele.


Pr Marcos André

Pr Marcos André - Contatos para palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.