quarta-feira, 27 de junho de 2018

ESCOLA DOMINICAL BETEL - Conteúdo da Lição 1

O Testemunho dos Patriarcas
1° de julho de 2018


Texto Áureo
“Disse-me mais, Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus”. Êx 3.6

Verdade Aplicada
O maior legado de um pai para seu filho sempre será ensinar acerca do verdadeiro Deus.

Glossário
Escassez: Falta ou carência de algo;
Intento: Intenção, propósito;
Pragmático: Que tem como foco o bom êxito da ação; eficiente, objetivo, prática.
Textos de Referência.

Hebreus 11.8-9, 17-18
8. Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.
9. Pela fé habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa.
17. Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito.
18. Sendo-lhe dito: Em Isaque será chamada a tua descendência, considerou que Deus era poderoso para até dentre os mortos o ressuscitar;

Introdução
A história de Israel tem como marca o chamado de Deus aos patriarcas, pois, através das suas significativas experiências na vivência com o Senhor, eles contribuíram para o alicerce da fé do Antigo Testamento.

1. A chamada de Abraão 
O que marcou a história de Abraão foi sua fé e disposição em atender ao chamado divino (Hb 11.8). Por mais que habitasse em uma terra de idolatria, os seus ouvidos atentaram para a revelação de Deus.

1.1. A renúncia de Abraão
Quando Deus aparece a Abraão e lhe faz promessas (Gn 12), exige que ele sai da sua terra, parentela e da casa do pai para uma terra ainda não revelada. A ordem consistia em abandonar tudo que lhe era importante em troca do desconhecido. As expressões "terra", "parentela" e "casa" (Gn 12.1) Enfatizam que Deus queria que Abraão abrisse mão de sua estabilidade. Ele morava numa região rica, bem desenvolvida e, certamente, permanecendo na casa do pai, ele teria direito às bênçãos. No entanto, a partir daquele momento, sua estabilidade, descendência e conforto seriam resultado de sua fé e obediência ao Deus Todo-Poderoso.

1.2. Homem de uma fé extraordinária
Desde a chamada de Abraão, é notório o quanto a fé movia a sua vida e as suas decisões. Uma das maiores provas de fé desse grande patriarca foi quando Deus exigiu que imolasse seu filho Isaque (Gn 22). Esse teste de fé foi válido, pois revelou a sua total confiança em Deus, como bem relatou o escritor aos Hebreus ao dizer que Abraão considerou que Deus era poderoso para até dos mortos ressuscitar seu filho Isaque (Hb 11.18). A expressão "considerou" trás a ideia de calcular pelo pensamento e chegar a uma conclusão, ou seja, Abraão tinha plena convicção que Deus cumpriria a promessa e que, se fosse necessário, ressuscitaria Isaque.

1.3. O caráter de Abraão
Mesmo diante de eventuais falhas e de alguns deslizes em sua vida, Abraão é reconhecido como um dos maiores lideres espirituais, por ser exemplo de uma fé inabalável. Este patriarca é lebrado no Novo Testamento por Tiago como amigo de Deus (Tg 2.23) e por Paulo, ao citar que através dele todas as famílias da terra seriam benditas (Gl 3.8). Interessante notar que Deus testemunhou que Abraão seria instrumento para abençoar primeiramente sua própria família, por intermédio do ensino (Gn 18.19). Deus escolheu Abraão por conhecer seu caráter, pois através dele viria o povo eleito. Uma das marcas desse homem é o seu caráter, que é a impressão digital da alma.  

2. Isaque: cumprimento de uma promessa
Isaque foi o resultado da grande promessa feita por Deus a Abraão; o fio que manteria viva a esperança de surgir uma grande nação. Sua história nos mostra que não existe impossível para Deus e nos ensina que precisamos confiar inteiramente nEle e esperar Seu tempo. 

2.1. A revelação de Deus a Isaque
Deus se revelou a Isaque de maneira gradativa e em três situações distintas. A primeira vez foi como o Deus do pacto ao ser circuncidado. A segunda foi como Deus da providência, no momento de dificuldade. E a terceira, como o Deus do pai, quando Abraão, seu pai, estava morto (Gn 21.4; 22.8, 12-13; 26.24). Nós, pais, somos responsáveis em passar para os nossos filhos o conhecimento do verdadeiro Deus, o maior legado que podemos deixar para os nossos filhos. Infelizmente, em muitos lares, os pais tem negligenciado a responsabilidade de criar um ambiente propício para a revelação do verdadeiro Deus na vida dos filhos. Que Deus nos ajude a criar nossos filhos na doutrina e admoestação do Senhor.

2.2. Vencendo as dificuldades
Antes da morte, Abraão entregou a Isaque tudo quanto tinha, fazendo-o, desse modo, o herdeiro da promessa. A partir disso, Isaque passa a desenvolver a sua fé com o verdadeiro Deus e a experimentar as dificuldades junto com a esposa Rebeca. Segundo o relato bíblico, Isaque perde os pais (Gn 23.2; 25.8), enfrenta a esterilidade da esposa (Gn 25.20-21) e a escassez de alimentos (Gn 26.1). Diante dos problemas enfrentados, o patriarca orou incessantemente ao Senhor e, segundo o relato bíblico, por 20 anos (Gn 25.20-21, 26) até a oração ser respondida. A Bíblia diz que Deus ouviu as suas orações e atendeu o seu pedido.

2.3. Isaque e o seu legado
O texto de Hebreus coloca Isaque na galeria dos heróis da fé; considerado como o elo entre seu pai Abraão (o pai da fé) e seu filho Jacó ( aquele que luta com Deus). O texto de Hebreus também nos diz que "pela fé, Isaque abençoou Jacó e Esaú, no tocante às coias futuras"(Hb 11.20). A bênção do patriarca era sagrada e almejada pelos filhos, pois o patriarca invocava a Deus e tudo aquilo que era proferido tinha um poderoso efeito sobre as gerações futuras. Isaque entendeu o que é viver com Deus e desenvolveu uma fé inabalável, sempre confiando na soberania divina.

3. Jacó, transformado em Israel de Deus
A história de Jacó mostra um Deus que age e atua na história. A vida desse patriarca nos deixa uma importante lição: Deus é poderoso para escrever uma história diferente a nosso respeito.

3.1. Uma vida de enganos
Infelizmente em várias etapas de sua vida, Jacó usou de astúcia para conseguir o que queria. Ele era um homem pacífico, que amava a vida do lar, se preocupava com questões espirituais e entendia o valor da primogenitura, porém era pragmático. Por conhecer a história e as promessas que Deus fizera aos seus ancestrais, começou a tramar ardilosamente, tentando colaborar com Deus em seus intentos. Isto é perceptível em Gênesis 25. 29-34, quando compra o direito de primogenitura de seu irmão Esaú, e quando se passa por seu irmão para ser abençoado pelo seu pai (Gn 27).

3.2. Resolvendo as pendências do passado
Em sua rota de fuga para Padã-Arã, Jacó tem um sonho onde Deus lhe assegura a aliança de Abraão, além de proteção pessoal e bênção (Gn 28.10-22). Embora Jacó tivesse preservado a sua vida ao fugir, as consequências foram terríveis, pois nunca mais veria a sua mãe, foi enganado por seu tio Labão e o medo de seu irmão o assombrava. Após vários anos na casa de Labão, Deus ordena que Jacó retorne à terra de seus pais (Gn 31.3).Este retorno incluía encontrar com seu irmão Esaú, que vinha ao seu encontro com 400 homens. Quando Deus ordenar algo, faça com fé sem temer o futuro, pois Ele prepara os caminhos. Gênesis 33.4 nos afirma: "Então Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o; e lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram". 

3.3. Uma experiência marcante
Um dos momentos marcantes da história de Jacó foi "Vau de Jaboque", pois revela seu crescimento espiritual. Em Gênesis 32.22-32, encontramos Jacó travando uma luta com o anjo, que, teologicamente falando, foi uma teofania (o ato de Deus aparecer aos homens). Diante deste episódio, Jacó viu que poderia perseverar e vencer sem trapacear. Jacó saiu marcado deste encontro; fisicamente passou a mancar; e espiritualmente nunca mais foi o mesmo. Aqui seu nome muda de "Jacó" para "Israel", passando a ser agora "Príncipe de Deus". Em nosso desenvolvimento espiritual, muitas vezes carregaremos marcas profundas, simbolizando a transformação do nosso caráter.

Conclusão.
Em Abraão aprendemos sobre um Deus que escolhe e capacita pessoas. Em Isaque percebemos um Deus que se revela nos momentos de necessidade. Na vida é perceptível a vontade de Deus em transformar o homem. Através desses três personagens, Deus começa a linda história da nação de Israel.

Questionário.

1. Qual foi um dos momentos mais marcantes da história de Abraão?

2. Qual foi uma das maiores provas de fé de Abraão?

3. Como Abraão é lembrado no Novo  Testamento por Tiago?

4. O que Deus assegurou a Jacó em sonho?

5. O Vau de Jaboque revela sobre Jacó?


Pr Marcos André - contatos palestras, aulas e pregações: 21 969786830 (Tim e zap) 21 992791366 (Claro)

SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE NO ANÚNCIO ABAIXO! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários estão liberados, dessa forma o seu comentário será publicado direto no CLUBE DA TEOLOGIA.
Porém se ele for abusivo ou usar palavras de baixo calão será removido.